Autotransformadores vs. Transformadores Isoladores

Discussão em 'Energia, Alimentação e Aterramento' iniciada por Progger58, 16 Jun 2004.

  1. Progger58

    Progger58 Usuário

    Desde:
    7 Mai 2004
    Mensagens:
    6.900
    Obrigados:
    5
    Troféus:
    0
    Localização:
    Campina Grande-PB
    No site da BY KNIRSCH, encontrei esses dois tipos de artefatos, e não consegui distinguir qual a diferença entre os dois.

    Alguém, por favor, saberia esclarecer?

    Demétrio.
     
  2. Dmaumau

    Dmaumau Moving Forward

    Desde:
    9 Out 2002
    Mensagens:
    27.576
    Obrigados:
    14
    Troféus:
    38
    Localização:
    Campinas - SP
    Demétrio, o Jorge é amigão nosso aqui do fórum.

    Manda um e-mail pra ele que ele te explica todas as diferenças.

    Abração.
     
  3. José Ramiro SaF

    José Ramiro SaF Usuário

    Desde:
    4 Fev 2004
    Mensagens:
    5
    Obrigados:
    0
    Troféus:
    0
    Localização:
    Aracaju/Se/Br
    Demétrio, Dmamau e demais.

    Num autotrafo existe apenas um bobinado com início para o 0v, centro e fim onde, para redução de tensão coloca-se tapes entre início e centro e deste para o fim caso necessite de tensão maior (aqui não existe isolamento entre a rede elétrica e a fonte de consumo);

    Num transform. isolador existe bobina(s) secundária(s) isolada(s) fisicamente do enrolamento primário (neste a fonte de consumo fica isolada da rede elétrica).

    Ex. prático:
    Num autotrafo de 110/220v, enrolemos 200 espiras entre início e centro para entrada dos 110 v da rede e deste ponto para o final, + 200 espiras ( um total de 400 espiras) para a saída dos 220v numa única bobina.
    Um trafo isolador de 110/220 ficaria assim: 200 espiras no enrolamento primario para entrada dos 110v, + 400 espiras (um total de 600 espiras) isoladas do primario onde sairiam os 220 v.
    Obs: no primeiro trafo só necessitamos de 400 espiras e no segundo de 600 espiras, portanto, no primeiro modelo se consegue potência maior por possuir menor número de espiras e menor resistência ômica), consequentemente menor tamanho da ferragem o que o tornaria mais econômico para a indústria
    mas, com a desvantagem de não isolar a rede elétrica da fonte de consumo motivo pelo qual torna o outro mais evidente.

    Um abraço.
    Ramiro














     

Compartilhar esta Página