PDA

Ver Versão Completa : Fotos e esquema da parte elétrica após trabalho do eletricista.



Páginas : 1 [2] 3

jailsonrs
10-10-2009, 19:32
Aqui em casa uso as da Schineider, linha Prime. Os bornes são comuns.
Vejo que estas da Fame possuem um excelente diferencial.

_rau_
10-10-2009, 19:44
Essa da foto num é FAME, é uma tal de IRIEL...

jailsonrs
12-10-2009, 11:28
No circuito de iluminação, fase e neutro percorrerem o mesmo caminho significa um imenso desperdício de condutores neutro, uma vez que só precisam passar pelos interruptores a fase e o retorno destinado a cada lâmpada.
Para o neutro, pode-se com um único condutor, derivá-lo para todos os pontos de iluminação e para a fase, um único condutor pode ser derivado para todos os pontos de alimentação dos interruptores.

Este esquema está correto? Ou há alguma norma contrária a esta questão?

Obs: Aguardo a foto do seu esquema de tomadas.

_rau_
12-10-2009, 11:40
Desde que todos façam parte de um mesmo circuito, pode derivar fase e neutro de onde você quiser, de onde ficar melhor pra deriva-los. O que é errado é você ter o neutro de outro circuito e utiliza-lo num circuito a parte.

Eu não prometi nenhum esquema de tomada, só vou tirar a foto pra mostrar como que é o borne das tomadas FAME, tenho poucas delas instalada, só troquei as da cozinha e dos banheiros, o resto são todas antigas ainda. Inclusive no "escritório" onde fica meus PCs e tralhas de informática, ferramentas, fios e trecos em geral, as tomadas são todas daquelas pretas 2P+T.

jailsonrs
12-10-2009, 11:48
Sim, sim.
Nos seus pontos de informática, vc usa condutor de 2,5 mm² ou de 4,0 mm²?

_rau_
12-10-2009, 12:17
2,5mm2. Nao tem necessidade de mais do que isso, o circuito tb tá compartilhado com uma sala de TV ao lado e um quarto, juntos não consomem mais do que 2500W mesmo com tudo ligado ao mesmo tempo no máximo. A distancia do quadro deve dar uns 15 metros de fio.

Budegas
14-10-2009, 11:34
rau, meu guru :rever1:
Verifica a minha distribuição dos circuitos e diga como está? Qual vc recomenda? (isto dá um trabalhão hein ;))


ah! é assim que liga o terra? Fiz a medição com uma lâmpada de 100W, o resultado: a lâmpada apresentou um pouco de oscilação entre N e PE. Medindo a tensão: Fase-N = 127V / Fase-T = 110V (com a lâmpada ligada. medi colocando a ponto do multimetro na fase e a outra, junto com o fio da lâmpada, no terminal de terra).?

Budegas
14-10-2009, 11:37
Como tive que quebrar a parede para colocar uma caixa de passagem (como já falei antes), os cabos que estavam ligado antes não consegui colocá-los novamente no Quandro de Medição, aí liguei o cabo novo 16mm no disjuntor do quadro e fiz a derivação na fase na caixa de passagem utilizando o Split-Bolt para emendar o fio 10mm que vai para o qd antigo. Pode ficar assim (provisoriamente +- 1 ano)? É assim que utiliza o conector? E o isolamento? Ah! vou trocar a caixa 4x4 por uma sextavada que é mais funda para poder acomodar as emendas nela ;)
obrigado.
Adriano

Budegas
14-10-2009, 11:47
só para concluir mais algumas imagens.

Rau, só mais uma coisa: quando os cabos chegam no telhado, ao invés de utilizar as roldanas usei as canaletas ventiladas de plástico (anti chama), o que vc acha?
Ah! para prender os cabos 2.5/1.5 no madeiramento não posso usar as abraçadeiras de nylon tipo "enforca gato"?

_rau_
14-10-2009, 18:27
"Meu guru..." - Não é pra tanto né! Não sou tudo isso aí não... :) Mas agradeço a confiança!

Naquela planilha excel a cozinha se não me engano tá com 1 circuito apenas, é isso ou são 4? To meio sem tempo pra analisar toda aquela planilha e seus PDF's, mas parece que o dimensionamento está no caminho certo. Quanto mais disjuntores, melhor tb, fica tudo mais distribuido e sem chances de sobrecargas. Vai mais fio, mas fica tudo mai seguro. Não foi considerada a queda de tensão no dimensionamento que envolve principalmente o comprimento do circuito, mas pra uma casa típica acho besteira, já que no final o calculo quase sempre dá na receita de bolo de 2,5mm pra até 20A, 25-30A pra fio 4mm2... É quase perda de tempo calcular queda de tensão numa casa média. Só se fosse uma mansão imensa ou outro tipo de construção, tipo escola, prédios, industria... ou quando o padrão fica muito longe do quadro de disjuntores...

Com relação à medição do aterramento, eu abomino o teste da lâmpada. :D Por que? Porque ele não nos diz quase nada ou nada sobre a qualidade de um sistema de aterramento, mas nos diz uma coisa, se há queda de tensão em relação à medição de 100W entre Fase-Neutro, esse aterramento é fraco, mas ao utiliza-lo sozinho com IDR ou equipotencializado em TN-S, ele é seguro o suficiente pras pessoas e pros equipamentos a não ser que ocorra algum acidente que quebre o ponto equipotencial ou seu neutro na entrada do padrão, ai esse aterramento não vai ajudar muita coisa, sua casa ficaria "pendurada" na malha local e poderia dar alguma *****, mas em 99% das casas é a mesma coisa...

Malha de aterramento pra saber se ela sozinha é boa, só com equipamentos apropripados de medição que fará medições inclusive em frequências acima de 60Hz e injetará muito mais do que poucos amperes de uma lampada de 100W, pra testar a impedância dessa malha em condições adversas. Um raio por exemplo possui uma frequência muito acima de 60Hz, ela passa dos Khz. Mas não esquenta a cabeça, se puder adicionar mais hastes espaçadas, aconselho, pq 17V é uma queda muito grande pra meros 100W. Mas ao equipotencializar essa sua malha, a malha da vizinhaça passa a fazer parte da sua, então no que tange a baixa impedância, seu sistema de aterramento terá impedância baixissima e qualquer curto Fase-Terra poderia ser seccionado por um disjuntor comum, mas com o IDR, ele fará isso antes que correntes de curto-circuito elevada aconteçam, o que também é algo desejável, principalmente em ambientes sujeitos à atmosféras inflamáveis. Enfim, com o tempo geralmente a haste faz um contato mais intimo com o solo tb e pode melhorar sua condutividade...

Sobre aquela caixa e a isolação:

Realmente a caixa ficou pequena viu, seria bom troca-la mesmo. Quando a isolação, compra fita de auto-fusão e passa ali - leia as instruções da embalagem antes. Passe bem, de forma que não entre umidade, pode passar por cima da fita isolante. Passe de forma que não fique nem um orificio aberto, pra isolar bem contra umidade. Se pode ficar assim por 1 ano, desde que ninguém for mexer, criança curiosa (qual não é?) principalmente e não foi entrar umidade...

To vendo nessas fotos ai dos cabos que chegam no quadro. A minha primeira critica é os fios na frente o disjuntor, atrapalhando o seu manuseio. Não dá pra cortar esses fios ai de forma que eles fiquem mais organizados, sem empatar o acesso ao disjuntor?

Os fios que tão saindo do disjuntor são mais finos que os que chega, não? Mas se for 10mm2, 50A tá correto.

A segunda crítica são esses terminais, eles não foram feitos pra cabos 10mm2, muito menos 16mm2. Geralmente o isolamento azul é pra estourando um cabo 4mm2. O amarelo estourando um 10mm2, mas nominalmente são pra 2,5 e 6mm2, respectivamente. Pra cabos 10 pra cima existem outros terminais especificos. Se esse disjuntor tiver bornes do tipo prensa, que pressiona a ponta do cabo e não um parafuso torcendo em cima do cabo, pode usar o cabo direto, sem terminal.

Sobre as canaletas ventiladas, boa idéia, não conhecia essas de plastico e ventiladas.

Sobre as abraçadeiras, elas não foram feitas pra isso, será que elas são anti-chama? Aguenta um possível sobreaquecimento da fiação? É algo remoto de acontecer, mas a se formos ater o que a norma nos diz, ela não menciona o uso desse tipo de fixação. Mas se as canaletas nao ficarem caras, usa elas mesmo.

Desculpe se não te respondi tudo. Por enquanto é só.

T+

Budegas
14-10-2009, 22:36
"Meu guru..." - Não é pra tanto né! Não sou tudo isso aí não... :) Mas agradeço a confiança!

Naquela planilha excel a cozinha se não me engano tá com 1 circuito apenas, é isso ou são 4?
Não, tem tres circuitos: 1 para a geladeira - fora do IDR, outro para o microondas e tres TUGS e outra para o resto da cozinha (fogão, coifa, TUGs)

Com relação à medição do aterramento, eu abomino o teste da lâmpada. ...... mas ao utiliza-lo sozinho com IDR ou equipotencializado em TN-S...... Enfim, com o tempo geralmente a haste faz um contato mais intimo com o solo tb e pode melhorar sua condutividade....
Também não gostei do teste. Fora o aterrômetro, alguma outra maneira de medí-lo? No caso o perigo é cair ou quebrar o neutro antes da minha caixa, no que liga na vizinhança né?


Realmente a caixa ficou pequena viu, seria bom troca-la mesmo. Quando a isolação, compra fita de auto-fusão e passa ali - leia as instruções da embalagem antes.
Já vou trocar. Está com auta-fusão e isolante por cima.


To vendo nessas fotos ai dos cabos que chegam no quadro. A minha primeira critica é os fios na frente o disjuntor, atrapalhando o seu manuseio. Não dá pra cortar esses fios ai de forma que eles fiquem mais organizados, sem empatar o acesso ao disjuntor?

Os fios que tão saindo do disjuntor são mais finos que os que chega, não? Mas se for 10mm2, 50A tá correto.
Não queria cortá-lo agora, vou organizá-lo melhor, prendê-lo por enquanto. quanto ao fi que chega ao QM é realmente 10mm sólido.


A segunda crítica são esses terminais, eles não foram feitos pra cabos 10mm2, muito menos 16mm2.
Comprei como sendo para 16mm, serviram bem. Tem algum problema quanto a resistência/durabilidade do mesmo?

_rau_
15-10-2009, 12:34
Ok, os circuitos pra cozinha creio estarem suficientes.

Sem terrômetro tem testes toscos e perigosos como por exemplo pegar uma resistência de chuveiro e liga-la dentro de um balde de água entre Fase-Neutro e Fase-Terra ou mesmo no chuveiro fazer isso e medir a tensão entre Fase-Neutro, Fase-Terra. A tensão entre Fase-Terra deve ser exatamente a medida entre Fase-Neutro. Mas esse teste é perigoso, pode aparecer tensão em volta da haste de aterramento e ainda assim não é um teste completo, mas se você ligar 5000W entre Fase-Terra e der a mesma tensão medida entre Fase-Neutro, pode-se dizer que esse aterramento está relativamente bom. Terrômetro é coisa rara, quase ninguém tem a não ser empresas dedicadas a esse tipo de serviço, engenharias...

A prática mundial que vemos é o uso de uma haste apenas pra cada medidor único e equipotencializado na entrada. Muitas casas na europa por exemplo que nem aterramento na entrada tem, o sistema é um TN-C-S ou TN-S, que na maioria dos lugares por lá as redes são subterraneas. No TN-S deles o terra já chega da rua, vem direto do transformador, mas o neutro é aterrado diversas vezes ou uma malha em torno do cabo do neutro faz contato direto com a terra por todo percursos subterraneo. Tenho lido em foruns gringos que onde essa malha está deteriorando-se pela idade ou se partiu, eles tão convertendo o aterramento pra um TN-C-S, onde o fio terra parte de cima do neutro na propria entrada, sem haste local, e isso é aceito pelas normas lá, mas sabe-se que o cuidado com o aterramento do neutro feito pela CIA Elétrica é muito maior que aqui e de cuidados da CIA Elétrica e não do usuário, como é em parte aqui, onde o neutro é aterrado em cada casa e pouquissimas ou nenhuma vez nos postes da rua. Na verdade o aterramento do neutro teria que ser de total responsabilidade das CIA's Elétricas.

Aqui nas nossas redes de distribuição as CIAs nunca entregam o condutor de proteção, ficando a cargo do consumidor a realiza-lo. O neutro em alguns lugares tem aterramendo duvidoso. Mas enfim, você pergunta se o neutro se quebrar...

Bem, se o neutro se partisse na sua caixa ou na emenda com o fio da rua ou mesmo de forma um pouco menos pior se o neutro se partisse num ponto mais pra perto do transformador e o neutro ficasse digamos contando com o aterramento de umas 10 casas, junto com a sua, todas as questões que envolve os danos causados por esse acontecimento vai depender de como está essa malha, do consumo eletrico naquele instante, etc.

Exemplo:

Se o neutro quebrasse dentro do seu lote, perdendo o referencial do neutro externo, ficando pendurado só na sua unica haste, algumas coisas poderia ocorrer:

1 - Numa rede bifásica poderiamos ter uma grande subtensão numa fase e uma grande sobretensão na outra. Tudo vai depender do consumo elétrico nesse instante. Se tiver uns 100W ligados, vai haver aquela queda de tensão em uma das fazes igual a que você mediu e na outra fase poderá ter uma sobretensão mais ou menos o valor nominal de tensão naquele instante mais o valor da queda que se viu na outra fase. Não é bem assim, só to dando um exemplo. Quanto maior o consumo e a situação ruim do aterramento local, maior serão os problemas. Outra coisa que aconteceria é que poderia aparecer uma tensão nas carcaças aterradas em TN. Esses são um dos maiores problemas do aterramento TN, o aterramento local se ruim se saturaria e tensão poderia aparecer nas carcaças. Até 60V ainda é seguro, acima disso começa a ficar perigoso. É por essa e outras razões que o ideal é que o neutro fosse o melhor aterrado possível e que não houvesse diferença de tensão em ambas medições com o aterramento separado, com o que quer que esteja ligado entre Fase-Neutro e Fase-Terra, mas isso é dificil de se conseguir sem equipotencializar o aterramento local. O ideal é que esse aterramento local conseguisse segurar algo ligado, sem ter uma queda severa de tensão durante o evento de uma quebra do neutro principal.

Esse assunto é de preocupação em paises com infra-estrutura de distribuição elétrica duvidosa, como na África do Sul por exemplo, caso saiba inglês, leia:

Loss of neutral in Low Voltage Distribution Systems - Consequences and Solutions (http://www.cbi-electric.com/Papers/29/Loss%20of%20Neutral.pdf)

É por isso que sempre menciono as complexidades envolvendo esse assunto aterramento. Se formos pensar em tudo que pode acontecer, podemos achar que é melhor não aterradas nada. Tudo é avaliado diante das probabilidades e nível de proteção inerente dos próprios sistemas utilizados, o que pode ser considerada ou não, o suficientemente (não totalmente) seguros.

Qual desses esquemas o usuário tem mais controle? Eu diria o TT com DPS + DR. Qual deles é mais seguro? Tudo depende de como foi implementado, como descargas atmosféricas interagirão com o sistema. O x ou "xzes" da questão sempre envolve o envento mais catastrófico que são descargas atmosféricas e secundariamente os acidentes na rede de distribuição elétrica, que se fosse toda subterranea, seria muito mais segura.

Dúvidas? Sempre existirão dúvidas, eu mesmo tenho as minhas no que tange aterramentos, mas pelo menos seguindo as diretrizes das normas, temos o direito de reclamar judicialmente com total razão porque tudo foi feito pelos preceitos das normas vigentes.

Fita de autO fusão e não auta ou alta-fusão! :)

O que as pessoas confudem é que vem escrito na embalagem assim:

Fita para alta tensão - auto-fusão.

auto = automático ou no caso aqui quer dizer que ela se "funde" em si sem uso de nenhum elemento externo durante a aplicação, melhorando o isolamento.

Se o cabo entrou no terminal com facilidade, então não tem problema.

PS: Naquele documento do link acima eles levantam a questão de adotar um aterramento local pra se minimizar os problemas com a perda do neutro, mas tocaram num ponto importante. Se essa prática fosse adotada naquele cenário mostrado no documento, onde quase nenhuma casa daquele local tem haste de aterramento local pro neutro, e se adotassemos uma malha local e os outros vizinhos não fizessem a mesma coisa, poderiamos criar um grande problema. Se o neutro da rede de distribuição, devido algum acidente, perdesse o referencial com o transformador da rua, todas as casas mandariam corrente de volta pra sua malha local e como sendo a unica, ela seria sobrecarregada e varios perigos poderiam aparecer. Mas no documento é apresentada outras soluções pra essa condição...

Budegas
15-10-2009, 17:00
Rau, mais uma dúvida: na tomada com o novo padrão brasileiro, como devo ligar o terra-fase-neutro:

neutro º o º fase
terra

É isto ou invertido (fase/neutro/terra)?

_rau_
15-10-2009, 17:23
Como manda a norma:

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/polarizacao.jpg

CARDOGUI
15-10-2009, 18:44
6.2.8.10 É vedada a aplicação de solda a estanho na terminação de condutores, para conectá-los a bornes ou terminais de dispositivos ou equipamentos elétricos.

rau, por gentileza, me ajude nesta dúvida: Sobre o alegado acima, como se explica as ligações feitas pela CPFL, ELEKTRO, CESP, aqui do estado de são paulo, quando da ligação do padrão (poste de entrada), são exigidos que os fios flexível, para a ligação do relógio medidor/disjuntor/neutro, tenham as pontas estanhandas. Grato. Guilherme.

_rau_
15-10-2009, 21:14
Muitas CIAs Elétricas não levam a sério a NBR5410 e criam normas próprias. Não sei se por isso elas estão infringindo alguma lei, mas o que posso te dizer na prática é que muitos conectores por exemplo são estanhados, os conectores splitbolt por exemplo, são todos estanhandos e nem por isso a norma os condena, os próprios contados dos bornes dos disjuntores são estanhados, por baixo deles é cobre. O porquê a NBR5410 condena o estanhamento das pontas dos cabos só posso dizer que deve ser uma precaução apenas. Se o estanhamento for mal feito, sem ter sido por um processo industrial controlado, talvez o contato do condutor com os bornes não fiquem integros. Talvez num possível aquecimento o estanho amoleça e prejudique mais ainda a conexão, gerando mais aquecimento. Na prática num vi isso, mas pode acontecer. Deixo que o marco_piracicaba, muito mais experiente que eu, te responda melhor, foi ele que colocou isso por aqui no forum, eu de fato não tinha visto esse item da norma até ele vir aqui e dizer que tinha isso lá.

CARDOGUI
15-10-2009, 23:27
rau, obrigado por me responder, vamos ver também o que o marco_piracicaba dirá sobre isto. Aproveitando a oportunidade, e contando com sua ajuda, embora tenha lido todos os post anteriores tenho algumas dúvidas para fechar o esquema de ligação da casa que estou contruindo, se possível me esclareça.

Quando do reforço do terra junto ao poste de entrada (relógio), digamos, três hastes em triângulo ou em linha, espaçadamente (espaço medido no mínimo do tamanho do comprimento da haste, assim como você já explicou).
O cabo que sai da união destas três hastes irá se juntar ao neutro no parafuso fixado na caixa metalica do relógio, onde também esta juntado o terra do lado de fora do muro, exigido pela concessionária (uma haste). Ou desprezamos a haste anteriormete colocada, a exigida pela concessionária, e apenas anexamos ao neutro no parafuso o cabo das três hastes novas.

Um terra feito assim e juntado ao neutro no poste de entrada, e somente ai, mesmo que deste ponto em diante terra e neutro vão independentemente para dentro da casa, nas tomadas de três pinos que se beneficiarão deste terra não haverá sempre uma tensão próxima de 127 V (dependendo da qualidade do terra) entre terra e fase. Isto não tem problema?

O DR deve ser testado mensalmente (botão de teste), para conferir o seu funcionamento, e quanto ao DPS como é o seu controle. Se um raio cair próximo a minha casa (depois de instalado) e sobrar alguma tensão anormal e que o DPS atuará no controle desta sobre tensão, o DPS será danificado como um MOV. Como ele atuará, e seu controle como é feito.

Só tenho encontrado por aqui o quadro de disjuntores da TIGRE. Voce sabe se o barramento que vem com este quadro é bom. Vi que você comprou o seu da Siemens. Quanto ao quadro de plástico em si não deve ter muita diferença. Outra dúvida quando se entra (fase) pelo DPS, digamos um cabo flexível de 16 mm (cabo que vem do poste até a caixa de disjuntores) e do DPS passa-se para o DR e consequentemente para os disjuntores. Dentro do DPS e DR tem uma passagem suportável para transferir a corrente solicitada pelos disjuntores quando em carga. Tal pergunta parece ser inocente, mas como nunca utilizei DR e DPS, sempre fiz a chegada do cabo de 16mm entrando em dois disjuntores (geral) que deles entravam nas hastes grossas do barramento. Conto com sua ajuda para poder fechar meu esquema de ligação e desta vez fazendo uso de DR e DPS, como bem esclarecido por você das vantagens e da obrigatoriedade de se usá-los. Grato. Guilherme.

_rau_
16-10-2009, 13:40
Você pode ligar essas hastes extras das duas formas, mas se ligar essa malha a parte na caixa do medidor, vai ficar dois cabos subindo pro quadro do medidor, o que talvez a CIA elétrica não goste, poderá dizer que está fora das normas dela... O ideal seria interligar as hastes por baixo, pelo solo mesmo, mas tecnicamente nada impede de fazer o que você propôs.

A tensão entre Fase-Neutro e Fase-Terra deve ser sempre igual. Mas com uma carga entre Fase-Terra, como por exemplo uma lâmpada de 100W, a tensão entre Fase-Terra num aterramento em TT iria cair consideravelmente, o que não deveria ocorrer num bom aterramento. Alguns falam que uma queda de até 10v é normal ou até 20v. Pergunto pra essas pessoas como que isso é normal se a queda de tensão nas mesmas condições, só que entre Fase-Neutro, é desprezível, não chega nem a 0.5V! Isso só nos diz uma coisa, na hora do verdadeiro "pega pra capar" esse aterramento ai não iria servir de muita coisa. Não iria servir nem pra proteção contra choques, nem pra dissipar corretamente energias de surtos elétricos, além de ele poder ser caminho pra correntes de surtos por DDP entre malhas. "Ah, mas meu PC parou de dar choquinho" - claro! Esses choquinhos são poucos miliamperes de fuga de corrente, qualquer fio enterrado diretamente na terra vai dissipar essa pequena corrente. Mas como que esse aterramento se comportaria num retorno de 20, 30, 50, 100, 5000A em 60Hz? E em 25KHz numa surto elétrico causado por raios? Qual seria a impedância em frequências mais elevadas ainda? Nada disso o testezinho da lâmpada vai dizer.

O DR deve ser testado semestralmente, no minimo, segundo orientações da Siemens.

MOV's são muito robustos pra desviar correntes de raios, e sua durabilidade vai depender da corrente que o MOV dissipou através dele em direção ao aterramento. Um MOV de 45kA vai durar mais que um de 15kA por exemplo, sendo que um de 15kA não deveria ser instalado no ponto de entrada elétrica, mas sim no mínimo num quadro de disjuntores como proteção complementar na entrada por meio de outro MOV de maior capacidade, ou somento no quadro de disjuntores quando o nivel de incidência de raios local for baixa. A tensão de serviço do MOV tb faz com que ele dure mais tempo. Um MOV com tensão de serviço muito proxima da tensão nominal da rede, vai fazer com que ele se degrade mais rapidamente, mesmo sem desviar grandes surtos. O tempo dessa degradação depende de muitos fatores... O que se sabe é que um MOV com tensão mais perto da nominal da rede pode ser mais efetivo na proteção contra sobretensões, mas além dele ter a chance de se degradar mais rapidamente, torna a coodernação de atuação junto com outros protetores, mais dificil. Ex: MOV de 275V na entrada e de 175V no quadro de disjuntores ou 130V num protetor apos a tomada. Isso dificulta a coodernação. Ou mesmo a instalação de um MOV de 175V na entrada sendo que a CIA Elétrica colcou um MOV de 280V na saida do transformador. Dai você pode até prejudicar a atuação do DPS da CIA Elétrica. Por isso a recomendadação de DPS's entre 275 e 320V pra proteção de redes de baixa tensão de 127 à 220V, na proteção de picos de chaveamentos e raios é a escolha correta a se fazer.

O controle do DPS, de forma fácil, só dá pra ser feita pelo próprio DPS. Em sua frente vem um indicador que ficará vermelho quando o DPS queimar. Alguns usam LED tb, quando o LED se apaga, é pq o DPS já era. Esse indicador atua quando a proteção térmica interna do MOV atua, retirando o MOV queimado da rede, isso ocorre quando ele entra em curto-circuito definitivo.

Um teste que dá pra fazer é medir o vazamento de corrente quando aplicado uma tensão normal nos terminais do MOV, ai da pra fazer com um alicate amperimetro. Se tiver uma passagem de corrente consideravel pelo DPS em uso normal, o alicate amperimetro vai mostrar e o DPS deverá ser trocado mesmo indicando que ainda está bom. Um MOV bom não apresenta corrente considerável, coisa ai de 0,0x mA. Mas o contrário pode acontecer, o MOV criar pontos de resistência à condução elétrica, reduzindo cada vez mais a fuga e aumentando seu ponto de atuação, mas as chances disso ocorrer são menores que a do MOV passar a conduzir constantemente. Pra fazer essa medição de fuga é bom um amperimetro de precisão mili-amperimetrica - não são baratos. Mas a história tá aí pra nos mostrar a eficiência dos MOV, quando corretamente dimensionado, eles duram anos a fio! Eu já li relatos de profissionais em manutenção elétrica comentando sobre MOVs com 20 anos de idade e ainda dentro dos parâmetros aceitaveis. Eu não me preocuparia com isso e faria uma proteção em cascata - como de fato já fiz, com MOV na entrada, MOV no quadro disjuntores e proteção de uso final, após a tomada - filtros ou nobreaks com MOVs internos.


UM DPS à MOV atua da seguinte maneira:

Primeramente deve se saber que MOV's foram criados primeiramente pra dissipar e desviar picos e não sobretensões. Picos e sobretensões são coisas diferentes e de causas diferentes, mas até fabricantes de DPS's confudem a definição dos fois.

Causa de picos: Raios e chaveamento de contatos elétricos seja em uso normal ou por defeito.
Causa de sobretensões: Perda do referencial do neutro principal num sistema bi/trifásico seja interno ou na rede de distribuição da CIA Elétrica, queda de redes de média ou alta tensão numa rede de baixa tensão, falha nos reguladores de tensão da CIA Elétrica. Nesses casos a proteção dada pelo DPS pode ou não ser suficiente, depende de várias coisas, mas garantia mesmo que seu equipamento estará protegido durante um evento desse tipo, é o desligamento total dele da rede, como por meio de um relé que no momento que é detectada a sobretensão ele comutará ou para uma bateria - nobreaks ou desligará totalmente a entrada elétrica. Dentre essas causas aí a que mais tem chances de um DPS atuar e provocar o desligamento de um disjuntor é o contato de uma linha de média/alta tensão com a rede de baixa tensão...

Bem um MOV é um resistor com sua resistência interna tendendo ao infinito enquanto a tensão imposta de um lado de seus terminais não ultrapassa sua tensão nominal. Quando essa tensão começa a subir, a resistência interna do MOV começa a descer e corrente começa a fluir. O MOV se esquenta nesse processo e a tensão no circuito cai quando maior corrente o DPS conduzir. Num pico isso ocorre de forma muito veloz, o MOV se aquece no desvio do pico logo em seguida quando o pico passa o MOV aumenta sua resistência novamente. Tudo isso ocorre de nano a milisegundos, não dá nem pra perceber na luminosidade de uma lâmpada por exemplo. Agora numa sobretensão o MOV ficará mais tempo "aberto" e consequentemente haverá uma corrente de curto-circuito que se não seccionada, o DPS entrará em curto-circuito definitivo, ai já era, só outro.

Os quadros da Tigre não são ruins, o que gosto nele é o fato de ter apenas uma porta de acesso, o meu Siemens tem duas pequenas e frageis, os tigres tem mais entradas pra conduites, os Siemens tem poucas e de tamanho ou grande demais ou pequeno demais e o posicionamento dos barramentos do quadro tigre que pode ser feito tanto nas laterais como em cima e embaixo. Mas você fala de que barramento, de neutro/terra ou de fases? A tigre não fabrica barramento de fases...

Quanto a ligação do DPS acho que você está equivocado. Os DPS's não conduzem as cargas alimentadas por dentro dele. Nenhum consumo elétrico passa pelo DPS, o DPS fica no circuito em "stand-by" com Fase em um dos terminais e neutro do outro lado ou terra, sem que corrente passe por ai, se passasse haveria um curto circuito, como expliquei ai acima a forma básica de atuação de um MOV.

O DPS deve ser instalado da forma que a fase seja ligada em um terminal e o neutro ou terra no outro terminal do DPS. Ele deve ser instalado de forma tal que o fio que levará a chega no DPS e Neutro ou Terra, sejam mais curtos possíveis e a melhor forma pra isso é trazer o fio fase direto pro DPS e do mesmo lado do DPS derivar o fio pro DR. Da mesma forma com o neutro, mas se ficar ruim de fazer isso no quadro, leva-se a(s) fase(s) e neutro até o DR e do mesmo lado do DR liga a(s) fase(s) de um lado do DPS e o neutro do outro lado do DPS. Se for fazer a proteção do neutro em relação ao terra, se procede da mesma forma, mas o fio terra de saida do DPS iria ao barramento de terra. OS DPS's devem ficar antes do DR ou seja, antes da(s) fase(s) e neutro passarem pelo DR. Se ficou dificil de entender, depois faço um esquema pra voce.

Por enquanto acho que é só. Se ficou alguma coisa faltando ou em duvida, posta ai que responderei assim que possivel.

Já o DR é diferente:

O DR conduz as correntes solicitadas pelos equipamentos que estão ligados ao disjuntores, dai você deve comprar um DR que suporte essa carga. A escolha do DR é intimamente ligada à corrente que o disjuntor geral, geralmente o do padrão, permite passar. O DR então deve ter corrente nominal igual ou superior à corrente do disjuntor geral. Se o disjuntor geral fosse de 50A, o DR teria que ser no minimo um de 63A, pq não existe DR de 50A...

Budegas
16-10-2009, 19:07
segue fotos dos cabos nos conduites.

Os "enforca gato" são apenas para facilitar antes de colocar as roldanas.

Budegas
16-10-2009, 19:12
Meu microondas é antigo e o fio terra fica enrolado atrás do aparelho. As fábricas devem pensar que não movemos microondas/geladeiras/etc.

Como instalei tomadas do novo padrão resolvi trocar o plug do microondas por um novo de 20A (mais grosso), senão teria que emendar o terra do aparelho no fio terra, coisa que não permitiria mexer no aparelho.

Meu problema: O fio do aparelho é flexível. O aperto da tomada é somente por parafuso. Tentei colocar um terminal pino mais o espaço não permite. Tive que rancá-lo.

Ficou bom? É isto mesmo que temos que fazer?

Budegas
16-10-2009, 19:13
Agora minha dúvida é quanto a tomada. Ficou certo do jeito que fiz? (a tomada não aperta o fio com o parafuso mais com a chapinha).

Ah! O aterramento que fiz da caixinha, pode ser assim?

Budegas
16-10-2009, 19:21
Rau, estes cabos que utilizarei para ligar a saida o IDR no barramento.

O fio vermelho 4mm é para jumpear a entrada do disjuntor geral do QD para os circuitos fora do IDR (geladeira e lâmpadas). Pode ser assim?

Me ensinaram uma vez fazer esta "dobrinha" na ponta do cabo, inserindo ele desta forma no conector do disjuntor, assim não força os capilares. Pode ser assim?

Nos cabos coloquei terminal pino na ponta que vai no IDR para poder depois colocar o segundo barramento de uma forma mais fácil, fica bom?

Depois mando algumas fotos de como o quadro está ficando.

CARDOGUI
16-10-2009, 19:52
rau, mais uma vez obrigado
Por gentileza, me ajude mais um pouquinho.

Eu perguntei a você sobre a qualidade da caixa de disjuntores da trigre, imaginando que lá viriam com tudo, barramento de neutro, terra e fase. Então pelo que estou entendendo, já que não vi a caixa aberta, só vem os barramentos de neutro e terra, os de fase compra-se separado, é isto? Em caixas metálicas comuns, a última que instalei, isto é sem usar DR e DPS veio completa, razão da minha dúvida.

Quanto a sua resposta sobre o DPS, ficou muito claro, minha dúvida resultante então é sobre a instalação do DR. Eu vi no post 125 o Jailsonrs dando uma dica para outro forista de um site no yutube sobre a colocação de um DR, e lá aparece a pessoa mostrando o fio neutro entrando em cima (lado esquerdo), logo em seguida as três fases, e em baixo do DR a saída do neutro indo para o barramento e nos três parafusos de baixo restantes (logo após o fio neutro) a colocação de um barramento em forma de pente, ligando o DR aos disjuntores. Como nunca liguei um DR, imaginei que as fases depois de ter passado pelo DPS entrariam pelo DR na parte de cima e sairiam em baixo para os disjuntores. Então se possível me explique um pouquinho mais sobre isto. Grato, Guilherme.

_rau_
17-10-2009, 21:10
segue fotos dos cabos nos conduites.

Os "enforca gato" são apenas para facilitar antes de colocar as roldanas.

Ah blz! Gostei dessa canaleta ai! To pensando em comprar delas e por no "chão" da laje, pq pelas paredes em cima que sustentam o telhado não tenho muitas opções, são poucas paredes, tem mais é vigas servindo de suporte pro madeiramento do telhado.


Meu microondas é antigo e o fio terra fica enrolado atrás do aparelho. As fábricas devem pensar que não movemos microondas/geladeiras/etc.

Como instalei tomadas do novo padrão resolvi trocar o plug do microondas por um novo de 20A (mais grosso), senão teria que emendar o terra do aparelho no fio terra, coisa que não permitiria mexer no aparelho.

Meu problema: O fio do aparelho é flexível. O aperto da tomada é somente por parafuso. Tentei colocar um terminal pino mais o espaço não permite. Tive que rancá-lo.

Ficou bom? É isto mesmo que temos que fazer?

Pois é, coisa de Brasil mesmo, a maior tosquice que já vi é pendurar fio terra atrás de aparelhos, desde os primórdios geladeira, microondas, fogão, máquina de lavar... deviam vir com fio terra direto no plugue da tomada! Isso vai mudar com a nova norma. Nenhum aparelho poderá mais vir com fio terra pendurado, ele deve fazer parte do pluge. O ignorante que quiser que corte o terceiro pino ou compre adaptador e os conscientes instalem o fio terra!

Eu tb fiz isso aí nos meus aparelhos aqui. Ficou bom! Não havendo mal contato, faiscamento, aquecimento, não se preocupe.


Agora minha dúvida é quanto a tomada. Ficou certo do jeito que fiz? (a tomada não aperta o fio com o parafuso mais com a chapinha).

Ah! O aterramento que fiz da caixinha, pode ser assim?


Tá correto, só o aterramento da caixinha que deveria ser feito no parafuso que fixa a propria tomada, fica melhor fixado, com um contato melhor tb.

Essas mangueiras mais apropriada pra passar água ai utilizadas como conduite, essas pretas... igual fizeram aqui na casa quase toda há muito tempo atrás... tsc, tsc...

Olha aí jailson, a tomada do budegas, é igual a que prometi a foto, mas até agora nada. Olha a chapinha pressionando os fios, não sei pq tudo não é assim:


http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/Imagem_101.jpg


Rau, estes cabos que utilizarei para ligar a saida o IDR no barramento.

O fio vermelho 4mm é para jumpear a entrada do disjuntor geral do QD para os circuitos fora do IDR (geladeira e lâmpadas). Pode ser assim?

Me ensinaram uma vez fazer esta "dobrinha" na ponta do cabo, inserindo ele desta forma no conector do disjuntor, assim não força os capilares. Pode ser assim?

Nos cabos coloquei terminal pino na ponta que vai no IDR para poder depois colocar o segundo barramento de uma forma mais fácil, fica bom?

Depois mando algumas fotos de como o quadro está ficando.

Olha, essa dobrinha acaba por reduzir superfície de contato elétrico. Se o disjuntor tiver um borne com chapas de pressão, não há necessidade de se fazer isso não, torça os capilares e coloque a ponta inteira desencapada no borne.

O terminal pode usar, sem problema.



rau, mais uma vez obrigado
Por gentileza, me ajude mais um pouquinho.

Eu perguntei a você sobre a qualidade da caixa de disjuntores da trigre, imaginando que lá viriam com tudo, barramento de neutro, terra e fase. Então pelo que estou entendendo, já que não vi a caixa aberta, só vem os barramentos de neutro e terra, os de fase compra-se separado, é isto? Em caixas metálicas comuns, a última que instalei, isto é sem usar DR e DPS veio completa, razão da minha dúvida.

Quanto a sua resposta sobre o DPS, ficou muito claro, minha dúvida resultante então é sobre a instalação do DR. Eu vi no post 125 o Jailsonrs dando uma dica para outro forista de um site no yutube sobre a colocação de um DR, e lá aparece a pessoa mostrando o fio neutro entrando em cima (lado esquerdo), logo em seguida as três fases, e em baixo do DR a saída do neutro indo para o barramento e nos três parafusos de baixo restantes (logo após o fio neutro) a colocação de um barramento em forma de pente, ligando o DR aos disjuntores. Como nunca liguei um DR, imaginei que as fases depois de ter passado pelo DPS entrariam pelo DR na parte de cima e sairiam em baixo para os disjuntores. Então se possível me explique um pouquinho mais sobre isto. Grato, Guilherme.


Os quadros Tigres vêm em duas versões com e sem barramentos, tem que ver até isso na hora da compra. Agora o barramento que distribui a(s) fase(s) nos disjuntores você vai ter que comprar separado de outra marca ou usar fios pra fazer ponte entre um disjuntor e outro, o que não fica nada profissional.

Os barramentos pra instalação em quadros em que os disjuntores são montatos "de pé", são diferentes dos quadros de metal que os disjuntores ficam de lado e o barramento no meio.

Esse é o barramento de um quadro com trilhos DIN a ser usado em quadros do tipo Tigre e outros similares. Esse no caso é um barramento de fase do tipo trifásico pra 12 disjuntores:

Lembro do video que você falou, naquele caso não daria pra colocar os DPS ao lado do DR pq ele iria ficar após o DR, o que não é recomendado. O que se faz nesse caso é a utilização de quadros com maior espaço ou cortar o barramento, deixando o espaço do lado do DR onde o barramento de fase não impeça a instalação do DR ouvou fazer como nesse desenho meio tosco que fiz no paint pra te mostrar como ficaria:

Os vermelhos são dos DPS, só utilizei no exemplo um DPS pra cada fase, num sistema trifásico. Não coloquei a proteção entre N/PE...

No caso de um esquema TN-S de aterramento, você poderia ligar a saida dos DPS no barramento de aterramento - como recomendado e permitido por norma. No esquema TT, sempre entre Fase-Neutro e Neutro-Terra.

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/imagem-3.jpg

Essa é só uma forma de ligação, tem outras. Você poderia trazer os fios fases direto pro DPS e do DPS derivar pro DR. É até melhor assim, se reduz a tensão residual...

Espero que tenha dado pra compreender com o desenho.

_rau_
17-10-2009, 21:50
Pessoal, vou fazer um mini review dos conectores DERSEHN:

Primeiramente gostaria de informar que no site www.dersehn.com.br tem uma lista de revendas, mas caso não tenha revendas no local onde vocês morarem, tente entrar em contato com o fabricante, quem sabe eles não conseguem vender pra vocês. O valor do conector está por volta de R$ 4,50 cada.

Bem, por enquanto só coloquei os conectores num chuveiro, ainda não tive tempo de colocar em outros locais, mas postarei abaixo fotos do conector e minhas impressões iniciais:

Primeiramente me surpreendi com o tamanho do conector, achei que era bem menor, a foto do site engana um pouco... Mas era de se esperar um tamanho maior mesmo já que ele aceita até cabo 10mm2. Na foto abaixo coloquei-o do lado de uma moeda de 1 Real, pra motivo de comparação do tamanho:

Bem, esse conector não foi feito com o intuito de se isola-lo com alguma fita isolante, ele foi feito pra utilizar dentro das caixas de passagem de fio, onde ficariam tampadas e protegidas. Mas no meu caso, que usei num chuveiro, os fios do chuveiro não alcançam a caixa de passagem, então a emenda tem que ficar fora da caixa. Por isso se eu não isolar o conector, vai acabar entrando umidade e com cabos flexiveis a umidade age de forma pior do que num fio solido. Os capilares ficam frageis e quebradiços com a oxidação...

Enfim, o meu pensamento era que com esses conectores o isolamento ficariam mais facil que num parafuso do tipo fendido - "Split-bolt" e que a emenda ficasse menos "gorda", mas pelo contrário, o isolamento fica mais dificil e a emenda fica bem grossa, gorda, mas isso é o de menos.

O conector é de aparência simples, mas faz o que promete. Os condutores flexiveis ficam bem prensadinhos e firmes, tornando uma emenda confiável e dificilmente haverá um curto-circuito, a não ser que o isolamento de plastico do conector derreta, o que acho muito dificil de acontecer pela qualidade da emenda.

Pra fios solidos o contato não achei que ficou 100%, mas fica melhor do que fio a fio. Essa foi minha impressão ao usar fios mais grossos, a partir de 6mm2, já que são ruim de torcer as pontas a serem emendadas e fica melhor por meio de conectores. A conexão fica firme, mas a superficie de contato nas pontas dos fios enfiadas dentro do conector achei q não é muito abrangente, mas não vai interferir no funcionamento, não vai causar aquecimentos. Pelo menos foi o que eu achei com fios 6mm2. Com fios menores não testei ainda.

O conector apesar de ser nominalmente pra condutores 2,5 à 10mm2, creio que ele aceite normalmente condutores de 1,5mm2 ou menores, ainda mais se em conjunto com outros, numa derivação por exemplo, como mostrado em uma imagem abaixo. Não testei fio 1,5mm2 sozinho no conector, entretanto... Só não fica bom se colocar rigido com flexivel do mesmo lado do conector, ainda mais se de "bitolas" muito diferentes, ai não fica bom mesmo, prefiro o parafuso fendido pra isso.

No chuveiro que coloquei o conector, os fios tavam emendados cabo a cabo flexivel que não apresentava sinal de aquecimento apesar disso. Liguei então os cabos flexiveis nos conectores e tá na a mesma coisa de antes, agora com uma emenda gorda e aparente! :)

Bem, às fotos:

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/1-1.jpg

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/2-1.jpg

Esse exemplo ai de uso eu recebi junto com os conectores, não fui eu quem fiz. Achei muito bom, vejam ai condutores de bitolas diferentes. Esse é o conector por dentro, de um dos lados apenas, fora da capinha de plastico.

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/4.jpg

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/6.jpg

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/7.jpg

O conector tem um perfil alto, mas tem que ser pra aceitar condutores de 10mm2...:

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/5.jpg

Conector sem sua capinha de isolamento, com fios solidos 6mm2. Veja que quando falei que a abrangência de contato não era muito boa, eu me referia ao fato de que aquela chapinha dourada, pelo menos no conector que testei, não fez contato total após o aperto, ela deu uma entortadinha no meio e meio, deixando meio que só pontas da chapinha em contato com o fio, mas acho que devo ter apertado demais, pode ter sido isso tb...:

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/DSC02543.jpg

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/DSC02544.jpg

Custo x benefício:

Não achei muito bom se comparamos com o preço dos conectores Split-bolt, mas na facilidade de instalação ganha de longe dos splitbolt. Os split-bolt tb são faceis de ser encontrados, ao contrário desse Dersehn, mas fica ai uma opção ótima pra quem tiver acesso, vale pela praticidade na instalação e qualidade da emenda.

Por enquanto essas são as minhas impressões iniciais.

T+

CARDOGUI
17-10-2009, 22:01
rau,
muito obrigado pela ajuda. Agora vou partir para a compra do DR e DPS. Vou tentar na sta.efigênia em São Paulo, se não encontrar, tentarei nos endereços listados anteriormente. Grato, Guilherme.

jailsonrs
18-10-2009, 12:24
Esses conectores são mesmo uma "mão na roda". Realmente de excelente qualidade.
Pena que não tem por aqui, o que me fará optar por Split-bolt no tamanho adequado à aplicação.

_rau_
18-10-2009, 19:03
Eu não esquentaria a cabeça, acho que o preço só vale pela praticidade na instalação já que você em principio nem precisaria usar fita isolante caso o conector for ficar escondido dentro de uma caixa de passagem sem umidade.

Brazcole
20-10-2009, 20:19
_rau_,

Eu não entendo de eletricidade, mas quando instalei meu som, usei a tomada do ar-condicionado, de um ponto perto do sistema, que nunca tinha sido usada. Como ficava a uns 5 metros do meu rack, fiz uma emenda externa dela com fio Pirelli rígido de 2,5 até o rack, porque o fio da construção é de 2,5mm.

Eu fiz a emenda manualmente. Juntei os dois fios rígidos e rodei-os com alicate. Ficaram super apertados entre si. Agora, lendo as mensagens, eu vou mudar esse rabicho para um fio de 4mm a fim de ficar preparado para uma amperagem maior.

_rau_, eu posso continuar a fazer as emendas com alicate, tomando cuidado de sempre deixar tudo super firme? Esses conectores até assustam a quem não entende de eletricidade. Esse rabicho de uns 5 metros com fio de 4mm já vai dar para ajudar alguma coisa?

Se puder dar uma luz.
Obrigado.

_rau_
22-10-2009, 20:47
Não adianta trocar só parte da fiação pra 4mm2 e deixar outra em 2,5mm2. Deve partir a mesma "bitola" desde o disjuntor.

Pode continuar fazendo as emendas com alicate, bem torcidinhas, apertadas e bem isoladas. Há recomendação em solda-las, mas confesso que na prática, com um disjuntor dimensionado corretamente e de qualidade, nunca vi problemas. Pode ser que haja uma pequena perda elétrica quando o nível de corrente esteja no limite do condutor pra uma situação em particular, mas no uso corriqueiro, as perdas serão desprezíveis. Eu falo isso pelo que vejo na prática de uma emenda bem feita sem nenhum "artifício" a mais, não se nota aquecimentos anormais o que denotaria uma perda de energia na emenda.

geilton
23-10-2009, 02:51
Rau,primeiramente obrigado pela ajuda que vc deu na instalação da minha lanchonete.Ficou tudo funcionando perfeitamente .mais uma vez eu peço a sua ajuda para um amigo que esta montando uma casa de sala ,quarto ,coz.e banheiro.A duvida é a seguinte ele tem a rede monofasico e ele gostaria de saber se pode o eletricista instalar um disjuntor bifasico como geral no quadro ,disj esse de 50a ou o mesmo deve instalar um monopolar de 50A.e derivar desse para os outros circuitos.

_rau_
23-10-2009, 11:44
Não tem razão nem lógica de instalar um disjuntor bifásico numa rede monofásica, mas se ele quer fazer isso pensando em futuramente colocar mais uma fase, ele pode fazer, o disjuntor atuará normalmente com apenas uma fase passando por ele. Mas se ele tá pensando em colocar a mesma fase entrando nos dois bornes dos disjuntores, não tem lógica alguma isso aí e pode fazer com que uma corrente muito elevada passe pelo condutor pq o disjuntor bipolar ligado com a mesma fase nos dois bornes, vai permitir no caso apresentado, até 100A - 50A em em cada fase, se fossem duas fases.

Ele deve instalar um Monopolar 50A, que sai até mais barato, e desse derivar com um barramento de fases monofásico pros outros disjuntores dos outros circuitos.

trosk
24-10-2009, 19:57
se for instalar disjuntor bifásico em rede monofásica, deve-se fazer a ligação do jeito correto, senão o disjuntor pode falhar.
Como ainda não foi comprado, o correto é utilizar o disjuntor monofásico.

assj
06-11-2009, 16:25
Onde moro a rede é 220 V, ou seja, fase + fase ("110 + 110") e não chega no relogio o fio neutro, tem apenas dois fios, e todos os equipamentos são 220V. Não existe aterramento para nenhum equipamento hoje, como estou reformando gostaria de colocar aterramento, qual o melhor metodo ( TT ). Sou leigo no assunto, antes de falar com um eletricista gostaria de uma opnião.

_rau_
08-11-2009, 10:45
Olha, acredito que hoje nenhuma instalação de padrão é feita sem o neutro e portanto a CIA Elétrica daí, mediante pedido seu, deve te fornecer o neutro, mas aí temos um problema, pq os equipamentos da sua casa que não suportam 110V, teriam que continuar em 220V Fase/Fase e se eles requererem o fio terra, como uma geladeira por exemplo, o único jeito vai ser uma malha em TT.

Então eu te recomendo que adote uma malha TT, se possível feita medições de resistência, pra que ela fique no máximo mais ou menos 1600 Ohms (valor esse não muito dificil de se alcançar) e use um ou mais Dispositivos DR pra que todos os circuitos sejam protegidos pelo DR. Num esquema TT o Dispositivo DR é algo fundamental. Esse valor de 1600Ohms ou mais ou menos isso, é o valor máximo de resistência de uma malha, em TT, pra que um Dispositivo DR de 30mA atue corretamente durante uma fuga de energia pro fio terra. Mas quando mais baixo, melhor!

Até aqui tamos falando de proteção contra choques elétricos, mas se essa malha local for utilizada para a melhor atuação de protetores contra surto, aí temos que ter uma malha feita com medição profissional, o que não é nada fácil de se conseguir alguém que faça isso. A impedância dessa malha deve ser baixissima e em frequências acima de 60Hz. A instalação de protetores de energia pode ser feita entre Fase-Fase, mas as de linha de sinal, como telefonia e tv por exemplo, necessita de um fio terra. Apesar de eu ter visto casos em que mesmo sem fio terra o protetor foi eficaz na proteção telefonica por exemplo, o protetor saiu danificado no processo, nesse caso foi os protetores da APC.

_rau_
09-11-2009, 11:19
Matéria que cita os conectores a empresa e os DERSEHN:

Já se tornou evidente que a aceleração do desenvolvimento econômico de Pelotas, que há muitos anos é lento, depende muito da evolução do seu setor industrial, ainda bastante limitado. É necessário não só expandir, modernizar e diversificar a tradicional agroindústria - o que está sendo feito, por exemplo, no beneficiamento do arroz - como também criar indústrias não-vinculadas às atividades primárias e que tenham moderna base tecnológica. Promovendo essa mudança na matriz econômica pelotense, o município passará a ter mais produção com alto valor agregado, o que aumentará significativamente o seu Produto Interno Bruto (PIB), que tem declinado no ranking estadual. Várias cidades do interior já evoluíram nesse sentido. A vizinha cidade de Rio Grande é um exemplo e já tem o 6º PIB do Estado.

Pelotas tem excelentes condições para desenvolver muito o setor industrial. Há exemplos, embora pouquíssimos, de que é possível essa evolução. Um deles é uma grande e tradicional indústria de laticínios, a Cosulati, que, há muito tempo, vem se expandindo e se modernizando; agora, por exemplo, dá um grande impulso tanto em expansão como em inovação tecnológica e se prepara para também exportar. Outro exemplo é uma nova e pequena empresa, a Dersehn do Brasil, inventora e produtora de conectores que reduzem o consumo de energia elétrica, aprovados em testes de laboratório credenciado pela Eletrobrás e comercializados em vários pontos do País.

A Cooperativa Sul-rio-grandense de Laticínios (Cosulati) inaugurará, oficialmente, no dia 21 de setembro, sua segunda torre de secagem de leite em pó. A data assinala a passagem do 35º aniversário de sua criação; mas já a partir do dia 1º os novos equipamentos começam a funcionar em escala comercial. Na construção da nova torre foram investidos R$ 25,4 milhões, sendo R$ 15,4 milhões financiados pelo BRDE e R$ 10 milhões de recursos próprios. Esse grande investimento possibilitará à Cosulati triplicar a capacidade de secagem de leite, passando a empresa a industrializar um milhão de litros do produto por dia. Haverá maior diversificação de produtos, abrangendo leite em pó, integral e desnatado instantâneo, soro em pó e leite condensado. Os equipamentos da nova fábrica têm tecnologia dinamarquesa, sendo o que há de mais moderno no mundo. Vai melhorar muito a qualidade dos produtos.

Com quadro social de cinco mil produtores e área de abrangência de 38 municípios, a Cosulati também produz aves, rações e tem indústria de beneficiamento de frutas.

No que se refere à empresa Dersehn do Brasil, um exemplo da sua importância é que de 2004 a 2006 foram comercializados em Pelotas 25 mil dos seus conectores; relatório da CEEE, com dados sobre a demanda de energia, neste período, mostra a redução do seu consumo ocorrida. Por isso, Pelotas tornou-se a primeira cidade do Brasil cuja curva de consumo das residências foi negativa. Além da eficiência energética, os produtos da Dersehn eliminam o problema de curto-circuito. Grande empresa de Curitiba vem obtendo expressiva economia em energia com o uso do referido conector, aprovado por concessionárias paulistas.

Esses e outros casos demonstram que, com mentalidade empreendedora, é possível acelerar o desenvolvimento de Pelotas.

http://srv-net.diariopopular.com.br/31_08_08/editorial.html

_rau_
20-11-2009, 21:27
To postando essa nova mensagem pra colocar alguns comentários sobre o conector Dersehn, não meus comentários, mas do fabricante. Ele até tentou postar aqui no forum, mas não conseguiu. Recebi alguns e-mails deles onde não concordam com algumas coisas ditas então colo aqui as partes de um ultimo contato que fizeram comigo. Espero que não esteja fazendo errado em colocar esses comentários aqui, acho que não, mas se o fabricante achar que eu não deveria ter passado essa comunicação pessoal por e-mail, me diga que apago-a. Então vai:

"Li alguns comentários que não estão corretos. O que observei nas narrativas é que existe um grande desconhecimento sobre o assunto. Quando comecei a pesquisar laboratórios para homologar o conector vi como nós temos bloqueios a respeito de fundamentos em eletricidade. Na Eletrosul, em Florianópolis, na Divisão de Pesquisa e Desenvolvimento de Novas Tecnologias, tem um aparelho que mede a resistência nos pontos de contato. A junção de 4 fios no conector Dersehn atingiu 0, 224 miliohms de resistência. Se compararmos esse resultado com a resistência de um fio com um metro de comprimento e 1 mm2 de seção, que é de 0, 0162 ohms, vamos ter noção de como é errado fazer emendas.

Em qualquer ciência, comentários não produzem tese. Isto já haviam me ensinado na época de faculdade. Por isso sempre temos que buscar os fundamentos.

A notícia que você vai ver abaixo mostra o resultado de uma cidade cuja informação foi fornecida por uma concessionária de energia. Portanto, não é a opinião de um fulano ou de um beltrano. O importante é saber o que acontece quando uma ou algumas variáveis são alteradas em um contexto. Aí sim nós estaremos entrando no campo da ciência.

http://srv-net.diariopopular.com.br/31_08_08/editorial.html

Quando eu falei que o conector era um produto com certificação, isto quer dizer um moooooonte de coisas. Só para teres uma idéia, a UL (certificadora reconhecida pelo INMETRO) já homologou no mundo, mais de um bilhão de produtos. Não existe a expressão o fio ficou menos ou mais quentinho. Tudo tem que ter causa e efeito e tem que ser registrado e documentado, com aparelhos aferidos por órgãos competentes. Se atender ao padrão "tal" passa, caso contrário, é reprovado e não deveria ser comercializado.

Infelizmente no nosso país, não existe a cultura para obedecer Norma Técnica. E quem deveria fiscalizar, faz vista grossa. Também existem grandes interesses por trás das negligências, exemplo: Qual é o louco do presidente, de qualquer concessionária de energia, que irá querer diminuir a sua receita, caso surja algum produto que efetivamente reduza desperdícios? Você concorda com um salário menor? Difícil, não é? E o pior, é que esses grandes levam de arrasto muitos profissionais "eletricistas", pois estes "sem saber ou sem pensar" estão fazendo o trabalho que as concessionárias querem, e de graça, ao boicotarem as inovações que chegam de tempos em tempos.

Talvez, por essas razões, muitos pensadores chamam o Brasil de “país do amanhã”, porque tudo está ficando para amanhã, ou até nunca.

Att.,

"

Eduardo 7
02-02-2010, 23:54
Segue o link de um vídeo da Siemens, muito didático, sobre como atualizar um quadro de distribuição.

http://www.siemens.com.br/templates/v2/templates/TemplateB.Aspx?channel=9939

Segue também o link da apostila, também muito didática, "Instalações elétricas residenciais" da Elektro/Pirelli.

http://www.fileden.com/files/2007/10/9/1497642/manuais%20el%C3%A9trica.zip

_rau_
12-04-2010, 15:27
Muito bom esses vídeos aí Eduardo.

Não estou ganhando nada com isso, mas lembram daqueles conectores e derivadores de cabos/fios que comentei uns tempos atrás nesse mesmo tópico e comentei minha experiência com eles? Recebi um e-mail do João Sehn da DERSEHN do Brasil - www.dersehn.com.br que fabrica conectores de emenda e ele tá fazendo uma condição especial pra quem quiser comprar os conectores diretamente com ele, mas ele só vai vender pra pessoas que moram em locais onde não possua revendas locais dos seus produtos.

Mais detalhes sobre preços, pedido mínimo e frete, entrem lá no site deles ou dirtamente com o João Sehn em:

dersehn@dersehn.com.br

Pro pessoal audiófilo aí que tá preocupado com a qualidade do fio, se isso interfere ou não na qualidade sonora, mesmo sendo um assunto discutível, fiquem ligados na qualidade das emendas desses fios, acredito pessoalmente que esses conectores DERSEHN complementarão seus sistemas elétricos, mesmo não trazendo qualidade sonora, mas organização na sua instalação, maior segurança e uma possível eliminação de perdas elétricas que muitas emendas comuns podem trazer em certas condições.

Davide
13-04-2010, 09:07
Rau, de muito boa qualidade este conector :legal: pra instalação em geral eu achei excelente :legal:

para áudio e especialmente para aquelas instações de onde queremos tirar até a última gota em qualildade tenho ressalvas

num conector desse tipo quem faz a união elétrica é a chapinha de latão que fica entre o travamento das duas pontas, logo, a qualidade do sinal é afetada por esta chapinha

sempre que houver espaço e possibilidade conectores mecânicos que possibilitam o contato de emenda direto dos fios seria em tese preferível :legal: vi algumas fotos que você postou acima e os condutores não estão fortemente "mordidos" entre si

mas não deixa de ser um ótimo produto, especialmente pra evitar aquelas emendas feitas na mão que a maioria dos eletricistas adora :D

abraços

_rau_
14-04-2010, 20:22
Eu prefiro não entrar nessa discussão pq eu pessoalmente não acredito que alguns metros de fio vão alterar a qualidade de audio de um sistema que tem a energia convertida de corrente alternada pra corrente continua e se é que isso é possível, eu acredito que a fonte deveria ser a responsável por manter essa qualidade sonora esperada. Já li os artigos do Knirsch e pessoalmente não consigo acreditar em tudo que tá escrito ali, eu precisaria ouvir o som para comparar com meus próprios ouvidos, só assim que tiraria alguma conclusão. Essa chapinha no conector, NA MINHA OPINIÃO, não tem capacidade de influenciar em nada, afinal as tomadas e plugues são de latão ou algum outro metal, o conector da fonte não é de cobre, as soldas dos fios são de estanho, os seus fios que são ligados lá na fiação do poste estão conectados por meio de um conector de alumínio ligado numa rede de aluminio que pode sofrer de corrosão eletrolítica se não tomadas devidas precauções como uso de pasta anti-oxido. A energia passa por diversos conectores até chegar no transformador, q tb tem conectores, dai pra usina meu irmão, a energia elétrica passou por muitos e muitos cabos de bitola e metais diferentes, transformadores dos mais diferentes tipos, subir a tensão, reduziu ali, reduziu acolá, reduziu mais uma vez pra chegar na sua casa... Não é uma tomada que vai mudar a qualidade do som ou video, isso não desce minha guela! :)

Esses conectores vão sim, melhorar a estética da instalação, apesar de ficar tudo escondido, vai melhorar a organização, vai diminuir perdas elétricas por efeito joule, isso sem dúvida, além de ajudar o instalador na hora da montagem da rede elétrica.

Davide
14-04-2010, 21:09
Rau, pra instalação da minha casa já gostei e aprovei, usaria na boa :legal:

para uma linha dedicada "como se deve", não :legal:

mas é minha opinião :D

abraços

_rau_
14-04-2010, 21:48
Se é pra falar de uma linha dedicada e ideal, então é melhor comprar um fio inteiro e não fazer emendas. Agora que diferença faz de um condutor inteiro, bem emendado ou bem conectado numa caixa de passagem na sala e uma emenda logo lá na saída do padrão tomando sol e chuva? Isso tá mais pra uma crença, tipo religião, do que outra coisa. Na próprio quadro de disjuntor o fio tá num "conector" que seria o borne do disjuntor e o neutro e terra presos com parafuso num barramento, QUE É DE LATÃO, na maioria dos quadros elétricos DIN/IEC! Ah, eu esqueci q a linha é dedicada, não pode nem passar num disjuntor pq afeta a qualidade sonora, como dizem alguns por ai...:rolleyes: Ixi olha eu aí me mentendo nesse assunto que disse que não ia discutir... :)
Mas fico por aqui, você com sua opinião e eu com a minha! ;)

Davide
14-04-2010, 21:54
Rau...aqui é dedicada mesmo :D nada de desviar e emendar em lugar algum :D

neiarte
26-06-2010, 21:50
A questão é que, embora isso não tenha influência alguma no funcionamento do disjuntor, igualmente os interruptores de luz, a atuação é invertida em relação à posição da alavanca.

_rau_
27-06-2010, 13:30
A Siemens tem uma linha de disjuntores, que segundo o seu catalogo, deve ser respeitada a ordem de entrada e saida. Creio que em alguns disjuntores que suporte correntes de curto circuito mais elevadas como 10kA, 20kA ou maiores, essa ordem deve ser respeitada por causa da câmara de extinção de arco voltaico existente. Essa câmara não permite que durante o desligamento do disjuntor, um arco elétrico se crie e se mantenha, o que poderia danificar tanto o disjuntor, como criar um risco ao manuseador.

broering
12-07-2010, 22:13
Olá pessoal, minha primenra mensagem no forum, depois de ler muito, e ainda tenho algumas dúvidas.

Com relação ao vídeo que o coloque Eduardo colocou ai em cima:
http://www.siemens.com.br/templates/v2/templates/TemplateB.Aspx?channel=9939

Essa separação do neutro e do terra no quadro de disjuntor é correta? Poderia fazer na boa aqui em casa?
Sei que pra ficar ums sistema TN-C-S teria q ser lá na entrada do neutro no relógio.

Pergunto isso pois comprei um apartamento e vou trocar toda a fiação eletrica. Já fiz um projeto eletrico, ou melhor já fizeram pra mim. Mas o cara que fez é engenheiro civil. Falei pra ele sobre usar DR e ele disse que vai desligar toda hora. Preferi não rebater pois o profissional é ele.

De qualquer forma o prédio é antigo e não tem como passar o terra lá pra baixo, pois isso estou perguntando do esquema do vídeo.

Num outro post do usuário RAU ele disse q num caso assim seria teria que se aterrar inclusive a tubulação de gas.

Desde ja agradeço.

_rau_
14-07-2010, 19:42
Sim, essa separação é correta desde que a via neutro principal tenha um dimensionamento correto, com seção nominal mínima igual das Fases e que o neutro esteja aterrado na entrada - a adição de mais de uma haste é recomendável. O ideal seria derivar o terra lá do neutro interno do quadro do "relógio". A diferença em separá-los fora ou dentro está na chance teoricamente maior de haver problema com esse neutro principal interno, sobrecarga ou rompimento. Se esse neutro for bem dimensionado e bem protegido, não tem perigo. Se o neutro se romper, há perigo de tudo que tiver aterrado passar a dar choque!

Na verdade a nomenclatura TN-C-S e TN-S depende do ponto de vista. Em essência um sistema TN-C-S é aquele que em parte da instalação interna o neutro principal faz papel de condutor PEN - Proteção e Terra num mesmo condutor. Já o TN-S em essência seria o esquema em que neutro e terra são separados desde a origem ou seja, desde o transformador da rua - esquema muito incomum em casas no Brasil, mas comum dentro de construções com transformador particular. Mas quando consideramos apenas o ponto onde neutro e terra é separado, muitas vezes chamamos de esquema TN-S quando o neutro e terra são divididos na entrada ou seja, no quadro do "relógio". Na verdade esse esquema é globalmente um TN-C-S - TN-C do transformador até o "relógio" e TN-S do "relógio" pra dentro. Mas quando neutro e terra são separados dentro do quadro de disjuntores interno, também é chamado de TN-C-S. Confusão, né? :)

Um cara que fala que DR vai desligar toda hora é porque é um pica-fio e dos preguiçosos ainda! Dispense-o! Se o DR ficar desarmando é porque há um problema na instalação e ponto final!!

Utilizar aterramento TN-C-S ou TN-S é sim recomendável que qualquer superfície metálica estranha à rede elétrica e que esteja em contato com o solo de alguma forma, deve ser equipotencializado com a mesma malha. Como o prédio é antigo, isso fica um tanto dificil de se fazer porque deve ser idealmente feito no subsolo com condutores de seção adequada.

Eu sugiro que contrate um engenheiro eletricista pra rever esse projeto.

broering
14-07-2010, 20:14
Olá _rau_, obrigado pelas respostas.

Com relação ao engenheiro que fez o projeto ele já foi tecnico, trabalhou com instação eletrica, pelo que eu pude entender. Mas isso já faz um tempo, pois hoje em dia é ele engenheiro civil mas volta e meia faz projeto eletrico. Acho que o problema maior dele foi a falta de atualização nessa parte de eletricidade nesse período. Mas o projeto está bem feito, ao meu ver :-)

Fui dar uma olhada no quadro dos medidores lá embaixo no prédio. Vi que cada apartamento tem um eletroduto separado. Então daria pra descer um terra 10mm até lá, mas com muito sacrifício. Lá no quadros dos medidores consegui identificar o barramento onde estão ligados os Neutros. Não sei se esse barramento é o que vêm da concessionária e depois vai pra cada medidor ou se vem do medidores pra ser aterrado. Teria como saber isso?

Outro problema de fazer a instalação no quadro de medidores é que terei que pedir autorização pro sindico. Esses dias liguei pra lá (não me identifiquei) e perguntei se o prédio tinha aterramento e me falaram que não precisava pois tem pára-raio. Aí já sentes o drama. Além disso meu apartamento é de cobertura e logo que comprei-o fiz uma ampliação, ao qual teria que ter pedido autorização e não o fiz. Já levei uma notificação do sindico e serei multado ainda, então nosso relacionamento não é dos melhores.

Os fios que sobem até meu apartamento (Fase e Neutro) são de 10mm. Acredito que o neutro esteja aterrado pois é padrão das concesionárias.

Com relação ao projeto eletrico ele foi didivido em 2 quadros de disjuntores. Uma pra parte antiga do apartamento e outra pra parte ampliada.

Quadro 1 onde chegam os fio do medidor (irá alimentar os circuitos de 2 banheiros, 1 quarto, sala de jantar, sala de estar, cozinha e lavanderia)
- Disjuntor geral 50A 10mm (o disjuntor do medidor tb é 50A). Minha ideia é colocar um disjuntor mais sensivel aqui pra que ele desarme antes do disjutor do medidor, para o caso de um curto eu não tenha que descer pra armar o disjutor novamente. Não sei se é possível.
- Disjutor Ar condicionado Suíte (9.000Btu) 2,5mm 20A
- Disjutor Chuveiro Suíte (Thermus System) 6,0mm 30A
- Disjutor Chuveiro BWC Social (Thermus System) 6,0mm 30A
- Disjutor Quadro de distribuição Externo 6,0mm 40A
- Disjutor TUE Cozinha 6,0mm 30A (lava-louças, micro-ondas/forno-eletrico, maquina de lavar/secar, torneira elétrica(talvez) )
- Disjutor TUG Cozinha 2,5mm 20A
- Disjutor Iluminação 1,5mm 15A
- Disjutor TUG 2,5mm 20A

Quadro 2 (irá alimentar a parte nova: área da churrasqueira e dois quartos)
- Disjuntor Geral 6,0mm 40A
- Disjutor TUG 2,5mm 20A
- Disjutor Ar condicionado da sala (24.000 btus) 2,5mm 20A
- Disjutor TUE Churrasqueira (tavez uma torneira eletrica) 4,0mm 25A
- Disjutor Iluminação 1,5mm 15A

_rau_
14-07-2010, 22:33
Olá _rau_, obrigado pelas respostas.

Com relação ao engenheiro que fez o projeto ele já foi tecnico, trabalhou com instação eletrica, pelo que eu pude entender. Mas isso já faz um tempo, pois hoje em dia é ele engenheiro civil mas volta e meia faz projeto eletrico. Acho que o problema maior dele foi a falta de atualização nessa parte de eletricidade nesse período. Mas o projeto está bem feito, ao meu ver :-)

Desculpe se exagerei chamando-o de "pica-fio", nem conheço o cara... Mas enfim, não é de hoje que o DR é mal visto por muita gente que trabalha na área porque ele é um "dedo duro" mesmo, não gosta de eletricista preguiçoso, não gosta de vícios de instalação, não gosta de eletro/eletrônicos de má qualidade, etc, etc. No Brasil infelizmente há muita coisa de má qualidade, inclusive aprovadas pelo Inmetro, como os chuveiros elétricos com resistência nua. Esse tipo de chuveiro por exemplo é banido na Inglaterra, um dos poucos países europeus onde o chuveiro elétrico é usado. Chuveiro elétrico de qualidade usa resistência blindada, que não apresenta fuga de corrente, apesar de felizmente existir no nosso mercado chuveiros simples com baixa fuga. Qualquer elemento da instalação que dê fuga da Fase pro terra ou Neutro pro terra, o DR vai desarmar! Só que o DR é obrigatório desde 1997 acordo com a NBR5410:1997 e a NBR5410:2004, ao menos pros circuitos alimentadores de áreas molhadas, como banheiros, cozinhas, área de serviço, garagem e área de lazer com piscina. Quem não o instala está assumindo o risco ou por desconhecimento mesmo.

Fui dar uma olhada no quadro dos medidores lá embaixo no prédio. Vi que cada apartamento tem um eletroduto separado. Então daria pra descer um terra 10mm até lá, mas com muito sacrifício. Lá no quadros dos medidores consegui identificar o barramento onde estão ligados os Neutros. Não sei se esse barramento é o que vêm da concessionária e depois vai pra cada medidor ou se vem do medidores pra ser aterrado. Teria como saber isso?

Se você for colocar DR para todos os circuitos, pode até economizar no terra, colocando um 6mm2 porque o DR detecta qualquer coisa acima de 30mA indo pro fio terra, desligando a instalação, logo não vejo necessidade de um condutor de aterramento tão grosso, mesmo a norma exigindo que ela seja desse tamanho.

Só vendo pessoalmente pra saber de onde vem esse neutro.

Outro problema de fazer a instalação no quadro de medidores é que terei que pedir autorização pro sindico. Esses dias liguei pra lá (não me identifiquei) e perguntei se o prédio tinha aterramento e me falaram que não precisava pois tem pára-raio. Aí já sentes o drama. Além disso meu apartamento é de cobertura e logo que comprei-o fiz uma ampliação, ao qual teria que ter pedido autorização e não o fiz. Já levei uma notificação do sindico e serei multado ainda, então nosso relacionamento não é dos melhores.

Não precisa de aterramento porque tem para-raios é o fim da picada hein! Porque o povão acha que aterramento é pra proteger contra raios?? Lá nos EUA por exemplo dificilmente uma pessoa relaciona aterramento à para-raios no que diz respeito a proteção de equipamentos e pessoas. Aterramento é pra proteger as pessoas contra as próprias máquinas que elas usam em caso de falha!

Os fios que sobem até meu apartamento (Fase e Neutro) são de 10mm. Acredito que o neutro esteja aterrado pois é padrão das concesionárias.

Sim, é de prexe hoje em dia, aterrar o neutro. Se de fato os condutores são 10mm2, e não possuem emendas no meio do caminho, o que nem pode dentro dos eletrodutos, a utilização do esquema TN-C-S, separação do neutro do terra dentro do quadro é permitida sim. Sei que muitos eletricistas torcem o bico quando fala em ligar o terra no neutro, mas nesse caso o quadro de disjuntores é o limite aceitável por norma. A NBR5410:2004 inclusive prevê e permite essa ligação, não só essa, mas o esquema TN-C também, só que esse ela faz diversas ressalvas e acaba condenando-o, JUSTAMENTE!

Com relação ao projeto eletrico ele foi didivido em 2 quadros de disjuntores. Uma pra parte antiga do apartamento e outra pra parte ampliada.

Quadro 1 onde chegam os fio do medidor (irá alimentar os circuitos de 2 banheiros, 1 quarto, sala de jantar, sala de estar, cozinha e lavanderia)
- Disjuntor geral 50A 10mm (o disjuntor do medidor tb é 50A). Minha ideia é colocar um disjuntor mais sensivel aqui pra que ele desarme antes do disjutor do medidor, para o caso de um curto eu não tenha que descer pra armar o disjutor novamente. Não sei se é possível.
- Disjutor Ar condicionado Suíte (9.000Btu) 2,5mm 20A
- Disjutor Chuveiro Suíte (Thermus System) 6,0mm 30A
- Disjutor Chuveiro BWC Social (Thermus System) 6,0mm 30A
- Disjutor Quadro de distribuição Externo 6,0mm 40A
- Disjutor TUE Cozinha 6,0mm 30A (lava-louças, micro-ondas/forno-eletrico, maquina de lavar/secar, torneira elétrica(talvez) )
- Disjutor TUG Cozinha 2,5mm 20A
- Disjutor Iluminação 1,5mm 15A
- Disjutor TUG 2,5mm 20A

Quadro 2 (irá alimentar a parte nova: área da churrasqueira e dois quartos)
- Disjuntor Geral 6,0mm 40A
- Disjutor TUG 2,5mm 20A
- Disjutor Ar condicionado da sala (24.000 btus) 2,5mm 20A
- Disjutor TUE Churrasqueira (tavez uma torneira eletrica) 4,0mm 25A
- Disjutor Iluminação 1,5mm 15A

Dificil achar disjuntor de 50A mais sensível, que seria um Curva B, na verdade você não vai achar, só curva C. De qualquer forma, use um de 50A do tipo DIN/IEC, aqueles branquinhos, porque são mais precisos que os pretos, "NEMA".

Pro fio 6mm2 eu recomendo você limitar a corrente em 35A no máximo, viu. A não ser que essa fiação 6mm2 não seja muito longa (acima de 15 metros) e não esteja em ambiente muito quente, ai sim ele aguenta 40A, mas 32A (disjuntor branco) ou 35A (Disjuntor preto) é bem mais prudente.

O dimensionamento pelo menos não tá ruim não, só 40A em fio 6mm2 que é limite!

Uma dica que te dou é que se for por DR, é recomendado que preveja a instalação de DPS's antes do DR. Durante descargas atmosféricas, o DR pode atuar e essa atuação tem haver com o aumento de fuga de corrente nas capacitâncias da instalação. O que são essas capacitâncias? Dentro de eletrônicos há por exemplo capacitores ligados ao fio terra e durante descargas atmosféricas, podem ocorrer picos de tensão que vão causar uma maior fuga à terra por meio desses capacitores, mesmo que o pico de tensão não seja danoso pro equipamento. A forma de se evitar isso é a instalação de DPS's dentro do quadro de disjuntores. No seu caso, que possui para-raios no prédio e ainda mora na cobertura, DPS de pelo menos 45kA em ambos quadros. Com o esquema TN-C-S, ambos DPS's entre Fase-Neutro, antes dos fios passarem pelo DR ou disjuntores.

Essa é outra razão pelo DR ser mal visto.

No mercado há DR's com imunidade à esses transitórios causados por raios, mas dificil achar, nem vendedor sabe o que é, só pegando a referência no catalogo do fabricante e pedindo exatamente aquele modelo.

Outra coisa, o terra deve ser separado do neutro antes do neutro passar pelo DR viu ou você vai ter um DR que não arma de jeito nenhum! Ou seja, no quadro de disjuntores você precisará de três barramentos. 1 de neutro antes do DR, um de neutro após o DR e um de terra que virá do barramento do neutro antes do DR.

broering
14-07-2010, 23:21
O fio 6mm do disjuntor de 40A eu posso aumentar sem problemas, ja que tem um eletrouto só pra ele. Dá pra usar 10mm sem problemas. A distandia é e entre 10 e 12 metros.

Eu pretendo mesmo usar disjuntores Din/EIC. Pro quadro 1 eu comprei uma caixa da tigre pra 16 disjuntores. Pelo projeto precisarei de 9, será q cabe o iDR e o DPS?

Eu preciso mesmo colocar iDR e DPS nos 2 quadros? Minha ideia era alimentar o segundo quadro atraves do quadro 1. Do barramento de neutro do quadro 1 eu puxo o neutro pro quadro 2. A fase depois de sair do iDR no quadro 1 e passar pelo disjutor do quadro 1 iria direto para o disjutor do geral do quadro 2. O terra eu levaria tb direto barramento de terra do quadro 1 para o barrmento de terra do quadro 2.

_rau_
15-07-2010, 10:24
A sua instalação terá uma Fase só, né? Colocando um DR Bipolar (Fase + Neutro) + 1 DPS, dá e sobra espaço. Se fosse três fases não daria. Na verdade pode colocar logo um DR Tetrapolar, caso venha por mais fases futuramente, mas ficaria sem espaço pra por três DPS's.

broering
15-07-2010, 10:31
A ligação aqui é Monofásica mesmo. Não pra previsão/espectativa de virar bi ou trifásica algum dia.

Eu vi num outro tópico você falando sobre esse tipo de aterramento (TN-C-S) no quadro de disjuntores. Pelo que pude entender você falava pra outro usuário que estava pensando fazer esse mesmo esquema que eu, que teria que aterrar a tubulação de gas e o encanamento. E nos fim das contas que era melhor deixar sem aterramento mesmo e só usar o DR.

Mas foi tanta coisa que já li até agora sobre o assunto posso estar confundindo.

_rau_
15-07-2010, 11:22
Não, você não está confundindo não, falei isso mesmo, mas deixa eu tentar explicar melhor:

Quando se adota qualquer esquema TN, há uma preocupação extras com o condutor neutro, que deve ser bem aterrado e ter cuidado com sua conexão até a origem ou seja, até o transformador. Como o consumidor não pode ter todo esse controle ficamos à mercer da CIA Elétrica, confiando que ela manterá uma boa manutenção do sistema, evitando que o neutro se rompa. Toda CIA Elétrica é muito consciente da importância que seu neutro não se rompa de jeito nenhum e por essa razão ele é aterrado em muitos pontos, toda casa por exemplo tem o neutro aterrado, de tantos em tantos metros em cada poste o neutro é aterrado também, como você pode notar em alguns postes um cabo de aluminio descendo pro chão. Isso é feito pra que se por ventura o neutro romper, que esse rompimento seja num ponto onde permita que o neutro ainda tenha vários contatos com a terra. Esse contato com o solo evita que haja uma sobretensão no neutro, que idealmente está sempre próximo de 0V.

Sei que isso levanta a questão da segurança do esquema TN e em muitos textos isso já foi discutido. Na maioria dos países o esquema TN-C-S ou TN-S é utilizado em massa, em outros o TT é proibido inclusive. Há um consenso,principalmente na europa, de que o esquema TN é seguro o suficiente já que o neutro além de ser muito cuidadosamente aterrado nesses países, a maioria das redes são subterrâneas, longe das forças da natureza, vento e chuva, e de acidentes automotivos. Nos EUA o esquema usado é o TN-C-S ou TN-S a partir do quadro elétrico da entrada, com neutro aterrado logo embaixo e seu uso é unânime, apesar de nos EUA muitas redes serem aéreas com neutro multiaterrado também. Essa é a principal garantia de segurança, neutro multiaterrado, como também é atualmente no Brasil.

Agora entramos na questão das tubulações e estruturas que fazem contato com a terra. Por que num esquema TN há uma preocupação em colocar essas superfíceis em contato com o mesmo aterramento TN? Justamente no caso do neutro perder contato total com a terra e aparecer tensão nele, e consequentemente no fio terra separado do neutro. Explico:

Em elétrica é sabido que, basicamente, para haver um fluxo de corrente, há que haver uma diferença de potencial entre dois condutores. Sabendo que teu terra está ligado no neutro principal e que em condições raras o neutro pode assumir valores de tensão elétrica, logicamente o fio terra também assumirá esse mesmo valor, e teu fogão aterrado, teu PC, teu microondas, tua geladeiras, todos eles vão passar a apresentar tensão nas carcaças, correto? O corpo humano como um condutor elétrico, mal condutor, mas é capaz de conduzir energia, se tiver calçado e tocar numa dessas superfícies aterradas, provavelmente não tomará choque, ou sentirá só uma leve fisgada, sem consequências graves. Agora se você tocar nessa superfície e ao mesmo tempo tocar na tubução metalica que traz o gás, ou que traz a água (apesar de hj em dia tudo ser de PVC) ou num ferro qualquer que faça contato direto com o solo, a energia fluirá pelo eu corpo, podendo ser fatal. Logo a boa prática manda interligar essas estruturas condutivas estranhas à instalação elétrica, na mesma malha e com um condutor de boa seção nominal. Há uma recomendação que esse condutor de equipotencialização deve ter pelo menos 10mm2. Mais abaixo colocarei uma imagem ilustrando isso.

Complicado, não? Pois é, eu costumo falar que as pessoas acham que aterramento é algo simples, mas não é. Em sem exceção, todos esquemas, TT, IT, TN-C, TN-S, TN-C-S, apresentam vantagens e desvantagens. Quando a instalação é bem projetada, com fio terra, o engenheiro sabe que sua escolha é um meio termo. É por isso que os bons fabricantes de equipamentos não assumem o fio terra como segurança máxima e sempre estão tentando isolar bem seus equipamentos pra que não dê choque, mesmo em caso de falha, essa é a melhor prática de todas, mas como nem sempre isso é possível, o fio terra + DR tão ali pra complementar a proteção, ainda assim não há 100% de garantias, mas com certeza se acontecer algo faltal mesmo assim, era pq você tinha que ir dessa pra melhor mesmo e não tinha jeito. :)

E então, colocar ou não o aterramento TN-C-S aí a partir do quadro de disjuntores? Sabendo de antemão que o seu condutor neutro interno não terá chances de ser rompido, de que ele é aterrado, e se a instalação até o transformador for toda subterrânea, o que provavelmente é num prédio, a segurança desse esquema é aceitável, os riscos são quase nulos.

Essa imagem foi tirada do documento: "Earthing, your questions answered":

http://www.google.com.br/url?sa=t&source=web&cd=1&ved=0CBUQFjAA&url=http%3A%2F%2Fwww.theiet.org%2Fpublishing%2Fwir ing-regulations%2Fmag%2F2005%2F16-earthing-questions.cfm%3Ftype%3Dpdf&ei=qRU_TJShL8amuAfJ8-HCCg&usg=AFQjCNF_W5yRUIwB8zfOOBiptUBGI33mqA

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/TN-C-S-1.jpg

Na imagem mostra o esquema TN-C-S, mas separado na entrada. No seu caso o barramento de equipotencialiação (BEP) seria no próprio quadro de disjuntores. Do próprio quadro poderia partir um fio de equipotencialização direto à tubulação de gás e água, se ambos de metal. Se a tubulação for de metal diferente de cobre, é bom utilizar uma pasta anti-óxido na conexão entre esses metais.

broering
15-07-2010, 11:47
Desculpe abusar da sua paciência mas ainda tenho algumas dúvidas:

1) No meu caso, não seria mais seguro então não ter aterramento e apenas o DR?

2) A ligação do terra ao cano do gas seria la na minha cozinha atras fogão?

3) No caso de eu não ligar o terra no cano do gás, o DR atuaria caso houvesse essa DDP?

4) Existe alguma situação que caso ocorra a falha no PEN ou no NEUTRO o DR não iria atua?

_rau_
15-07-2010, 14:32
1) Essa questão é muito difícil de responder. Primeiro porque para o DR atuar, para proteger uma pessoa, a pessoa precisa tomar um choquinho antes, um choque não fatal, claro! E por norma, independente do DR, há que se primeiro ter o fio terra na instalação, ele evitaria a pessoa de tomar um choque e faria o DR atuar antes de alguém tomá-lo. Segundo, o DR é um dispositivo eletrônico sujeito à falhas, tanto é que ele vem com um botão de teste na frequente para ser testado no minimo semestralmente - recomendação da Siemens. Terceito, protetores contra raios para linhas de sinal (telefone, TV, CATV...) dependem do fio terra presente na instalação. Mesmo pensando tudo isso aí, é dificil dizer pra que lado a balança pende, porque a própria linha de proteção também é passível de causar problemas. Na minha opinião a balança fica equilibrada, o que não resolve nada na decisão. Sempre haverá um pequeno risco assumido, seja lá qual opção se adote. Desculpe não pode te dar uma decisão bem objetiva. Vale lembrar que num possivel rompimento do neutro, a tensão não subirá automaticamente pra 127 ou 220V nesse condutor, tudo vai depender do consumo elétrico naquele momento, onde o neutro rompeu...

2) Pra efeitos práticos, de se manter a tubulação equipotencializada, em mesma tensão que todo sistema, creio que a localização aqui não seja tão importante. Pra efeitos de inspeção e organização entretanto, geralmente isso é feito na entrada dessa tubulação. Como é prédio/apartamento, fica difícil, já que isso deveria ter sido feito na época da construção. Eu ligaria internamente mesmo, um fio dedicado partindo do quadro até o ponto mais prático pra se fazer essa ligação.

3) Não, essa não é função do DR já que nesse caso você estaria inserindo seu corpo nesse "circuito". Coisa semelhante ocorreria se você segurasse ao mesmo tempo um fio Fase energizado e um Neutro, o DR não atuaria porque você se inseriu no meio do circuito - não houve fuga de corrente à terra. DR só atua se a energia que veio de uma Fase retornou pra outro lugar que não seja o neutro ou outra fase. É por esse e vários motivos que a isolação da instalação ainda é o maior meio de proteção. Por isolação entende-se tudo que separe eletricamente a energia do usuário, seja blindagens, capas plasticas, contatos distantes da pele do usuário, como no caso das tomadas do novo padrão. É claro que tudo construbui para maior segurança, DR, aterramento, isolação... ATUALIZAÇÃO: Não pensei direito e desconsiderei algumas coisas, realmente poderá ocorrer a atuação DR caso algo seja desvie a corrente do neutro para terra, através do corpo humano e sim, o DR pode atuar nesse caso. Eu fiquei pensando na situação da inserção do corpo num circuito Fase-Neutro e não me atentei a esse fato. Mesmo ligando a tubulação do cano de gás no terra, ainda assim o DR poderia atuar, porque haveria uma fuga do neutro que passa pelo DR, para o terra que não passa.



4)Infelizmente em nenhum caso desses o DR atuaria. Quando o neutro se rompe, a energia para de fluir, mas fica "empoçada", para usar um termo bem fácil de entender, no condutor neutro. Se o neutro se romper num lugar onde ele ainda possua uma conexão com a terra, dos males os menores. A mesma coisa da nota de atualização acima. O DR pode vir sim a atuar caso haja uma fuga do neutro à terra.

Tudo que tamos falando aqui sobre esse tipo de problema são hipóteses que podem sim ocorrer, mas todos esses esquemas de aterramento são utilizados por aí afora e raramente causa problema, tanto é que uma empresa de renome mundial, a alemã SIEMENS, ensina esse método de ligação do fio terra. Na nossa ABNT NBR5410:2004, esse esquema é previsto e permitido, daí eu só confirmo aqui o que é possível de se fazer, mas eu deixo feito todas ressalvas para porventura se acontecer algo, eu não ser culpado. Eu pessoalmente tenho muito cuidado em indicar coisas relacionadas com eletricidade, para depois não dizerem que a culpa foi minha.

Em minha casa uso o esquema TN-S (divisão na entrada), numa loja de meu irmão usam o esquema TN-C-S, em vários outros locais que conheço usam o esquema TN-C-S ou TN-S e nunca tive relato de problema. O que estamos falando aqui têm a mesma chance de acontecer que um raio cair nas proximidades, acho que um raio tem até mais chances de cair nas proximidades... Um raio caindo muito próximo, eleva o potencial de qualquer condutor elétrico, até o do fio terra, independente do esquema utilizado (por isso a importância da equipotencialização, mesmo o potencial elevando, não há fluxo de corrente de um lado a outro...). Se assim é, vivemos em perigo não importa o que fazemos!! Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come! Só que em toda minha vida, nunca presenciei um caso do neutro interno da instalação se rompendo - pelo menos onde moro não tem terromoto, não costuma ter roedores, nem furacões. :D

Atualização 2:

Pra você ver como esse assunto é bem complicado e dá um nó na cabeça. Dependendo de onde o neutro se romper, mesmo o DR desligando, o neutro cotinuará energizado! Se o neutro se rompesse na subida pro apartamento e o DR desligando no caso de uma fuga do neutro pro terra, sem problema pq não teria retorno das fases pro neutro. Mas se a tensão no neutro se desenvolvesse na rua, mesmo o seu DR desligando, o neutro continuaria passando energia pro terra. Não sei se você consegue visualizar a situação, mas nesse caso a tensão não estaria passando das fases que passam do DR vão ao equipamento e tentam retornar pelo neutro partido, mas sim viria já de fora.

Atualização 3:

Hahaha, é complicado, olha só, é tudo uma questão de visualizar todo o esquema de instalação, e ainda eu to comentendo equivoco. Se o neutro se rompe, independente de onde ocorre esse rompimento, tudo que tentar retornar por ele, causará uma elevação de tensão no fio terra, independente de a sobretensão no neutro vir de fora ou de dentro. Logo se tudo que tiver aterrado passsar a ficar com o mesmo valor desse neutro, o DR não vai atuar, mesmo que corrente seja desviada para outro ponto aterrado independentemente. PARA TODOS OS EFEITOS, DR ENTÃO NÃO DARÁ PROTEÇÃO CONTRA ESSE TIPO DE EVENTO e volto à estaca zero, antes de escrever as notas em vermelho. :)



Atualização 4:

Desenhei um esqueminha simples, mas que vai mostrar o porquê do DR não atuar nesse caso do neutro se romper.

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/fluxodecorrentetn-c-s.jpg

Se ele se rompesse após um ponto onde ele esteja aterrado, as chances de tensão aparecer se reduziram bastantes, pq ela teria um caminho para ir e quanto mais pontos ele tiver aterrado antes do rompimento, melhor!

broering
15-07-2010, 16:02
Vou esperar mais um pouco, talvez venha a atualização 5 :-)

_rau_
15-07-2010, 16:52
:D

Não, agora a "confusão mental" já foi aterrada! :D

Eu me esqueci do fato de que o terra é derivado antes do neutro passar pelo DR e nem teria outra forma... A ilustração que eu postei mostra bem isso. :)

broering
15-07-2010, 18:46
Posé... tenho que avaliar os prós e oa contras. A probabilidade de eu perder o neutro da caixa do medidor até o meu andar é remotíssima. Pelo que velo esse seria o único problema do meu esquema. Se perder o neutro na rua não teria problema pois ele é aterrado na caixa do medidor, ou não :/

_rau_
15-07-2010, 19:27
É justamente pra isso que ele é aterrado ali na caixa do medidor, como ultima tentativa de se manter o neutro com potencial em 0V ou no máximo em 50V, já que 50V é a tensão de contato limite que não produz efeitos fisiológicos danosos. Se de fato o seu neutro está aterrado ali, só vendo pessoalmente.

A CIA Elétrica daqui, a CEB, diz em seu manual de normas que o consumidor pode optar por qualquer esquema de aterramento em sua rede com neutro multi-aterrado, e cita todos os esquemas, menos o TN-C, claro! A rede da CEB é predominantemente aérea com neutro aterrado em todos os consumidores, logo ela pode dizer com boa margem de segurança que é seguro utilizar qualquer um dos esquemas, claro, se instalados conforme manda o figurino.

Atualização:

Naquele documento do link que postei, traduzo a parte que fala do TN-C-S (tb chamado de PME).

3.1 - Aterramento de proteção multi-aterrado (PME) - TN-C-S:

Tal sistema de alimentação está descrito na norma inglesa BS 7671 como TN-C-S.

A vantagem desse sistema é que provê um método eficaz e confiável para prover os consumidores uma conexão com a terra. Por exemplo, a impedância máxima especificada por um CIA Elétrica é de 0.35 Ohms para o TN-C-S, comparado com 0.8Ohms do sistema TN-S.

Entretanto, em certas condições de falha no sistema (o condutor PEN se romper externamente à instalação) um potencial pode se desenvolver entre as partes condutivas conectadas ao terminal PME (TN-C-S) e a massa da terra. Mas já que há multiplos pontos de aterramento na rede de distribuição e a equipotencialização é provida dentro do prédio, em acordo com a norma inglesa BS 7671, o risco é considerado pequeno.

CARLOS (CMG)
15-07-2010, 20:21
Broering,

entrando de gaiato na coversa...já que você está fazendo uma reforma na elétrica do seu apto., porque não pedir à CELESC uma ligação trifásica de uma vez?
Muito melhor; pode ter certeza disso!

broering
15-07-2010, 20:32
Broering,

entrando de gaiato na coversa...já que você está fazendo uma reforma na elétrica do seu apto., porque não pedir à CELESC uma ligação trifásica de uma vez?
Muito melhor; pode ter certeza disso!


Putz, lá vou eu pro google novamente :bD

CARLOS (CMG)
15-07-2010, 20:40
Nem precisa do Google!

Fale com o engenheiro responsável pelo projeto que ele vê isso prá você. Pode ter certeza que com trifásico você estará bem mais servido, pois ao invés de UMA fase, você terá TRÊS ( + terra e neutro, obviamente ).

_rau_
15-07-2010, 20:42
Uma ligação trifásica permitiria uma melhor distribuição elétrica dentro de casa, inclusive com quedas de tensão menores na fiação principal, devido a melhor distribuição dos circuitos. Outra vantagem é que provavelmente seu neutro ficará mais livre, desde que haja um bom equilibrio de consumo entre as fases.

broering
16-07-2010, 08:28
Agora que me toquei que o eletroduto que sobe até meu apartamento é de 1/2 polegada. Já sobem um fase e um netro. Descer um terra já ficaria apertado. Se tivesse que passar mais duas fases ainda seria impraticável. O meu préidio fio constrído em 1982. Se do ano exato pois fui na prefeitura fazer uma cópia da planta baixa. Projeto elétrico na prefeitura não tinha.


Com relação a instação no apartamento estava aqui pensando com meus botões:
Se não usar aterramento e usasse o DR. O que teria de desvantagem? Sei que o terra é importante pra descarregar as correntes de fuga dos equipamentos, mas fora isso teria algo mais que estaria perdendo?

_rau_
16-07-2010, 09:24
Você estaria perdendo na eficiência de proteções oferecida por condicionadores de energia e alguns filtros de linha, especialmente a proteção das linhas de sinal.

E como eu expliquei, o DR com sensibilidade de 30mA protege contra contatos diretos (em supeficies naturalmente energizadas) e indiretos (superficies energizadas por falha no equipamento), mas você vai tomar um choque, não fatal, antes dele atuar.

broering
21-07-2010, 19:14
A sua instalação terá uma Fase só, né? Colocando um DR Bipolar (Fase + Neutro) + 1 DPS, dá e sobra espaço. Se fosse três fases não daria. Na verdade pode colocar logo um DR Tetrapolar, caso venha por mais fases futuramente, mas ficaria sem espaço pra por três DPS's.

Olá _Rau_,

fiquei com uma dúvida com relação ao DPS quando você diz que o mesmo deve ser instalado, no meu caso, antes do Disjuntor e consequentemente antes do DR.

Naquele video da siemens, conforme imagem abaixo, pelo que entendi ele ligou o DPS e o DR no fase após passar pelo Disjuntor, conforme o ponto A em amarelo.

Sua ideia seria ligar o DPS na entrada do disjuntor, no ponto B, em rosa? e de depois passar pelo disjuntor pra assim ir pro DR?


http://img43.imageshack.us/img43/5319/quadros.jpg (http://img43.imageshack.us/i/quadros.jpg/)

_rau_
22-07-2010, 13:57
Não, minha recomendação é sempre de ligar o DPS após o disjuntor geral, como está feito nessa imagem. No segundo video tem uma imagem mais clara, mas aí mostra as fases entrando pelo "B", saindo pelo "A" pra ser ligadas por cima do DR. No ponto "A", é derivado mais dois fios que vão aos DPS's e o DPS é ligado no barramento de aterramento. Lembrando que nesse caso, aterramento TN-C-S, o barramento de aterramento recebe o neutro antes desse passar pelo DR.

Eu recomendo entretanto, que se evite aquela curva feita nos fios verde da saída do DPS. Use de preferência um barramento, corte o barramento deixando dois terminais, e use apenas um condutor de saida pro barramento. Numa descarga atmosférica que haja sobre esses fios, terá uma melhor eficiência de ser descarregada se o traçado for mais retilineo, isso aumenta a eficiência do DPS.

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/quadro.jpg

broering
22-07-2010, 14:53
Mas digamos que venha uma tensão muito alta. Ela entraria no ponto B e sairia no ponto A, que se divide entre o DR e o DPS. Como essa tensão maior é desviada para o DPS e não entra no DR já que estão conectadas no mesmo ponto? Faz sentido minha dúvida ou estou "viajando" muito?!

_rau_
22-07-2010, 19:16
Vc tá viajando um pouquinho sim! :)

Independente de onde você colocar o DPS, antes ou depois do disjuntor, parte do surto vai ir em frente até a tomada! Calma, que explico! Os DPS's foram feitos para limitar a tensão num nível suportável pelos equipamentos sendo que o valor médio de sustentabilidade ou suportabilidade do rompimento da isolação é de 1500V por uma duração de 8us/20us, sendo que esse valor pode ser maior ainda ou pouca coisa abaixo disso. Esse tempo de 8us/20us são valores referentes ao tempo de existência da onda de elevação e onda de decaimento do pico de tensão. Independente do que você faça, sempre um residuo vai passar até o final do circuito. Outra coisa que não mencionei ainda é o tempo de resposta do DPS que é de nanosegundos! Quando há um surto, o DPS "abre" em nanosegundos, jogando toda corrente do surto à terra, deixando passar um residuo pra frente. Essa pequena distância entre o DPS e o DR, mais ou menos uns 15cm no vídeo é muito pouca pra deixar passar algo danoso pro DR e pra frente, assim que o DPS atua, como é tão rapido, a energia segue o caminho de menor resistência, que nesse caso é em direção à terra. A atuação do DPS se caracteriza por um rápido curto-circuito, retornando rapidamente ao seu estado inicial, "fechado".

A forma que o DPS foi montado no vídeo não reduz sua eficiência ao ponto de inutiliza-lo, mas há como melhor isso aí levando o fio que sai do disjuntor primeiro ao DPS e só do DPS derivar os fios ao DR. Reduziria aí uns 5 à 10cm de fio, mas já ajuda bem. Via de regra, quanto mais perto tiver os condutores principais dos bornes do DPS, melhor sua eficiência, isso tanto pra Fase, quanto Neutro ou Terra nesse caso.


A colocação do DPS após um disjuntor se deve ao fato de caso o DPS falhe, o disjuntor atue. DPS's costumam vir com um fusivel interno, que atua por sobretemperatura, retirando-o do circuito quando ele queima, mas um disjuntor colocando antes do DPS é uma proteção a mais caso sua proteção interna falhe.

broering
26-07-2010, 20:32
Comprei os disjuntores, DPS e IDR da WEG. No DPS tem uma indicação em cima de um L e embaixo de um simbolo de terra. Olhando a imagem daquele vídeo que postei me parece que os fios no DPS seriam ligados ao contrário no meu. Ou aquele DPS está de cabaça para baixo?

_rau_
26-07-2010, 21:53
DPS não tem polaridade, tanto faz o lado que vc liga o fase ou neutro e/ou terra. Vou dar uma olhada no site da WEG, só pra te dizer com 100% de certeza, mas te digo com 99% de certeza que eles não possuem polaridade, já que dentro dele há um varistor, que é o componente primordial na proteção e varistores não possuem polaridade.

Atualização:

Pelo catalogo da WEG, vi que a indicação L e T está lá mais para organização, manter o DPS virado com suas descrições de cabeça pra cima. Ele irá funcionar independente do lado que vc ligar as linhas, mas se é pra deixar tudo bonitinho, siga a ordem mostrada no DPS.

broering
02-08-2010, 16:03
Pessoal, encostei a chave teste no fase, que chega do relógio no quadro interno, e a lampada acendeu. Até aí tudo bem, era pra acender mesmo, mas a lampada acende se encostar na parte plastica do fio. Qdo mais perto da ponta mais forte acende. Um pouco mais longe, cerca de 10cm, ja nao acende. Colocando o dedo não dá choque. Essa tensão ali é normal? Comprei um multimetro amanhã vou medir. O mesmo ocorre com depois que o fase passa pelo disjuntos desligado. A lampada da chave acende bem fraquinha, quase não dá pra ver. Isso é normal?

_rau_
02-08-2010, 19:14
Ela está acendendo por indução magnética, normal... Sua chave deve ser bem sensível. Tem umas digital que têm teste específico de indução, pra vc verificar se tem energia, sem precisar descascar o fio.

broering
02-08-2010, 19:49
Ela está acendendo por indução magnética, normal... Sua chave deve ser bem sensível. Tem umas digital que têm teste específico de indução, pra vc verificar se tem energia, sem precisar descascar o fio.

Valeu. Já fiz as ligações dos disjuntores/DR/DSP. Separei o PEN no quadro de luz em terra e neutro. Amanhã faço uma foto do quadro e coloco aqui.

Vou fazer a instalação elétrica com meu pai. Pelo que vi, com o projeto pronto, não tem muito mistério. Comprei os conectores da Dersehn, aí não precisarei fazer emendas com fita isolante. Já sei como fazer todas ligações do prejeto, pelo menos na teoria. :-)

_rau_
02-08-2010, 19:59
Instalação elétrica residencial não é um bicho de sete cabeças, tendo um conhecimento básico ante-mão! Claro que há detalhes e é sempre no detalhe que até eletricistas pecam, mas vai postando ai que a gente vai discutindo as duvidas se surgirem.

geilton
08-08-2010, 13:10
Amigos eu gostaria de saber,porque que na casa do meu vizinho logo na entrada da rede que vai pra casa dele tem um fio com 3 fases e um neutro.Cada fase vai pra uma casa diferente que ele tem no mesmo terreno .De vez em quando o neutro desse cabo pega fogo .alguem poderia me explicar porque isso ocorre.Antes o fio que ia até o quadro das casas era de 6mm agora ele botou o de 10 mm e continua dando esse problema.

_rau_
08-08-2010, 13:41
O fogo inicia aonde, na emenda do fio? Se sim, primeiramente deveria ser verificada a qualidade dessa emenda.

Há de fato três fases entrando da rua + neutro ou derivaram três fios de cima de uma fase só? É um absurdo, mas já vi isso!! Nesse caso o disjuntor poderia estar sobredimensionado para o condutor.

O neutro carrega a corrente das três fases, mas há um fenômeno fisio-elétrico que faz com que, dadas condições ideais, a corrente das três fases se anulem no neutro ou seja, o neutro em condição ideal sempre carrega menos corrente do que a soma das correntes das fases juntas. O que ocorre é que na prática dificilmente conseguimos uma anulação total das corrente no neutro, então sempre haverá um nível de corrente passando pelo neutro. Em alguns casos a anulação de corrente não ocorre a a soma das correntes das três fases se somam no neutro e o neutro se sobrecarrega. Como não existe proteção contra sobrecorrente no neutro, E NEM PODE, ele acaba pegando fogo. A orientação nesses casos é sim sobredimensionar o neutro, as vezes duas vezes a bitola dos condutores fase. Se no caso do seu vizinho o disjuntor trifásico for de 35A, isso quer dizer que na pior das hipóteses, bem mais do que 35A estarão passando pelo neutro! Um neutro de 6mm2 só suporta 35-40A sem se aquecer demais, dependendo de alguns fatores. Mas ele pode muito bem estar comportando mais do que 50A, também limite do condutor 10mm2.

Outra solução seria ao invés de mandar um fase pra cada fase, é distribuir as três fases em cada casa, o que permite um equilibrio de cargas de forma melhor, o que é um fator determinante para conseguir um nível de corrente mais baixa no neutro. Quanto melhor for distribuido todas as cargas de consumo entre as fases, melhor para o neutro porque esse equilibrio gera uma anulação de corrente nesse condutor.

Há casos entretanto, onde há muitas cargas eletrônicas na rede e motores elétricos, em que mesmo com as cargas equilibradas, não ocorre essa anulação de corrente esperada devido às correntes harmônicas injetadas na onda elétrica, isso prejudica eletricamente a anulação de corrente de fases no condutor neutro, provocando então o contrário, a soma de correntes.

geilton
08-08-2010, 21:17
sim meu amigo,entra três fases sendo uma para cada casa e todas apenas no unico neutro do cabo ,que por sinal é um cabo de aço desses finos que vem junto das tres fases.Eu até falei pra ele que poderia ser muita carga no neutro e ele não estava aguentando o retorno das tres fases ,principalmente quando ligam os chuveiros eletricos .Não sei se falei besteira mais gostaria de saber o motivo desse acontecimento.Outra coisa o fogo inicia na emenda sim que é feita com aqueles conectores de duas chapas que vem com um parafuso no meio .Nesse conector tem duas valas onde se encaixa um fio de cada lado .

_rau_
08-08-2010, 22:39
Os principais motivos são os que te expliquei atrás que envolve sim uma sobrecarga do neutro.

Provavelmente o elo mais fraco, por ser a emenda, é o primeiro lugar a sofrer.

De quantos amperes é o disjuntor do padrão de entrada? Foram usados tres disjuntores monofásicos ou 1 trifasico (tripolar)?

O "cabo de aço" na verdade é um cabo de aluminio com alma de aço. Deve se saber que um condutor de aluminio tem uma resistencia mais elevada que o cobre ou seja, a capacidade de condução de um condutor 10mm2 de aluminio é menor que 10mm2 de cobre. Se o trecho que está mais se aquecendo é o trecho da rua até à entrada do padrão, aí a CIA Elétrica local que deve tomar providências.

tequila_j
10-08-2010, 08:21
Caso se faca uma sala com tomadas 110 (4 tomadas) e 220 bifasico (1 tomada) , seria incorreto utilizar um disjuntor bipolar, dividir cada cabo do bipolar entre as tomadas (2 tomadas para cada fase), e a tomada 220 nesses mesmos cabos?
Caso seja incorreto, qual seria o maior problema? (tenho limitacao de espaco no conduite - como muitos aqui meu predio e velho - que impossibilitaria passar 2 circuitos, um para 110 e outro somente para a tomada 220)

(os desenhos nao sao do padrao, nao tenho nada para desenhar pelo padrao :( )

_rau_
10-08-2010, 19:19
Não tem problema, desde que o disjuntor esteja dimensionado para a corrente máxima suportada pela fiação, não tem problema nenhum. A não ser que a tomada 220V seja ligado algo que demande mais do que 10 Amperes, ai o circuito deveria ser dedicado.

broering
10-08-2010, 22:04
Conforme prometido segue as fotos o quadro montado:

- O PEN chega num fio rígido branco 10mm, por baixo e é ligado a barra a direita. O fio mais abaixo de todos.
- A partir desse ponto o Nentro e o Terra são divididos. O neutro (agora em azul, sai da parte de cima dessa barra e entra no DR). Depois de sair do DR ele vai pra barra de neutro, a direita.
- O fase (fio rígido preto 10mm) também vem por baixo, junto com o neutro e vai até o disjuntor geral de 50A (Primeiro disjutor de cima, a esquerda). Ele entra por baixo. Desse disuntor sai um fio 10mm pro DSP e um pro DR.
- Do DPS sai um fio verde pro barramento do PEN.
- Do DR o fase vai alimentar os disjuntores de baixo e há um outro fio que parte de baixo para alimentar os 2 disjuntores de cima, ao lado do geral.

Na linha de cima temos:
Geral (50A) | AR Suite (20A) | TUG Suite e banheiros | DR | DPS

Na linha de baixo temos:
Iluminação (16A) | TUG Sala (20A) | AR Sala (40A) | Chuveiro 1 (32A) | Quadro Churrasqueira (40A) | TUE Cozinha (32A) | TUG Cozinha (20A) | Chuveiro 2 (32A)

Será dá pra melhorar alguma coisa?

309473094530946

_rau_
10-08-2010, 22:32
Eu mudaria um dos fios que saem do disjuntor de 50A, o ideal era que vc tivesse derivado o fio do DR a partir do DPS e não do disjuntor. Isso ajudaria a diminuir a tensão residual, mas do jeito que tá não vai prejudicar o funcionamento não, a tensão residual ainda estaria dentro de um bom limite, até pq a saída tá bem próxima do PEN. As normas recomendam que a soma dos dois condutores abaixo e acima do DPS não estejam a mais de 50cm do fase e neutro principal ou seja, 25cm de um lado e 25cm de outro, mas quanto menor essa distância, com certeza menor será a tensão residual.

Do resto tá ok, só não dá pra ter certeza pela foto a seção nominal de cada fio está respeitando os disjuntores dos circuitos finais, mas provavelmente está, depois de tudo que foi discutido aqui no tópico, né? :)

E esse fiozinho cinza é o que? Telefone? Ixi, se for, tira ele daí, arranja outro lugar pra subir essa fiação. Fiação telefônica junto com fiação elétrica pode induzir ruidos no telefone e reduzir a qualidade da conexão com a Internet, além do que surtos elétricos vindos na fiação elétrica podem ser acoplados na linha telefônica, tanto na entrada como na saída do surto pelo DPS pode acoplhar energia na linha telefônica. Se não tiver jeito, o ideal era usar um cabo de par trançando com blindagem.

PS: Esse quadrinho da tigre tem um mal, não tem jeito dos disjuntores ficarem retinhos, pq o trilho é de plastico e mole...

broering
10-08-2010, 22:47
O fio cinza é do interfone. Telefone/TV a cabo passa por outra tubulação.
A seção dos fio está de acordo com o projeto elétrico, mas a iluminação eu usei 2.5mm ao invés de 1.5mm. Ah, e pro circuito de iluminação usei fase vermelho e neutro branco. Nos outros circuitos foi tudo preto (fase) e azul (neutro). Assim quando tiver que mexer em algo já sei que é um e outro.
Pra emendas nas caixas de deivação usei os conectores da Dersehn, muito bons por sinal.

_rau_
11-08-2010, 12:17
Eu acho anti-economico comprar fio 1.5mm2 só pro circuito de iluminação quando só temos a opção do rolo fechado, muitas vezes quando compramos o rolo de 2.5mm2 fechado e sobre pra usar nos circuitos de iluminação, no final das contas acaba saindo mais barato. A não ser que compre "picado"... A vantagem do 1,5mm2 é que é mais fácil de passar pelos conduites tb...

Sobre o fio do Interfone, você costuma ouvir alguma interferência quando o usa ou não usou ainda? Geralmente aparece um ruido audivel em 60Hz, uma espécie de zumbido, tão mais alto quanto for o nível de corrente passando pelos fios de energia. Em casos de surtos nas linhas de energia, os interfones podem ser queimados! É bom usar protetores próximos dos interfones caso não tenha como mudar a rota desses fios. Há uma recomendação tb que sempre que duas linhas, de sinal e força, se cruzarem, que elas façam isso em angulo de 90 graus. A explicação fisica pra isso eu não sei dizer.

broering
12-08-2010, 09:46
Sobre o interfone não usei ainda.

Ontem tava terminando de fazer umas conexão no quarto e notei algo estranho.
Na entrada do quadro eu tenho dois interrupetores paralelos com outros 2 que ficação perto da cama. Cada par de interrupetor controla duas lampadas. Fiz os teste acendendo e pagando de um lado e de outros, as duas lampadas jutos, separado e tudo bem. Os cuircuitos em paralalos estão funcionado normalmente. Entretando fui medir a tensão com um multimetro numa dessas lampadas e tive 19 volts com o interruptor desligado. Com ele ligado dá 220v, obviamente. Fiz a medição no retorno e no neutro que fica conectador no bocal. Medi tb direto no fio e deu a mesma coisa. Mas isso só ocorre em um dos circuitos e paralelo, no outro deste mesmo quarto fica 0 volts quando desligado. O circuito de ilminação é o mesmo para casa toda e em nenhum outro ponto isso ocorre.
Alguem sabe me dizer o que poderia ser?

_rau_
12-08-2010, 19:07
Já tentou trocar o interruptor? Pode ser que ele não esteja com uma isolação muito boa.

Esses interruptores são do tipo three-way, pra ligar/desligar uma mesma lampada de pontos diferentes?

Atualização:

Eu perguntei se é three-way pq tem gente que fala paralelo interruptores de dupla seção... Paralelo e Three-way são a mesma coisa e são para controlar uma ou mais lampadas de dois pontos distintos. Não sei se consegui entender sua msg direito...

broering
12-08-2010, 20:16
Sim, são three-way.

Hj notei q em 2 pontos na sala ocorre o mesmo. Sendo que um deles é um interruptos simples. Nessa caso estava dando 7 volts. Soltei o retorno do bocal e deu 0 volts. Qdo meço no retorno ligado no bocal é q aparace esses 7 volts. Poderia ter alguma relação com o bocal ou não deveria?

_rau_
13-08-2010, 12:13
Só pra deixar claro, retorno é o fio que sai do interruptor para a lâmpada, correto? Pq tem gente que chama o neutro de retorno...

Estranho. Como que vc mede a tensão com o retorno desconectado do bocal, ponta do multimetro no fio do retorno e outra no neutro do bocal? E assim dá 0 volt?

Quem sabe o bocal está conseguindo captar alguma indução magnética e "amplifica-la" de algum modo...

broering
13-08-2010, 18:07
Retorno é isso mesmo q vc disse :-)

Então, discobri hj q se tirar o bocal e media direto no fio dá 0 volts. Eu to usando tudo bocal usado que meu pai tinha sobrando. Era só pra teste mesmo. Coloquei um bocao novo e tb deu zero 0 volts.

Problema resolvido. Obrigado pela paciencia. :-)

_rau_
13-08-2010, 20:48
Estranho isso, mas já que resolveu...

Estranho porque o bocal é um elemento completamente passivo e recebe o que vem dos condutores, e é estranho tb pq fora do bocal não dava tensão nenhuma... Era um bocal gerador então! :)

broering
13-08-2010, 20:57
Vai ver era a "pecinha" que estava operando o multímero :p

tequila_j
22-08-2010, 13:47
Estava conversando com um eletrecista sobre o DR, e ele disse que no caso de se ligar a um chuveiro 220 (bifasico), vc tem q usar um tripolar (como exemplo, entrada 1 = passagem do neutro, 1, 3 e 5 serao fases), colocar cada 110 em uma posicao 1, 3 ou 5 (claro, onde estivesse chegando os fases...), e ja que nao tem o neutro, passar o terra do chuveiro pelo 1 (chuveiro l).
Por outro lado andei pesquisando na rede, e fala q o terra nunca deve passar pelo DR, e q eu poderia usar um bipolar (no esquema fase + fase) (chuveiro ll).

O que esta certo no final?, e tirando o botao de teste, como posso testar a ligacao (por exemplo, na propria fiacao, sem testar por o dedinho...) para saber se esta funcionando?

_rau_
22-08-2010, 19:55
Antes do neutro passar pelo DR, no esquema TN-C-S exposto, o terra deve ser derivado do neutro e nunca após o neutro passar pelo DR! O neutor chega no quadro de disjuntores, liga-o num barramento de distribuição, esse será o barramento neutro/terra. Daí desse barramento você vai derivar um condutor neutro que vai passar pelo DR e ir pra outro barramento, que será barramento exclusivo de neutro.

No caso do chuveiro bifásico, nada muda na instalação do DR, não consigo ver porque a confusão. Seria um DR só pro chuveiro? Nesse caso aí sim, vc poderia usar um DR bipolar passando as duas fases por ele, não precisa do neutro! E no caso da instalação de DR "tripolar" (o nome correto é tetrapolar) em que só existe fases, sem neutro, para o botão de testes funcionar deve ser feito isso:

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/esquema1.jpg

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/esquema2.jpg

tequila_j
23-08-2010, 11:22
Mil agradecimentos rau, era uma figura (de ligacoes basicas) que eu tinha visto . A confusao e pq eu achei uma coisa, e o eletrecista disse outra.....

joao.manoel
29-08-2010, 08:49
Companheiros, venho recorrer a vocês sobre uma dúvida que julgava não existir até comprar 3 DR's da Pial Legrand. Lá em casa a tensão de 380/220V, como estou tentando refazer a instalação elétrica, que já data de 30 anos, comprei os benditos DR's no Recife, todos bipolares: um de 25A, outro de 40A e por fim um de 63A, cada um para ser aplicado em lugares diferentes. O que eu não tinha reparado é que dois dos DR's estão marcados para 127 Vca e apenas um para 220 Vca. Então vem a dúvida: será que posso usar esses de 127 Vca na rede 220 Vca lá de casa? Pra ser sincero, não tive a mínima preocupação de olhar esse detalhe, já que para mim os DR's eram como um insjuntor, serviam em qualquer tensão.

_rau_
29-08-2010, 15:23
Em principio não teria problema, mas é bom ver com o fabricante. Vou dar uma olhada nos catalogos da Pial.


Atualização:

Dei uma procurada no site da Pial por informações, achei o catálogo, mas não esclarece nada. Em princípio não há nada dentro de um Dipositivo DR que defina se ele é 127 ou 220V, então teria que funcionar em ambas tensões. Talvez esse IDR não funcione em 220V Fase-Fase, mas funcione com 220V Fase-neutro, por isso a Pial deve ter colocaso que ele é 127V. Seria bom você ver na loja que comprou se pode ligar ser risco, daí se queimar a culpa é da loja.

joao.manoel
30-08-2010, 00:20
Obrigado pela resposta _rau_! Enviei um e-mail para a pial, vamos ver o que dá. Quando ir a loja é um pouco inviável, já que ela fica em Recife e estou a 500 km de distância de lá por isso, vou torcer para que a pial esclareça esse ponto!

Grande abraço!

joao.manoel
30-08-2010, 18:15
1ª Resposta da Pial:

Prezado Senhor João,

Venho por meio deste e-mail informá-lo que nosso IDR é utilizado somente em tensões de 127V~. No caso de 220V~, o botão teste ficaria comprometido, ou seja, sua função passaria a ser apenas a de um disjuntor comum.

Caso haja alguma duvida, permanecemos a disposição.

Atte

Ralph Mello
Centro de Suporte Técnico - Legrand

Participe do Clube Contato Legrand e fique por dentro das novidades. Acesse www.legrandgroup.com.br (http://www.legrandgroup.com.br/) e cadastre-se.

Antes de imprimir pense em sua responsabilidade com a natureza.

Como não tinha ficado muito claro a resposta, mandei outro e-mail.

Olá Ralph!

Primeiro gostaria de agradecer a resposta. Porém ainda me restam algumas dúvidas:



Quando você se refere ao "botão teste ficaria comprometido" significa que o IDR perderia sua capacidade proteção para falhas a terra, no caso, não abriria se houvesse um toque no condutor da fase por uma pessoa?
O que diferencia um IDR 127 Vca de outro 220Vca?
Há o risco de danificação do IDR 127 Vca ligado em uma rede 220 Vca?

Só para conhecimento, a rede elétrica de minha casa é 380/220 vca.

Att.

João Manoel

Por fim o esclarecimento.

Prezado Senhor João,

Conforme mencionado em e-mail anterior, o que ficaria comprometido no IDR
seria o botão teste. Ou seja, todas as outras funções contiunariam as
mesmas, a fuga seria detectada do mesmo jeito. Em contra partida, com o
botão teste inutilizado, o IDR perderia sua função teste, ou seja, se
ocorrer do mesmo se danificar, não seria possível descobrir, somente quando
algum acidente acontecesse. Em solução a essa questão, a Cemar Legrand
possui o IDR para para essa tensão. Para maiores informações, catálogo
Cemar disponível através do site - www.cemarlegrand.com.br (http://www.cemarlegrand.com.br/) - . Caso haja
alguma duvida, permanecemos a disposição através do 0800 11 8008.

Atenciosamente,

Victor Castro
(11)5644-2623
CST/Formação
Centro de Suporte Técnico - Legrand

Funcionar, funciona... mas alguma coisa pode dar errado. O jeito agora é providenciar a troca


Vendo a especificação dos DR's da Siemens não há essa distinção: é de 127 a 220... Coisa decente!

_rau_
31-08-2010, 14:03
Cara, esse cara parece que tá viajando um pouco na maionese! Provavelmente ele tá achando que 220V é sempre Fase/Fase, aí sim o botão de teste ficaria comprometido nesse modelo bipolar, creio eu, mas tenho minhas dúvidas, mas tenho quase certeza que queimar não queima e o DR operará normalmente. Como aí é 220v Fase/Neutro (certo?) tenho 90% de certeza que vai funcionar tudo corretamente.

Realmente Siemens é melhor! E no catalogo da Siemens, que é por sinal muito mais completo em informações, mostra que um bipolar funciona normalmente com duas fases (220V) tão bem como 1F+N (220V). No modelo tetrapolar apenas tem que se fazer uma ponte entre uma das fases e a entrada de onde seria a entrada do neutro e ficaria tudo resolvido, o botão de teste funcionaria em todos os casos.

joao.manoel
31-08-2010, 21:53
...Como aí é 220v Fase/Neutro (certo?) tenho 90% de certeza que vai funcionar tudo corretamente.

Certíssimo....

Tava pensando aqui com meus botões :diabo:. Acho que vou fazer um teste para ver o que acontece: vou ligar o dr em série com uma lâmpada e ver se ela apaga ao pressionar o botão de teste. Se o pessoal da Pial estiver certo a lâmpada nâo apagará, caso contrário...

O pior de tudo é que talvez a construção desses dispositivos não seja normatizado, cada um faz do jeito que der na telha. Há alguns meses atrás tivo problemas com uma caixa de disjuntores (air-stop) que comprei da FAME, só que o disjuntor, do tipo DIN, era de capacidade mais alta do o circuito necessitava. Então comprei um outro disjuntor, de capacidade adequada, da própria PIAL. Para minha surpresa não é que os dois disjuntores tinham dimensões diferentes e aquele que comprei depois não cabia na caixa de sobrepor. Um transtorno.

_rau_
01-09-2010, 18:25
Eu tb faria esse teste.

Sobre os disjuntores, todos que já usei se encaixam normalmente no trilho, mas uns são mais largos, outros mais "profundos", mais "rasos"... Em uma instalação que fiz pra um amigo, ele comprou disjuntores, mas de marcas diferentes, e ficou meio feio a instalação no quadro pq uns disjuntores ficaram mais pra fora do que outros. No caso os que ficaram melhores no quadro foram os Siemens, que é minha marca preferida, mas há outras muito boas tb.

joao.manoel
08-09-2010, 10:31
Amigos, bom dia! Vou sair um pouco do propósito do tópico para perguntar sobre interruptores para moto-bomba. Estou para colocar uma banheira lá em casa e veio junto com ela um motor WEG de 1/2 hp. Minha dúvida é se eu posso usar qualquer interruptor para ligar/desligar a moto-bomba. Como ela vai ficar instalada no banheiro, aquelas chaves magnéticas acho que não são convenientes para serem instaladas na parede dentro do banheiro. Então peço ajuda aos nobres colegas para sugestões.

dsidney
29-09-2010, 01:13
Veja esse quadro da Tigre, com capacidade pra 16 disjuntores com DR tetrapolar instalado com duas fases + neutro:

Foto tirada do Orkut, enviada pra mim por uma pessoa lá. Se ela ver aqui e achar ruim, eu retiro a foto:

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/P1010016.jpg


Rau,

Estou voltando após um tempo afastado daqui, pois não começei minhas modificações ainda.

Estou na dúvia entre tentar refazer o quadro de distribuição mantendo a carcaça do quadro atual e utilizando uma placa com esta de uma foto que voce colocou no outro post.

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/OgAAALrrM8AtotXQUA_SV9Xlsdy0qkd4o6I.jpg

Mas não sei se ainda existe este tipo de placa e se caberia no meu quadro.

Meu quadro atual(original de 30 anos) é para doze disjuntores padrão antigo, acho que o nome é NEMA. Medidas internas da caixa de metal do quadro são: 24,5 x 32,0 x 8,5 cm.

Como os disjuntores IEC são mais finos, talvez dê para colocar 8 disjuntores, mais treis DPSs e 1 IDR tetrapolar, tudo padrão Siemens. Será que cabe?

Não sei se conseguiria uma arrumação que venha a caber nesta placa ai da foto. Teria que deixar sem disjuntor geral, que já é a situação deste apartamento há 30 anos. Tem disjuntor geral lá embaixo no medidor. Se achar posso talvez instalar um disjunto DR tetrapolar fazendo as duas funções.

Voce acha viável instalar esta placa no meu quadro atual? Voce sabe a marca da mesma?

Este quadro da Tigre da foto ai de cima, é este o melhor que existe no mercado? É este que voce usa?

Parece que eu li em algum post seu que voce tinha algumas restrições a estes quadros da Tigre, esta correto? Não me lembro em qual discussão li este seu post.

Qual quadro voce recomenda, visando uma instalação bem limpa e sem disjuntores torcidos para os lados?

Desculpa por tantas perguntas.

Qualquer inputs de outros colegas são muito bem vindos.

Obrigado antecipadamente.

Sidney

dsidney
29-09-2010, 02:51
Que eu me lembre a redução é a partir de 25mm2 e não 35mm2. Com condutor fase 25mm2, o fio terra pode ser 16mm2, com 35mm2 o terra tb pode ser 16mm2, já com 50mm2 passa a ser a metade do condutor fase. Chegando em 95mm2 o fio terra passa a ser exigido o de 50mm2 pq não existe um "47,5mm2", e assim por diante.

Quanto ao seu raciocínio, creio que seja um calculo mais complexo que isso. Na verdade o calculo pra definir a seção do fio terra é bem mais complexo. A escolha do fio terra não tem tanto haver com a carga e a suportabilidade do condutor durante uma falta à terra, mas sim o quanto esse condutor limitará o tempo de ação de um disjuntor simples, o valor de referência não é o da carga e sim da corrente de curto-circuito, que é bem mais elevada, na ordem do Kiloamperes. Sei que tem um bucadinho de contas pra se chegar aos valores requeridos por norma, mas como já temos as recomendações prontas, mesmo os engenheiros assumem a tabela normativa pronta e não ficam reiventando a roda, mas tenho certeza que é assumida uma margem de segurança bem grande nessas tabelas e num cálculo mais detalhado, num projeto levado ao extremo de todas os cálculos, é possível economizar na seção do fio terra sim, ainda mais com uso do DR, aí não tem nem o que discutir.

Marca de fio que costumo usar, Prysmian (melhor de todas), SIL (aprovada pela revista Eletrecidade moderna), Corfil, Ficap..., tb aprovadas. Nenhuma dessa que vc citou eu ouvi falar. Dê uma olhada nesses links se uma dessas marcas foi reprovada:

http://www.qualifio.org.br/conformidades.asp
http://www.qualifio.org.br/clipping.asp#destaque1

Mesmo que essas marcas não estejam aí nessa lista, não quer dizer que elas foram aprovadas, talvez não tenham sido testadas ainda. Mas pelo preço, tá na média do preço de condutores bons. Prysmian costuma custar até 70 reais o rolo de 100m, eu compro aqui por 67 reais o 2,5mm2, mas suportam temperaturas mais elevadas, 15 graus a mais que a maioria dos condutores, e tem a garantia do cobre utilizado ser puro.

A ligação da Fase no disjuntor deveria ser com terminal no teu caso, a ponta do terminal é mais fina... Os disjuntores da Siemens pelo menos aceitam fio rigido de até 25mm2 e pra cabo flexível até 16mm2, mas com uso de terminal. Pra 16mm2 acho que você só vai encontrar terminal não isolado, sem aquele anel de plastico. Eu recomendo você procurar por um terminal se o cabo for flexivel. Dê uma olhada nessa imagem que encontrei na internet, um cabo com terminal, ligado no barramento, mas vc pode ligar no disjuntor com uso de terminal, sem problema:

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/Ardachaidh100.jpg

Se os cabos forem isolados e sem emenda (mesmo sem umidade devem ser isentos de emenda dentro do eletroduto!!) eles suportam umidade sim, afinal eles ficam no ramal aéreo, tomando sol e chuva por anos a fio.

EDITADO:

Olha a foto aí do quadro da minha casa. Ainda to arrumando ele e vai entrar mais alguns disjuntores. No barramento de aterramento tem um fio 6mm chegando, mas 90% dele é 4mm2, pelos motivos explicados em outar msg... Veja aí que mesmo com condutor 6mm2 só dá pra usar o pente ligando os cabos alimentadores usando terminais. Nesse caso usei terminal do tipo chato:

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/DSC02476.jpg

Rau,

Que marca são esses quadros ai das fotos?

O da foto de cima, provavelemente é lá de fora, correto? É possível achá-lo aqui para comprar? Como eu gostaria de ter coisas com essa qualidade para comprar aqui!!!!!!!

O seu quadro esta muito bacana mesmo. Como é espaçoso hein. Se possível, me informe marca e modelo por favor.

_rau_
02-10-2010, 12:59
Rau,

Estou voltando após um tempo afastado daqui, pois não começei minhas modificações ainda.

Estou na dúvia entre tentar refazer o quadro de distribuição mantendo a carcaça do quadro atual e utilizando uma placa com esta de uma foto que voce colocou no outro post.


Mas não sei se ainda existe este tipo de placa e se caberia no meu quadro.

Meu quadro atual(original de 30 anos) é para doze disjuntores padrão antigo, acho que o nome é NEMA. Medidas internas da caixa de metal do quadro são: 24,5 x 32,0 x 8,5 cm.

Como os disjuntores IEC são mais finos, talvez dê para colocar 8 disjuntores, mais treis DPSs e 1 IDR tetrapolar, tudo padrão Siemens. Será que cabe?


Por exemplo, num quadro que antes pegava 12 disjuntores "NEMA", cabem 16 disjuntores "DIN". Geralmente é essa a proporção.

Não sei se conseguiria uma arrumação que venha a caber nesta placa ai da foto. Teria que deixar sem disjuntor geral, que já é a situação deste apartamento há 30 anos. Tem disjuntor geral lá embaixo no medidor. Se achar posso talvez instalar um disjunto DR tetrapolar fazendo as duas funções.

Se embaixo há um disjuntor, não precisa de outro em cima a não ser pela conveniência de ter uma chave geral dentro do apartamento para desligar tudo de uma vez só. Mas vale lembrar que o DR não faz papel de proteção contra sobrecorrente nem curto-circuito, isso ficaria a cargo do disjuntor lá de baixo.


Voce acha viável instalar esta placa no meu quadro atual? Voce sabe a marca da mesma?

Não sei a marca, nem dizer tb se é viável. Mas se o seu quadro tiver fundo de metal, acho que não precisa de placa, apenas que aparafuse os trilhos DIN com uma espécie de calço no fundo para deixar o trilho mais alto. O calço você pode bolar várias formas, como uma porca pela parte traseira do trilho, fazendo contato com o fundo do quadro.

Este quadro da Tigre da foto ai de cima, é este o melhor que existe no mercado? É este que voce usa?

Tá longe de ser o melhor, mas é um dos mais baratos e práticos de se instalar. A desvantagem é que o trilho é mole demais, os disjuntores não ficam muito bem alinhados e também considero que a posição dos barramentos de neutro/terra não ficam numa posição muito boa. O distanciamento entre as furações dos barramentos tb dificultam o uso de terminais nas pontas dos fios.

Eu uso um da SIEMENS.

Parece que eu li em algum post seu que voce tinha algumas restrições a estes quadros da Tigre, esta correto? Não me lembro em qual discussão li este seu post.

Além dessas acimas, não me lembro de outra restrição. Quadros BONS, BONS mesmo são metalicos de algumas marcas famosas, mas são muito feios na minha opinião para usar numa casa, geralmente são usados em empresas, industrias...

Qual quadro voce recomenda, visando uma instalação bem limpa e sem disjuntores torcidos para os lados?


SIEMENS, TIGRE, PIAL LEGRAND, CEMAR... Todos de plástico por geralmente possuirem um design que integra com o ambiente, não enferrujarem, terem risco nulo de choque na carcaça...

Desculpa por tantas perguntas.

Qualquer inputs de outros colegas são muito bem vindos.

Obrigado antecipadamente.

Sidney


Sem problemas, eu q desculpo a demora na resposta!




Rau,

Que marca são esses quadros ai das fotos?

O da foto de cima, provavelemente é lá de fora, correto? É possível achá-lo aqui para comprar? Como eu gostaria de ter coisas com essa qualidade para comprar aqui!!!!!!!

O seu quadro esta muito bacana mesmo. Como é espaçoso hein. Se possível, me informe marca e modelo por favor.

O Primeiro não faço idéia, é uma instalação na Inglaterra. O outro é meu quadro, SIEMENS. Esse quadro já passou por algumas mudanças internas, não tá mais assim. Recebeu um DPS a mais, pro neutro, mudei um pouco a ligação dos DPS's, botei barramento nos DPS's, etc. Essa é uma foto um pouco mais recente:

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/DSC02740.jpg

Foto dele com tampa, ainda tava sem DPS's, tava com menos circuitos...

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/frentedoquadro.jpg

Roberto Paiva
03-10-2010, 03:02
Preciso da ajuda dos colegas do forum. Quero fazer uma ligação para o terra aqui no meu ap. (que não existe) como devo proceder? Acho que o sistema mais indicado é o TN-S, é isso? Essa ligação seria, exclusiva, para os equipamentos do home (sala não dedicada) Atualmente esta ligada com uma fiação direta do quadro interno para a tomada do home, com fio SIL 2,5 flex, a distancia a percorrer (do quadro até a tomada) é uns 15 a 20m e a distancia do quadro do prédio não sei, mas estou no terceiro andar (terreo + 3 andares) penso em puxar um fio terra do quadro externo até o quadro interno, e daí leva-lo até a tomada do home, se não for dificil agregar, eu colocaria mais um terra para outros equipamentos da cozinha (terra separado do home). Que fio (bitola e marca) e disjuntor me indicão.
Minha rede é 220v, tem como eu fazer uma tomada, exclusiva, para o home em 110 ou 120v? A maioria dos meus equipamentos são 120v.
Tem como modificar um transformador que faz 220v para 110v, para 220v / 120v?



Em tempo: alguem poderia me explicar o que é "indutancia" e outras "ancias"? Tenho lido aqui no forum, em topicos que o assunto é energia.

Obrigado.

_rau_
03-10-2010, 19:12
Preciso da ajuda dos colegas do forum. Quero fazer uma ligação para o terra aqui no meu ap. (que não existe) como devo proceder? Acho que o sistema mais indicado é o TN-S, é isso? Essa ligação seria, exclusiva, para os equipamentos do home (sala não dedicada)


Na prática seria um TN-C-S, um TN-S só se o fio terra viesse direto da origem ou seja, do transformador ou que o neutro fosse aterrado logo no "pé" do medidor de energia. Há duas maneiras de se derivar um terra aí, do neutro do quadro do medidor ou do quadro de disjuntores, separando terra ao longo de toda a instalação final. Em todo caso deve ser fazer o possível pra que o neutro nunca venha a se romper sob risco de aparecer tensão em todas as carcaças metalicas dos equipamentos aterrados. Outra cuidado é ter um condutor neutro sobredimensionado para evitar sobrecargas nesse condutor.

Atualmente esta ligada com uma fiação direta do quadro interno para a tomada do home, com fio SIL 2,5 flex, a distancia a percorrer (do quadro até a tomada) é uns 15 a 20m e a distancia do quadro do prédio não sei, mas estou no terceiro andar (terreo + 3 andares) penso em puxar um fio terra do quadro externo até o quadro interno, e daí leva-lo até a tomada do home, se não for dificil agregar, eu colocaria mais um terra para outros equipamentos da cozinha (terra separado do home). Que fio (bitola e marca) e disjuntor me indicão.

Condutor de proteção (terra) principal deve ter a mesma bitola do condutor fase até a medida de 16mm2. Por ex: Fase 10mm2, Neutro 10mm2, Terra 10mm2. De preferência a cabo ao invés de fio. Marcas: PRYSMIAN, CORFIO, SIL...

Minha rede é 220v, tem como eu fazer uma tomada, exclusiva, para o home em 110 ou 120v? A maioria dos meus equipamentos são 120v.
Tem como modificar um transformador que faz 220v para 110v, para 220v / 120v?

Se aí for 220V Fase/Neutro, não tem como, mas se for 220V Fase/Fase, basta usar um Fase + Neutro.

Se for um auto-transformador, se vc ligar 220V na sua entrada, vai sair 110V, se ligar 110V na entrada 110V, vai sair 220V do outro lado.

Em tempo: alguem poderia me explicar o que é "indutancia" e outras "ancias"? Tenho lido aqui no forum, em topicos que o assunto é energia.

Obrigado.

Bem basicamente:

- Indutância: É capacidade de em algum meio elétrico se induzir energia em outro condutor próximo ou num mesmo condutor. Um transformador por exemplo tem uma certa indutância. Um campo eletro-magnético é capaz de induzir, transformar a energia, aumenta-la, reduzi-la...

Dependendo de algumas caracteristicas da energia passante num condutor solitário, ele mesmo tem o poder de se auto-induzir energia, elevando por exemplo a tensão no próprio condutor. Uma descarga atmosférica, que possui componentes elétricos de alta-frequência, quando passando em um condutor (fio), o próprio condutor é capaz de elevar muito a tensão por um curto período de tempo. Um condutor que tenha alta corrente trafegando no mesmo tb é capaz de induzir uma certa quantidade de energia num outro condutor adjacente. Cada tipo de condutor tem uma auto-indutância específica e ainda dependente de fatores externos.

- Capacitância: É a capacidade de armazenamento de energia de algum componente elétrico, geralmente um capacitor, essa energia armazenada em interação com um meio elétrico é capaz de condicionar/modificar a energia de diversas maneiras. A capacidade de energia e o que se pode fazer com ela vai depender de várias questões eletro-eletrônicas complexas. Diversos materiais utilizados em componentes eletrônicos possuem as mais diversas caracteristicas capacitativas que podem influenciar positivamente ou negativamente no circuito, cabendo aí o engenheiro saber o que fazer para utilizar positivamente essa caracteristica.

- Impedância: É o impedimento criado ao fluxo de corrente num meio condutor. A impedância tem como principal causa a resistência natural de um condutor elétrico. Quanto maior a resistência elétrica, pior a condução elétrica, maior aquecimento, maiores as perdas, menor a vida útil... Uma característica elétrica que aumenta a impedância é a frequência, quanto maior a frequência de uma onda elétrica, maior a impedância ou dificuldade de percorrer um condutor.

Há casos em que uma resistência elevada num condutor é desejável como por exemplo num chuveiro elétrico. O impedimento ao fluxo de corrente no fio condutor interno do chuveiro ou "resistência", faz aquece-la que por si aquece a água do nosso banho.

Rick82
04-10-2010, 12:52
Amigo _rau_, primeiramente lhe dou os parabéns pela excelente iniciativa de compartilhar o seu conhecimento conosco. :aplauso:

Em seguida eu gostaria de lhe perguntar se o exemplo a seguir está correto:

http://img337.imageshack.us/img337/11/exemplopadrotns.jpg


Grande Abraço,
Ats. Ricardo

Roberto Paiva
04-10-2010, 13:32
_rau_
Muito obrigado pela aula.
Verifiquei no quadro do prédio, o meu neutro é aterrado sim. Entendo então que devo trazer o terra direto do parafuso de aterramento do neutro, é isso? Chegando no quadro de disjuntor, como ele segue até as tomadas?
Claro que vou chamar um profissional da area para fazer o serviço, só que quero saber o que ele esta fazendo, pq carteirinha de eletrecista não da credencial pra ele fazer o que quiser aqui no meu ap eheh...gosto de saber tudo o que estão fazendo, pq depois o prejuízo é nosso.
Obrigado pelas "ancias" explicadas ehehe!!!

Obrigado!

dsidney
04-10-2010, 14:42
Sem problemas, eu q desculpo a demora na resposta!

O outro é meu quadro, SIEMENS. Esse quadro já passou por algumas mudanças internas, não tá mais assim. Recebeu um DPS a mais, pro neutro, mudei um pouco a ligação dos DPS's, botei barramento nos DPS's, etc. Essa é uma foto um pouco mais recente:

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/DSC02740.jpg

Foto dele com tampa, ainda tava sem DPS's, tava com menos circuitos...

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/frentedoquadro.jpg

Rau,

Mais uma vez muito obrigado pela sua ajuda. De forma alguma voce tem que se desculpar pela demora em responder. Voce já faz um impagável favor de ajudar aqui.

Em função de suas respostas, vou fazer mais perguntas específicas para ver se consigo chegar a algumas conclusões.

Sobre o quadro de distribuição:

Meu quadro atual(original de 30 anos) é para doze disjuntores padrão antigo, NEMA. Medidas internas da caixa de metal do quadro são: 24,5 x 32,0 x 8,5 cm.

Como os disjuntores IEC são mais finos, talvez dê para colocar 8 disjuntores, mais treis DPSs e 1 IDR tetrapolar, tudo padrão Siemens. Será que cabe?

Por exemplo, num quadro que antes pegava 12 disjuntores "NEMA", cabem 16 disjuntores "DIN". Geralmente é essa a proporção.

Acredito então que poderei conseguir utilizar o mesmo quadro, pois com 16 espaços IEC poderei ligar 9 circuitos (atualmente tenho 8) + 1 Disjuntor DR Tetrapolar + 3 DPS.

Se embaixo há um disjuntor, não precisa de outro em cima a não ser pela conveniência de ter uma chave geral dentro do apartamento para desligar tudo de uma vez só. Mas vale lembrar que o DR não faz papel de proteção contra sobrecorrente nem curto-circuito, isso ficaria a cargo do disjuntor lá de baixo.

Não tenho disjuntor geral junto ao medidor, lá tem 3 fusíveis de 60 amperes. Então minha idéia é que para aproveitar meu quadro, eu instalaria um Disjuntor DR Tetrapolar, para fazer as duas funções, se conseguir encontrar para comprar aqui no Rio.

Mas se o seu quadro tiver metal, acho que não precisa de placa, apenas que aparafuse os trilhos DIN com uma espécie de calço no fundo para deixar o trilho mais alto. O calço você pode bolar várias formas, como uma porca pela parte traseira do trilho, fazendo contato com o fundo do quadro.

A questão do calço ai é só para aproximar os disnjutores IEC da tampa, correto?


Qual quadro voce recomenda, visando uma instalação bem limpa e sem disjuntores torcidos para os lados? SIEMENS, TIGRE, PIAL LEGRAND, CEMAR... Todos de plástico por geralmente possuirem um design que integra com o ambiente, não enferrujarem, terem risco nulo de choque na carcaça...

Com relação a substituição do quadro, realmente seria o ideal, mas estou pensando em várias dificuldades que surgirão, e a principal é encontrar alguém que faça um serviço decente e confiável, e a outra pior ainda seria ficar sem energia no apartamento por pelo menos uns dois dias eu imagino.
Outra dificuldade seria fazer o quadro novo casar com as posições atuais de conduites, para evitar mais quebração de parede.

Voce poderia me passar as dimensões deste seu quadro? Talvez se as dimensões forem próximas eu me animo a fazer quebração (mas o problema de acabamento com os azulejos antigos que não pretendo mudar esta desanimando partir para esta opção).

dsidney
04-10-2010, 14:55
Rau,

Para que voce possa me ajudar melhor, deixa eu passar mais alguns detalhes da minha instalação:

O quadro com o medidor esta no Playground, 3 andares acima do térreo. Lá no quadro tem treis fusíveis de 60 amperes que estão lá há 30 anos ?!?!?!, um para cada Fase, subindo 8 andares até meu apartamento (~ 24 metros), com cabos 8 AWG + 1 cabo 8 AWG do Neutro.

Os cabos sobem num conduite de 1 polegada de metal (acredito que é 1 polegada, não sei as medidas que utilizavam nesta época).
Os cabos não estão muito apertados neste conduite e parecem que estão em boas condições.
Reparei que ninguém substitui cabos nem fusíveis ainda no prédio, são 88 apartamentos.

Pergunta: Fusíveis com 30 anos de uso não devem nem abrir mais quando necessário, correto?

Estou pensando novamente em fazer um TN-S, levando o terra até o quadro de medição, acho que conseguiria passar um cabo de 6 mm (talvez até um de 10 mm).
Mas neste caso o quadro de medição esta treis andares acima do ponto provável de aterramento do prédio. Mas os dois barramentos de Neutro nesta sala dos medidores deve (não tem como eu ver) estar ligado diretamente ao aterramento do prédio, correto?

Neste caso ficaria com um TN-C-S "Global", correto?
Voce vê algum problema se eu conseguir passar somente cabo 6 mm para este terra?


Por comentários anteriores seus, já que minhas Fases e Neutro são cabos 8 AWG (8,36 mm2), acredito que poderia utilizar cabo 6 mm para este terra, correto? Sei que o ideal seria um de 10 mm, mas não sei se vai passar e talvez passe mas fique muito apertado.

Um problema que estou vendo é que apesar dos cabos de Fase e Neutro serem 8 AWG, não sei qual a classe de temperatura da capa dos mesmos, suponho que deve ser para 75°C o que os capacitaria para somente 50 amperes (e caso os cabos sejam para 90°C , o máximo seria 55 amperes) e os Fusíveis estão para 60 amperes cada.

Acho que vou instalar lá no quadro de medição um disjunto geral trifásico de 40 amperes por fase. O que voce acha? A idéia é limitar a capacidade devido a idade dos fios.

No meu quadro de disjuntores, tenho 8 circuitos, 3 com disjuntores de 15 amperes e 5 com disjuntores de 30 amperes. Máquina de lavar, aparelhos de ar-condiconado de 7500 e 12000 BTUs estão conectados em disjuntores de 30 A. O circuito dá máquina esta com fio 10 AWG, o dos ACs com fio 12 AWG e os demais circuitos de iluminação e tomadas com fios 14 AWG.

Na reforma do quadro pretendo colocar disjuntores de 16 A ou no máximo de 20 A para os AC e de 20 A para a máquina de lavar. Esta seria a opção mais correta? Minha intenção aqui é limitar capacidades porque não pretendo substituir fios por enquanto.

_rau_
09-10-2010, 15:39
Em seguida eu gostaria de lhe perguntar se o exemplo a seguir está correto:



Está correto, só que eu adicionaria um DPS entre neutro/terra no quadro de distribuição caso este esteja localizado há 10 metros ou mais da entrada, além também de adicionar um dispositivo DR.

Abraço!


_rau_


Verifiquei no quadro do prédio, o meu neutro é aterrado sim. Entendo então que devo trazer o terra direto do parafuso de aterramento do neutro, é isso? Chegando no quadro de disjuntor, como ele segue até as tomadas?

Obrigado!

Sim, o fio terra deve vir separado do neutro a partir do ponto inicial, da entrada. O terra chega separado no quadro e é dividido dai em diante para as tomadas, idealmente sai do quadro 1 condutor terra para cada disjuntor (circuito), mas tecnicamente é viável e permitido por norma compartilhar o fio terra de um circuito distindo, desde que toda fiação dos circuitos finais sigam os mesmos conduites (eletrodutos) - apenas por motivos de organização da instalação.

De nada!


Rau,

Em função de suas respostas, vou fazer mais perguntas específicas para ver se consigo chegar a algumas conclusões.

Sobre o quadro de distribuição:

Acredito então que poderei conseguir utilizar o mesmo quadro, pois com 16 espaços IEC poderei ligar 9 circuitos (atualmente tenho 8) + 1 Disjuntor DR Tetrapolar + 3 DPS.

Pra ter certeza mesmo só testando com o material no local.

Não tenho disjuntor geral junto ao medidor, lá tem 3 fusíveis de 60 amperes. Então minha idéia é que para aproveitar meu quadro, eu instalaria um Disjuntor DR Tetrapolar, para fazer as duas funções, se conseguir encontrar para comprar aqui no Rio.


O DR no geral só atuará no caso de fuga de corrente, como geral ele só servirá para isso e para desligar a instalação interna como um todo, quando necessário, mas não protege contra sobrecorrente, nem curto-circuito. Os fusíveis de 60A continuarão fazendo a vez dessas proteções.

A questão do calço ai é só para aproximar os disnjutores IEC da tampa, correto?
[/COLOR] [/COLOR]

Correto, isso mesmo!

Qual quadro voce recomenda, visando uma instalação bem limpa e sem disjuntores torcidos para os lados?

Respondendo denovo os quadros de plástico que tenha os trilhos de metal como os Siemens não torcem os disjuntores pros lados.

Com relação a substituição do quadro, realmente seria o ideal, mas estou pensando em várias dificuldades que surgirão, e a principal é encontrar alguém que faça um serviço decente e confiável, e a outra pior ainda seria ficar sem energia no apartamento por pelo menos uns dois dias eu imagino.
Outra dificuldade seria fazer o quadro novo casar com as posições atuais de conduites, para evitar mais quebração de parede.

Essa ultima questão, só na hora mesmo pra ver ou pegar o catálogo do fabricante já que quase sempre eles mostram onde fica a furação pros conduites, através de diagramas. Se chumbar o qudro com gesso, poucos minutos depois você já pode montar o quadro, não vela dois dias não, numa manhã só ou tarde daria pra fazer. Marca os fios, pra saber quem é quem, desliga tudo, faz a quebradeira e chumba o novo com gesso, depois só vir ligando tudo.

Voce poderia me passar as dimensões deste seu quadro? Talvez se as dimensões forem próximas eu me animo a fazer quebração (mas o problema de acabamento com os azulejos antigos que não pretendo mudar esta desanimando partir para esta opção).

Vou ficar devendo a profundida, mas não deve passar de 12cm, a altura é 43cm e a largura, 34cm.


Rau,

Para que voce possa me ajudar melhor, deixa eu passar mais alguns detalhes da minha instalação:

O quadro com o medidor esta no Playground, 3 andares acima do térreo. Lá no quadro tem treis fusíveis de 60 amperes que estão lá há 30 anos ?!?!?!, um para cada Fase, subindo 8 andares até meu apartamento (~ 24 metros), com cabos 8 AWG + 1 cabo 8 AWG do Neutro.

Esses fusiveis de 60A estão mesmo nos cabos 8AWG?

Os cabos sobem num conduite de 1 polegada de metal (acredito que é 1 polegada, não sei as medidas que utilizavam nesta época).
Os cabos não estão muito apertados neste conduite e parecem que estão em boas condições.
Reparei que ninguém substitui cabos nem fusíveis ainda no prédio, são 88 apartamentos.


Pergunta: Fusíveis com 30 anos de uso não devem nem abrir mais quando necessário, correto?


Os cabos são 8AWG mesmo? Esse cabo equivaleria a um 8.3mm2 se existisse, suportando aí em média 45A! 60A pra proteger esse fio aí está um tanto quanto elevado, em situação limite 50A.
Eu não confiaria muito, eu trocaria por disjuntor tripolar (trifásico), e de 50A no máximo se a fiação for 8AWG.

Estou pensando novamente em fazer um TN-S, levando o terra até o quadro de medição, acho que conseguiria passar um cabo de 6 mm (talvez até um de 10 mm).
Mas neste caso o quadro de medição esta treis andares acima do ponto provável de aterramento do prédio. Mas os dois barramentos de Neutro nesta sala dos medidores deve (não tem como eu ver) estar ligado diretamente ao aterramento do prédio, correto?


Provavelmente estão ligados sim, lá onde está o transformador do prédio é certeza que está! Geralmente tem um transformador no subterrâneo. O fio por ser 6mm2 sim 8AWG, ainda mais se for utilizar DR pra todos circuitos, mas se for possivel colocar um 10mm2, coloque 10mm2.

Neste caso ficaria com um TN-C-S "Global", correto?

Sim, um TN-C-S.

Voce vê algum problema se eu conseguir passar somente cabo 6 mm para este terra?



Não tem muito problema.

Por comentários anteriores seus, já que minhas Fases e Neutro são cabos 8 AWG (8,36 mm2), acredito que poderia utilizar cabo 6 mm para este terra, correto? Sei que o ideal seria um de 10 mm, mas não sei se vai passar e talvez passe mas fique muito apertado.

Se você utilizar um dispositivo DR para proteger tudo, não tem problema usar 6mm2 e mesmo que não use, porque provavelmente seus circuitos finais nenhum terá disjuntor superior a 35A, ou terá? Provavelmente utilizar disjuntores de 10 à 30A, fiação de 1,5 à 4mm2, então qualquer corrente de curto-circuito que descer por esse terra de 6mm2, será seccionada de forma eficaz pelo disjuntor do circuito com problema, dada as distâncias que não são muito longas, ainda mais se usar disjuntores do tipo Curva B - rápida atuação, protegendo assim o usuário contra choques de forma eficiente.

Um problema que estou vendo é que apesar dos cabos de Fase e Neutro serem 8 AWG, não sei qual a classe de temperatura da capa dos mesmos, suponho que deve ser para 75°C o que os capacitaria para somente 50 amperes (e caso os cabos sejam para 90°C , o máximo seria 55 amperes) e os Fusíveis estão para 60 amperes cada.


Você tirou as letras dos meus dedos! :) Como eu disse aí pra trás, 50A é o limite para a fiação 8AWG. Eu não me ligaria muito à suportabilidade do isolamento da fiação, mesmo que elas suportem 75 graus ou 90 graus que seja, quem quer fio chegando em 75 graus? É muita energia sendo disperdiçada! Fio que esquenta é dinheiro indo pelo ralo! A vantagem de a isolação suportar 75 ou 90 graus é só que não vai pegar fogo, mas vai pegar fogo no seu bolso! :)

Acho que vou instalar lá no quadro de medição um disjunto geral trifásico de 40 amperes por fase. O que voce acha? A idéia é limitar a capacidade devido a idade dos fios.

Excelente! 40A tá de ótimo tamanho!

No meu quadro de disjuntores, tenho 8 circuitos, 3 com disjuntores de 15 amperes e 5 com disjuntores de 30 amperes. Máquina de lavar, aparelhos de ar-condiconado de 7500 e 12000 BTUs estão conectados em disjuntores de 30 A. O circuito dá máquina esta com fio 10 AWG, o dos ACs com fio 12 AWG e os demais circuitos de iluminação e tomadas com fios 14 AWG.

Na reforma do quadro pretendo colocar disjuntores de 16 A ou no máximo de 20 A para os AC e de 20 A para a máquina de lavar. Esta seria a opção mais correta? Minha intenção aqui é limitar capacidades porque não pretendo substituir fios por enquanto.


Sim, tá bem dimensionado! Recomendo que pro ar-condicionado de 12.000BTU utiliza disjuntor 20A Curva C se encontrar ou 25A Curva B - devido ao pico de corrente na partida do compressor do ar, um Curva B 20A talvez não suportaria o pico de partida, mas o de 25A curva B com grande chances suportaria. Se o circuito for dedicado para o ar-condicionador, não tem problema em usar disjuntor de 30A, pq ele não consumirá nunca issso daí, não chega nem em 10A creio eu, a função do disjuntor nesse caso não é proteger contra sobrecarga e sim contra curto-circuito! Você poderia ter um disjuntor de 60A nesse circuito, desde que só pro ar-condicionado, a função de proteger contra curto-circuito não seria prejudicada nesse caso, mas sim contra sobrecarga.

dsidney
09-10-2010, 17:00
_rau_[/B];2697623]

Esses fusiveis de 60A estão mesmo nos cabos 8AWG?

Os quatro cabos (3 fases + Neutro), que sobem do medidor até meu quadro de distribuição, são realmente 8 AWG.

Não tenho disjuntor geral junto ao medidor, lá tem 3 fusíveis de 60 amperes. Então minha idéia é que para aproveitar meu quadro, eu instalaria um Disjuntor DR Tetrapolar, para fazer as duas funções, se conseguir encontrar para comprar aqui no Rio.


O DR no geral só atuará no caso de fuga de corrente, como geral ele só servirá para isso e para desligar a instalação interna como um todo, quando necessário, mas não protege contra sobrecorrente, nem curto-circuito. Os fusíveis de 60A continuarão fazendo a vez dessas proteções.

Estou pensando em instalar um Disjuntor DR Tetrapolar de 40A por fase, para fazer as vezes de disjuntor e DR num mesmo espaço. Voce falou aqui em algum post que existe para comprar mas é difícil de achar.


Essa ultima questão, só na hora mesmo pra ver ou pegar o catálogo do fabricante já que quase sempre eles mostram onde fica a furação pros conduites, através de diagramas.

Vou tentar ver os catalogos da Siemens online.

Se chumbar o quadro com gesso, poucos minutos depois você já pode montar o quadro, não leva dois dias não, numa manhã só ou tarde daria pra fazer. Marca os fios, pra saber quem é quem, desliga tudo, faz a quebradeira e chumba o novo com gesso, depois é só vir ligando tudo.

O problema é acahar alguém que faça isso com rapidez e corretamente, não conheço ningém aqui no Rio que trabalhe com isso e pelas informações que tenho recebido de conhecidos e de experiências com outros serviços, mão de obra de qualidade aqui é muito difícil de encontrar.

Voce poderia me passar as dimensões deste seu quadro? Talvez se as dimensões forem próximas eu me animo a fazer quebração (mas o problema de acabamento com os azulejos antigos que não pretendo mudar esta desanimando partir para esta opção).

Vou ficar devendo a profundida, mas não deve passar de 12cm, a altura é 43cm e a largura, 34cm.

Suponho que a tampa seja maior que o quadro, correto? Neste caso as bordas da tampa poderiam esconder possíveis falhas de acabamento?

Estive em uma loja que tinha quadros da Siemens, mas não achei este modelo que voce tem.

Na reforma do quadro pretendo colocar disjuntores de 16 A ou no máximo de 20 A para os AC e de 20 A para a máquina de lavar. Esta seria a opção mais correta? Minha intenção aqui é limitar capacidades porque não pretendo substituir fios por enquanto.

Sim, tá bem dimensionado! Recomendo que pro ar-condicionado de 12.000BTU utiliza disjuntor 20A Curva C se encontrar ou 25A Curva B - devido ao pico de corrente na partida do compressor do ar, um Curva B 20A talvez não suportaria o pico de partida, mas o de 25A curva B com grande chances suportaria. Se o circuito for dedicado para o ar-condicionador, não tem problema em usar disjuntor de 30A, pq ele não consumirá nunca issso daí, não chega nem em 10A creio eu, a função do disjuntor nesse caso não é proteger contra sobrecarga e sim contra curto-circuito! Você poderia ter um disjuntor de 60A nesse circuito, desde que só pro ar-condicionado, a função de proteger contra curto-circuito não seria prejudicada nesse caso, mas sim contra sobrecarga.

Agora no momento estou com um problema que pode tornar todo este meu projeto inviável.

Tentei passar passa-fio de PVC até a tomada que desejo deixar exclusiva para os meus aparelhos de Audio e Video na sala, e não foi possível.

Aparentemente este conduite de 1 polegada vai do quadro até esta tomada direto na sala (com treis circuitos independentes e seus seis fios), o primeiro circuito encerra alí nesta tomada e de lá seguem mais dois circuitos para os ACs do dois quartos.

Comprei então um passa-fio de aço de 15 m, e com muita dificuldade consegui enfiar 10 m deste passa-fio (a distância que estimei seria no máximo de 8 a 9 m seguindo abaixo do piso, ao que parece, até esta tomada), mas o mesmo não chegou lá na tomada e parece que esta indo para outro lugar e na verdade nem esta indo mais.

Parece que não vou mesmo conseguir passar o passa-fio até lá.

Como alternativa estou pensando em amarrar treis fios novos (fase e neutro rigido 2,5 mm e cabo para o terra com 2,5 mm) nos dois fios 12 AWG que chegam nesta tomada e sair puxando pelo lado do quadro. Desta forma talvez posso garantir de chegar do outro lado com fios novos para este circuito e com o terra para os treis circuitos que seguem neste conduite. Neste caso estaria substituindo os fios 12 AWG só para conseguir passar o cabo terra
Voce acha que isto poderia dar certo?

Comecei por este circuito porque é o mais importante para mim, pois é onde estão meus eletronicos mais caros.

Se não conseguir passar terra para este circuito (e para o circuito do PC no quarto), vou desistir deste projeto de aterramento por completo, pois nunca tive problema de queima de eletrodomésticos e ou eletronicos aqui em 15 anos. E neste caso só vou substituir os disjuntores do quadro com tudo classe B com as suas recomendaçoes de amperagem, substituir os fusíveis lá no medidor por um disjuntor tetrapolar de 40A classe C e instalar o DR também para 40A.

Os DPSs que tenho instalados no quadro são da Clamper para 275 V e 40 KA. Voce acha que esta bom ou devo mudá-los? (Tavez tenha que mudá-los pelos SLIM, caso seja possível aproveitar o quadro).

Rau,

Mais uma vez muito obrigado pela sua inestimável ajuda.

dsidney
09-10-2010, 19:12
_rau_[/B];2697623]

Sim, tá bem dimensionado! Recomendo que pro ar-condicionado de 12.000BTU utiliza disjuntor 20A Curva C se encontrar ou 25A Curva B - devido ao pico de corrente na partida do compressor do ar, um Curva B 20A talvez não suportaria o pico de partida, mas o de 25A curva B com grande chances suportaria. Se o circuito for dedicado para o ar-condicionador, não tem problema em usar disjuntor de 30A, pq ele não consumirá nunca issso daí, não chega nem em 10A creio eu, a função do disjuntor nesse caso não é proteger contra sobrecarga e sim contra curto-circuito! Você poderia ter um disjuntor de 60A nesse circuito, desde que só pro ar-condicionado, a função de proteger contra curto-circuito não seria prejudicada nesse caso, mas sim contra sobrecarga.

Rau,

Meus circuitos estão assim:

1 - Fase 1: Circuito 1: disj. 30 A - fio 10 AWG para a máquina de lavar (esta era a situação original para este disjuntor) + (depois acrescentei) 1 fase com fio 12 AWG para alimentar AC 7500 BTU, ligado em 220 V com duas fases, na suite.
Circuito 2: disj. 15 A - fio 12 AWG para alimentar Luzes e Tomadas da Cozinha (todos eletrodomésticos que no meu caso é geladeira, fogão a gás, cafeteira e ferro de passar), Área de serviço e DE (total de 5 lampadas e treis tomadas de uso geral).

2 - Fase 2: Circuito 1: disj. 30 A - fio 12 AWG para a tomada da sala onde ficam os equipamentos de AV e originalmente no mesmo circuito alimentando um AC de 12000 BTUs. Já desconectei o AC deste circuito e vou ter que criar um circuito específico para este.
Circuito 2: disj. 30 A - fio 12 AWG para o AC de 7500 BTU do segundo quarto.
Circuito 3: disj. 15 A - fio 10 AWG que para luzes e tomadas da sala + corredor (total de 3 lampadas e 3 tomadas de uso geral).

3 - Fase 3: Circuito único que alimenta dois circuitos. É 1 disj. de 30 A que alimenta 1 de 15 A + 1 de 30A. (Este é estranho a forma que foi ligado, porque no meu entender não precisava ser assim, pois tem 1 disj. 30A alimentando teóricos 45 A). Os circuitos ligados neste disj. de 30 A, são:
Circuito 1: disj. 30 A - fio 12 AWG que alimenta uma das fases do AC de 7500 BTU, ligado em 220 V com duas fases, na suite.
Circuito 2: disj. 15 A - fio 12 AWG que alimenta Luzes e Tomadas nos dois quartos e nos dois banheiros (total de 6 lampadas e 4 tomadas de uso geral, 1 só em cada comodo deste)

Então, como disse antes, na reforma do quadro pretendo colocar os seguintes disjuntores:

1 - Instalar disjuntores de 16A classe B no lugar dos disjuntores de 15A,
2 - Instalar disjuntores de 20A classe B para os AC de 7500 BTU, inclusive os dois que alimentam as duas fases do AC 220 V, 7500 BTU, da suite
3 - Vou criar um circuito exclusivo para o AC de 12000 BTU da sala e seguindo seu conselho então, instalarei 1 disj. de 25 A classe B, ou dois de 20A classe B caso venha a instalar um AC de 220V, com duas fases, correto? (pois estou pensando em comprar um novo do tipo split, pois o atual da Carrier esta trabalhando há 30 anos e acho que esta na hora de colocar um novo).

Esta seria a opção mais correta?

_rau_
09-10-2010, 21:01
Agora no momento estou com um problema que pode tornar todo este meu projeto inviável.

Tentei passar passa-fio de PVC até a tomada que desejo deixar exclusiva para os meus aparelhos de Audio e Video na sala, e não foi possível.

Aparentemente este conduite de 1 polegada vai do quadro até esta tomada direto na sala (com treis circuitos independentes e seus seis fios), o primeiro circuito encerra alí nesta tomada e de lá seguem mais dois circuitos para os ACs do dois quartos.

Comprei então um passa-fio de aço de 15 m, e com muita dificuldade consegui enfiar 10 m deste passa-fio (a distância que estimei seria no máximo de 8 a 9 m seguindo abaixo do piso, ao que parece, até esta tomada), mas o mesmo não chegou lá na tomada e parece que esta indo para outro lugar e na verdade nem esta indo mais.

Parece que não vou mesmo conseguir passar o passa-fio até lá.

Como alternativa estou pensando em amarrar treis fios novos (fase e neutro rigido 2,5 mm e cabo para o terra com 2,5 mm) nos dois fios 12 AWG que chegam nesta tomada e sair puxando pelo lado do quadro. Desta forma talvez posso garantir de chegar do outro lado com fios novos para este circuito e com o terra para os treis circuitos que seguem neste conduite. Neste caso estaria substituindo os fios 12 AWG só para conseguir passar o cabo terra
Voce acha que isto poderia dar certo?

Comecei por este circuito porque é o mais importante para mim, pois é onde estão meus eletronicos mais caros.

Se não conseguir passar terra para este circuito (e para o circuito do PC no quarto), vou desistir deste projeto de aterramento por completo, pois nunca tive problema de queima de eletrodomésticos e ou eletronicos aqui em 15 anos. E neste caso só vou substituir os disjuntores do quadro com tudo classe B com as suas recomendaçoes de amperagem, substituir os fusíveis lá no medidor por um disjuntor tetrapolar de 40A classe C e instalar o DR também para 40A.

Os DPSs que tenho instalados no quadro são da Clamper para 275 V e 40 KA. Voce acha que esta bom ou devo mudá-los? (Tavez tenha que mudá-los pelos SLIM, caso seja possível aproveitar o quadro).

Rau,

Mais uma vez muito obrigado pela sua inestimável ajuda.


Já tentou passar algum lubrificante na entrada do conduite e na ponta do passa fio pra ver se consegue deslizar melhor? A outra idéia é realmente amarrar os fios nos fios antigos e puxar fios novos, mas o problema é soltar no meio do caminho e vc não conseguir passar novamente os fios...

A questão do aterramento não tem muito haver com a proteção contra queima dos equipamentos, tem mais haver com a proteção contra choques, apesar de alguns protetores utilizar o fio terra para escoamento de correntes de picos de tensão, principalmente os protetores de sinal (telefone, TV...).

Sobre os DPS's, os de 40kA para utilizar dentro do quadro de disjuntores tão de bom tamanho, mas se você tiver numa localização com alta incidência de raios e o prédio possuir para-raios ou algum prédio ao lado possuir, considere a adoção de DPS's de 60kA.





Rau,

Meus circuitos estão assim:

1 - Fase 1: Circuito 1: disj. 30 A - fio 10 AWG para a máquina de lavar (esta era a situação original para este disjuntor) + (depois acrescentei) 1 fase com fio 12 AWG para alimentar AC 7500 BTU, ligado em 220 V com duas fases, na suite.
Circuito 2: disj. 15 A - fio 12 AWG para alimentar Luzes e Tomadas da Cozinha (todos eletrodomésticos que no meu caso é geladeira, fogão a gás, cafeteira e ferro de passar), Área de serviço e DE (total de 5 lampadas e treis tomadas de uso geral).

2 - Fase 2: Circuito 1: disj. 30 A - fio 12 AWG para a tomada da sala onde ficam os equipamentos de AV e originalmente no mesmo circuito alimentando um AC de 12000 BTUs. Já desconectei o AC deste circuito e vou ter que criar um circuito específico para este.
Circuito 2: disj. 30 A - fio 12 AWG para o AC de 7500 BTU do segundo quarto.
Circuito 3: disj. 15 A - fio 10 AWG que para luzes e tomadas da sala + corredor (total de 3 lampadas e 3 tomadas de uso geral).

3 - Fase 3: Circuito único que alimenta dois circuitos. É 1 disj. de 30 A que alimenta 1 de 15 A + 1 de 30A. (Este é estranho a forma que foi ligado, porque no meu entender não precisava ser assim, pois tem 1 disj. 30A alimentando teóricos 45 A). Os circuitos ligados neste disj. de 30 A, são:
Circuito 1: disj. 30 A - fio 12 AWG que alimenta uma das fases do AC de 7500 BTU, ligado em 220 V com duas fases, na suite.
Circuito 2: disj. 15 A - fio 12 AWG que alimenta Luzes e Tomadas nos dois quartos e nos dois banheiros (total de 6 lampadas e 4 tomadas de uso geral, 1 só em cada comodo deste)

Então, como disse antes, na reforma do quadro pretendo colocar os seguintes disjuntores:

1 - Instalar disjuntores de 16A classe B no lugar dos disjuntores de 15A,
2 - Instalar disjuntores de 20A classe B para os AC de 7500 BTU, inclusive os dois que alimentam as duas fases do AC 220 V, 7500 BTU, da suite
3 - Vou criar um circuito exclusivo para o AC de 12000 BTU da sala e seguindo seu conselho então, instalarei 1 disj. de 25 A classe B, ou dois de 20A classe B caso venha a instalar um AC de 220V, com duas fases, correto? (pois estou pensando em comprar um novo do tipo split, pois o atual da Carrier esta trabalhando há 30 anos e acho que esta na hora de colocar um novo).

Esta seria a opção mais correta?




Esses disjuntores que atendem os circuitos 220V (com duas fases) são disjuntores bifásicos, correto?

1 - Correto.

2 - Em circuitos Fase-Fase vc deve comprar um disjuntor bifásico (bipolar) e não utilizar dois disjuntores.

3 - Mesma coisa, disjuntor bipolar e não dois disjuntores caso utilize 220V.

Disjuntor bipolar:

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/45055g.jpg

Disjuntor tripolar:

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/4570_S_disjuntortripolarsiemens.jpg

dsidney
10-10-2010, 01:43
[QUOTE=_rau_;2698052]
Já tentou passar algum lubrificante na entrada do conduite e na ponta do passa fio pra ver se consegue deslizar melhor? A outra idéia é realmente amarrar os fios nos fios antigos e puxar fios novos, mas o problema é soltar no meio do caminho e vc não conseguir passar novamente os fios...

Ainda não tentei, mas pretendo. Pode sugerir algum produto específico?

Estou preocupado deste passa-fio de aço acabar cortando a capa de um ou mais fios e acabar gerando fuga nos conduites de ferro e/ou até curto-circuito dentro do conduite. Voce acha que é possível?

A questão do aterramento não tem muito haver com a proteção contra queima dos equipamentos, tem mais haver com a proteção contra choques, apesar de alguns protetores utilizar o fio terra para escoamento de correntes de picos de tensão, principalmente os protetores de sinal (telefone, TV...).

Favor ver resposta abaixo.

Sobre os DPS's, os de 40kA para utilizar dentro do quadro de disjuntores tão de bom tamanho, mas se você tiver numa localização com alta incidência de raios e o prédio possuir para-raios ou algum prédio ao lado possuir, considere a adoção de DPS's de 60kA.

Aqui no meu prédio tem para-raios, assim como em todos os prédios vizinhos. A região onde fica meu prédio é de grande incidência de raios no período das chuvas.
Como provavelmente devo ter que comprar DPSs do tipo slim para caber no quadro (caso venha a aproveitar meu quadro mesmo), neste caso compro todos os treis de 60 KA, correto?


Esses disjuntores que atendem os circuitos 220V (com duas fases) são disjuntores bifásicos, correto?

O AC de 220 V que tenho de 7500 BTUs, as fases saem de dois disjuntores separados. Esta é uma coisa que vou ter que corrigir. Já tinha aprendido isto com voce aqui também.

Mas neste caso então, como tinha proposto acima, tanto para o AC de 7500 BTU de 220V, quanto para o provável novo AC de 12000 BTU de 220V, da sala, voce concorda que que sejam disjuntores bipolares de 20 A, classe B?
Porque a carga dos mesmos esta dividida entre as duas fases, correto?


1 - Correto.

2 - Em circuitos Fase-Fase vc deve comprar um disjuntor bifásico (bipolar) e não utilizar dois disjuntores. Vou corrigir isto.

3 - Mesma coisa, disjuntor bipolar e não dois disjuntores caso utilize 220V. Ok.

Disjuntor bipolar:

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/45055g.jpg
[QUOTE]

Rau,

Muito obrigado novamente.

A questão da função principal do aterramento ser para proteção das pessoas já tinha aprendido aqui com voce no seu tópico sobre aterramento que é muito bom. O que agradeço imensamente.

Ainda assim queria ter o aterramento e poder comprar um bom condiconador para utilizar com meus aparelhos de AV.

E no caso dos meus eletronicos (e para todo mundo é assim aqui no Brasil) são as coisas mais caras e frágeis que temos normalmente em casa (TV, BRplayer, DVD, HT, PC, etc), e em todo lugar aqui no forum dizem que tem que ter aterramento e condicionadores para estes produtos durarem mais.

Até recomendam para não utilizar estabilizadores para não reduzir vida útil dos mesmos. E adivinha o que, antes de começar a ler sobre isto aqui no forum, o que tinha comprado e usava era exatamente um Estabilizador da SMS (CONDICIONADOR DE ENERGIA SMS HOME THEATHER PROTECTOR µHT 5000S).

Comprei na FastShop como condicionador para Home Theather e depois de muito tempo (mais de ano) que fui perceber que nas costas do mesmo a SMS identifica-o como Estabilizador. E de fato ele dá aqueles estalos característicos de reles constantemente com as variações de tensões aqui.

Este é o aparelho: http://www.dvdnow.com.br/descricao.asp?codigo=HT5000S

Pode ser que a gente fique meio paranóico com isto frequentando este forum, mas creio que precaver é sempre a melhor opção. Por isso estava querendo tanto instalar aterramento no apartamento todo, mas as dificuldades estão só aumentando para isso.

Mas eu vou te contar uma pior ainda. Comprei, por hora (pois pretendo comprar um condicionador mesmo), para substituir este Estabilizador SMS, um filtro Panamax M8-AV-PRO, este modelo aqui http://www.panamax.com/Products/Floor-Models/M8-AV-PRO.aspx ,

e para minha surpresa, quando o liguei aqui em casa, a luz indicadora de aterramento bom (Ground OK) esta acesa direto, vai entender, pois não tenho aterramento nenhum e a tomada esta até solta da parede, pois estou tentando passar fio.

Para voce ver a minha decepção e falta de confiança nestes aparelhos, e tudo marcas famosas e "confiáveis".

---------- Mensagem adicionada às 01:43 ---------- Mensagem anterior foi enviada às 01:36 ----------

Algumas coisas a mais que voce não reparou nas respostas e perguntas,

Esses fusiveis de 60A estão mesmo nos cabos 8AWG?

Os quatro cabos (3 fases + Neutro), que sobem do medidor até meu quadro de distribuição, são realmente 8 AWG.

Não tenho disjuntor geral junto ao medidor, lá tem 3 fusíveis de 60 amperes. Então minha idéia é que para aproveitar meu quadro, eu instalaria um Disjuntor DR Tetrapolar, para fazer as duas funções, se conseguir encontrar para comprar aqui no Rio.


O DR no geral só atuará no caso de fuga de corrente, como geral ele só servirá para isso e para desligar a instalação interna como um todo, quando necessário, mas não protege contra sobrecorrente, nem curto-circuito. Os fusíveis de 60A continuarão fazendo a vez dessas proteções.

Estou pensando em instalar um Disjuntor DR Tetrapolar de 40A por fase, para fazer as vezes de disjuntor e DR num mesmo espaço. Voce falou aqui em algum post que existe para comprar mas é difícil de achar.


Essa ultima questão, só na hora mesmo pra ver ou pegar o catálogo do fabricante já que quase sempre eles mostram onde fica a furação pros conduites, através de diagramas.

Vou tentar ver os catalogos da Siemens online.

Se chumbar o quadro com gesso, poucos minutos depois você já pode montar o quadro, não leva dois dias não, numa manhã só ou tarde daria pra fazer. Marca os fios, pra saber quem é quem, desliga tudo, faz a quebradeira e chumba o novo com gesso, depois é só vir ligando tudo.

O problema é acahar alguém que faça isso com rapidez e corretamente, não conheço ningém aqui no Rio que trabalhe com isso e pelas informações que tenho recebido de conhecidos e de experiências com outros serviços, mão de obra de qualidade aqui é muito difícil de encontrar.

Vou ficar devendo a profundidade, mas não deve passar de 12cm, a altura é 43cm e a largura, 34cm.

Suponho que a tampa seja maior que o quadro, correto?
Neste caso as bordas da tampa poderiam esconder possíveis falhas de acabamento?

Estive em uma loja que tinha quadros da Siemens, mas não achei este modelo que voce tem. Pode me dizer qual é o modelo do seu quadro, para que possa procurar no site da Siemens?

Rick82
10-10-2010, 02:45
Está correto, só que eu adicionaria um DPS entre neutro/terra no quadro de distribuição caso este esteja localizado há 10 metros ou mais da entrada, além também de adicionar um dispositivo DR.

Abraço!



Certo, então ficou assim:

http://img87.imageshack.us/img87/6981/exemplopadrotns2.jpg

Veja que, alem do DPS entre Neutro/Terra do quadro de distribuição, eu adicionei um outro DPS, também entre Neutro/Terra, no quadro Geral.

Isto ajudaria/atrapalharia em algo?

E a posição do DR depois do DPS está correta?



Valeu pela ajuda cara.


Abraços,
Att. Ricardo

_rau_
10-10-2010, 15:43
[QUOTE=_rau_;2698052]

Pode sugerir algum produto específico?

Vejo o pessoal usando os mais diferentes tipos de produtos, uns condenam, outros falam que não tem problema nenhum, eu por exemplo recomendo vaselina sólida, mas outros condenam, só que condenam e não saber dizer o que usar. Eu não vejo problema em usar vaselina ou mesmo um óleo vegetal de cozinha, só que faz muita meleira.

Estou preocupado deste passa-fio de aço acabar cortando a capa de um ou mais fios e acabar gerando fuga nos conduites de ferro e/ou até curto-circuito dentro do conduite. Voce acha que é possível?

Pode acontecer, é mais preferível a de PVC com um lubrficante...



...neste caso compro todos os treis de 60 KA, correto?

Sim, então é melhor que seja os de 60kA. A vida útil desses inclusive é mais alta.

Esta é uma coisa que vou ter que corrigir. Já tinha aprendido isto com voce aqui também.

Porque a carga dos mesmos esta dividida entre as duas fases, correto?[/COLOR]

Disjuntores bifásicos ou trifásicos quase sempre são Curva C... Pode usar 20A então. A carga não é dividida entre as fases, a corrente medida nas duas fases é igual, o que ocorre é que em 220V a corrente necessária para operar o equipamento é mais baixa do que se o mesmo equipamento fosse 127V. Em 127V com certeza o pico de corrente de partida é mais alto que em 220V, mas é proporcional à corrente de consumo constante. Se por exemplo em 220V a corrente constante é de 10A e o pico de partida é de digamos 30A, em 127V em teoria seria o dobro desses valores em ambos momentos.

Disjuntores Curva B desarmam entre 3 e 5 x à corrente nominal do mesmo e os Curva C entre 5 e 10x. Ex:

Disjuntor 20A Curva B:

Ele pode desarmar com picos indo de 60 (3x 20A) até 100A (5x 20A)

Disjuntor 20A Curva C:

100 à 200A como no exemplo acima.

O que determina se ele vai desarmar com 3x ou 5x ou 5 à 10X a corrente nominal é o tempo de duração do pico de corrente.

Ainda assim queria ter o aterramento e poder comprar um bom condiconador para utilizar com meus aparelhos de AV.

Sim, aterramento é sempre algo desejável que se possua, na verdade obrigatório, mas nem sempre viável ou levado a sério por muitos.

E no caso dos meus eletronicos (e para todo mundo é assim aqui no Brasil) são as coisas mais caras e frágeis que temos normalmente em casa (TV, BRplayer, DVD, HT, PC, etc), e em todo lugar aqui no forum dizem que tem que ter aterramento e condicionadores para estes produtos durarem mais.

Há um misto de verdade e mito nessa afirmação de que aterramento aumenta a durabilidade. Verdade porque algumas proteções utiliza o fio terra e mito porque é sabido que muitos equipamentos não possuem o fio terra, mesmo alguns eletrônicos sensíveis e eles não vão ter a vida útil mais baixa por causa disso. Aí alegam que esses equipamentos foram adaptados para não ter o fio terra, mas isso não é verdade, o fio terra sempre foi e será um meio de proteção do usuário e secundariamente atua como refencial de tensão (0V) para o funcionamento dos filtros contra EMI/RFI e terceariamente atua como via de escoamento para surtos elétricos - quando usado protetores adequados para isso.

Até recomendam para não utilizar estabilizadores para não reduzir vida útil dos mesmos. E adivinha o que, antes de começar a ler sobre isto aqui no forum, o que tinha comprado e usava era exatamente um Estabilizador da SMS (CONDICIONADOR DE ENERGIA SMS HOME THEATHER PROTECTOR µHT 5000S).

O assunto estabilizador é bem polêmico, mas é sim sabido que seu método de operação não é justificável nos dias de hoje, nem era em muitos dias de "óntem". Somente a partir de 2008 estabilizadores passaram a possuir algumas proteções desejáveis de forma obrigatória, mas que podem ser encontradas em outros produtos...

Comprei na FastShop como condicionador para Home Theather e depois de muito tempo (mais de ano) que fui perceber que nas costas do mesmo a SMS identifica-o como Estabilizador. E de fato ele dá aqueles estalos característicos de reles constantemente com as variações de tensões aqui.

Os relés são os maiores vilões dos que são contra o estabilizador, porque supostamente geram picos de tensão. Mas digo que em qualquer projeto bem construido, o engenheiro toma cuidado de internamente do produto limitar esses picos de tensão com proteções na saída do produto.

Este é o aparelho: http://www.dvdnow.com.br/descricao.asp?codigo=HT5000S

Pode ser que a gente fique meio paranóico com isto frequentando este forum, mas creio que precaver é sempre a melhor opção. Por isso estava querendo tanto instalar aterramento no apartamento todo, mas as dificuldades estão só aumentando para isso.

Muitas vezes eu tenho visto um excesso de paranóia e preciosismos injustificáveis com relação à proteções. As pessoas tão tornando isso um objeto de preocupação diária em suas vídas e creio que isso não é muito saudável não, pra pessoa. Faça o que for possível, sem nóias. Eu costumo olhar sempre pro passado, quando essas preocupações eram inexistentes e tudo corria muito bem. Eu fui bem paraoico com essas coisas por um tempo e percebi, felizmente de forma rápida, que não vale a pena toda essa preocupação. A gente acaba gastando muito dinheiro e se estressando atoa pra mesmo assim o equipamento queimar ou pifar por qualquer outra razão.

Mas eu vou te contar uma pior ainda. Comprei, por hora (pois pretendo comprar um condicionador mesmo), para substituir este Estabilizador SMS, um filtro Panamax M8-AV-PRO, este modelo aqui http://www.panamax.com/Products/Floor-Models/M8-HT-PRO.aspx ,

e para minha surpresa, quando o liguei aqui em casa, a luz indicadora de aterramento bom (Ground OK) esta acesa direto, vai entender, pois não tenho aterramento nenhum e a tomada esta até solta da parede, pois estou tentando passar fio.

Você já procurou saber se o LED aceso indica que o aterramento é inexistente e se LED apagado é de fato "Ground ok"? Pode ser isso. Nos filtros APC é assim.

Para voce ver a minha decepção e falta de confiança nestes aparelhos, e tudo marcas famosas e "confiáveis".

Por esse motivo e outras coisas, não vale a pena ficar com preocupações excessivas. Eu já cheguei uma época varar madrugadas em claro só lendo sobre o assunto, ficando preocupando e querendo gastar mais e mais dinheiro para adequar as proteções. Digo e repito, não vale a pena tanta preocupação.

Estou pensando em instalar um Disjuntor DR Tetrapolar de 40A por fase, para fazer as vezes de disjuntor e DR num mesmo espaço. Voce falou aqui em algum post que existe para comprar mas é difícil de achar.

*Disjuntor* DR de fato é diferente de *Dispositivo* DR apesar de nenhum vendendor entender isso. *Disjuntor* DR nunca vi pra vender por aqui... Disjuntor DR tem três funções: Proteção contra sobrecorrente, curto-circuito e fuga de corrente, já o Dispositivo DR só fuga de corrente.

O problema é acahar alguém que faça isso com rapidez e corretamente, não conheço ningém aqui no Rio que trabalhe com isso e pelas informações que tenho recebido de conhecidos e de experiências com outros serviços, mão de obra de qualidade aqui é muito difícil de encontrar. [/B]

Sempre tem gente boa por aí, pena ser a minoria. Dá uma entrada lá no Orkut, na comunidade Amantes da Eletricidade, tem uma galera bem profissa lá, quem sabe encontra um aí perto de vc.

Suponho que a tampa seja maior que o quadro, correto?

Sim, pouca coisa, mais ou menos 1 cm.

Neste caso as bordas da tampa poderiam esconder possíveis falhas de acabamento?[/B][/COLOR]

O da Siemens pelo menos, esconde, os Tigre tb e são os mais fáceis de se achar.


Estive em uma loja que tinha quadros da Siemens, mas não achei este modelo que voce tem. Pode me dizer qual é o modelo do seu quadro, para que possa procurar no site da Siemens?

Simbox XF 24 disjuntores. O código do produto agora não me lembro... era 8GB alguma coisa...

Atualização: Catálogo Siemens Simbox .

http://www.siemens.com.br/templates/v2/templates/TemplateD.Aspx?channel=9799

Clique no link "Take One Simbox XF"




Certo, então ficou assim:

Veja que, alem do DPS entre Neutro/Terra do quadro de distribuição, eu adicionei um outro DPS, também entre Neutro/Terra, no quadro Geral.

Isto ajudaria/atrapalharia em algo?

E a posição do DR depois do DPS está correta?




Não tem necessidade do DPS entre neutro-terra na entrada pq neutro terra estão atados ali. A necessidade só aumenta quando o ponto equipotencial entre neutro-terra vai aumentando de distância, ja que a auto-indutância do cabeamento é aumentada durante descargas atmosféricas descarregadas no neutro, logo quanto maior a descarga feita do DPS entre Fase-Neutro, jogada no neutro, e maior for a distância do ponto equipotencial, maior a DDP entre Neutro-Terra, logo é recomendável que haja pontos específicos com DPS entre Neutro-Terra, de preferência no meio e final da instalação (após a tomada - uso de filtros/condicionadores com esse tipo de proteção).

A posição do DR está correta sim.

Rick82
10-10-2010, 16:34
Não tem necessidade do DPS entre neutro-terra na entrada pq neutro terra estão atados ali. A necessidade só aumenta quando o ponto equipotencial entre neutro-terra vai aumentando de distância, ja que a auto-indutância do cabeamento é aumentada durante descargas atmosféricas descarregadas no neutro, logo quanto maior a descarga feita do DPS entre Fase-Neutro, jogada no neutro, e maior for a distância do ponto equipotencial, maior a DDP entre Neutro-Terra, logo é recomendável que haja pontos específicos com DPS entre Neutro-Terra, de preferência no meio e final da instalação (após a tomada - uso de filtros/condicionadores com esse tipo de proteção).

A posição do DR está correta sim.

ok, vou retirar o DPS entre Neutro/Terra do Quadro Geral.

Fora isto, tem mais alguma maneira de deixar o "circuito" ainda mais seguro? Adicionar mais DPSs p/ tentar dobrar a capacidade de proteção? Ou qualquer outro meio, independentemente do custo necessário.

Obs.: Por curiosidade, o que aconteceria se eu fizesse um Terra exclusivo pra um determinado equipamento, e utilizar o condutor PE para os demais equipamentos da residência, isto poderia ser feito? Teria algum porem?


Abraços,
Att. Ricardo

_rau_
10-10-2010, 17:21
Do jeito que tá está ótimo, DPS na entrada, DPS no meio da instalação e após a tomada vc pode adicionar alguma proteção de qualidade. Os DPS's só dimensiona-los corretamente.

Um terra exclusivo se configura em um terra TT, esse circuito deveria ser protegido tanto por DR como por DPS entre esse terra e o neutro, o DPS deve ser o de maior capacidade que vc encontrar, pelo menos 60kA. Dessa forma se consegue usar um terra exclusivo de forma mais segura possível. É recomendável testar semestralmente o DR através do seu botão de teste.

dsidney
10-10-2010, 20:12
[QUOTE=dsidney;2698328]

Simbox XF 24 disjuntores. O código do produto agora não me lembro... era 8GB alguma coisa...

Atualização: Catálogo Siemens Simbox .

http://www.siemens.com.br/templates/v2/templates/TemplateD.Aspx?channel=9799

Clique no link "Take One Simbox XF"




Rau,

Muito, muito obrigado mesmo, novamente.

Todas as respostas e recomendações são excelentes como sempre.

Não vou fazer mais perguntas por hoje.

Há um misto de verdade e mito nessa afirmação de que aterramento aumenta a durabilidade. Verdade porque algumas proteções utilizam o fio terra e mito porque é sabido que muitos equipamentos não possuem o fio terra, mesmo alguns eletrônicos sensíveis e eles não vão ter a vida útil mais baixa por causa disso. Aí alegam que esses equipamentos foram adaptados para não ter o fio terra, mas isso não é verdade, o fio terra sempre foi e será um meio de proteção do usuário e secundariamente atua como refencial de tensão (0V) para o funcionamento dos filtros contra EMI/RFI e terceariamente atua como via de escoamento para surtos elétricos - quando usado protetores adequados para isso.

Isto é uma verdade absoluta. No meu caso mesmo, os melhores equipamentos de AV que tenho e prezo mais (produtos de marcas respeitadas e com qualidade reconhecida), que são meu BD player Oppo BDP83, meu Receiver JVC e um processador de video da DVDO EDGE, nenhum deles tem terra na tomada (e nem fiozinho verde separado saindo da carcaça).

Você já procurou saber se o LED aceso indica que o aterramento é inexistente e se LED apagado é de fato "Ground ok"? Pode ser isso. Nos filtros APC é assim.

Neste filtro de acordo com o manual da Panamax, a luz verde acesa indica que a tomada esta com o terra conectado apropriadamente. Incrível não é! Eu fiquei besta com esse resultado, pois tinha impressão de que os produtos da Panamax eram os melhores para esse tipo de proteção.

Tenha uma ótima semana e tudo de bom para voce!

Sidney

Rick82
10-10-2010, 20:38
Do jeito que tá está ótimo, DPS na entrada, DPS no meio da instalação e após a tomada vc pode adicionar alguma proteção de qualidade. Os DPS's só dimensiona-los corretamente.

Um terra exclusivo se configura em um terra TT, esse circuito deveria ser protegido tanto por DR como por DPS entre esse terra e o neutro, o DPS deve ser o de maior capacidade que vc encontrar, pelo menos 60kA. Dessa forma se consegue usar um terra exclusivo de forma mais segura possível. É recomendável testar semestralmente o DR através do seu botão de teste.

Pois é, eu questionei sobre a possibilidade de um Terra exclusivo pelo fato de que, dentro de algumas semanas, eu passarei a trabalhar com uma Estação de Processamento Gráfico de uso critico, e eu gostaria de deixá-la em uma rede o mais "limpa" possível.

Por isto lhe pergunto, no caso do padrão TN-S, com todos os equipamentos utilizando um mesmo condutor (PE) para a função Terra, não haveria nenhum tipo de "perda de performance/qualidade do Terra" por assim dizer?


Obs.: Como proteção final eu já adquiri um No-Break Senoidal Interativo (http://www.ragtech.com.br/produtos_infiniumseniumwide.html) (conforme NBR 15014), entretanto há alguns dias descobri que o equipamento em questão utiliza o método de filtragem por Ferro-Ressonância, e por motivos de segurança talvez eu venha a substituir o referido equipamento por um APC On-Line de Dupla Conversão.

_rau_
10-10-2010, 21:46
[QUOTE=_rau_;2698925]


Você já procurou saber se o LED aceso indica que o aterramento é inexistente e se LED apagado é de fato "Ground ok"? Pode ser isso. Nos filtros APC é assim.

Neste filtro de acordo com o manual da Panamax, a luz verde acesa indica que a tomada esta com o terra conectado apropriadamente. Incrível não é! Eu fiquei besta com esse resultado, pois tinha impressão de que os produtos da Panamax eram os melhores para esse tipo de proteção.

Tenha uma ótima semana e tudo de bom para voce!

Sidney



Faça o seguinte teste, pega um multimetro ou mesmo uma lampada com bocal e liga entre Fase-Terra e veja o que dá, se a lampada acender forte ou o multimetro acusar 127V, pode ser que o pino interno da tomada da parede, se for de três pinos, esteja ligado direto no neutro.


Pois é, eu questionei sobre a possibilidade de um Terra exclusivo pelo fato de que, dentro de algumas semanas, eu passarei a trabalhar com uma Estação de Processamento Gráfico de uso critico, e eu gostaria de deixá-la em uma rede o mais "limpa" possível.

Por isto lhe pergunto, no caso do padrão TN-S, com todos os equipamentos utilizando um mesmo condutor (PE) para a função Terra, não haveria nenhum tipo de "perda de performance/qualidade do Terra" por assim dizer?


Obs.: Como proteção final eu já adquiri um No-Break Senoidal Interativo (http://www.ragtech.com.br/produtos_infiniumseniumwide.html) (conforme NBR 15014), entretanto há alguns dias descobri que o equipamento em questão utiliza o método de filtragem por Ferro-Ressonância, e por motivos de segurança talvez eu venha a substituir o referido equipamento por um APC On-Line de Dupla Conversão.

Em que consiste essa estação de processamento gráfico? De um PC e equipamentos de audio/vídeo? Seguindo as recomendações da NBR5410, todo equipamento informático deve ser provido de um aterramento TN-S. Essa questão de "limpeza" não tem muito fundamento para equipamentos informáticos já que sua fonte de alimentação isola completamente o aterramento dos componentes alimentados pela fonte. Dentro das fontes há um pequeno transformador isolador que trabalha em alta frequência... Não há porque haver problema de qualidade/perfomance pelo aterramento ser TN-S. Há sim uma afirmação, de que um aterramento TT para equipamentos puros de audio/video dá melhores resultados, mas só se sente diferença no "topo do pinheiro" como diz o Jorge Knirsch ou seja, com equipamentos tops dos tops e sala de audição com acústica de "outro mundo". :-) Segundo ele a relação Sinal x Ruido é maior com aterramento TT do que TN e isso é verdade, mas dúvido que dê alguma diferença para a grande maioria das aplicações, em equipamentos de TI não dá diferença alguma em performance ou qualidade.

Jamais tenha dois sistemas de aterramento separados para equipamentos que interagirão entre si ou seja, que estejam interconectados por algum condutor metalico, seja qual cabo for, de sinal, de força...

Um nobreak Online Dupla conversão só se justifica para missões críticas onde não se pode assumir nenhum risco, por minimo que seja, por causa de problemas na rede elétrica, por mais que outras soluções mais baratas dê um nível relativamente elevado de segurança.

Rick82
10-10-2010, 23:01
Em que consiste essa estação de processamento gráfico? De um PC e equipamentos de audio/vídeo?


Só PC mesmo.



Seguindo as recomendações da NBR5410, todo equipamento informático deve ser provido de um aterramento TN-S. Essa questão de "limpeza" não tem muito fundamento para equipamentos informáticos já que sua fonte de alimentação isola completamente o aterramento dos componentes alimentados pela fonte. Dentro das fontes há um pequeno transformador isolador que trabalha em alta frequência... Não há porque haver problema de qualidade/perfomance pelo aterramento ser TN-S. Há sim uma afirmação, de que um aterramento TT para equipamentos puros de audio/video dá melhores resultados, mas só se sente diferença no "topo do pinheiro" como diz o Jorge Knirsch ou seja, com equipamentos tops dos tops e sala de audição com acústica de "outro mundo". :-) Segundo ele a relação Sinal x Ruido é maior com aterramento TT do que TN e isso é verdade, mas dúvido que dê alguma diferença para a grande maioria das aplicações, em equipamentos de TI não dá diferença alguma em performance ou qualidade.


Jamais tenha dois sistemas de aterramento separados para equipamentos que interagirão entre si ou seja, que estejam interconectados por algum condutor metalico, seja qual cabo for, de sinal, de força...


Equipamento de Áudio será somente um HT simples da Sony, que utilizará a saída SPDIF da Placa Mãe, mas que nem será utilizado para fins de trabalho.



Um nobreak Online Dupla conversão só se justifica para missões críticas onde não se pode assumir nenhum risco, por minimo que seja, por causa de problemas na rede elétrica, por mais que outras soluções mais baratas dê um nível relativamente elevado de segurança.

A Estação/PC contará com um software GPGPU, que tendo como "base" várias GPUs, executará uma determinada tarefa, que não vem ao caso neste momento, que demora cerca de 4 a 8 horas para ser concluída. Neste tempo o software em questão não me permite "pausar" o processo, sendo necessário em caso de falta de energia, recomeçar do zero.
O fato acima mencionado, aliado as constantes quedas de energia que sofro justificam a necessidade do No-Break.

O meu atual No-break é Senoidal Interativo Ferro-Ressonante (Nem sei se existe Interativo Senoidal de Simples Conversão), entratanto, após algumas pesquisas eu acabei encontando informações que apontam para uma possível "instabilidade" entre a topologia Ferro-Ressonante com as fontes de PFC ativo.

Por isto acho que, caso estas informações sejam de fato procedentes, só me resta a opção de adquirir um No-break Senoidal On-Line de Dupla Conversão.

OBS.: Irei lhe enviar os PDFs que falam sobre a tal "instabilidade".


Abraços,
Att. Ricardo

Roberto Paiva
12-10-2010, 00:20
"...Sim, o fio terra deve vir separado do neutro a partir do ponto inicial, da entrada. O terra chega separado no quadro e é dividido dai em diante para as tomadas, idealmente sai do quadro 1 condutor terra para cada disjuntor (circuito), mas tecnicamente é viável e permitido por norma compartilhar o fio terra de um circuito distindo, desde que toda fiação dos circuitos finais sigam os mesmos conduites (eletrodutos) - apenas por motivos de organização da instalação.

De nada!..."

Amigo Rau, obrigado pela sua constante ajuda. Só mais um esclarecimento, entendi que se eu tiver 5 disjuntores no meu quadro interno, no ap, teria que trazer 5 fios terras do quadro de entrada (do parafuso de aterramento do neutro, junto do relógio)? É isso ou eu entendi errado? Poderia chegar com um terra só no quadro interno e de lá fazer a distribuição das fases? Ex. chega um fio terra e sai 5, por ex?
Tenho que colocar algum dispositivo de segurança no terra ou no neutro?

Obrigado

_rau_
12-10-2010, 13:01
Só PC mesmo.

Equipamento de Áudio será somente um HT simples da Sony, que utilizará a saída SPDIF da Placa Mãe, mas que nem será utilizado para fins de trabalho.

A Estação/PC contará com um software GPGPU, que tendo como "base" várias GPUs, executará uma determinada tarefa, que não vem ao caso neste momento, que demora cerca de 4 a 8 horas para ser concluída. Neste tempo o software em questão não me permite "pausar" o processo, sendo necessário em caso de falta de energia, recomeçar do zero.
O fato acima mencionado, aliado as constantes quedas de energia que sofro justificam a necessidade do No-Break.

O meu atual No-break é Senoidal Interativo Ferro-Ressonante (Nem sei se existe Interativo Senoidal de Simples Conversão), entratanto, após algumas pesquisas eu acabei encontando informações que apontam para uma possível "instabilidade" entre a topologia Ferro-Ressonante com as fontes de PFC ativo.

Por isto acho que, caso estas informações sejam de fato procedentes, só me resta a opção de adquirir um No-break Senoidal On-Line de Dupla Conversão.

OBS.: Irei lhe enviar os PDFs que falam sobre a tal "instabilidade".


Abraços,
Att. Ricardo

Gostaria de ler esse pdf, passa o link por favor.


"...Sim, o fio terra deve vir separado do neutro a partir do ponto inicial, da entrada. O terra chega separado no quadro e é dividido dai em diante para as tomadas, idealmente sai do quadro 1 condutor terra para cada disjuntor (circuito), mas tecnicamente é viável e permitido por norma compartilhar o fio terra de um circuito distindo, desde que toda fiação dos circuitos finais sigam os mesmos conduites (eletrodutos) - apenas por motivos de organização da instalação.

De nada!..."

Amigo Rau, obrigado pela sua constante ajuda. Só mais um esclarecimento, entendi que se eu tiver 5 disjuntores no meu quadro interno, no ap, teria que trazer 5 fios terras do quadro de entrada (do parafuso de aterramento do neutro, junto do relógio)? É isso ou eu entendi errado? Poderia chegar com um terra só no quadro interno e de lá fazer a distribuição das fases? Ex. chega um fio terra e sai 5, por ex?
Tenho que colocar algum dispositivo de segurança no terra ou no neutro?

Obrigado

Não, não é do quadro de entrada, mas sim do quadro de disjuntores, do barramento de aterramento. Na impossibilidade você pode compartilhar o terra entre os circuitos, por exemplo, vc pode ter apenas 2 fios terra saindo do quadro, dividindo entre 5 circuitos, desde que os circuitos compartilhem um traçado em comum.

Entre neutro e terra você pode, e deve, colocar um DPS entre esses condutores, dentro do quadro de disjuntores.

dsidney
12-10-2010, 16:41
[QUOTE=dsidney;2699262]


Faça o seguinte teste, pega um multimetro ou mesmo uma lampada com bocal e liga entre Fase-Terra e veja o que dá, se a lampada acender forte ou o multimetro acusar 127V, pode ser que o pino interno da tomada da parede, se for de três pinos, esteja ligado direto no neutro.


Rau,

A tomada esta desconectada da caixa da parede (pois estou tentando passar o fio terra ate esta tomada), nem sequer tocando na caixa ou na parede. So tem o fase e o neutro conectado na tomada (no receptaculo).

No final de semana, desconectei o Panamax totalmente do circuito e entao a imagem da TV voltou ao normal.

Voltei a usar Condicionador/Estabilzador (?!?!?!?!?) da SMS e esta tudo normal com a TV.

Ou recebi um aparelho com defeito da Panamax, que e o que parece, ou este produto nao e bom mesmo.

Muito obrigado.

Bom feriado.

_rau_
12-10-2010, 17:01
Eu acho que o produto veio com defeito, conheço outros relatos de filtros Panamax e ninguém reclamou de nada, apenas elogiou o produto. Eu tenho quase certeza que quando você ligar esse Panamax num circuito com Dispositivo DR o DR vai desarmar. Por que?

Provavelmente há uma "curto-circuito" fechado entre Neutro-Terra dentro do seu filtro, que pode estar acontecendo em algum componente colocado entre essas linhas, pode ser um varistor por exemplo. Isso pode fazer com que o LED se comporte erroneamente, fazendo o filtro achar que existe um fio terra real ligado, tão bem como pode reduzir a qualidade de audio/vídeo.

Atualização:

Pegue um multimetro, coloque na escala de medição de resistência (Ohms) e coloque cada ponta de medição, uma no pino terra do filtro e outra no neutro, veja se o multimetro zera o valor medido, geralmente fica "1" quando o circuito está aberto e 0 quando fechado (curto-circuito).

dsidney
12-10-2010, 21:49
Eu acho que o produto veio com defeito, conheço outros relatos de filtros Panamax e ninguém reclamou de nada, apenas elogiou o produto. Eu tenho quase certeza que quando você ligar esse Panamax num circuito com Dispositivo DR o DR vai desarmar. Por que?

Provavelmente há uma "curto-circuito" fechado entre Neutro-Terra dentro do seu filtro, que pode estar acontecendo em algum componente colocado entre essas linhas, pode ser um varistor por exemplo. Isso pode fazer com que o LED se comporte erroneamente, fazendo o filtro achar que existe um fio terra real ligado, tão bem como pode reduzir a qualidade de audio/vídeo.

Atualização:

Pegue um multimetro, coloque na escala de medição de resistência (Ohms) e coloque cada ponta de medição, uma no pino terra do filtro e outra no neutro, veja se o multimetro zera o valor medido, geralmente fica "1" quando o circuito está aberto e 0 quando fechado (curto-circuito).

Rau,

Provavelmente voce deve estar certo como sempre e faz todo sentido o que voce esta pensando.

Estou fora de casa viajando a trabalho e so devo poder fazer este teste daqui a uns 18 dias.

Quando o fizer, informo o resultado confirmando sua teoria (faz tanto sentido que ja acredito que voce matou o problema de cara).

Pelo estrago que estava fazendo na imagem da TV e pela luz de Ground Ok acesa direto, realmente o aparelho esta com problema e deve ser o que voce esta falando.

Se conseguir identificar o elemento que esta falhando, com a sua ajuda, eu tenho certeza que consigo troca-lo.

A proposito, escrevi para a Panamax nos EU, explicando a situacao e solicitando algum tipo de ajuda ou orientacao. Sabe qual foi a resposta ate agora, nada, nada, nada ... Como nao estou coberto pela garantia deles, eles nem sequer tentam ajudar. Talvez ainda respondam, vamos ver.

Se tivesse percebido logo na primeira semana, teria dado tempo de despachar de volta para o Amazon dentro do prazo dos 30 dias. Mas o custo iria ser proibitivo com certeza.

Muito obrigado.

Tenha uma otima semana.

Sidney

Rick82
12-10-2010, 23:33
Gostaria de ler esse pdf, passa o link por favor.



Pelo que eu entendi não se trata de uma instabilidade que afeta todos os "tipos" de No-breaks Interativos, mas somente aqueles que utilizam o "sistema" de Ferro-Ressonância, que atualmente são bem raros.

Seguem os Links:

PDF por Neil Rasmussen da APC:
http://www.foccusdigital.com/arquivos/categorias/612009164058.pdf

Tem este outro aqui feito pelo Alexandre Saccol Martins, Gerson Gabiatti e Guilherme Bonan do Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da CP Eletrônica S.A.
http://www.cp.com.br/upl/artigo_1.pdf

Se eu não me engano eu tenho um outro PDF, em um CD de Backup, que entra em alguns detalhes mais técnicos sobre o assunto, porem infelizmente eu não estou conseguindo reencontrar o link dele neste momento.

Se for o caso eu mando ele pro Rapidshare e posto o link depois.

joao.manoel
13-10-2010, 09:39
Alguém já ouviu falar nessa empresa Enerbras (www.enerbras.com.br)? Ela tem uns IDR bem baratinhos, na faixa de R$ 20,00 o de 40A. Fiquei meio cismado quanto ao preço e se realemnte prestava. Fiquei mais tranquilo depois que vi essa página ( http://www.enerbras.com.br/wp-content/uploads/2010/09/Certificado-BR229830-rev00-IDR-30mA.pdf ), na qual está a certificação do IDR na norma Inmetro...
Acho que dá pra confiar, melhor que aqueles JNG

_rau_
13-10-2010, 10:18
Rau,

Provavelmente voce deve estar certo como sempre e faz todo sentido o que voce esta pensando.

Estou fora de casa viajando a trabalho e so devo poder fazer este teste daqui a uns 18 dias.

Quando o fizer, informo o resultado confirmando sua teoria (faz tanto sentido que ja acredito que voce matou o problema de cara).

Pelo estrago que estava fazendo na imagem da TV e pela luz de Ground Ok acesa direto, realmente o aparelho esta com problema e deve ser o que voce esta falando.

Se conseguir identificar o elemento que esta falhando, com a sua ajuda, eu tenho certeza que consigo troca-lo.

A proposito, escrevi para a Panamax nos EU, explicando a situacao e solicitando algum tipo de ajuda ou orientacao. Sabe qual foi a resposta ate agora, nada, nada, nada ... Como nao estou coberto pela garantia deles, eles nem sequer tentam ajudar. Talvez ainda respondam, vamos ver.

Se tivesse percebido logo na primeira semana, teria dado tempo de despachar de volta para o Amazon dentro do prazo dos 30 dias. Mas o custo iria ser proibitivo com certeza.

Muito obrigado.

Tenha uma otima semana.

Sidney

Ok, fico no aguardo então.


Pelo que eu entendi não se trata de uma instabilidade que afeta todos os "tipos" de No-breaks Interativos, mas somente aqueles que utilizam o "sistema" de Ferro-Ressonância, que atualmente são bem raros.

Seguem os Links:

PDF por Neil Rasmussen da APC:
http://www.foccusdigital.com/arquivos/categorias/612009164058.pdf

Tem este outro aqui feito pelo Alexandre Saccol Martins, Gerson Gabiatti e Guilherme Bonan do Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da CP Eletrônica S.A.
http://www.cp.com.br/upl/artigo_1.pdf

Se eu não me engano eu tenho um outro PDF, em um CD de Backup, que entra em alguns detalhes mais técnicos sobre o assunto, porem infelizmente eu não estou conseguindo reencontrar o link dele neste momento.

Se for o caso eu mando ele pro Rapidshare e posto o link depois.

O primeiro PDF eu já havia lido, mas não me lembrava dessa parte que fala dos modelos ferro-ressonantes que podem gerar problemas em cargas informáticas modernas. Se a APC diz, é melhor confiar, já que o Know-how dessa empresa é bem grande nessa área, ainda mais agora que a Schneider Electric é dona dela, outra empresa fodona no ramo de elétrica.



Alguém já ouviu falar nessa empresa Enerbras (www.enerbras.com.br)? Ela tem uns IDR bem baratinhos, na faixa de R$ 20,00 o de 40A. Fiquei meio cismado quanto ao preço e se realemnte prestava. Fiquei mais tranquilo depois que vi essa página ( http://www.enerbras.com.br/wp-content/uploads/2010/09/Certificado-BR229830-rev00-IDR-30mA.pdf ), na qual está a certificação do IDR na norma Inmetro...
Acho que dá pra confiar, melhor que aqueles JNG

Acho que já ouvi falar, mas não conheço os produtos. Os JNG eu conheço, e se não me engano são importados da china a preço de banana, eu não confio...

Eu confio mais na Siemens, WEG, Merlin Gerin, GE, Pial Legrand, Schneider... para dispositivos DR e outros. DR é um bichinho danado, se não for de qualidade e a instalação também, só vai dar dor de cabeça e é por isso que muitos eletricistas não o aceitam, já li em forum, se não me engano aqui mesmo, que um engenheiro disse que não ia por DR no projeto elétrico pq ia ficar desarmando... Só desarma se tem algo de errado na instalação e seus aparelhos, ou DR com defeito/má qualidade.

Se for minimamente bom, o preço tá convidativo. Um Siemens de 40A para rede monofásica tá em torno de 60 à 70 reais.

Rick82
13-10-2010, 15:31
O primeiro PDF eu já havia lido, mas não me lembrava dessa parte que fala dos modelos ferro-ressonantes que podem gerar problemas em cargas informáticas modernas. Se a APC diz, é melhor confiar, já que o Know-how dessa empresa é bem grande nessa área, ainda mais agora que a Schneider Electric é dona dela, outra empresa fodona no ramo de elétrica.


Pois é, mas você conseguiu entender o que gera esta tal "instabilidade"? Porque será que este problema ocorre justamente com as fonte que possuem PFC Ativo?

No primeiro PDF ele diz algo sobre a característica indutiva do transformador central que por sua vez acarreta um baixo fator potência, que finalmente cria o tal circuito "tanque". Mas o que seria de fato um circuito tanque?

Obs.: Na dúvida, eu não vou nem arriscar a ligar este No-Break nos meus equipamentos.

_rau_
13-10-2010, 19:56
Cara, assim entender pra dar uma explicação boa não entendi não, acho que um engenheiro eletrônico saberia explicar melhor, coisa que não sou. O fato é que transformadores ferro-ressonantes são trambolhos que esquentam muito, podem ser ruidosos, pesadões... Na dúvida é melhor adotar uma solução mais elegante, nem que seja um nobreak Senoidal, nem precisa ser online na minha opinião, já que são um tanto quando dispendiosos, tanto na aquisição quanto na manutenção e uso no dia-a-dia, já que eles consomem mais energia para si que um nobreak simples.

Rick82
15-10-2010, 01:19
Cara, assim entender pra dar uma explicação boa não entendi não, acho que um engenheiro eletrônico saberia explicar melhor, coisa que não sou. O fato é que transformadores ferro-ressonantes são trambolhos que esquentam muito, podem ser ruidosos, pesadões... Na dúvida é melhor adotar uma solução mais elegante, nem que seja um nobreak Senoidal, nem precisa ser online na minha opinião, já que são um tanto quando dispendiosos, tanto na aquisição quanto na manutenção e uso no dia-a-dia, já que eles consomem mais energia para si que um nobreak simples.

Pois é, acredito que um dos problemas dos modelos On-line é a manutenção mesmo. Provavelmente as baterias tem uma vida útil bem reduzida se comparadas aos de um modelo Off-line.

Rau, voltando ao assunto, você saberia me indicar um bom supressor de surtos p/ a linha telefônica? Será que aqueles E-Clamper são bons?


Obs.: Agradeço imensamente a tua ajuda cara.

Abraço,
Att. Ricardo

_rau_
15-10-2010, 09:23
Os E-clampers não são ruins, mas também não é lá essas coisas, eles são mais voltados para locais onde não possui aterramento nas tomadas e onde a exposição a esses picos é de baixa intensidade.

Eu pessoalmente só utilizo a proteção existente em meu nobreak, pra proteger meu modem ADSL. Eu até já usei proteção na entrada telefônica na frente de casa, mas ela queimou duas vezes aí resolvi tirar. Uma das queimas foi causado por alguma falha no transformador da rua, pera que eu explico! :)

O fio terra a ser ligado no protetor eu ligava direto na haste do padrão de energia porque eu não tinha outro lugar pra puxar o fio terra (sem quebrar a parede) e a caixa da fiação do telefone fica perto da caixa do padrão. Uns tempos atrás o transformador da rua deu um pipoco e faltou energia e estranhei que o telefone ficou mudo também, quando fui ver o DPS pra telefone havia queimado... Consertei e botei pra funcionar denovo, mas uns meses depois deu um relampago forte e o danado queimou denovo, daí não sei se foi por ele estar ligado direto na haste de aterramento da entrada ou se dessa vez veio surto pela linha telefonica. Eu por enquanto só to confiando na proteção local dada pelo protetor do nobreak APC. Na sala tenho um filtro de linha APC onde a linha telefonica tb tá ligada nele, essa linha tá ligada no receptor da Sky e em um aparelho de telefone - DPS's telefônicos também protegem as pessoas que usam telefones durante tempestades, apesar de ser recomendável não usar telefone com fio nesses momentos.

Bem, a Clamper possui protetores telefônicos dedicados que precisam do fio terra, mas é mais recomendável ter um E-clamper do que não ter nada, com a vantagem de não precisar ligar o fio terra, nem polarizar corretamente as tomadas.

Rick82
20-10-2010, 17:41
Rau, olha que estranho, eu medi a Tensão de uma das tomadas do meu No-Break, e entre Fase-Terra a tensão é maior que a constatada entre Fase-Neutro. O que será que significa isto?

PS: Em relação aos DPS Telefônicos dedicados da Clamper, você poderia me pasar o modelo?

_rau_
20-10-2010, 20:00
Faça a mesma medida na tomada da parede e veja se dá o mesmo.

Seu aterramento está em qual esquema, TT ou TN?

Qual a diferença de tensão aferida? Procure saber se enquanto vc media a tensão não houve uma mudança de tap do nobreak (click de relé), o que vai dar diferença entre uma medição e outra.

Os protetores dedicados da Clamper são da Linha de Sinal (800) - www.clamper.com.br, mas espeficamente o modelo eu tb tenho dúvidas qual é o mais indicado pra uma linha residencial com ou sem ADSL já que eles não especificam bem isso. Eu usava um da Labramo Centronic ISORAY 14...

nois
21-10-2010, 12:30
Rau blz?

Estou precisando de uma orientação.
Tenho um ht da yamaha e o mesmo esta com interferência da cerca eletrica que tambem ocorre no telefone de casa.
Tem algum equipamento tipo isolador de ac que eu possa usar no ht?

Abraço.

_rau_
21-10-2010, 13:15
Blz!

Nois,

Eu não tenho muita experiência nesse assunto, mas o ruído é uma espécie de "click" ou "tec", né? Ou é algum chiado?

Esse ruído pode estar tanto sendo injetado diretamente na rede elétrica em si como pode estar vindo pelo ar como uma interferência de radio-frequência, o que fica mais difícil ainda de conter e por estar sendo induzida até no telefone, provavelmente tá vindo pelo ar, é uma RFI.

Há sim muitas certas elétricas por aí que não foram instaladas corretamente - mas não me pergunte a forma correta pq eu não vou saber responder, to dizendo só o que já li alguma vez por aí sobre isso.

Seus equipamentos tão ligados direto na energia ou por meio de algum filtro de linha? Há aterramento nas tomadas? De que forma está feito esse aterramento?

Geralmente esses problemas de interferência são resolvidos com separação de circuitos, blindagem eletromagnética, filtragem de ruidos, aterramentos, podendo ser necessário uma ou mais dessa medidas juntamentes.

Prometo que vou dar uma pesquisada no assunto e caso eu tenha alguma alternativa pra você, posto aqui.

Atualização:

Olha o que eu acabei de achar. Uma Central de Cerca Elétrica da Intelbras que diz eliminar interferências por ter seu modulo de alta tensão separado. Pode ser uma solução...

ELC 2001 UN - Central de cerca elétrica universal
- Sistema de aprendizagem do perímetro e detecção de fugas evitando falsos disparos


- Módulo de alta tensão separado (anula o problema de interferência)


- Habilita/desabilita o choque através de senha


- Saída de 8.000/9.000 Volts (seleção manual)


- Alimentação 12 volts DC


- Teclado incluso

Atualização 2:

Dê uma olhada no manual da sua central de cerca elétrica sobre o assunto referente a aterramento. Foi feito aterramento na sua cerca elétrica?

Atualização 3:

Dá uma lida nesse tópico e veja se tem algo de útil pra vc:

http://www.htforum.com/vb/showthread.php/31230-INTERFERÊNCIA-DA-CERCA-ELÉTRICA-NO-HT/page2

Rick82
21-10-2010, 15:38
Faça a mesma medida na tomada da parede e veja se dá o mesmo.

Seu aterramento está em qual esquema, TT ou TN?

Qual a diferença de tensão aferida? Procure saber se enquanto vc media a tensão não houve uma mudança de tap do nobreak (click de relé), o que vai dar diferença entre uma medição e outra.

Os protetores dedicados da Clamper são da Linha de Sinal (800) - www.clamper.com.br (http://www.clamper.com.br), mas espeficamente o modelo eu tb tenho dúvidas qual é o mais indicado pra uma linha residencial com ou sem ADSL já que eles não especificam bem isso. Eu usava um da Labramo Centronic ISORAY 14...

Atualmente eu estou utilizando o padrão TT, muito embora eu já esteja providenciando os materiais necessários para refazer toda a instalação elétrica seguindo o padrão TN-S.

A diferença de tensão medida ocorre tanto nas tomadas do No-Break, como nas tomadas da parede.

Dados da Medição:
Fase-Neutro: ~128.1V
Fase-Terra (TT): ~129.8V

PS: Rau, depois da uma olhada nas suas MPs.

_rau_
21-10-2010, 19:26
Isso só diz uma coisa, em princípio seu terra local está melhor que o terra do seu neutro, mas na verdade essa afirmação não é muito correta. Ocorre que no neutro sempre há uma corrente trafegando e quanto maior, maior será a queda de tensão nesse condutor. Seu terra por não estar transportando nada ou no máximo poucos mA, vai com certeza apresentar uma tensão maior que o neutro, tão mais diferente quanto for a carga em cima do seu neutro. Mas acontece que se você jogar digamos 1000W nesse seu terra TT, a coisa vai mudar toda de figura, primeiramente dificilmente você conseguirá fazer com que 1000W trafegue nesse terra TT, a queda de tensão será bem grande e segundo a diferença de tensão vai mudar, vai ser bem mais baixa entre Fase-Terra do que Fase-Neutro, o que não deveria ocorrer. Na pior das hipóteses, essa DDP com uma carga imposta no neutro ou terra, não deve ser maior do que uns 3 à 5V. Em minha casa com um chuveiro de 20A ligado, mesmo com aterramento TN, aparece uma DDP de 1.6V entre neutro terra, por causa da queda de tensão que ocorre no condutor neutro quanto maior for a carga imposta ao mesmo, mas isso é normal de acontecer.

Aterramento TN-C-S (neutro aterrado em vários pontos) ou TN-S (neutro aterrado só em um ponto) deve ser tomada precauções, principalmente no TN-C-S que é na prática o caso do Brasil, que tem um neutro multiaterrado. TN-S só é considerado o ponto de separação do neutro e terra em diante, mas oficialmente o esquema é um TN-C-S. Enfim, nesse esquema deve se tomar a precaução de equipotencializar (ligar ao mesmo ponto de aterramento, e isso pode ser feito no barramento de terra do quadro) todas as superfícies metalicas que estejam em contato com o solo de alguma forma, ex: Tubulação de gás e água que seja de metal...

Rick82
21-10-2010, 23:35
Então no caso do TN-C-S, eu teria várias Superfícies Metálicas ou Hastes de Aterramento dispersas no circuito e em contato com solo, isto me obrigaria efetuar uma equipotencialização, ou seja, unir todos estes contatos em um único ponto, que no caso o seria barramento do terra no quadro de distribuição. Correto?

E entre fazer uma instalação seguindo o padrão TN-C-S ou TN-S, eu presumo que o TN-S seria a "melhor" escolha, certo?

Obs.: Depois me diz o que você achou do circuito de proteção Telefonica/Rede nas imagens que lhe mandei por MP. xD

_rau_
22-10-2010, 00:03
Não, no Brasil o neutro já é multiaterrado, na maioria dos lugares, e é nesse ponto que eu quis dizer que o TN-C-S tem vários pontos aterrados, (na Europa esse esquema tb é chamado de PME - Protection Multiple Earth), já o TN-S só tem um ponto aterrado, no pé do transformador e a CIA te entrega tantos as Fases como neutro e terra, para você usar. A confusão que ocorre, inclusive atualizei meu tópico sobre aterramento justamente por causa dessa confusão (entre outros detalhes adicionados e retirados), é que é costume chamar de TN-S a porção do ponto onde terra é separado do neutro em diante, mas se o neutro está aterrado fora da sua residência em vários pontos e é aterrado na sua entrada e vc separa o neutro e terra nesse ponto, automaticamente estamos falando de um aterramento TN-C-S. Eu poderia também ter um aterramento TN-C-S com terra derivado dentro do neutro que chega no quadro de disjuntores, a diferença é que o sistema se torna mais vulnerável pq a separação de neutro e terra ficaria mais longe da ultima haste de aterramento, ficando o neutro mais vulnerável, já que ele não poderia se romper nesse caminho sob risco de todas as partes aterradas ficarem dando choque e aí entra a equipotencialização:

A equipotencialização no caso serve pra se por ventura ocorrer um rompimento do neutro e surgir tensão no condutor terra, todas as superficies assuma um mesmo valor de tensão e isso serve para que não haja fluxo de corrente quando uma pessoa tocar em duas susperficies condutoras e aterradas em pontos diferentes, o que seria faltal. Uma superficie em 0V (contato com a terra) e outra com 127V, choque fatal caso uma pessoa manusei ambas superfícies ao mesmo tempo. Agora se tivermos 127V em ambas superficies, o choque elétrico é minimo ou nem há choque, mesmo potencial...

Sobre a escolha entre TN-C-S e TN-S, voltamos à velha confusão explicada acima. Você só vai encontrar uma esquema TN-S puro quando a CIA Elétrica te entrega já um condutor de aterramento, isso é muito comum em Shopping Centers e prédios com transformador dedicado. No caso de casas e muitos prédios de apartamento, muito provavelmente a CIA Elétrica te entrega um neutro aterrado e as fases, sendo o neutro chegando em esquema TN-C e você cria sua porção TN-S, que no final das contas globalmente o esquema é um TN-C-S (neutro multiaterrado e terra separado no ponto de entrada ou no quadro de disjuntores, sendo a primeira opção mais recomendável)

Será que eu consegui explicar direito? :)

Amanha comento as imagens, to indo dormir!

t+

Rick82
28-10-2010, 18:35
Rau, olha o que eu acabei de "pegar" aqui na minha rede (medindo direto do relógio de mediação):

http://img836.imageshack.us/img836/7767/jdwp08097asd09790.jpg

Por desencargo de consciência eu fiz a mesma mediação, só que com a energia sendo gerada no local, a partir do No-Break em modo bateria. Olha a diferença gritante:

http://img708.imageshack.us/img708/9898/jdwp08097asd09790070.jpg


De onde será que este está vindo esta "sujeira"? Será que este tipo de ruído consegue afetar de forma significativa as minhas fontes com PFC Ativo?

Será que vale a pena procurar algum filtro pra tentar melhorar esta situação?

Obs.: Este ruído é esporádico, portanto não está presente o tempo inteiro na rede.

_rau_
28-10-2010, 21:13
Esses ruídos são pequenos picos de tensão que podem ser causado por qualquer coisa, pode ser algum contato elétrico abrindo e fechando, contatores, relés, motores elétrico mudando alternando sua rotação, interruptores em geral, etc.

Na saída do nobreak em modo bateria a onda tem um formato bom, apesar de não ser uma senoide perfeitamente sem distorção e ruidos, essas ondulaçõezinhas, mas nada pra se preocupar. A senoide medida direta na rede está um pouco distorcida, ruidosa e com picos de tensão. Os picos da senoida meio achatados denota um nível de distorção harmônica.

Pro nobreak em si não há necessidade de se eliminar isso daí, ele próprio costuma ter um filtro de linha, então não há necessidade de adicionar outro. Seria interessante fazer medição na saída do nobreak sem estar em modo bateria.

Rick82
29-10-2010, 00:30
Esses ruídos são pequenos picos de tensão que podem ser causado por qualquer coisa, pode ser algum contato elétrico abrindo e fechando, contatores, relés, motores elétrico mudando alternando sua rotação, interruptores em geral, etc.

Na saída do nobreak em modo bateria a onda tem um formato bom, apesar de não ser uma senoide perfeitamente sem distorção e ruidos, essas ondulaçõezinhas, mas nada pra se preocupar. A senoide medida direta na rede está um pouco distorcida, ruidosa e com picos de tensão. Os picos da senoida meio achatados denota um nível de distorção harmônica.

Pro nobreak em si não há necessidade de se eliminar isso daí, ele próprio costuma ter um filtro de linha, então não há necessidade de adicionar outro. Seria interessante fazer medição na saída do nobreak sem estar em modo bateria.

Outro dia, quando percebi uma leve distorção na rede, eu fiz este procedimento, ou seja, medi através da tomada da parede e posteriormente a partir da tomada do No-Break (em modo rede).
Mas eu não percebi nenhuma mudança de uma medição pra outra.

Segue imagem da medição citada:
http://img101.imageshack.us/img101/4541/dfsf8097asd099079074.jpg

Estes dados foram capturados por volta das 3:34 desta segunda-feira. A tensão constatada no momento era de ~130V, que ao meu ver indica um momento de ociosidade da rede, e por isto não justifica a deformação encontrada.

Existe algum tipo de filtro capaz de fazer com que o estado da minha rede elétrica fique igual ou até mesmo melhor do que a situação encontrada no No-break em modo bateria?

PS: Em relação as harmônicas, você conhece alguma forma de atenuá-las?

_rau_
29-10-2010, 13:06
Olha, qualquer fonte boa possui um bom filtro de entrada, não precisando de colocar outro antes dela, além do que sua fonte não é assim tão ruim, há coisa bem pior. Mas é sempre bom ter uma proteção contra picos de tensão antes para proteger contra quaquer pico mais elevado e filtros de linhas bons possuem essa proteção.

Corrigir distorção harmônica é algo mais difícil de se fazer, há várias opções, todas caras. Uma delas seria a compra de um nobreak online dupla conversão, mas essa é uma solução localizada, outra solução seria um filtro ativo ou um filtro passivo sintonizado com o que se quer corrigir, isso dificilmente você encontra pra vender, teria que construir algo customizado pra sua necessidade. A outra solução que está fora do seu alcance seria otimizar o fator de potência de todas as cargas alimentadas pelo transformador que te atende. Há outras soluções, mas nenhuma viável pra você. O que vale saber é que fontes de equipamentos eletrônicos não são suceptiveis à essas distorções ou seja, ela suportam bem. Com relação à qualidade do audio e vídeo há quem diz que a distorção harmônica afeta a reprodução e os equipamentos By Knirsch dizem filtrar essas distorções, mas não se em até que ponto isso é verdade.

Rick82
29-10-2010, 15:24
Olha, qualquer fonte boa possui um bom filtro de entrada, não precisando de colocar outro antes dela, além do que sua fonte não é assim tão ruim, há coisa bem pior. Mas é sempre bom ter uma proteção contra picos de tensão antes para proteger contra quaquer pico mais elevado e filtros de linhas bons possuem essa proteção.

Corrigir distorção harmônica é algo mais difícil de se fazer, há várias opções, todas caras. Uma delas seria a compra de um nobreak online dupla conversão, mas essa é uma solução localizada, outra solução seria um filtro ativo ou um filtro passivo sintonizado com o que se quer corrigir, isso dificilmente você encontra pra vender, teria que construir algo customizado pra sua necessidade. A outra solução que está fora do seu alcance seria otimizar o fator de potência de todas as cargas alimentadas pelo transformador que te atende. Há outras soluções, mas nenhuma viável pra você. O que vale saber é que fontes de equipamentos eletrônicos não são suceptiveis à essas distorções ou seja, ela suportam bem. Com relação à qualidade do audio e vídeo há quem diz que a distorção harmônica afeta a reprodução e os equipamentos By Knirsch dizem filtrar essas distorções, mas não se em até que ponto isso é verdade.

Pois é, atualmente estou utilizando uma Corsair HX-1000, eu sei que PSUs deste nível filtram estas distorções, eu só não gosto de abusar. rsrs..
A Corsair não é a melhor no que diz respeito a qualidade porem, como você mesmo falou, eu acredito que ela de conta de filtrar estas distorções (até porque existem marcas bem piores no mercado que conseguem "segurar a barra").

Todavia a minha próxima fonte será uma Enermax Galaxy Evo 1250, e ai sim eu ficarei tranquilo. xD

Em relação aos produtos By Knirsch:
Eu já andei pesquisando, porem na época um dos equipamentos que eles ofereciam tinha um preço muito alto, sendo mais vantagem comprar um No-Break Online Dupla Conversão.

PS: Rau, falando em No-Breaks de Dupla Conversão, você teria alguma mediação da senoide de saída destes equipamentos? Será que eles conseguem chegar perto disto aqui?: xD

http://img818.imageshack.us/img818/3136/slkgflgff840987fas51.jpg


Edit: Eu estou pesquisando um bom quadro de distribuição (estou de olho no Simbox da Siemens), você conhece alguma opção melhor?

_rau_
29-10-2010, 20:39
Não, não tenho nenhuma medição desse tipo, nem tenho atualmente como fazer essa medição, mas procure nas especificações dos nobreaks o nível de THD em %. THD = Total Harmonic Distortion e obviamente quanto menor, melhor, dizem que qualquer coisa até 5% é aceitável. A APC divulga que sua linha Smart-UPS, sem ser dupla conversão, apenas senoidal, tem menos de 5% de distorção harmônica total. Um nobreak Online Dupla Conversão que se prese precisa ter um THD bem baixa, e creio que os de marcas conceituadas produzem uma energia bem limpa na saída, justificando assim o alto preço.

Sobre o quadro, eu gosto dos da Siemens, melhor que ele só se for um quadro metalico ou algum da marca Pial Legrand. Mas da Siemens por exemplo existem muitos modelos, já vi uns custando mais de 200 reais, mesmo sendo de plastico, mas não conheço pessoalmente.

Rick82
30-10-2010, 00:35
Não, não tenho nenhuma medição desse tipo, nem tenho atualmente como fazer essa medição, mas procure nas especificações dos nobreaks o nível de THD em %. THD = Total Harmonic Distortion e obviamente quanto menor, melhor, dizem que qualquer coisa até 5% é aceitável. A APC divulga que sua linha Smart-UPS, sem ser dupla conversão, apenas senoidal, tem menos de 5% de distorção harmônica total. Um nobreak Online Dupla Conversão que se prese precisa ter um THD bem baixa, e creio que os de marcas conceituadas produzem uma energia bem limpa na saída, justificando assim o alto preço.

Sobre o quadro, eu gosto dos da Siemens, melhor que ele só se for um quadro metalico ou algum da marca Pial Legrand. Mas da Siemens por exemplo existem muitos modelos, já vi uns custando mais de 200 reais, mesmo sendo de plastico, mas não conheço pessoalmente.

Pois é, no manual do meu No-Break diz que a distorção harmônica é < que 1% com carga linear, em alguns modelos eles dizem que é < 0.5% (ai eu já não sei se é verdade), inclusive já teve uma discussão sobre isto aqui no HT Forum em 2006, justamente questionando a baixa THD dos modelos Senium da Ragtech.
O problema é que eles só tem THD baixo quando estão em modo bateria, já os modelos On-Line da APC, apesar de terem THD < 3%, conseguem manter isto o tempo todo. rsrs...

Em relação ao quadro, entre Pial Legrand e Siemens eu acho que fico com o Simbox da Siemens mesmo, até porque eu já andei vendo algumas fotos que você mesmo postou aqui no tópico, e gostei bastante dele.

PS: O DR e os DPSs já chegaram, só ta faltando o Quadro de Distribuição e os Disjuntores, assim que eu já tiver com tudo na mão eu posto algumas fotinhas do esquema elétrico dentro do Quadro. :D

Edit: Ah, e antes que eu me esqueça, valeu pela ajuda rau :legal:
Tu disse que não tem diploma nesta área, mas eu lhe garanto que você da pau em muito "engenheiro" formado. Pra você ter idéia, o ultimo "engenheiro" que eu conversei não soube me explicar nem o que era padrão TN-S, TT, etc..

_rau_
30-10-2010, 10:56
Eu não me preocuparia com esse nível de distorção harmônica se o assunto for computadores, computadores dificilmente "reclamam" disso. Agora se vc é um audiófilo daqueles bem "chatos", aí vc pode passar a se preocupar com isso.

Falta uma coisa pras essa pessoas, apenas estudar, o conhecimento tá aí, muitas vezes de graça. Preguiça cara, preguiça... Eu tenho certeza que na faculdade teve matérias ensinando isso, mas o cara só decorou pra fazer provas... o que importá é aprender de fato.

Rick82
30-10-2010, 14:18
Eu não me preocuparia com esse nível de distorção harmônica se o assunto for computadores, computadores dificilmente "reclamam" disso. Agora se vc é um audiófilo daqueles bem "chatos", aí vc pode passar a se preocupar com isso.

Falta uma coisa pras essa pessoas, apenas estudar, o conhecimento tá aí, muitas vezes de graça. Preguiça cara, preguiça... Eu tenho certeza que na faculdade teve matérias ensinando isso, mas o cara só decorou pra fazer provas... o que importá é aprender de fato.


Muitos audiofilos reclamariam disto porque alguns casos envolvem o chamado efeito placebo rsrs...

Brincadeiras a parte, eu estou tranquilo quanto a THD do No-Break, até porque será dificil encontrar algo melhor que isto no mercado nacional, a menos é claro que eu desembolse várias "doletas" em algum equipamento On-line DC.
Eu só fico triste pela qualidade da rede em si, que poderia ser melhor.

OBS.: Consegui encontrar um DPS de 90KA na Santil, por um preço menor do que o modelo de 60KA vendido na Atera, então fica ai a dica pra quem for comprar algum DPS. ;)

_rau_
30-10-2010, 14:25
Com mais e mais eletrônicos sendo ligados nas nossas redes, só tende piorar a situação. No Brasil ainda não temos nenhuma legislação com relação às fontes chaveadas. Na Europa por exemplo qualquer carga eletrônica que consuma acima de 75W é obrigatório que venham com algum meio de correção do fator de potência, seja por meios passivos ou ativos. No Brasil só temos uma legislação que lida com reatores de lâmpadas de descarga com potência acima de um patamar que agora não me recordo. Já as compactas possuem um fator de potencia bem baixo, muitas vezes em torno de 0,45 à 0,55. Com a proliferação dessas lampadas, a qualidade da nossa energia só cai.

Cuidado com valores muitos altos, você precisa ver em qual curva de atuação foi testado o DPS. Qual é a marca desse DPS.

Atualização:

Acabei de ver no site da Santil que é da Clamper tb, mas estranho a Clamper não relacionar esse modelo no seu site. Se for um DPS de 90kA mesmo, provavelmente é um 20 ou 25 kA @ 10/350us e 90kA @ 8/20us.

Curvas de 10/350us são vistas em descargas diretas sob a edificação ou diretamente na linha elétrica das proximidades. São DPS's Classe 1 para serem instalados na entrada e/ou em áreas de alta incidência de raios.

Rick82
30-10-2010, 16:07
Com mais e mais eletrônicos sendo ligados nas nossas redes, só tende piorar a situação. No Brasil ainda não temos nenhuma legislação com relação às fontes chaveadas. Na Europa por exemplo qualquer carga eletrônica que consuma acima de 75W é obrigatório que venham com algum meio de correção do fator de potência, seja por meios passivos ou ativos. No Brasil só temos uma legislação que lida com reatores de lâmpadas de descarga com potência acima de um patamar que agora não me recordo. Já as compactas possuem um fator de potencia bem baixo, muitas vezes em torno de 0,45 à 0,55. Com a proliferação dessas lampadas, a qualidade da nossa energia só cai.

Cuidado com valores muitos altos, você precisa ver em qual curva de atuação foi testado o DPS. Qual é a marca desse DPS.

Atualização:

Acabei de ver no site da Santil que é da Clamper tb, mas estranho a Clamper não relacionar esse modelo no seu site. Se for um DPS de 90kA mesmo, provavelmente é um 20 ou 25 kA @ 10/350us e 90kA @ 8/20us.

Curvas de 10/350us são vistas em descargas diretas sob a edificação ou diretamente na linha elétrica das proximidades. São DPS's Classe 1 para serem instalados na entrada e/ou em áreas de alta incidência de raios.

Seguem 2 fotos dos modelos 60KA/275V e 90KA/175V.

http://img529.imageshack.us/img529/8854/fsrfetgedg8909708.jpg

http://img696.imageshack.us/img696/9615/adfetgedg8909708097.jpg

Edit:
Eu acho que ainda não comentei aqui, mas onde eu moro cai MUITO raio. Pra você ter idéia, o último radio que caiu aqui destruiu todo o sistema telefônico do bairro, caiu direto em uma caixa TAR da telefônica, na hora os pedaços da tal "caixa" ficaram espalhados na rua inteira.
Em outra ocasião, à cerca de 2 meses atrás, um outro raio atingiu direto a rede elétrica em frente a minha casa, o impacto foi tão violento que até eu, que estava na sala longe de qualquer aparelho elétrico, levei um choque (não sei porque)...
Nesta ocasião eu perdi vários eletro-eletrônicos, fora o fato de que um No-Break, mesmo estando desligado (mas na tomada), ter queimado.

Em fim, não sei o porque de acontecer tudo isto aqui onde eu moro, só sei que raio é o que não falta.

_rau_
30-10-2010, 17:07
Apesar de não especificado, creio que por conta da tensão de 175V, o DPS de 90kA poderia ser considerado um Classe I de 15 ou 20kA 10/350, o que equivaleria a esses 90kA em 8/20us. Um DPS de 175V não seria o ideal, na minha opinião, pra ser colocado num ponto de entrada, já que teria uma vida útil mais baixa que um de 275V. Como é que você vai dispor esses DPS's na sua instalação?

Olha, impactos diretos são dramáticos mesmo, e nem sempre DPS consequem proteger os eletrônicos. A primeira medida é ter todos sistemas de aterramento equipotencializados, a segunda é a instalçao de DPS's em cascata em diferentes pontos da instalação e que estejam coodernados, a terceira é proteger também as linhas de sinal, se possível em cascata com protetores adequados.

Os melhores DPS's para serem colocados num ponto de entrada e contra descargas diretas são os que fazem uso de um sistema Spark Gap, por resistirem correntes de surtos de até 50kA @ 10/350, o que equivaleria a algo em torno de 150kA ou 200kA @ 8/20us, mas esses são bem caros. A ultima vez que liguei na Clamper perguntando o preço do GCL Slim deles, a moça lá me falou que custava 900 reais! Não achei um bom custo x benefício, pelo menos não pra onde eu pensava em aplica-lo.

O choque que você levou provavelmente foi pelo elevado impulso eletromagnético que atingiu o local onde você estava e os equipamentos queimaram por uma EMP - Impulso Eletromagnético. Nesses casos a única maneira de se proteger além de toda parafernalha de DPS's e aterramento, a construção deveria ser protegida por um para-raios num sistema de gaiola de Faraday, tudo muito bem aterrado. Pois é, os raios são assim bem complicados de lidar.

Quanto que pagou pelos DPS's?

Atualização:

Existe DPS Classe I de 175V, como mostra no próprio site da Santil, modelo de 60kA 12,5kA (10/350) 175V. Só nao sei bem a razão desse modelo de 90kA que tem até uma corrente nominal e máxima maior que o modelo de 60kA em 8/20us não ser considerado um Classe 1 e não ter dados de impulso para 10/350us.

Rick82
30-10-2010, 18:29
Apesar de não especificado, creio que por conta da tensão de 175V, o DPS de 90kA poderia ser considerado um Classe I de 15 ou 20kA 10/350, o que equivaleria a esses 90kA em 8/20us. Um DPS de 175V não seria o ideal, na minha opinião, pra ser colocado num ponto de entrada, já que teria uma vida útil mais baixa que um de 275V. Como é que você vai dispor esses DPS's na sua instalação? .

Por enquanto o esquema da instalação está assim:
http://img408.imageshack.us/img408/4167/exemplopadrotns3.jpg



Olha, impactos diretos são dramáticos mesmo, e nem sempre DPS consequem proteger os eletrônicos. A primeira medida é ter todos sistemas de aterramento equipotencializados, a segunda é a instalçao de DPS's em cascata em diferentes pontos da instalação e que estejam coodernados, a terceira é proteger também as linhas de sinal, se possível em cascata com protetores adequados.

Os melhores DPS's para serem colocados num ponto de entrada e contra descargas diretas são os que fazem uso de um sistema Spark Gap, por resistirem correntes de surtos de até 50kA @ 10/350, o que equivaleria a algo em torno de 150kA ou 200kA @ 8/20us, mas esses são bem caros. A ultima vez que liguei na Clamper perguntando o preço do GCL Slim deles, a moça lá me falou que custava 900 reais! Não achei um bom custo x benefício, pelo menos não pra onde eu pensava em aplica-lo.

Eu também liguei na Clamper pra saber sobre os modelos GCL Slim, no caso eles utilizam Centelhador a Gás correto? Me falaram que ele é pra ser instalado somente entre Neutro/Terra no Medidor, é isto?


O choque que você levou provavelmente foi pelo elevado impulso eletromagnético que atingiu o local onde você estava e os equipamentos queimaram por uma EMP - Impulso Eletromagnético. Nesses casos a única maneira de se proteger além de toda parafernalha de DPS's e aterramento, a construção deveria ser protegida por um para-raios num sistema de gaiola de Faraday, tudo muito bem aterrado. Pois é, os raios são assim bem complicados de lidar.

Quanto que pagou pelos DPS's?.

Pois é, mas fazer uma gaiola de Faraday em uma cidade que não tem nem DPS pra vender nas casas de materiais elétricos é tenso, eu teria que importar até a mão de obra. rsrs...

O valor do DPS de 90KA/175V está em torno de R$113,00 na Santil.



Existe DPS Classe I de 175V, como mostra no próprio site da Santil, modelo de 60kA 12,5kA (10/350) 175V. Só nao sei bem a razão desse modelo de 90kA que tem até uma corrente nominal e máxima maior que o modelo de 60kA em 8/20us não ser considerado um Classe 1 e não ter dados de impulso para 10/350us.
Então pelo que eu entendi este DPS de 90KA/175V é equivalente ou até mesmo inferior ao modelo de 60KA/175V Classe 1? O.o

EDIT: Eu tenho 2 DPSs de 60KA/275V Classe 1 sobrando, se eu colocar ambos no relógio de medição entre Fase-Neutro a capacidade dobraria? ou seja, eu teria algo equivalente a 120KA/275V?

_rau_
30-10-2010, 18:39
Acho que eu já te respondi isso, aquele DPS ali entre Neutro/Terra no padrão de energia não tem razão de estar ali, está muito perto do ponto onde neutro e terra se encontram ou seja, não faria papel util algum nessa posição. Ele deveria ser colocado no quadro de distribuição entre neutro/terra.

Quantos DPS's com "T1" na frente vc comprou ou seja, os de 60kA?

A tecnologia Spark GAP é diferente da de centelhador. O GCL usa centelhador, na verdade o SCL é que usa Spark GAP e é muito mais robusto, era esse que custava 900 reais, eu me confundi. Ambos podem ser usados entre N/PE, mas em outra aplicação idealmente deveriam ser coordenados com DPS's por varistores. Eles não são usados no quadro do medidor, a não ser que neutro e terra estejam separados nesse ponto - esquema TT de aterramento. Podem ser usados num quadro de distribuição num esquema TT tb. Pra te falar a verdade, as CIAs elétrica geralmente nem permitem instalar DPS's dentro do quadro de medição, mas num quadro ao lado ou imediatamente após o quadro do medidor, mas essa é outra questão.

Sim, de certa forma os de 90kA são inferiores sim pq aparentemente não passaram num teste de impulso de "longa" duração - 10/350us, esses DPS's são muito mais robustos.

Rick82
30-10-2010, 18:55
Acho que eu já te respondi isso, aquele DPS ali entre Neutro/Terra no padrão de energia não tem razão de estar ali, está muito perto do ponto onde neutro e terra se encontram ou seja, não faria papel util algum nessa posição. Ele deveria ser colocado no quadro de distribuição entre neutro/terra.

Pensei que você tinha dito pra tirar do Quadro de Distribuição... =/
É a pressa...


Quantos DPS's com "T1" na frente vc comprou ou seja, os de 60kA?

2



A tecnologia Spark GAP é diferente da de centelhador. O GCL usa centelhador, na verdade o SCL é que usa Spark GAP e é muito mais robusto, era esse que custava 900 reais, eu me confundi. Ambos podem ser usados entre N/PE, mas em outra aplicação idealmente deveriam ser coordenados com DPS's por varistores. Eles não são usados no quadro do medidor, a não ser que neutro e terra estejam separados nesse ponto - esquema TT de aterramento. Podem ser usados num quadro de distribuição num esquema TT tb. Pra te falar a verdade, as CIAs elétrica geralmente nem permitem instalar DPS's dentro do quadro de medição, mas num quadro ao lado ou imediatamente após o quadro do medidor, mas essa é outra questão.

Sim, de certa forma os de 90kA são inferiores sim pq aparentemente não passaram num teste de impulso de "longa" duração - 10/350us, esses DPS's são muito mais robustos.

Mas a vida útil dele é semelhante a VU de um VCL? Tem que ser substituído com o passar do tempo vs. número de atuações?

E sobre colocar os 2 DPSs de 60KA juntos no Medidor, isto elevaria a capacidade deles p/ 120KA?

_rau_
30-10-2010, 19:08
Na entrada eu colocaria o de 60kA entre Fase e Neutro, no quadro de distribuiçao o outro entre Fase e Neutro e o de 90Ka entre neutro-terra. Na verdade eu pessoalmente colocaria todos os três de 60kA Classe 1, mas já que vc comprou esse de 90...

A vida útil é maior, mas há questões como tempo de resposta que é pior. Na verdade há vantagens e desvantagens entre SparkGap ou Centelhador X varistor, há muitas soluções que fazem um Mix entre essas duas tecnologias dentro do mesmo DPS. Spark GAP e centelhador são mais usadas mesmo entre N/PE num esquema TT e/ou como primeira linha de proteção logo na entrada elétrica, já no meio e fim são usados varistores.

Colocar dois DPS's em série não necessariamente aumenta a capacidade de corrente pq dificilmente se consegue que dois varistores distintos atuem exatamente no mesmo tempo, há sempre diferenças fisicas e quimicas, além do posicionamento com alguns cm's de diferença entre um DPS e outro os quais fazem um varistor atuar em tempos levemente diferentes um do outro e a maior parte da corrente de surto encontrará caminho no primeiro DPS que "abrir" o caminho. Eu diria que colocar dois varistores em série elevaria uns 30% no máximo, a eficiencia da proteção, as vezes um pouco menos ou pouco mais caso os varistores dos DPS's tenham saidos do mesmo lote e testados para casarem-se entre si, mas nunca se consegue dobrar a capacidade. O que se ganha é uma redundância caso um DPS venha a falhar primeiro que o outro.

Rick82
30-10-2010, 19:40
Na entrada eu colocaria o de 60kA entre Fase e Neutro, no quadro de distribuiçao o outro entre Fase e Neutro e o de 90Ka entre neutro-terra. Na verdade eu pessoalmente colocaria todos os três de 60kA Classe 1, mas já que vc comprou esse de 90...

A vida útil é maior, mas há questões como tempo de resposta que é pior. Na verdade há vantagens e desvantagens entre SparkGap ou Centelhador X varistor, há muitas soluções que fazem um Mix entre essas duas tecnologias dentro do mesmo DPS. Spark GAP e centelhador são mais usadas mesmo entre N/PE num esquema TT e/ou como primeira linha de proteção logo na entrada elétrica, já no meio e fim são usados varistores.

Colocar dois DPS's em série não necessariamente aumenta a capacidade de corrente pq dificilmente se consegue que dois varistores distintos atuem exatamente no mesmo tempo, há sempre diferenças fisicas e quimicas, além do posicionamento com alguns cm's de diferença entre um DPS e outro os quais fazem um varistor atuar em tempos levemente diferentes um do outro e a maior parte da corrente de surto encontrará caminho no primeiro DPS que "abrir" o caminho. Eu diria que colocar dois varistores em série elevaria uns 30% no máximo, a eficiencia da proteção, as vezes um pouco menos ou pouco mais caso os varistores dos DPS's tenham saidos do mesmo lote e testados para casarem-se entre si, mas nunca se consegue dobrar a capacidade. O que se ganha é uma redundância caso um DPS venha a falhar primeiro que o outro.

Vou colocar tudo de 60KA então, até porque eu já tenho pra quem vender os DPSs de 90KA.

No caso dos DPSs em paralelo ficaria assim:

http://img839.imageshack.us/img839/7818/exemplopadrotns4.jpg

Ou seria assim?:
http://img257.imageshack.us/img257/6268/exemplopadrotns5.jpg

EDIT: Só uma observação, o DPS de 90KA é um pouco mais leve que o de 60KA T1.

_rau_
30-10-2010, 19:47
Do primeiro jeito, já que do segundo vc somaria a tensão residual de ambos DPS's ou seja, se a tensão residual divulgada for de 1,5kV, ela iria pra 3kV. Mas sinceramente, se não for por redundância, não vale o custo de se colocar dois DPS's dessa forma, em série...

Tem chances de que esses DPS's de 90kA tenham performance ligeiramente superior aos de 60kA, mas como não foi certificado como Classe I, nem ao menos tá listado no site da Clamper, dificil dizer. Entra em contato com a Clamper pra ver o que eles dizem. Minha dúvida é porque em Lmax e Ln, ambos valores são superiores ao de 60kA, o que em teoria me levaria a crer que em 10/350us o DPS de 90kA teria performance ligeiramente superior nesse quesito, mas só dá pra ficar no chutometro aqui.

Rick82
30-10-2010, 20:04
Do primeiro jeito, já que do segundo vc somaria a tensão residual de ambos DPS's ou seja, se a tensão residual divulgada for de 1,5kV, ela iria pra 3kV. Mas sinceramente, se não for por redundância, não vale o custo de se colocar dois DPS's dessa forma, em série...

Tem chances de que esses DPS's de 90kA tenham performance ligeiramente superior aos de 60kA, mas como não foi certificado como Classe I, nem ao menos tá listado no site da Clamper, dificil dizer. Entra em contato com a Clamper pra ver o que eles dizem. Minha dúvida é porque em Lmax e Ln, ambos valores são superiores ao de 60kA, o que em teoria me levaria a crer que em 10/350us o DPS de 90kA teria performance ligeiramente superior nesse quesito, mas só dá pra ficar no chutometro aqui.

Com certeza, vou ligar pra Clamper na Segunda ou na Quinta pra tirar isto a limpo.

Obs.: Quem sabe eu já aproveito e compro alguns SCL's 275V/60kA rsrsrs...

Rick82
30-10-2010, 21:56
Neste exato momento, antes de eu devolver o osciloscópio, resolvi fazer uma ultima medição no No-Break, mais profunda, a procura ruídos.

Adivinha o que aconteceu? Descobri que é o carregador das baterias que está "enfiando" aquele monte de ruído na minha rede... A ponta da senoide ampliada apresenta tantos ruídos que até parece uma segunda senoide.http://img525.imageshack.us/img525/6247/iconfacepalmx.gif
E é só desligar o carregador da bateria que e os ruídos somem... Da pra acreditar?

Mas tudo bem, esta semana eu vou ir pra São Paulo, talvez eu leve o Ragtech e na volta traga algum modelo descente da APC.

Obs.: Depois eu vou criar um tópico com mais detalhes sobre todos os problemas que eu tive com este No-break, vou mostrar todas as medições que eu fiz nele e talvez eu até faça uma comparação com algum modelo da APC.

_rau_
31-10-2010, 10:04
Com certeza, vou ligar pra Clamper na Segunda ou na Quinta pra tirar isto a limpo.

Obs.: Quem sabe eu já aproveito e compro alguns SCL's 275V/60kA rsrsrs...


Depois me conta o preço do SCL! :) Eu vou fazer uma instalação de aterramento TT e preciso de DPS's bons, mas como o local é de baixa incidência, ainda to avaliando a necessidade de um DPS muito parrudo.



Neste exato momento, antes de eu devolver o osciloscópio, resolvi fazer uma ultima medição no No-Break, mais profunda, a procura ruídos.

Adivinha o que aconteceu? Descobri que é o carregador das baterias que está "enfiando" aquele monte de ruído na minha rede... A ponta da senoide ampliada apresenta tantos ruídos que até parece uma segunda senoide.http://img525.imageshack.us/img525/6247/iconfacepalmx.gif
E é só desligar o carregador da bateria que e os ruídos somem... Da pra acreditar?

Mas tudo bem, esta semana eu vou ir pra São Paulo, talvez eu leve o Ragtech e na volta traga algum modelo descente da APC.

Obs.: Depois eu vou criar um tópico com mais detalhes sobre todos os problemas que eu tive com este No-break, vou mostrar todas as medições que eu fiz nele e talvez eu até faça uma comparação com algum modelo da APC.

Que bom que achou a fonte do ruido.

T+

Rick82
31-10-2010, 19:07
Depois me conta o preço do SCL! :) Eu vou fazer uma instalação de aterramento TT e preciso de DPS's bons, mas como o local é de baixa incidência, ainda to avaliando a necessidade de um DPS muito parrudo.

A Clamper vende direto pra consumidor final?



Que bom que achou a fonte do ruido.

T+


No-Break desligado:
http://img841.imageshack.us/img841/7008/senoide.jpg

No-Break ligado:
http://img214.imageshack.us/img214/3651/senoideragtechseniumwid.jpg


E olha que este é o modelo "TOP" da Ragtech, imagina como que deve ser a "qualidade" da linha o Low-End... http://img525.imageshack.us/img525/6247/iconfacepalmx.gif

_rau_
01-11-2010, 11:02
Eles costumam indicar um fornecedor local pra você comprar, mas creio que se não tiver representante aí onde vc mora, eles vendem sim.

Rick82
01-11-2010, 20:03
Rau, eu liguei na Clamper e perguntei sobre o DPS de 90KA, e de fato ele não é classe 1 por não atender as especificações necessárias para tal. Por isto eu acho que vou usar os DPSs de 60KA T1 mesmo.

Ah, e o preço de tabela do SCL 275V/60kA é R$608,58.

Será que compensa colocar um SCL entre Neutro/Terra no Quadro de Distribuição?

PS: Aproveitando a oportunidade, você poderia me dizer se está tudo certo neste esquema?
http://img826.imageshack.us/img826/2375/disfihwrbf8079878904854.jpg

_rau_
01-11-2010, 23:45
Baixou de preço então ou me passaram o preço de uma versão com kA mais alto, mas ainda é caro! Só que não justifica vc pagar esse valor já que vai ter um esquema TN-S a partir da entrada. O de 60kA Classe 1 tá de ótimo tamanho, será muito dificil que 60kA atinja seu quadro em qualquer um dos fios.

Tem um erro nesse esquema aí, neutro e fase tão passando por um disjuntor, é isso? Se for, não está certo. Se quer colocar um disjuntor geral, coloque só na fase e leve o neutro direto ao DPS e daí para o DR.

Existem disjuntores que são especificos para Fase(s) e neutro, inclusive vem o posicionalmento escrito no seu corpo, mas são muito incomuns do Brasil. Nesse seu caso vc está colocando um disuntor no caminho de escoamento do DPS ao neutro, o que prejudicaria a eficiência do DPS.

Rick82
02-11-2010, 03:55
Baixou de preço então ou me passaram o preço de uma versão com kA mais alto, mas ainda é caro! Só que não justifica vc pagar esse valor já que vai ter um esquema TN-S a partir da entrada. O de 60kA Classe 1 tá de ótimo tamanho, será muito dificil que 60kA atinja seu quadro em qualquer um dos fios.

Tem um erro nesse esquema aí, neutro e fase tão passando por um disjuntor, é isso? Se for, não está certo. Se quer colocar um disjuntor geral, coloque só na fase e leve o neutro direto ao DPS e daí para o DR.

Existem disjuntores que são especificos para Fase(s) e neutro, inclusive vem o posicionalmento escrito no seu corpo, mas são muito incomuns do Brasil. Nesse seu caso vc está colocando um disuntor no caminho de escoamento do DPS ao neutro, o que prejudicaria a eficiência do DPS.


Hmm, eu não sabia que isto afetaria a eficiência do DPSs... Mas de qualquer forma eu já tirei o disjuntor do Neutro do esquema.

Em relação ao SCL, a Clamper fabrica este tipo de DPS com valores acima de 60KA?! O bichinho deve ser parrudo demais da conta heim? kkk...


PS: Cara, estou olhando os No-Breaks da APC, e não estou vendo nenhum modelo com proteção Telefônica, LAN, entre outros. Você saberia me dizer se este tipo de proteção precisaria ser adquirida e instalada separadamente no No-Break?

_rau_
02-11-2010, 10:20
São tantos modelos que toda hora me confundo. O SCL acabei de verificar vai até 60kA mesmo, já o GCL é que vai até 100kA @ 10/350us e esse utiliza centelhador e a Clamper diz ser específico para instalação N/PE, só que agora realmente não me lembro na época se perguntei o preço do SCL ou GCL. Creio que eu tenha confundido tb ao olhar o catálogo e ter visto lá 110kA no modelo SCL, mas esse valor é na curva de descarga mais rápida, 8/20us... Se que vc vai perguntar então qual o melhor... Num aterramento TT onde há alta incidência de raios deve-se usar DPS entre N/PE da mais alta capacidade possível, logo o GCL 275V 100kA parece ser uma melhor opção. No seu caso entretanto, não vejo necessidade de um DPS maior do que 60kA Classe 1, especialmente entre N/PE, visto que seu aterramento segue um esquema TN e ainda terão proteção na entrada antes do segundo DPS, logo o que chegará no seu quadro de distribuição dificilmente passará de algo em torno de 5kA entre Fase e Neutro e dificilmente acima de 10kA entre Neutro-terra. Num aterramento TT, uma descarga próximo pode gerar uma diferença de potencial tão grande entre as duas malhas, que há relatos de mesmo DPS's de alta capacidade explodindo. Mas com eu disse, não é o seu caso.

Todos APC vêm com proteção telefônica pelo menos. Qual os modelos que vc tá olhando? Proteção de LAN já é mais raro de vir.

Olha, essa empresa parece produzir protetores de boa qualidade, pra LAN, telefone e DPS's para linhas de força, mas não tenho visto no mercado:

http://www.mtm.ind.br/nova/mtm2002.html

Tanto a Clamper, como essa MTM, e outras, possuem protores de sinal, mas infelizmente com uma disponibilidade baixa no mercado. Da Clamper, o modelo 823.J.130 a Clamper recomenda para linhas telefônicas onde há alta incidência de raios. Agora ela especifica para uso em linhas discadas, mas não fala se suporta ADSL. Pela tensão de serviço de 130V, eu creio que suporte ADSL sim, mas só confirmando com a Clamper qual o modelo mais adequado. Tem tb o 823.B.130, com a diferença de que esse usa ao invés do conector RJ-11, ele usa conectores para ligação direta dos fios:

http://www.clamper.com.br/baixararquivo.asp?a=fichas/822J130%20e%20823J130-A.pdf

http://www.clamper.com.br/baixararquivo.asp?a=fichas/823B020e823B130.pdf

Esses são os protetores de LAN da Clamper que encontrei no site deles:

http://www.clamper.com.br/baixararquivo.asp?a=fichas/841J020e842J020.pdf

http://www.clamper.com.br/baixararquivo.asp?a=fichas/841J020e842J020.pdf

http://www.clamper.com.br/baixararquivo.asp?a=fichas/881J020.pdf

http://www.clamper.com.br/baixararquivo.asp?a=fichas/882J020.pdf

Rick82
02-11-2010, 18:19
São tantos modelos que toda hora me confundo. O SCL acabei de verificar vai até 60kA mesmo, já o GCL é que vai até 100kA @ 10/350us e esse utiliza centelhador e a Clamper diz ser específico para instalação N/PE, só que agora realmente não me lembro na época se perguntei o preço do SCL ou GCL. Creio que eu tenha confundido tb ao olhar o catálogo e ter visto lá 110kA no modelo SCL, mas esse valor é na curva de descarga mais rápida, 8/20us... Se que vc vai perguntar então qual o melhor... Num aterramento TT onde há alta incidência de raios deve-se usar DPS entre N/PE da mais alta capacidade possível, logo o GCL 275V 100kA parece ser uma melhor opção. No seu caso entretanto, não vejo necessidade de um DPS maior do que 60kA Classe 1, especialmente entre N/PE, visto que seu aterramento segue um esquema TN e ainda terão proteção na entrada antes do segundo DPS, logo o que chegará no seu quadro de distribuição dificilmente passará de algo em torno de 5kA entre Fase e Neutro e dificilmente acima de 10kA entre Neutro-terra. Num aterramento TT, uma descarga próximo pode gerar uma diferença de potencial tão grande entre as duas malhas, que há relatos de mesmo DPS's de alta capacidade explodindo. Mas com eu disse, não é o seu caso.

Todos APC vêm com proteção telefônica pelo menos. Qual os modelos que vc tá olhando? Proteção de LAN já é mais raro de vir.

Olha, essa empresa parece produzir protetores de boa qualidade, pra LAN, telefone e DPS's para linhas de força, mas não tenho visto no mercado:

http://www.mtm.ind.br/nova/mtm2002.html

Tanto a Clamper, como essa MTM, e outras, possuem protores de sinal, mas infelizmente com uma disponibilidade baixa no mercado. Da Clamper, o modelo 823.J.130 a Clamper recomenda para linhas telefônicas onde há alta incidência de raios. Agora ela especifica para uso em linhas discadas, mas não fala se suporta ADSL. Pela tensão de serviço de 130V, eu creio que suporte ADSL sim, mas só confirmando com a Clamper qual o modelo mais adequado. Tem tb o 823.B.130, com a diferença de que esse usa ao invés do conector RJ-11, ele usa conectores para ligação direta dos fios:

http://www.clamper.com.br/baixararquivo.asp?a=fichas/822J130%20e%20823J130-A.pdf

http://www.clamper.com.br/baixararquivo.asp?a=fichas/823B020e823B130.pdf

Esses são os protetores de LAN da Clamper que encontrei no site deles:

http://www.clamper.com.br/baixararquivo.asp?a=fichas/841J020e842J020.pdf

http://www.clamper.com.br/baixararquivo.asp?a=fichas/841J020e842J020.pdf

http://www.clamper.com.br/baixararquivo.asp?a=fichas/881J020.pdf

http://www.clamper.com.br/baixararquivo.asp?a=fichas/882J020.pdf

Também acho que suporte ADSL, mas por desencargo de consciencia eu vou ver se consigo mandar um e-mail pra lá perguntando sobre isto.

Em relação aos No-Breaks, eu estava olhando estes 2 modelos:
http://www.apc.com/products/resource/include/techspec_index.cfm?base_sku=SURTA3000XL&tab=models&total_watts=50

http://www.apc.com/products/resource/include/techspec_index.cfm?base_sku=SUA3000&total_watts=50

Veja que ambos possuem, em sua parte posterior, uma espécie de "baia" que eu ainda não descobri exatamente para que serve, mas imagino que seja para a instalação de algum tipo de proteção adicional. Acho que vou ligar na APC pra perguntar, até porque no site deles eu não encontrei nada falando sobre isto.

PS.: Rau, aproveitando que você já possui No-Break da APC, poderia me dizer se as baterias que ele usa são do tipo VRLA comum ou se são modelos específicos fabricadas pela própria APC?

_rau_
02-11-2010, 20:55
O primeiro nobreak é um Senoidal, mas não é Online dupla conversão, já o segundo é um Online Dupla Conversão.

Realmente essas linhas mais tops da APC não vêm com proteção telefônica, já que não são destinadas à worstations e sim servidores...

Essa "baia" na verdade é um Slot onde vc pode conectar uma placa de gerenciamento remoto ou algo assim.

As baterias não são fabricados pela APC, ela não fabrica baterias, as baterias são de fornecedores chineses ou taiwaneses, a APC apenas coloca uma etiqueta com a marca dela, entretanto todas baterias com selo APC são de boa procedência e do tipo VRLA comuns de diferentes capacidades e tamanhos, vai depender do nobreak.

Idevaldo Cunha
07-11-2010, 21:23
Rau, gostaria de lhe agradecer pois aprendi muito com suas informações e a do Fauller, sobre diversos assuntos, dentre eles aterramento, filtro de linha e dps.
Fiz em minha cas aterramento TN-S seguindo as informações que você passou pra gente no forum de PCS.
Realmente sou muito grato a gente como você.
Mas não poderia deixar de pedir uma opnião sua.
Usava em casa estes filtros de linha vagabundos, mas decidi proteger minha casa com os Panamax especialmente os Modelos M8-HT e M8-AV. Deixei de no momento adquirir um Condicionador o 4300 da Panamax para boter comprar 2 destes filtros Panamax, li suas recomendações e a do Fauller sobre estes filtros.
Minha dúvida, você vê como necessário adiquirir mesmo assim um condicionador deste já que fiz a aquisição destes 2 Filtros? Me parece que estes filtros são muito poderosos em comparação com outros. E na verdade me parece que estes fazem uma proteção muito parecida com estes condicionadores mais simples tipo o Panamax 4300 e o Savage CDR 1500. É claro que estes condicionadores são muito melhor construidos do que os filtros Dedicados.
Se estes filtros cumprem o seu papel na proteção de aparelhos caros, não vejo necessário gastar mais. Neste caso compraria mais 2 destes filtros para Máquina de Lavar e a Geladeira. Sendo que também já fiz proteção na caixa de força com 3 DPS 40KA da Clamper.

Desde já muito obrigado por tudo.

Idevaldo Cunha

_rau_
08-11-2010, 10:03
Eu vou comprar Panamax com Panamax, deixo o GR Savage de lado porque creio que não possua nível de filtragem e proteção igual aos Panamax.

Bem, em termos de audio e vídeo é recomendado que quando mais simples a filtragem, dentro de um certo limite, melhor. Eu digo que, se o filtro Panamax está lhe servindo bem, você não está tendo problema nenhum com redução de qualidade da imagem ou ruídos diversos, então mantenha essa solução mais "simples".

Ambos M8-HT e M8-AV possuem todas proteções necessárias para seus equipamentos e não estariam mais protegidos ao liga-lo num condicionador. O condicionador no caso ofereceria bancos de filtragem mais elaborados para teoricamente melhorar a qualidade de audio e video, mas isso é muito relativo. Os condicionadores também costumam ter tomadas dedicadas para cada tipo de equipamento, com filtragem diferenciada, as vezes tem partida sequencial das tomadas e outros recursos que não influenciarão em nada na proteção. Eu pessoalmente ficaria só com os Panamax de chão mesmo.

Não há necessidade alguma de ligar um Panamax desses em geladeira ou máquina de levar, como dizem os falantes da lingua inglesa: It's overkill!

O próprio DPS do quadro de força está suficiente para esses equipamentos eletrodomesticos.

Os DPS's Clamper são uma boa pedida, mas não se esqueça de proteger as linhas de sinal tb.

Idevaldo Cunha
08-11-2010, 19:27
Os DPS's Clamper são uma boa pedida, mas não se esqueça de proteger as linhas de sinal tb.

Rau, mais uma vez muito obrigado.
Vou seguir seu conselho e não comprar o condicionador, pois estes 2 filtros Panamax me parecem muito bons, como você mesmo pode me dar este aval.
Que proteção você recomendaria para linhas de sinal?
Abraço, sempre estou acompanhando seus posts e a do Fauller. Aprendi muito com vocês.

_rau_
09-11-2010, 12:12
Em áreas e baixa/média incidência de raios, um bom protetor local, esse mesmo que vem nos Panamax, já tá de bom tamanho, proteção cabo coaxial e telefone. Em áreas de alta incidência é bom entretanto instalar um protetor na caixa de entrada do telefone e TV cabo ou Satélite, mas o fio terra teria que estar com fácil acesso nesse ponto, para que o protetor possa ser ligado nele. Os protetores para serem instalados na entrada são entretanto um pouco difíceis de se encontrar comparando com os DPS's de energia.

Uma coisa importante é que nos cabos coaxiais, principalmente se esse for da empresa de TV a cabo, ele vem com a malha interna do cabo aterrada num terra "estranho". Essa malha deveria ser interligada com seu aterramento local o mais perto possível da entrada, isso é possível de se fazer isso com o uso de protetores à centelhador para esse tipo de aplicação. Se for impossível fazer isso, o jeito é confiar apenas uma proteção local perto do equipamento.

Leia minha msg um pouco mais acima, onde indiquei varios protetores da Clamper. No site deles mostram protetores pra várias aplicações.

dsidney
15-11-2010, 00:08
Eu acho que o produto veio com defeito, conheço outros relatos de filtros Panamax e ninguém reclamou de nada, apenas elogiou o produto. Eu tenho quase certeza que quando você ligar esse Panamax num circuito com Dispositivo DR o DR vai desarmar. Por que?

Provavelmente há uma "curto-circuito" fechado entre Neutro-Terra dentro do seu filtro, que pode estar acontecendo em algum componente colocado entre essas linhas, pode ser um varistor por exemplo. Isso pode fazer com que o LED se comporte erroneamente, fazendo o filtro achar que existe um fio terra real ligado, tão bem como pode reduzir a qualidade de audio/vídeo.

Atualização:

Pegue um multimetro, coloque na escala de medição de resistência (Ohms) e coloque cada ponta de medição, uma no pino terra do filtro e outra no neutro, veja se o multimetro zera o valor medido, geralmente fica "1" quando o circuito está aberto e 0 quando fechado (curto-circuito).


_rau_,

Depois de um longo tempo sem poder fazer os testes, este final de semana fiz os testes propostos por você e descobri várias coisas interessantes.

Só para relembrar, o meu filtro novo Panamax (Panamax M8-AV-PRO Home Theather Power Managment) esta acendendo a luz de Ground OK o tempo todo, mesmo com a tomada (receptáculo), onde o cabo dele esta ligado, desparafusado da caixa na parede (ou seja tirei a tampa e desparufusei o receptáculo da caixa de circuito e afastei o receptáculo da parede e voltei a ligar a tomada do filtro de linha da Panamax).

Para começar a tirar dúvidas, medi a tensão da fase no receptáculo para a caixa de metal (onde esta o circuito e onde este receptáculo fica conectado) na parede e apresentou 24 V.

Depois medi a tensão da fase para o tubo-conduite de metal dentro da caixa de metal, que supostamente deveria haver contato entre os dois , e portanto deveria apresentar a mesma DDP. Para minha surpresa apresentou 128 V, que é a mesma tensao entre fase e neutro (tensão de linha) no receptáculo naquele momento (em qualquer momento estes dois valores estão iguais).

Duas conclusões tirei até aqui. Não sei se estão certas, me corrija se estiver errado, por favor.

1a - Aparentemente a tubulação (conduite de metal - que esta em excelente condição para um prédio de 30 anos - todos os conduites do apartamento são iguais e de metal) esta aterrada de alguma forma e equipotencializada com o neutro (provavelmente no meu andar ou talvez até mesmo dentro do apartamento), e porisso a tensão entre fase e conduite esta igual a tensão entre fase e neutro.

2a - A tensão entre fase e a caixa de metal 4x2 na parede é apenas 25 Volts porque a mesma não esta em contato perfeito com o conduite.

Mantive o receptáculo (tomada propriamente dita com os fios de fase e neutro ligados no mesmo) desconectado da caixa e afastado da parede. No meu caso é possível fazer isto porque os fios são rígidos de 3,3 mm, e quando esticados levemente para fora da caixa eles não cedem com o peso do receptáculo.

Conectei o cabo do filtro Panamax no receptáculo e parti para fazer as medições que voce sugeriu.

Como não liguei de imediato nenhuma carga (tomada de nenhum aparelho no filtro), pois queria fazer os testes sem influência de nenhum aparelho, já percebi logo que desta forma (filtro sem carga nenhuma ligada no mesmo), a luz de Ground Ok, não liga (não tinha percebido isto antes), que é como deveria ser, pois não tenho aterramento nenhum no receptáculo neste momento (lembre-se que o mesmo esta afastado da parede).

Nesta condição, as medições com multimetro, medindo impedância entre fase e terra, entre fase e neutro, e entre neutro e terra, todas indicaram circuito aberto (mostrador marcando 1 com escala de 2 KOhms).

Mas somente fazendo esta medição de impedância entre Neutro e Terra, já faz acender a luz de Ground OK.

Fazendo medição de tensão nas tomadas do filtro Panamax, nas mesmas condições, isto é, nenhuma carga conectada ao filtro, a medição entre Fase e Neutro é a tensão de Linha, a medição entre Neutro e Terra mostra algo em torno de 12 volts, e a medição entre Fase e Terra mostra algo em torno de 14 volts.

Neste ponto, resolvi comparar estes resultados com um outro filtro de linha, também novo (comprados juntos) da [COLOR=black]TrippLite, modelo Tripp Lite TLP810NET Surge Protector/Supressor, que esta conectado em outra tomada, em outro circuito, no quarto (protegendo a outra televisão).

Este filtro da Tripp Lite também acende a luz de Ground Ok. Os resultados até aqui foram exatamentes iguais (isto é, fazendo as medições com o Tripp Lite sem carga conectada).[B] Da mesma forma, só de medir impedância entre Neutro e Terra, já faz acender a luz de Ground Ok no filtro.
As medições de tensão também apresentaram os mesmos resultados.

A diferença é que este outro filtro (Tripp Lite) esta ligado num receptáculo padrão brasileiro antigo de dois pinos, e que o receptáculo esta devidamente conectado dentro da caixa na parede, que é do mesmo tipo. Isto é, a chapa de metal do receptáculo que tem função de apoio estrutural do receptáculo, esta parafusada na caixa de metal, o que poderia "explicar" de certa forma o acendimento da luz de Ground OK, pois o conduite estaria funcionando como fio terra.

Estou assumindo que neste outro circuito, no quarto, a medição entre fase e caixa/conduite apresentem os mesmos resulatdos, ou seja, 24 V e 128 volts, respectivamente (estou assumindo porque esta caixa de tomada fica escondida atrás da cabeceira da cama de casal e daría muito trabalho para abrir esta tomada só para fazer esta medição).

A terceira conclusão até aqui, é que os dois filtros (Panamax e Tripp Lite) ligados (sem carga) em diferentes circuitos e tomadas, se comportam exatamente igual.

Voltando para as medições no Panamax, na tomada da sala, ainda com o receptáculo desconetado da parede e ligado aos fios de fase e neutro (não existe aterramento ainda).

Dos meus aparelhos eletrônicos, os únicos dois que tem cabo com pino de terra nas tomadas, são as duas TVs (demais aparelhos, DVD player, gravador/player de DVD, BD player, Receiver, video processador e receptores Sky, todos são cabos de fase e neutro somente, e nenhum deste aparelhos tem fiozinho verde ligado em suas carcaças).

Liguei o cabo da TV no filtro Panamax e imediatamente a luz de Ground Ok se acende e permanece assim, sempre que tiver este aparelho ligado em uma das tomadas do filtro (qualquer outro aparelho com cabo de dois pinos somente, não causa isto, pois não há fio/pino terra nos cabos).

No outro filtro da Tripp Lite a situação se repete identica (outra TV mas também com cabo com fio terra e conectores de treis pinos).

Agora medindo tensões nas tomadas livres do filtro da Panamax (e mantendo uma tomada com o cabo da TV ligado nela, mas: Atenção, com a TV desligada no botão ON/OFF).

As medições de voltagem nas tomadas livres passam a indicar: tensão de linha entre Fase e Neutro (em torno de 128 V), zero entre Neutro e Terra, e tensão de linha entre Fase e Terra (exatamente o mesmo valor entre Fase e Neutro em qualquer momento).

As medições de tensão no filtro da Tripp Lite, também apresentam os mesmos resultados.

A minha penúltima conclusão por hora é que o funcionamento dos dois filtros (Panamax e Tripp Lite) é exatamente igual, e aparentemente este é o funcionamento normal deles.

Isto é, ter fio terra ligado no receptáculo ou não, não faz nenhuma diferença para ambos os filtros, ambos apresentam a Luz de Ground OK acesa direto, desde de que uma das cargas conectadas em uma de suas tomadas, tenha fio terra (isto é, o aparelho ligado com este cabo seja aterrado, como as minhas TVs).

O fato do conduite de metal estar fazendo as vezes de fio terra não tem nada a ver com isto, pois no caso do Panamax, ligado ao receptáculo da tomada da sala, desparafusado e afastado da parede, ou seja sem contato com o metal do conduite e da caixa de circuito, apresenta o mesmo comportamento, seja com o receptáculo parafusado na caxia ou não.

Minha última conclusão por hora é que ou estes filtros são tudo uma enganação e uma bela dumas porcarias, ou os dois filtros de dois fabricantes diferentes, novos e comprados no mesmo dia no Amazon, vieram com defeito.

_rau_,
Lembra que estava suspeitando que meu filtro Panamax estava causando todo tipo de problemas na imagem da TV?

Bom, agora com essas medições e comparações, vou tentar utilizá-lo de novo, com a outra TV, para ver se apresenta de novo os mesmos problemas. Este filtro ficou encostado um mês desde de que detectei os problemas.

Desculpe o tamanho do texto, mas não tinha como ser mais suscinto para apresentar todos estes resultados.

Obrigado antecipadamente por qualquer sugestão, correção ou recomendação.

Sidney

_rau_
16-11-2010, 12:38
Cara, que complicado, hein?! Sabe que fiz os mesmos testes que você num filtro da APC e o comportamento foi quase o mesmo!

Primeiro fiz o teste de medição de resistência entre Neutro/Terra e o mesmo comportamento ocorreu, o LED de aterramento passa indica "Terra OK" quando meço a resistência numa escala de 2KOhms, mas percebi que se eu aumentar a escala do multimetro, chegando até 2000KOhms o LED vai mudando de intensidade até passar a indicar que o terra está com problema, creio que vai acontecer a mesma coisa aí.

Daí medi então a tensão entre Fase/Neutro, Fase/Terra e Neutro/Terra com fio terra desligado e apareceu tensão entre Fase-Terra e Neutro-terra, o que creio ser um comportamento normal já que essa tensão é que está circulando pelos componentes que fazem o circuito de checagem do aterramento e inversão de polaridade acender ou apagar o LED.

O único comportamento que não foi igual e sim totalmente o oposto, foi ao ligar uma carga. O LED do APC acende quando não tem aterramento, ao contrário do seu, mas ao ligar uma carga esse LED fica com o brilho mais intenso ainda, ao desligar tudo o LED fica ligeiramente mais fraco, mas não se apaga. Fiz o mesmo teste invertendo a polaridade da tomada e o mesmo comportamento. Então essa foi a diferença para o seu teste, mas que infelizmente ainda não me trouxe conclusão alguma.

Uma medição que você não fez foi medir a resistência entre neutro/terra no cabo da tomada das TVs. Faça isso e se acusar circuito aberto (CORREÇÃO: CIRCUITO FECHADO, E NÃO ABERTO), pode ter certeza que as suas TVs têm alguma problema. Seria uma coicidência e tanto se as duas tiverem com o mesmo problema, mas não custa fazer esse teste aí.

O fato de o conduite estar apresentando tensão igual a medição Fase-Neutro é pelo fato dele estar aterrado, só não se sabe se independentemente ou no neutro do prédio ou barra de equipotencialização, onde o neutro estaria ligado. Ligue uma lâmpada entre Fase-Neutro e Fase-Terra (conduite) e meça a tensão nas duas condições, se a tensão não cair nada ao medir contra o conduite, pode ter quase certeza q ele tá atado no neutro em algum ponto ou ele tem uma resistência bem baixa mesmo.

dsidney
17-11-2010, 23:15
_rau_,

Se entendi direito, no seu filtro APC, o LED de aterramento acende para indicar que não tem aterramento, correto? É o contrário dos meus filtros que o LED acende para indicar se há aterramento.

Acredito que o resultado dos meus testes (para ambos os filtros), no que se refere aos LEDs só acenderem quando há pelo menos uma carga aterrada conectada a uma das saidas do filtro, faz sentido para mim e parece que esta correto, pois para que os LEDs indicativos de aterramento bom acendam, precisa haver pelo menos uma carga aterrada fechando o circuito.

Então, o teste do seu APC teria que dar resultado oposto ao dos meus filtros, porque o funcionamento do LED tem propósito oposto.
Acho estranho que o aparelho da APC tenha um LED para indicar falta de aterramento, seria o mais correto talvez ter um com cor diferente para indicar presença de aterramento e outro com outra cor para indicar falta de aterramento.

No manual dos meus filtros fala claramente que o LED é indicativo de presença de aterramento no circuito onde esta ligado seu cabo.

Isto esta claramente em desacordo com o que esta acontecendo no meu filtro Panamax, pois com o receptáculo desparafusado da caixa e sem contato com o conduite de metal, ainda assim indcia aterramento bom.

Nâo entendi porque a sugestão do teste de impedância entre neutro-terra no cabo da TV. Por lógica não pode dar circuito aberto e pelos meus testes isto não esta ocorrendo, pois justamente quando ligo os cabos da TVs nos respectivos filtros é que fecha o circuito e os LEDs passam a indicar aterramento, confirmando minha teoria de que isso é o normal.

O que não é normal, é o caso do Panamax conectado ao receptáculo que esta afastado da parede (isto é, não esta em contato com o conduite aterrado) e portanto não poderia indicar aterramento bom. Porisso continuo achando que este filtro Panamax esta com defeito.

Este receptáculo da sala, onde o Panamax esteve ligado e apresentou estes resultados, é um receptáculo no da Leviton, hospital grade, 15A, isolated ground, que importei junto com os filtros.

Não tem nada de errado com o receptáculo, pois o condicionador SMS ligado no mesmo, funciona normalmente, sem deteriorar a imagem da TV.

Uma coisa é certa, estou bastante insatisfeito com estes resultados apresentados pelo Panamax.

É claro que a Panamax me mandou as favas, me respondendo o que eu já sabia, após muita insistência, de que a garantia deles só é valida para os EUA. Nem sequer me ofereceram para enviar o aparelho para a troca.

E tem gente que vende Panamax aqui no Brasil, no mercado livre, dizendo que dão um ano de garantia de fábrica. Quem compra acredita. As vezes a ignorancia é uma benção mesmo.

_rau_
17-11-2010, 23:55
Sim, no APC é o contrário do seu.

Eu creio que não, o filtro tem que dar as indicações independente da carga conectada, como no meu APC, ele indica a presença ou não do aterramento mesmo sem cargas conectadas e nem teria razão de não ser assim.

O funcionamento do LED do meu APC não tem propósito oposto, ele apenas funciona de forma oposta, mas a lógica é a mesma. O meu APC tem três leds, os outros não vêm ao caso, mas o que indica a falta de aterramento se chama "Building Wiring Fault" - Falha na fiaçao da construção. Ele indica três condições: Aterramento aberto, polaridade invertida e neutro sobrecarregado, só se apaga se as três condições forem sanadas. Uma pequena DDP entre neutro/terra, digamos de 5V, já faz com que o LED acenda bem fraquinho, essas DDP's podem ocorrer justamente com uma sobrecarga do neutro. A inversão de polaridade ativa o LED, e terra aberto tb. Dentro do filtro há um diodo + transistor + resistor nesse circuito, só não vou saber explicar direitinho como que funciona esse circuito.

Até aqui não importa como que funciona esse sistema nem o sistema do seu filtro, isso não vem nem ao caso e devemos focar no funcionamento do seu filtro que com LED aceso indica presença do fio terra, até aqui isso tá claro.

Quando eu falei pra medir a resistência entre neutro/terra do cabo da TV tem uma razão. Se houver uma falha interna na TV que mantenha neutro-terra curto circuitado, como por exemplo um capacitor Y danificado, capacitores esses que são colocados no filtro das fontes entre Neutro-terra, automaticamente se cria um esquema TN-C de aterramento e o filtro não sabe distinguir esquemas de aterramento, apenas diz que o pino de aterramento do plugue está terrado de alguma maneira! E como assim por lógica não pode dar circuito aberto? Neutro e terra do plugue da tomada da TV tem que dar circuito aberto sim! Se der circuito fechado, tão curto-circuitados dentro da TV! Justamente quando você liga o cabo no filtro é que o LED tem que acender, porque em teoria neutro-terra estariam curto-circuitados dentro da TV, criando um esquema TN-C de aterramento. Isso sozinho faria qualquer Dispositivo DR desarmar.

Verifique novamente se dá circuito aberto ou fechado no pino neutro e terra do plugue da TV.

Atualização:

Já tentou ligar o cabo de três pinos do seu PC no filtro Pamanax pra ver se o comportamento é diferente dos das TV's?

dsidney
18-11-2010, 21:53
_rau_,

Este filtro APC seu, parece ser muito melhor do que os meus. Se soubesse disto, teria comprado desta marca.

Voce diz que seu filtro APC indica a presença ou não do aterramento, mesmo sem carga nenhuma conectada. No manual dos meus filtros não tem nada sobre isto. Vou procurar de novo nos manuais dos mesmos e até no site. No manual do seu filtro diz alguma coisa sobre isto?


Quanto aos meus filtros, acabei de receber um terceiro filtro, também da Tripp Lite, igual ao primeiro, e há dois dias atrás, liguei o mesmo em outro apartamento (em outra cidade, que uso quando estou trabalhando) para proteger a TV e DVD que tenho neste apartamento.
Neste setup, este terceiro filtro, esta funcionando com a luz de terra apagada, como deveria ser, pois este apartamento também não tem aterramento (e estou supondo que os conduites sejam de plastico, mas ainda não abri para ver).

Com este resultado, estou concluindo que os meus dois filtros Tripp Lite, estão funcionando normal. O primeiro esta com luz acesa porque o conduite de metal do apartamento esta funcionando como terra.

Quanto a medição de impedância, entre neutro-terra nos pinos do cabo das TVs, na sua nota anterior, voce diz que se acusasse circuito aberto minhas TVs estariam com problema (acho que voce pensou uma coisa e escreveu outra sem querer), e por causa disso eu deduzi pelo que voce falou que esta medição deveria acusar alguma impedância (e não circuito aberto) devido ao circuito eletrônico de proteção da fonte. Na verdade não pensei muito sobre isso, peguei o seu raciocínio inicial e deduzi errado então. Ainda tenho minhas dúvidas se deveria indicar circuito aberto ou não, mas faz sentido o que voce esta falando agora na sua última nota.

Estarei fora de casa nas próximas 2 semanas trabalhando, então não poderei testar nas minhas TVs. Vou aproveitar e fazer este teste em alguns eletrônicos aqui no meu trabalho, em monitores, TVs, PCs, pois tudo aqui é equipamento importado e a maioria tem aterramento nos cabos.

Não fiz teste usando meu PC, mas irei fazê-lo quando voltar para casa. Eu assumi que o resultado seria o mesmo e nem pensei em testar desta forma. Dos meu eletrônicos, só as TVs e o PC é quem cabos aterrados.

Meu PC fica ligado num no-break de 600 VA da APC, desses mais simples. Não sei se este no-break tem proteção adequada, mas venho usando o mesmo ha quase dois anos, com bateria descarregada, só mesmo para proteção. Tenho minhas duvidas se esta protegendo mesmo.

_rau_
18-11-2010, 22:13
Sério, deixa eu ver o que escrevi pra consertar.

Ao medir a resistência entre o pino neutro e o pino terra do plugue de qualquer eletrônico, o multimetro não deveria acusar nada ou seja, continuar com o número "1" na tela, se zerar é porque o circuito está fechado onde deveria estar aberto, repetindo denovo só pra confirmar, circuito aberto! :D Mesmo que vc coloque na escala mais alta, tipo 2000k Ohms, o multimetro tem que ficar quietinho em "1". Pra não ter dúvida, medi três equipamentos aqui de casa, PC, Nobreak e TV, todos se comportam dessa forma, tanto neutro-terra como fase-terra.

Sobre o nobreak APC, ele possui uma proteção boa para seu PC sim, mesmo sem a bateria. Ele possui um filtro de linha para ruidos em modo diferencial e comum e proteção para picos de tensão nesses dois modos tb, utilizando para isso três varistores de 14mm, o que é acima da média do mercado que usa varistores de 10mm ou menor. Há ainda um quarto varistor no ponto de saída após os transformador do nobreak, antes das tomadas de saída.

Novamente aguardarei vc retornar de viagem. T+

Atualização: Corrigi o erro da msg onde eu falo do circuito aberto como sendo o problema, realmente pensei uma coisa e disse outra.

dsidney
18-11-2010, 22:51
_rau_,

Sem problemas, isto acontece de vez em quando com qualquer um. Aposto que voce é do tipo multi-tarefa, que faz várias coisas ao mesmo tempo, tipo assiste o jornal na TV, responde e-mails, responde ao forum e/ou faz pesquisa na internet ao mesmo tempo (eu as vezes até falo com a esposa ao mesmo tempo e quando ela percebe fica brava e interrompe a conversa). Mas de vez em quando isto causa alguns lapsos na escrita ou na memória de curto prazo.

Estou quase me convencendo de que estes filtros, pelo menos a maioria deles, são uma enganação mesmo. Este da Panamax que custou US$120.00 (lá nos EU), esta sendo a maior decepção. Pelo menos os da Tripp Lite são de U$ 35.00 cada um (lá nos EU).

Quando puder vou abrir ambos os filtros (Panamax e Tripp Lite) para compará-los por dentro. Acredito até o momento que os da Tripp Lite de US$ 35 são melhores que os da Panamax de US$ 120. Vou tirar fotos e postar aqui para voce ver.

Eu pensava em comprar um condicionador da Panamax, mas depois desta, estou achando que Panamax é igual a produtos da Sony e da Apple, voce paga mais pelo nome e recebe menos do que os produtos de outra marcas.

Sobre a hipótese das minhas TVs, as duas estarem com problemas nas fontes, marcas diferentes (plasma e LCD) , acho muito pouco provável. Ambas estão funcionando normalmente sem os filtros e a do quarto esta ligado no filtro da Tripp Lite e também esta funcionando normal.

Obrigado pelas respostas.

_rau_
19-11-2010, 10:00
Eu tinha deixado de te responder uma pergunta:

"Voce diz que seu filtro APC indica a presença ou não do aterramento, mesmo sem carga nenhuma conectada. No manual dos meus filtros não tem nada sobre isto. Vou procurar de novo nos manuais dos mesmos e até no site. No manual do seu filtro diz alguma coisa sobre isto?"

No manual não diz nada sobre isso, mas é uma questão lógica, a carga não pode interferir nesse diagnóstico. Pelo menos pelos componentes usados, Diodo, Transistor e Resistor, nada me indica que deve haver algo conectado no filtro para fazer uma diagnóstico simples do fio terra, é algo totalmente sem lógica pra mim se tivesse que ser assim. Tenho um estabilizador aqui, de 1992, da marca GR Savage e ele tem um led que diagnostica o fio terra e ele funciona da mesma forma que o da APC, e não precisa ter carga ligada para proceder esse diagnóstico.

Pois é, sou meio multitarefa sim, as vezes fico meio malucão das idéias mesmo fazendo mais de uma coisa ao mesmo tempo e com "trocentos" sites abertos no meu navegador, e-mail, etc.

Os filtros não são enganação, você está julgando todo o filtro por causa de um simples LED de diagnóstico que não sabe nada além de dizer se o fio terra tá ou não conectado, não sabendo dizer a qualidade do mesmo e nem teria como fazer isso em qualquer filtro que seja. Nem condicionadores seriam melhor nisso. Pra mim seus filtros tão normais, alguma coisa ainda tá influenciando o seu diagnóstico. No que tange a proteção, esses filtros são bons, não são enganação não. Panamax, Monster Sound, Furman Sound, são marcas de renome e muitas vezes o preço cobrado tem muito do status da marca, mas são produtos de qualidade sim. Não há como negar que produtos Sony e Apple são mais caros, mas são de qualidade pelo menos, mesmo que os preços sejam abusivos.

Sobre as TV's, não sei, alguma vez elas já passaram por alguma condição de descarga elétrica, raios, e mesmo assim continuaram funcionando? Se um capacitor entre neutro-terra tiver dado vazão para uma descarga, ele pode ter se danificado, mas isso não cria nenhum efeito ruim no funcionamento da TV, apenas cria uma falha de segurança oculta. Apesar de que esses capacitores serem muito resistentes pra isso acontecer, mas não custa testar.

Edegar01
28-11-2010, 10:57
Olá!
Meu nome é Edgar, estou bastante curioso,principalmente por saber que poderei tirar dúvidas sobre instalações prediais e entrada de luz padrão CEEE.
conto com a ajuda de voces!
.

ed1000Som
04-12-2010, 10:19
Bom Dia a todos.

Amigos estou a construir e a nova casa já está a chegar na fase das instalações eletricas.
Gostaria por demais que os amigos pudessem me ajudar com alguns detalhes tecnicos , por favor.
Ainda não foi feito o projeto eletrico da mesma , mas como não tenho muito espaço aproveitei a entrada da garagem e já coloquei o terra para os equipamentos de som.
Esse terra foi feito pelo pessoal terceirizado da Electro , com 35 metros de profundidade e cabo de cobre da grossura de uma pilha AAA , medido com o *terrimetro* (acho que é assim que se escreve) deu em torno de 1.0 ou pouco abaixo no final do cabo.
O tamanho do cabo de aterramento (barra + 35 metros aterrado e mais 9 metros até aonde ficarão as tomadas.
Serão 3 tomadas grade hospital (acho que Levington) sendo uma *solteira para o Oppo* e outra para o condicionador de energia (Onkyo/Xbox/Receptor de Satelite/LCD e se a negociação andar um Integrado.
A 3 tomadas GRADE aterrada do sistema Audio/Video ainda não me decidi como vou usar.

Minhas dúvidas são: Pretendo trazer os fases e neutros diretos da caixa de distribuição *proprietarios* sem mais nenhum uso a não ser os equipos.

1-Qual os cabos e bitolas recomendados para esse fim , fios para os neutros e fases positivo.

2-O Terra é um cabo grosso de cobre , qual conector usar para plugar os fios que irão para as 3 tomadas Grade e que bitola usar nesses fios.

3-O Neutro que está instalado no poste é aquele meia boca , devo melhora-lo...

A ligação que vêm da rua (provisoria) é bifasica 110 Volts.

No aguardo de ajuda dos amigos foristas , Ed1000Som.

_rau_
07-12-2010, 00:01
1 - A "bitola" ou seção transversal do cabo vai depender de muitos fatores, mas vai depender principalmente do disjuntor que protegerá esse trecho de cabo, via de regra e com boa margem de segurança já considerando uma distância mediana:

16 à 20 Amperes - 2,5mm2
25-30 Amperes - 4mm2
35 - 40 Amperes - 6mm2
40 - 50A - 10mm2

2 - A bitola do terra deve seguir a mesma do fase quando esse for de até 16mm2 ou seja, vc deve dimensionar por trecho. Se o trecho principal for usdo 6mm2, o terra deve ser de 6mm2 tb. Nos quadros de distribuição modernos há barramentos de distribuição onde vc liga o cabo terra principal e dai dividi de acordo com os circuitos finais, seguido a "bitola" destes.

Se sua malha de terra for separada da malha do aterramento do neutro você deve usar obrigatoriamente Dispositivos DR no quadro de distribuição e se a sua região apresentar uma incidência de raios próximos, deve adotar obrigatoriamente proteções contra descarga de alta capacidade entre neutro-terra e claro Fase-neutro ou Fase-Terra.

3 - Como assim?? Melhorar o aterramento do neutro? Sim, sempre é bom melhorar esse aterramento local e na maioria dos casos utilizar um aterramento de malha única, separando neutro e terra dessa mesma malha, esquema TN-S - mas isso depende de alguns fatores que devem ser analisados e nem sempre esse esquema é o melhor a se escolher.

Aconselho a contratar um profissional gabaritado e não realizar as coisas por contra própria.

ed1000Som
07-12-2010, 22:20
_rau_ Boa Noite.

Muito obrigado pelas explicações sobre o assunto, não domino nada nesse campo.

O que pretendo é separar a parte eletrica que vai para os equipamentos do restante da rede eletrica da casa.

Um terra para o equipamento (já instalado)- e outro terra para o quadro geral da residencia.

O tecnico eletrico me disse que têm que ser 2 redes separadas , um medidor para os equipamentos e outro medidor para a rede da casa.

Cada qual com seu quadro e disjuntores separados...procede isso...

Não pretendo fazer nada por minha conta não ... rsrsrs... tenho medo de qualquer coisa que passe de 5 Volts.

Mas já quero estar sabendo de algumas coisas quando do projeto eletrico fôr feito pelo engenheiro , Abraço Forte.

_rau_
08-12-2010, 12:42
Não tem necessidade de dois medidores, só se forem construções, casas, separadas. Construções adjacentes que fazem parte da mesma residência, podem usar o mesmo medidor. O que seria feito nesse seu caso é uma derivação dos condutores principais para o outro quadro elétrico. Eu não vejo nem necessidade de dois quadros distintos, bastanto criar um circuito dedicado (disjuntor) somente para a sala de audio/video. Dividir a casa em vários quadros só aumenta a complexidade da instalação, uma complexidade injustificavel na minha opinião. Adotar um quadro de maior dimensão com eletrodutos de maior "bitola" para passar mais fios, resolve na maioria dos casos. Essa coisas de terras separados não é minha praia e é algo inseguro no que tange descargas atmosféricas, aqui se inclui o neutro aterrado da CIA Elétrica.

LyBeck
10-12-2010, 23:51
Aproveitando o assunto. Estou modernizando uma casa que possui o quadro principal e vários pequenos quadros (um para cozinha, outro para bombas e serviço e outro pros quartos). Minha pergunta é: No quadro principal com fiação trifásica, qual a melhor maneira de "puxar" os fios para os outros quadros? Refiro-me a como fazer as emendas pois cada fase alimentará também todos os demais quadros. Só para ilustrar. Imagine a entrada no relógio com disjuntor trifásico de 150A - quadro principal 60A / quadro cozinha 30A / quadro bombas 40A / quadro quartos 30A. A derivação das fases, para os quadros internos, deverá ser feita a partir do quadro principal que recebe a alimentação vem do relógio.
A quem puder me dar dicas, agradeço.

_rau_
12-12-2010, 18:35
De onde vc deve derivar os cabos que alimentarão cada quadro não é o mais importante, você pode derivar de onde for conveniente, o que se deve prestar atenção é ao disjuntor geral que protegerá cada seção de fio derivada dos condutores principais. Por exemplo, um disjuntor de 150A deve estar protegendo um cabo com 50mm2, esse cabo deve ir até o quadro de distribuição principal, daí em diante você pode derivar onde for conveniente, dentro do quadro de preferência, um condutor de menor "bitola" pros quadros secundários, cada quadro deve ter um disjuntor geral que protegerá essa seção de fio que foi derivada de um condutor de maior "bitola". Ex:

150A - Cabos de 50mm2 --> 60A - Cabos de 16mm2 --> 40A - 6mm ou 10mm2 --> 30A - 4 ou 6mm2.

Esse exemplo se cada seção de fio que alimentará cada quadro for derivada do condutor de maior bitola, mas você poderia por exemplo derivar a fiação de quadro pra quadro, levando em consideração que a bitola que alimenta o ultimo quadro deve suportar a corrente do quadro seguinte, tendo cada seção de fio entre cada quadro protegida por um disjuntor correspondente à capacidade dos condutores utilizados.

LyBeck
12-12-2010, 21:53
Obrigado _rau_ pela resposta.
Achei bastante interessante esta idéia de ligar um quadro após o outro. Acontece que todos os pequenos quadros chegam (ou partem) do quadro principal. Não tenho dúvidas quanto ao dimensionamento de disjuntores e fiação. Minha dúvida mesmo é como fazer a derivação (emenda) do cabo de 50mm2 com os demais cabos que possuem bitolas diferentes (conforme a capacidade de cada setor). Esta emenda ficaria muito grossa e difícil de ser feita, pois cada fase teria uns 4 ou 5 cabos.
Penso também em colocar um barramento para distribuir esta alimentação entre os demais quadros mas não sei se seria viável e econômico. Nesta hipótese, onde colocaria os disjuntores dos quadros menores? No barramento ou em cada quadro menor?
Será que consegui me fazer entender?

_rau_
13-12-2010, 11:33
Essas emendas devem ser feitas com conectores apropriados, existem vários no mercado, como o parafuso fendido por exemplo.

O barramento pode ser usado tb, eu pessoalmente criaria um quadro a parte, de menor tamanho, onde ficaria só o barramento, que poderia ser uma barra de cobre grossa com furação para conectar os cabos, creio que não sairia caro. Você poderia por um quadro perto do quadro principal, que receberia os "cabões" que seriam ligados em barramentos (Um pra cada fase e um pro neutro), desse barramento sairia os cabos de bitola menor para os quadros finais e dentro de cada quadro vc colocaria um disjuntor geral especifico para o cabo com bitola menor. As CIAS elétricas daqui costumam fazer algo similar quando há mais de um medidor por lote, existe uma caixa onde há 4 barramentos, cada um recebe os cabos de maior bitola que vêm do poste e daí é dividido em cabos menores que alimentam cada quadro de medição, o nome que eles dão é caixa de derivação ou barramento.

dsidney
13-12-2010, 17:12
_rau_,

Finalmente fiz neste fim de semana, as medições sugeridas por voce.

Vamos aos resultados. Para simplificar vou dizer o reusltado da análise e a conclusão de que os filtros estão funcionando normalmente, isto é, nenhum dos dois esta acendendo o led de Ground OK, exceto na tomada (receptáculo) da sala, donde obviamente concluí que o "problema" esta sendo causado por este receptáculo. Depois volto neste ponto.

Medi resistência entre neutro-terra nos cabos das TVs, e como voce previu e estava certo, esta tudo normal com as duas TVs e deu circuito aberto.

Testei o filtro Panamax usando como única carga (com terra no cabo) o meu PC, e o Led não acendeu, confirmando o que voce disse e estava certo, e eu acreditava que deveria ser assim também. O filtro não depende de carga com cabo aterrado para o Led acender.

Agora vou explicar o porque das indicações estranhas nos testes anteriores. Quando medi e comparei os dois filtros antes, afirmei que ambos estavam apresentando exatamente o mesmo comportamento, e estavam mesmo, mas somente quando ligados na tomada da sala.

Quando fui fazer estas novas medições, percebi que o filtro TripLite esta funcionando normal (sem o Led aceso) quando esta ligado na tomada do quarto, o que era de se esperar.

Repeti os testes anteriores com o filtro Panamax em duas outras tomadas, a do quarto e uma outra da sala onde esta conectado o PC. Em ambos os casos, o filtro funcionou normal, sem o Led aceso como deveria ser.

Voltei a ligar o Panamax na tomada da sala, com o receptáculo desconectado da parede, ou seja sem contato com a caixa e o conduite de metal, e novamente o Led volta a acender quando tem uma carga com cabo aterrado (no caso a TV), como se houvesse aterramento nesta tomada.

A conclusão é que o problema é neste receptáculo, este receptáculo (tomada) é novo, e é da marca Leviton, hospital grade, 15 amperes, Isolated Ground.

Então estou entendendo, como voce também já tinha percebido, que este filtro (e o outro também) ligado neste receptáculo (mesmo o mesmo estando afastado da parede, sem contato com a caixa metálica e sem fio de terra conectado no mesmo), com uma carga ligada no mesmo (desde que esta carga tenha um cabo aterrado com conector de tês pinos), passa a operar (o receptáculo) num esquema de TN-C e porisso o Led de Ground OK acende.

O receptáculo é este aqui:

Modelo: Leviton 16262-IGW

Description 15 Amp, 125 Volt, NEMA 5-15R, 2P, 3W, Decora Plus Duplex Receptacle, Straight Blade, Hospital Grade, Isolated Ground, Back & Side Wired, Steel Strap - White

http://www.leviton.com/OA_HTML/ibcGetAttachment.jsp?cItemId=rnpTSQXBYO1yVc7l2t8Me w&label=IBE&appName=IBE&sitex=10026:22372:US

http://www.leviton.com/OA_HTML/ibcGetAttachment.jsp?cItemId=dVXZ8ZkBMAr7wFCKcajpv w&label=IBE&appName=IBE&minisite=10026



Quando comprei, pela especificação de aterramento isolado, pelo diagrama de conexão e pelas especificações no site, entendi que este receptáculo nunca deveria fazer as vezes de um aterramento TN-C.

Aparentemente, acredito agora, que é exatamente o que ele faz. Não escrevi ainda para a Leviton para confirmar isto, mas aparentemente eu queria evitar uma tomada em esquema TN-C e acabei comprando uma que é assim.

Como eu não tenho aterramento no meu apartamento e talvez nem venha a ter, porque nem sequer passar o passa-fio de aço nesta tubulação eu consegui passar ainda, talvez esta tomada vai acabar sendo a minha solução mesmo.

Neste caso, se não estiver entendendo errado, estaria mantendo um esquema de aterramento TN-C e em conjunto com o filtro Panamax, o filtro de fato ofereceria alguma proteção ao meu equipamento.

Isto foi outra coisa que descobri nesta últimas medições, acabei também relendo as especificações dos filtros e na caixa do Tripp-Lite diz que o Red Led (que é o indicador de presença de aterramento na tomada) quando aceso confirma a presença do fio terra na tomada e que desta forma a proteção do filtro pode de fato funcionar.

A não ser que a Tripp-Lite esteja se referindo as proteções de sinais de TV, de ethernet e de telefone somente, isso daria a entender que o filtro só cumpre o papel de proteção contra surges elétricos nas cargas, se o filtro estiver ligado com o canal do fio terra para cumprir sua função de proteção contra surtos.

Como essas empresas (Panamax e Tripp-Lite), lá nos EU, pagam seguro aos usuários destes produtos, em caso de perda de equipamentos devido a falha de seus filtros, e só o fazem se a instalação dos mesmos estiver correta, acredito que esta afirmação deve ser tanto para a proteção de sinais quanto a de energia.

Ainda vou dar uma olhada melhor no site das duas empresas sobre esta questão da proteção e também vou escrever para eles.

Bom, isto esta longo demais, vou parando por enquanto.

Rau, se voce puder me dar alguma luz sobre o meu entendimento a respeito deste receptáculo, eu agradeço.

Obrigado por ir adiante neste estudo comigo.

Sidney

_rau_
14-12-2010, 12:37
Dsidney

Tudo me indica que essa tomada tem neutro e terra separados, nem teria porque ser o contrário já que o esquema TN-C é proibido nos EUA e a Leviton não iria fazer uma barbaridade dessas. O que pode estar acontecendo é a instalação dela estar errada. To pesquisando aqui e primeiramente achei um artigo que não resolve a questão, mas explica um cuidado que deve se ter com o aterramento dessas tomadas. A diferença entre uma tomada com terra isolado e outra com terra não isolado é muito simples, a com terra isolado não aterra as abas metalicas dos parafusos que automaticamente aterraria tb a caixa de passagem metalica, já a com terra não isolado as abas estão diretamente atadas no terceiro pino da tomada, onde seria ligado o fio terra em si. Em teoria, o sistema "isolado" é menos ruidoso... mas a norma americana exige que essas abas aterrem o receptaculo da tomada então o instalador deve criar uma forma separada de aterrar as abas e o receptaculo de forma "independente" - isso tudo claro quando há fio terra na instalação. Muitas vezes acontece de o receptaculo da tomada estar ligado num terra estranho, via eletroduto metalico por exemplo e por isso essas tomadas isoladas são assim para não "pegar" esse terra "estranho", pelo menos foi isso que eu entendi ao dizerem que em teoria essas tomadas apresentam a possibilidade de um aterramento menos ruidoso...

O que pode estar acontecendo no seu caso é que vc tá ligando o neutro no parafuso errado da tomada, já verificou isso? Teria como você tirar uma foto de como está ligada essa tomada na rede elétrica e se possivel mostrando os parafusos laterais dela de conexão? Talvez dependendo da forma que instalei essa tomada o neutro passe a fazer contato direto com o pino verde, que é o de aterramento.

No seu caso aí, há algum tipo de conexão externa feita entre o neutro e o parafuso verde?

http://ecmweb.com/mag/805ecmCQfig1.jpg

dsidney
14-12-2010, 19:43
_rau_,

Quando pesquisei e escolhi este modelo de tomada para comprar no Amazon, eu sabia de antemão tudo isso que voce esta afirmando acima.

Escolhi este exato modelo pelo fato de ser terra isolado (e aprendi do que se tratava, pois consultei as especificações no site do fabricante antes de comprar) e também pelo fato de não ter nenhum dispositivo imbutido neste receptáculo tais como nos modelos GFCI e Surge Protected, e portanto não esperava nenhum esquema de aterramento TN-C imbutido na mesma.

Quando disse acima que este receptáculo esta em esquema TN-C, foi em função do que estava acontecendo aqui na prática comigo, não quiz dizer que ela é assim por especificações. Tanto que disse que vou escrever para a Leviton para me explicar porque isto esta acontecendo, mas não tenho esperânça de uma resposta técnicamente correta, pois eles vão provavelmente afirmar que o problema é no meus filtros Panamax e Tripp-Lite.

Não tenho como te enviar fotos agora, mas na verdade nem precisa porque não há nada conectado ao conector de fio terra da tomada, muito menos entre neutro e este conector.

O problema esta ocorrendo internamente na tomada e não pretendo quebrá-la para ver por dentro. Vou reaproveitá-la em alguma outra situação se por acaso decidir não usá-la.

O que de fato esta ocorrendo (meu entendimento) é que este receptáculo conectado a qualquer um dos meus dois filtros (testei com um terceiro também da Tripp-Lite e deu o mesmo resulatdo), Panamax ou Tripp-Lite (desde que haja uma carga com cabo aterrado ligado no filtro), faz este receptáculo operar num esquema de aterramento TN-C.

Uma evidência disso é que nesta condição (com qq um dos 2 filtros) é que tendo uma carga com cabo aterrado ligado em uma das saidas do filtro(uma das tomadas), nas outras tomadas vazias do filtro passa a ter tensão de linha entre fase e terra (além do Led de Ground OK passar a ficar aceso).

Acho que pelos riscos envolvidos com o esquema TN-C, vou retirar a tomada e encostá-la, até eu encontrar uma solução para a minha instalação de aterramento adequado em esquema TN-S, e voltar a usar a minha tomada nacional vagabunda mesmo.

Uma solução paliativa para o meu caso de aterramento em função do fato que descobri que o conduite de metal esta aterrado no neutro do prédio, seria fazer um aterramento direto do conector de terra deste receptáculo (ou de um outro modelo) direto com o conduite de metal, transformando assim esse esquema em aterramento TN-S através do conduite.

O que voce acha dessa idéia? Tenho um certo receio, mas não consegui achar uma razão óbivia para não fazer isto, uma vez que este conduite metálico esta em mesmo potencial que o Neutro, pelo menos pelas medições que fiz me levaram a esta conclusão.

Muito obrigado de novo pela ajuda.

dsidney
15-12-2010, 14:23
_rau_

Ontem tirei o receptáculo da Leviton e instalei um receptáculo nacional simples (novo, mas modelo antigo, dois pinos chatos e o terra redondo).

Não prendi o receptáculo na caixa para evitar qualquer tipo de contato deste com a caixa/conduite de metal, simulando extamente a mesma situação com o Leviton.

Reconectei o filtro Panamax e para minha surpresa continua tudo exatamente igual. Conclusão: o pseudo aterramento TN-C, não tem nada a ver com o receptáculo da Leviton.

Agora voltei a pensar que é o filtro Panamax é que esta fazendo o esquema TN-C.

Testei o filtro Tripp-Lite e os resultados foram iguais, exceto pela Led do Tripp-Lite que não esta acendendo, o que era de se esperar.

O que esta parecendo é que para os dois filtros o funcionamento normal, mesmo não estando ligado a um receptáculo/tomada aterrado, uma vez tendo uma carga com cabo aterrado ligada em uma das saidas do filtro, nas outras saidas começa a mostrar tensão de linha entre fase e terra.

E se não há uma carga com cabo aterrado ligado em uma das saidas, a tensão entre fase e terra esta medindo cerca de 10% da tensão de linha em qualquer das saidas dos filtros.

Bom, voltei a estaca zero e voltei a pensar que de fato o Panamax não funciona corretamente no que diz respeito ao Led de Ground OK.

Poderia por favor fazer estas medições de tensão entre fase e terra em uma saida vazia do seu filtro APC, tendo uma carga com cabo aterrado conectado em uma das outras saidas?

Obrigado.

_rau_
15-12-2010, 17:26
Nossa cara, que coisa hein!

Bem, sobre a pergunta na msg anterior, como você tem certeza que o conduite está ligado num esquema TN-S? O potencial dele pode ser o mesmo do neutro, mas um esquema TT tb o faria apresentar o mesmo potencial, isso depende de muitas coisas. Por acaso se você ligar uma lâmpada de 100W por exemplo entre Fase-conduite a lâmpada acende com mesma intensidade e sem apresentar queda de tensão? Não deve cair nem 1V sequer, se cair podem ser algumas coisas, mas provavelmente esses conduites estão em contato com o solo independentemente da malha de aterramento do neutro ou está com contato muito pobre com a malha do neutro e mesmo que a tensão não cai não tem como ter 100% de certeza que tá num esquema TN, pode ser um TT apresentando resistência bem baixa, o que é possível em algumas condições.

Só pra eu recordar, a LED acesa no filtro TRIPP Lite indica "Ground Ok", correto? Apagada, "Bad Ground"? A mesma coisa teria que ocorrer no Panamax, certo? Mas tá acendendo só na danada da tomada da sala? Eita que coisa doida!!

O comportamento do meu APC é o seguinte:

Isolando o pino de aterramento do plugue do filtro, pra simular uma condição igual a sua, Fase-Neutro apenas, com ou sem uma carga ligada nas tomadas do filtro que possua fio terra, a medição entre Fase-Terra deu 95 Volts e Fase-Neutro 216V - lembrando que meu APC foi convertido de 120 pra 220V.

Essa tensão de 95V creio eu que seja para ativar o LED que no caso do APC acende, mas indicando mal aterramento, ao contrário do seu filtro que deveria acender, mas com terra existente.

É estranho tudo isso e novamente o foco voltou ao Panamax mesmo, algum possivel defeito interno nele, mas aí me pergunto, e o que tem nas outras tomadas que faz ele se comportar corretamente?

dsidney
15-12-2010, 18:08
_rau_

Obrigado pela resposta.

Não sei se ficou claro para voce mas não tem nada ver com a localização física da tomada e nem com o circuito específico de cada tomada, também não tem nada a ver com o receptáculo específico. Tudo isso comprovei nas últimas medições.

Duas coisas posso afirmar agora com toda certeza:

1a - O filtro Panamax não esta funcionando direito quanto ao LED. Em ambos os filtros o Led é para indicar presença de aterramento e na falta do mesmo ficariam apagados.

2a - Ambos estão apresentando o mesmo comportamento de tensão de linha entre fase e terra, independente de qual tomada estão ligados (pois nenhuma aqui tem aterramento), desde de que tenha uma carga aterrada conectada em uma das saidas. Do contrário, sem a carga aterrada, a tensão entre fase e terra é sempre da ordem de 10% da tensão de linha (e deve ser para o próposito de acender led de aterramento como voce sugeriu).

No meu entendimento, esta situação de tensão de linha entre fase e terra num sistema que não esta aterrado de fato não deveria acontecer. Mas como os manuais não explicam isso, estou sem entender, pois para mim não faz sentido.

Quanto ao conduite estar em esquema TN-S, não sei, fiz uma suposição. Mas voce tem razão claro nos questionamentos que levantou, muito bem colocados como sempre.

Vou fazer a medição com a lampada e ver o que vai dar.

Eu sugeri TN-S, imaginando que provavelmente em prédios não fazem sistema TT, mas na verdade não tenho como saber infelizmente.

A equipotencialização da tubulação de metal com o neutro/terra da Ligth, é uma coisa mais possível de se esperar/acreditar em se tratando de uma empresa séria como a Gafisa, mesmo ha 30 anos atrás.

Estou mais frustado do que quando comecei estas medições com estes filtros. E fico pensando que a maioria compra esses filtros e ficam tranquilos achando que seus aparelhos estão protegidos. Tenho certeza que a maioria nem sequer percebe as incoerências no funcionamento destes filtros.

Continuo achando que estes filtros não estão protegendo nada os meus equipamentos.

Criei coragem e importei um condicionandor Belkin PF60, mas até recebê-lo tenho que confiar somente nestes filtros, e justo agora nesta época do ano aqui no Rio, que tenho tempestade com raios quase todo dia.

Tenho que ficar lembrando de desligar tudo da parede antes de sair de casa.

_rau_
15-12-2010, 19:00
São tantas informações e detalhes que as vezes acho que ao escrever to confundindo alguma coisa, e devo estar mesmo.

A tensão entre Fase-Terra nesses filtros q possuem esse tipo de LED de indicação de fato sempre existirá quando o não existir aterramento, isso é normal, já o nível dessa tensão aí sim não vou saber te dizer o quanto é normal, precisa-se entender a eletrônica que controla o LED, que apesar de eu saber que é algo simples, não sei em detalhes como funciona. Mas isso não influenciará em nada no funcionamento e proteção do equipamento.

Cara, eu tenho a opinião de que uma coisa é um mero ledzinho e seu circuitinho simples que apenas sabe indicar se há continuidade ou não do fio terra, mas esse não tem nada haver com a qualidade do filtro em proteger os equipamentos, uma coisa é totalmente independente da outra.

dsidney
15-12-2010, 19:25
Obrigado pela resposta.

É muito detalhe mesmo para pouca coisa na minha opnião. Mesmo assim essa troca de idéias esta clareando um pouco alguns pontos e me fazendo ficar menos neurótico com isso.

Essa idéia de querer fazer proteção elétrica acabou se tornando um monstro contra mim, porque gosto de fazer as coisas certas, ou então prefiro não fazer.

Como tudo na vida, para coisas materiais, fazer a coisa certa, sempre fica mais complicado e mais caro.

Por enquanto vou reinstalar o receptáculo da Leviton na sala, que é muito melhor do que o nacional que instalei (chega ser uma vergonha a diferença) e continuar usando com o filtro Panamax.

Se a Panamax respondesse para brasileiros eu escreveria para eles para tirar estas dúvidas, mas já tentei antes e não tive resposta.

Vou escrever para a Tripp-Lite e ver se tenho mais sorte com eles.

Não sei nem se vale a pena fazer testes com lâmpada em cima do conduite, porque com qualquer resultado, vou ficar sempre pensando que alguma poderá dar errado, se decidir utilisá-lo como fio terra de um suposto TN-S.

Mas que dá vontade de fazê-lo dá, porque a situação de instalar terra no meu apartamento é quase impossível sem quebradeira. E teria que fazer eu mesmo porque aqui no Rio para achar um profissional de confiança precisa muita sorte.

_rau_
15-12-2010, 19:45
Você pode optar pelo esquema TN-C-S dentro do quadro de disjuntores, ele é usado em muitos prédios... A única diferença pro esquema TN-S nesse caso seria o trecho de condutor neutro do quadro até o medidor, esso trecho precisa estar íntegro sempre, o neutro também não deve passar por sobrecargas, porque nessa condição há chances de aparecer tensão no neutro e consequentemente no fio terra, o mesmo poderia tb ocorrer no esquema TN-S, mas com chances muito menores pq nesse caso o trecho que poderia gerar problemas não seria mais o seu neutro, mas o neutro da CIA Elétrica. A sobrecarga no neutro se dá nas condições de desequilibrio intenso de cargas entre as fases e a soma das correntes de fase em cima do neutro causada pela distorção harmônica, mas mesmo assim pra surgir uma tensão perigosa no neutro nessas condições (acima de 25V) a coisa tem que tá muito feia, dificilmente se vê algo acima de 10V no neutro, na maioria das vezes tá abaixo de 5V em condição de consumo elevado, tipo chuveiros ligados.

A proximidade do condutor terra de um condutor com corrente passante, aqui no caso o neutro, é um fator importante para a operação correta de alguns equipamentos. É dito em algumas literaturas que uma corrente de 5A passando há 1 metro da carcaça aterrado do equipamento é o suficiente pra gerar alguns disturbios de operação em certos monitores de video e alguns equipamentos hospitalares, mas quanto maior essa distância, menor as chances de interferências ocorrerem, até se anularem num certo ponto. Por essa razão um esquema TN-C pode gerar problema de operação em certos equipamentos pq a proximidade entre o condutor terra do equipamento e o neutro é muito pequena, mas na minha opinião, num esquema TN-C-S até o quadro de disjuntores, as distâncias serão muito maiores que 1 metro e numa residência dificilmente algum equipamento "reclamará" do esquema TN-C-S.

dsidney
15-12-2010, 20:13
_rau_,

Aqui no meu caso são três dificuldades grandes e independentes, qualquer que seja o esquema de aterramento que escolher.

1a - Para instalar cabo terra da caixa de medidores até meu QD, para fazer um TN-S, que EMO seria a melhor opção, dependo de liberação do condomínio que não tem regra estabelecida para isso e delega este assunto/decisões a um empregado do tipo faz-tudo mas que não entende de nada.

2a - Para fazer um TN-C-S no meu quadro de distribuição, vou depender de quebrar paredes para passar os cabos de terra.

3a - Possivelmente terei que quebrar a parede em volta do meu QD, desligar toda minha rede, instalar um QD maior, religar a rede e refazer parede com azulejos de reposição.

Mas a maior de todas as dificuldades é achar e contratar profissionais decentes para fazer isto. Os preços de mão de obra "especializada" é de primeiro mundo, mas a qualidade do serviço prestado invariavelmente é de quinto mundo.

Por isso tenho até pensado em deixar isto tudo para lá e assumir possível risco/custo de perda de equipamentos.

Ando pensando também, entre não fazer nada e usar os conduites como possível cabo terra. Mas se decidir optar por isto vou fazer aquelas medições que voce sugeriu.

_rau_
15-12-2010, 20:49
Ok, no final das contas aterramento é bem isso mesmo, já que na verdade não existe melhor tipo, existe o melhor pra cada situação e mesmo assim com vantagens e desvantagens ou ainda assumindo o risco de não se tê-lo, ainda que no nosso pais desde 2006 há uma lei que exige que o mesmo seja existente em qualquer construção nova depois que a lei foi criada ou em reformas, mas quem criou essa lei provavelmente não entende nada de nada do assunto, a lei apenas diz que deve existir a coisa e não sabe quem em muitos casos um fio terra mal instalado é pior do que não tivesse.

É possível conviver sem aterramento na instalação, seria mais ainda se os fabricantes criassem apenas equipamentos domésticos com dupla isolação, um exemplo é um ferro de passar todo em termo-plástico ou um chuveiro elétrico com resistência blindada, geladeira com maior parte em plastico possivel nas parte sem q o usuário mais faz contato ou com uma isolação por baixo do metal, apesar de que nesse caso iria aumentar o custo. Infelizmente ter um fogão ou geladeiras totalmente isolados é dificil, mas há como se minimizar muito os riscos sem o uso do fio terra. Um PC tb é dificil ter o gabinete todo de plastico e isolar 100% a fonte de alimentação, mas nesse caso o usuário não está em contato com o gabinente de metal durante o uso do PC e dificilmente tomará um choque fatal em caso de fuga elevada de corrente. Pode ocorrer, mas é raro. Adotar um dispositivo DR de alta sensibilidade é uma boa alternativa pq em caso de choque elétrico, o usuário virará o fio terra que conduzirá poucos miliamperes para o DR se desligar e não morrerá no processo, tomará um choque "gostoso", mas não morrerá grudado na energia. :)

A proteção de sinal é possível sem fio terra, eu considero a melhor opção os E-Clamper para proteger as linhas de sinal, desde que se tenha um neutro na rede, que é sempre aterrado, esses protetores não funcionam direito em sistemas Fase-Fase. A proteção na linha de força ficará por cargo do neutro aterrado e filtros protetores. A imunidade e compatibilidade eletromagnética entretanto fica um pouco comprometida sem fio terra, já que os filtros das fontes de PC's por exemplo fazem uso de capacitores atados ao fio terra para reduzir tanto ruidos de dentro pra fora como de fora pra dentro da fonte, mas nada tão sério.

dsidney
18-12-2010, 18:58
_rau_,

Obrigado pela resposta.

A novidade é que descobri o problema dos Leds de Ground OK dos meus filtros acendendo com a tomada da sala. Fui reinstalar o receptáculo Leviton e resolvi experimentar inverter fase e neutro na ligação, isto é, fazer ao contrário do esquema de ligação recomendado pela Leviton.

Deste jeito o Led dos filtros não acendem mais. Conclusão: os Led além de indicar aterramento correto também indicam ligação fase e neutro invertida em relação ao filtro. Esta característica não esta especificada nos manuais de nenhum dos dois.

Resolvi fazer isto porque li alguém comentando (não me lembro ao cerot se foi voce), que os filtros APC tem esse feature.

Com relação sua última resposta, entre usar as proteções de sinal que existem nos meus filtros Panamax e Tripp-Lite (sem ter aterramento na rede) e as do Clamper, qual seria a melhor?

_rau_
18-12-2010, 21:06
Poxa, eu num falei nada antes porque você tinha dito que esse LED indicava exclusivamente a presença ou falta de aterramento, mas também a Panamax e a Tripp Lite nem pra dizer nada ou usar uma nomenclatura diferente como a APC faz ao utilizar "Bulding Wiring Fault" em volta do LED, o que engloba três condições especificadas no manual do produto:

- Falta de aterramento
- Inversão Fase/Neutro
- Neutro sobrecarregado

Creio que ambas seriam equivalentes, mas no caso dos Panamax e Tripp-Lite a proteção seria danificada no primeiro impacto. Eu to dizendo isso baseado em três relatos colhidos em foruns da Internet no qual essas três pessoas tiveram a proteção de sinal danificada por raio, aparentemente apenas fusível da proteção de sinal queimado, e os modems protegidos sairam ilesos, mas a proteção de sinal danificada, sem passar sinal adiante. É sempre bom usar uma proteção que forneça uma via de escoamento e que não dissipe a energia toda em si, isso não dá muita garantia de que o equipamento protegido sairá sempre ileso no processo.

dsidney
18-12-2010, 22:29
Creio que ambas seriam equivalentes, mas no caso dos Panamax e Tripp-Lite a proteção seria danificada no primeiro impacto. Eu to dizendo isso baseado em três relatos colhidos em foruns da Internet no qual essas três pessoas tiveram a proteção de sinal danificada por raio, aparentemente apenas fusível da proteção de sinal queimado, e os modems protegidos sairam ilesos, mas a proteção de sinal danificada, sem passar sinal adiante. É sempre bom usar uma proteção que forneça uma via de escoamento e que não dissipe a energia toda em si, isso não dá muita garantia de que o equipamento protegido sairá sempre ileso no processo.

Mas é melhor usar as dos meus filtros do que nada, não é? Pelo menos os equipamentos tem uma chance.

Mas entre as dos meus filtros e a da e-Clamper que seria só para situações onde não há aterramento mesmo, qual em sua opnião seria mais confiável? Se for viável este tipo de opnião.

Voce usa essas proteções do seu filtro APC ou tem protetores específicos da Clamper para isso?

_rau_
18-12-2010, 23:30
Sim, é melhor do que nada.

Numa rede com neutro aterrado a proteção de sinal é a única que é mais crítica no que tange a ausência do fio terra, a proteção de força é possível de ser feita apenas entre Fase-Neutro, perdendo apenas um pouco a eficiência durante descargas atmosféricas próximas.

No caso dos E-clampers e os E-terra que saíram de linha a proteção de sinal em teoria é melhor por usar centelhador ao invés de varistor na proteção de sinal, mas isso nao é de todo verdade, mas primeiro vou explicar um pouco a topologia dos E-clamper.

Eu considero essa solução uma solução inteligente para a proteção de sinal quando não há fio terra, porque faz uso automático do neutro sem criar uma situação de risco pro equipamento ou pro usuário do equipamento. A eficiência da proteção entretanto é questionada, só que esse questionamento creio não creio ser de todo real. Explico:

Primeiramente falando da proteção de sinal o E-clamper faz uso de um centelhador do tipo tripolar. Esse é o tipo de proteção mais comum encontrada nos protetores de sinal. O centelhador tripolar possui dois terminais nas laterais e um terminal no meio. Os da lateral recebem o sinal das duas "pernas" da linha telefônica que está isolada do terminal central do centelhador o qual está ligado o terra (neutro nesse caso). Quando ocorre um surto na linha de sinal, esse surto cria um arco elétrico que ioniza um gás que provocará a condução elétrica dos terminais laterais do centelhador ao condutor central, por onde será escoado o excesso de energia, passado o surto esse gás volta ao seu estado inerte. O problema inicial é que o neutro não pode ficar o tempo inteiro ligado diretamente nesse ponto de escoamento, pq qualquer sobretensão no neutro jogaria tensão nos terminais laterais do centelhador o qual atingiria a linha telefônica, o que não teria problema se for por breves instantes, mas pra evitar isso a Clamper colocou no meio do percurso, tanto no condutor fase como no neutro, um varistor. O varistor é um resistor variável ou qual abre quando há um pico ou sobretensão e fecha quando a tensão tá dentro dos valores nominais. A colocação de dois varistores faz com que a polarização da tomada não influencie em qual condutor está ligado no terminal central do centelhador. Se o centelhador atuar, ele vai provocar o disparo de ambos varistores, mas o surto percorrerá o caminho do neutro, de menor resistência, e o varistor da fase que se por ventura abrir, encaminhará a corrente pro neutro tb por breves instantes. Nessa topologia a alegada desvantagem é que ao colocar uma resistência no meio do fluxo de escoamento do centelhador se diminui a eficiência da proteção de sinal. Ao meu ver isso não faz diferença pq o tempo de resposta do varistor é muito mais baixo que o do centelhador e o necessário para proteger um equipamento de sinal e quando o centelhador atua, jogando o surto pro neutro nesse caso, o tempo que o varistor leva pra atuar não fará muita diferença no tempo de total de resposta e o centelhador estará em condução, fazendo com que a linha de sinal não "veja" a tensão residual deixada pelos varistores e quando o centelhador voltar ao seu estado normal de operação, passado o surto, muito antes disso o varistor já terá voltado ao seu estado normal. A proteção de sinal tb conta com PTC's, que são fusiveis regeneráveis, sobrecargas na linha de sinal faz com que a linha seja cortada temporariamente e ao sanar o problema, a linha volta a a funcionar.

A proteção de força já fica um pouco prejudicada, mas não despediçada, com o uso dessa topologia. Ela fica prejudicada porque para que um surto vindo de uma fase passe para o neutro e daí pra terra, esse terá que passar por dois varistores, da Fase para um varistor, dai pra outro e só então pro neutro. Isso dobra a tensão residual deixada pelos varistores, que num protetor típico com varistores de 275V daria algo em torno de 710 Volts, nessa proteção da E-clamper pularia para 1420V. Aparentemente um valor alto, mas ainda dentro da suportabilidade das fontes chaveadas. Só pra ter idéia, 1500V é valor considerado seguro para as fontes durante surtos com duração de 8us/20us. Testes feitos pela USP em conjunto com a AES Eletropaulo demonstrou uma suportabilidade de 2000V em surtos do tipo Fase-Neutro em fontes de PC's e 3500V entre neutro-terra. Estudos internacionais demonstram o mesmo. De qualquer forma é desejável sempre que possivel manter essa tensão residual o mais baixa possivel, já que ela sobe quanto maior for a força do pico de tensão, maior a corrente de surto tecnicamente falando. Os E-clamper entretanto conseguem fornecer uma linha de defesa tal que o equipamento protegido está muito mais garantido do que se tivesse direto na rede.

O seus filtros Panamax e Tripplite no caso dão proteção melhor na linha de força porque a tensão residual é muito mais baixa, em contrapartida seus varistores talvez durem menos por serem de tensão mais baixa, próximo da tensão nominal de rede, 127V. Os varistores desses filtros são de 130V, com tensão residual de 330V, e o dos E-clamper de 275V com tensão residual de 710V.

Eu usei o filtro APC por um tempo no meu PC, hj só uso nobreak APC nos PC's. O filtro ficou na sala de TV, protegendo força, telefone, cabo coaxial. Usei o E-terra por um tempo numa linha telefônica a qual não tinha aterramento na tomada próxima e eu não tava afim de puxar o terra até essa tomada. Retirei porque aparentemente o E-terra tava interferindo com o Dispositivo DR. Não sei se foi coicidência e a Clamper afirma que foi coicidência, mas por duas vezes o DR aqui de casa atuou, coisa que nunca tinha acontecido antes e parou de acontecer depois que tirei o E-terra, mas pra mim o escoamento de algum surto vindo na linha telefônica, descarregado no neutro, criou algum desbalanceamento no DR, que o fez desarmar. O DR mede toda corrente que passa pela Fase e retorna pelo neutro, logo se há algo a mais que não veio pela fase que retorna pelo neutro, o DR vai desarmar. A Clamper me afirmou que isso é impossível pq o tempo de atuação do DR é de 20ms e do protetor de sinal do E-terra é muito mais baixo. Ela diz que em 20ms o surto na linha telefônica já veio e foi bem antes do DR detectar alguma coisa. Eu sei que há DR's com tempo de atuação inferior a isso, então tenho minhas dúvidas. Mas o estranho tb é que em uma das atuações não tava chovendo, nem caindo raios, mas na outra vez tava chovendo... Como levei esse E-terra pra outro lugar, não pude mante-lo funcionando pra fazer uma contra-prova. Hoje da Clamper só uso os DPS's VCL Slim na entrada de energia e tb dentro do quadro de disjuntores.

dsidney
19-12-2010, 13:51
_rau_,

Obrigado pela excelente explicação. Voce realmente se não for, pode ser um excelente professor.

Infelizmente parece que a Clamper descontinuou sua linha de e-clampers também. Não constam mais nenhum desses modelos disponíveis para venda. Se bem que eu não compraria o modelo mais recente deles com o novo padrão de tomadas brasileiras de jeito nenhum (nunca irei adotar isto). Quando voce clica em modelos do e-clamper vem um aviso que não há modelos disponíveis para esta linha).

Vou tentar achar um equivalente importado, mas duvido que ache.

Por hora vou usar a proteção de sinais dos meus filtros mesmos.

Voce não acha que meu conduite aterrado poderia ser uma opção para forneçer um canal de escoamento de energia, enquanto não acho uma solução para instalar aterramento no meu apartamento?

Este conduite poderia escoar um surto em linha de sinal pelo menos, não?

Vou fazer os testes que voce sugeriu com a lâmpada. Mas voce mesmo disse também que isso não garante nada, e eu entendo e concordo. Existe algum outro teste adicional ao da lâmpada que eu possa fazer só com multímetro, para ter um pouco mais de certeza quanto a condição de aterramento deste conduite? O teste da lâmpada tem que ser só com lâmpada incandescente (não tenho nehuma dessas mais)?

Em outro post voce me disse que meu Backup Plus/Surge Protection da APC, modelo Back-UPS ES 500, é um bom produto para proteger meu PC, mas este não tem proteção também para linha de sinal, no caso seria meu cabo Ethernet que é de um provedor de sinal via radio.
Voce utiliza um modelo de nobreak da APC que tem esta proteção? Qual modelo?

_rau_
19-12-2010, 14:47
Que eu saiba não, tão listados lá no Site deles, E-clamper Tel e Cabo, e estão disponíveis nas lojas, tanto a loja virtual deles como a da Atera, WAZ e outras. Eles mexeram no site e não arrumaram direito, mas não sairam de linha não.

O novo padrão de tomadas veio pra ficar, não adianta porque um dia vc será obrigado a adota-lo pq não achará nada, a não ser importado, no padrão americano, que nem igual ao padrão brasileiro 2P+T antigo é. Os E-clampers não vêm mais no padrão antigo, só estoque antigo...

No Youtube tem um vídeo simulado em 3D dos E-clampers que mostra um modelo com o novo padrão de tomadas, mas com três pinos no plugue que vai na parede e esse modelo vêm com contador de surtos. A Clamper prometeu esse modelo em 2009, mas até hoje nada, me parece q ele faz uso do fio terra, pelo menos a animação mostra isso.

Meça a tensão entre Fase-Terra(conduite) com uma carga de 100W ou mais e veja se há queda de tensão, anote os valores e compare com a medição entre Fase-Neutro. Com multimetro o unico teste é esse, o que vc poderia fazer é colocar uma carga mais elevada, mas se for muito elevada por ser perigoso, fique entre os 100-600W. Nos 100W a tensão não deveria cair, o que denotaria um esquema TN qualquer. Você tem outro tipo de carga que consuma 100W ou mais? Se tiver, também vale, a lampada incandescente é pela facilidade...

Poder até pode usar o conduite, mas não deveria ser usado para tal, use por conta e risco próprio.

Não, meus nobreaks não dão proteção pra Ethernet, no seu caso você teria que usar um protetor específico já que a APC nunca trouxe nenhum produto pro Brasil com esse tipo de proteção, que tb depende do fio terra. A Clamper tem protetores de rede ethernet dedicados...

dsidney
19-12-2010, 22:37
_rau_,

Obrigado pelas respostas.

Quanto ao novo padrão de tomadas enquanto puder evitar, vou fazê-lo. Detesto ter que ficar usando adaptadores e para este padrão novo nem isso funciona, já passei por uma situação absurda com isso, nem vale a pena contar.

Vou ver se consigo um e-clamper padrão antigo para sinal de TV e um para ethernet.

Se não achar vou ficar usando a proteção dos meus filtros mesmo.

Eu tinha entendido a intenção do teste com a lâmpada incandescente. Vou comprar uma de 100 W (se é que ainda existe) e usar para fazer o teste. Não arriscaria fazer este teste com nenhum aparelho meu que consuma mais de 100 W.

Muito obrigado por toda ajuda que me deu.

Quero aproveitar esta oportunidade e desejar a voce e sua familia um Feliz Natal e um fantástico 2011.

_rau_
20-12-2010, 11:58
Não existe E-clamper para Ethernet, só coaxial de TV/Cabo e RJ-11. Protetor pra Ethernet a Clamper possui outra linha de produto e necessita de aterramento.

Desejo o mesmo pra você e sua familia!

Obrigado!

LyBeck
28-12-2010, 13:31
Rau - Obrigado por compartilhar todo seu conhecimento.
Gostaria de ver ilustrado aqui, através de fotos detalhadas se possível, exemplos de conecções pois nunca ficam visíveis nas fotos dos quadros. Acho que ajudaria muita gente. Em outra postagem, vc mostrou os conectores. Exemplos de seu quadro que poderiam ser mostrados (se não for pedir demais): Os DPS recebem dois cabos por cima - Foi necessário algum conector? Ligação das fases no barramento com terminal chato. E outros casos de uso de conectores.
Outro ponto importante, que ainda não li nada no fórum, seria sobre o balanceamento de fases que não deve ser esquecido com o uso dos pentes.

_rau_
28-12-2010, 14:18
As conexões não têm segredo, mas vai depender do tipo de quadro, se tem barramento de distribuição de neutro/terra ou não por exemplo. Por aqui o que mais vejo são quadros simplezinhos, os neutro e terra (raro instalarem até os dias de hj) por exemplo são torcidos um no outro e soldados ou deixados assim mesmo, alguns usam conectores do tipo Split-Bolt, onde existe um parafuso com uma fenda no meio e uma porca com um "chapinha" q aperta o o fio, tb conhecido como parafuso fendido.

O uso de terminais nas pontas dos fios são sempre para cabos de alta flexibilidade, tb chamado de cabinho ou "fio" flexível quando o local onde o cabo será fixado não for dotado de uma "chapa" de aperto que não mutila os capilares do cabo flexível. Quando é só um parafuso sendo rosqueado em cima do condutor, destroi os capilares e cria um mal contato. Já para o barramento de fases no meu caso usei terminal chato pq ficava melhor fixado assim, creio que variará de acordo com o barramento de fase usado e o disjuntor. Nesse tipo de coisa não dá pra padronizar, tem que usar a melhor solução pra cada caso, existem conectores para isso tb, mas não sei o nome que dão. Tem um vídeo da Siemens postado em algum lugar aqui nesse forum, que mostra esses conectores e terminais, dá uma procurada aí.

A instalação dos DPS's tb dependem muito do quadro elétrico, se é utilizado DR ou não, se há condutor de aterramento além do esquema do aterramento, quantidade de fases, posicionamento dos barramentos, etc. No meu caso só usei terminais nos condutores flexiveis pq estão conectados junto com conectores sólidos, se não for feito assim não dá um aperto bom.

O uso de pentes de fase ou barramento de fase já por si só deveria trazer um bom equilibrio entre as fases, mas na prática isso é impossível de se conseguir de forma 100% ideal até por conta do fato que os equipamentos são ligados em tempos diferentes, em horas diferentes em fases diferentes. O próprio barramento de fases, aqui no caso trifasico, vem com a sequência: F1, F2, F3, F1, F2, F3, F1, F2, F3... que é melhor forma possível pra se conseguir uma divisão balanceada sem mesmo o instalador conhecer sobre isso. Alimentar o barramento pelo meio aumenta a capacidade de distribuição de corrente tb...

Agora to sem tempo pra tirar fotos, abrir meu quadro... Creio que as fotos postadas e os videos, são suficientes para uma instalação doméstica.

vsbrio
29-12-2010, 23:54
E aí pessoal....tudo bem ?

Sei que o dps não tem polaridade, mas como seguro morreu de velho, vamos lá. A ligação da fase pode ser feita na parte de baixo do dps, e o aterramento na parte de cima ? No caso o VCL Slim da Clamper.

Outra questão é a seguinte. O dps tem alguma utilidade se for utilizado sem que o aterramento seja ligado a ele ?

Me desculpem as perguntas, mas conhecimento nunca é demais né ?

Obrigado amigos!

_rau_
30-12-2010, 11:33
Sim, pode ligar de qualquer lado.

Num rede que tem neutro a existência ou não do fio terra não vai interferir na proteção contra picos de tensão gerados por raios. No caso de redes Fase-Fase, o DPS será colocado entre Fase-Fase apenas, mas não dará proteção contra picos gerados por raios, apenas por "manobras" na rede elétrica e chaveamentos. Em redes sem neutro é de primordial importância um fio terra dedicado e de baixa resistência, onde será ligado os DPS's entre Fase(s) - Terra.

A presença do fio terra na proteção de força é apenas um condutor a mais que deve ser protegido ou melhor, o neutro deve ser protegido contra o fio terra, para evitar que picos de tensão em modo comum cheguem ao equipamento. Na ausência do fio terra, o neutro sozinho é quem dissipará o surto e pela inexistência do fio terra, surtos em modo comum entre essas linhas em teoria não existiria.

De qualquer forma, na presença do fio terra você necessita de um DPS por fase que poderá ser ligado entre Fase(s)-Neutro ou Fase(s)-Terra e OBRIGATORIAMENTE deve existir um DPS de alta capacidade entre Neutro-Terra.

É importante que essa ligação seja feita com fios os mais curtos possíveis e se possível, leve a(s) Fase(s) e Neutro que chegam no quadro diretamente ao DPS e só depois derive outro fio que seguirá seu caminho. Na existência de um disjuntor geral, coloque o DPS após este - não confundir com DIspositivo DR, nesse caso os DPS's vão antes deste.

vsbrio
30-12-2010, 12:14
Valeu, meu camarada ! Muito obrigado pela resposta.

Vou abusar só mais uma vez da sua boa vontade.

Eu moro em um edifício bem antigo, que não tem aterramento. Moro no 9° andar. Não há a menor condição de eu providenciar o terra, porque os eletrodutos do prédio são muito estreitos, e já está no limite.

Aqui eu tenho 3 fases e o neutro.

Então eu usaria 4 DPS's. 1 em cada fase e no neutro. Ficaria assim né :

Eu ligaria cada fase na parte de baixo do DPS, e daí puxaria o fio direto para o DR. E o neutro a mesma coisa. A parte de cima ficaria sem nada, ou no meu caso, eu ligaria o neutro na parte de cima dos DPS's ?

Sei que havendo o aterramento, o terra que ficaria ligado na parte de cima dos DPS's, com a ajuda de um pente.

A minha dúvida é como ligar o DPS corretamente, em um quadro com 3 fases e neutro. Sem terra.

Muito obrigado amigo !

_rau_
30-12-2010, 19:35
Respostas da msg acima no tópico: http://www.htforum.com/vb/showthread.php/133941-Instala%C3%A7%C3%A3o-de-DPS-%28para-rau-faller-e-demais-colegas%29/page4

jailsonrs
02-01-2011, 01:10
Olá Rau, como tem passado?
Antes de mais nada, gostaria de desejar-lhe um excelente 2011!

Bom... Eis o meu dilema:

Estou precisando de um ponto de energia para atender uma máquina de lavar roupas 11KG. E para isso, lá no início da execução do novo quadro, já deixei pronto um circuito (sem os cabos) com um disjuntor de 20A. A distância entre ponto e quadro é de 35 metros aproximadamente.
O detalhe é que os cabos do circuito de um dos chuveiros elétricos da casa passa a menos de três metros do ponto da máquina - o que me faria reduzir bastante o custo em cabos.

A pergunta que te faço é:

Como o circuito do chuveiro de 4500 w numa distância de 30 metros do quadro está com um disjuntor de 50A e cabos flexíveis de 6 MM², justifica reduzir o custo, instalando a máquina no circuito do chuveiro?
Quais riscos incorrem tal derivação?

A tentação é grande, mas será que vale a pena?

Forte abraço!!!

_rau_
02-01-2011, 12:42
Excelente 2011 pra vc tb!

Pra usar todos 20A numa fiação de 2,5mm2, 35 metros tá além do limite, ainda mais se for 127V, vai haver uma queda de tensão superior a 5%. O ideal era um circuito 220V ou usar cabos 4mm2... Quanto consome essa máquina? Creio que não seja 20A...

Não aconselho usar o mesmo circuito do chuveiro não. Esse chuveiro é 127V, né? Se sim ele consome por volta de 35A ou seja, tá perto do limite do fio 6mm2, que é de 40A sem considerar ainda que a distância de 30 metros tá acima do ideal pra uma queda de tensão de 5% @ 127V. O disjuntor de 50A portanto está errado pra esse circuito caso seja exigido de fato 50A desse circuito.

O risco em princípio é uma queda de tensão elevada, a máquina de lavar também no seu ciclo que eu esqueci o nome, aquele de vai e vem, gera uma oscilação de tensão por causa da força contrária a ser vencida pelo motor para girar na outra direção. Se fosse um equipamento mais sensível eu condenaria imediatamente esse tipo de ligação que você quer fazer, mas uma máquina de lavar creio que tirando o fato da queda de tensão, que seria resolvida com um dimensionamento correto da fiação, não deve gerar maiores problemas, mas ela possui controles eletrônicos? Muitas vezes a proximidade do cabo de força em um circuito com alto consumo elétrico pode gerar alguns disturbios em alguma eletrônica interna, mas geralmente isso acontece em computadores ou equipamentos de audio/video, nunca vi em maquina de lavar entretanto. De qualquer forma, você estaria infringindo a norma que diz que qualquer equipamento de instalação fixa que consuma mais de 10A deve ter circuito dedicado só pra si. Há motivos pra essa exigência e que tem haver principalmente com queda de tensão e possíveis interferências entre equipamentos. Se você quiser assumir o "risco" e tentar essa ligação, eu aconselho ao mesmo reduzir o disjuntor de 50 pra 40A, o correto seria 35A nesssa distância. Tem o fato tb de que a maquina de lavar não ficará ligada por muito tempo e provavelmente em momentos que o chuveiro estará desligado, correto? Considere isso aí tb caso queira "infringir" a norma! :-)

jailsonrs
02-01-2011, 14:53
Como sempre atencioso.
Cara você é dez!
Desejo tudo de bom para você! :aplauso::rever1::tu:

Bom, antecipadamente, peço desculpas, pois em meu relato houve um equívoco.
Do circuito do chuveiro 127V de 4500W com disjuntor de 50A e cabos de 6 mm² até o quadro de distribuição, a distância não ultrapassa os 19 metros.
Tais configurações do circuito do chuveiro estão dentro dos parâmetros aceitáveis?

Noto uma tremenda oscilação nas lâmpadas e ventilador quando este chuveiro é ligado; mas nada que faça desligar TV, computador... Só mesmo as lâmpadas incandescentes enfraquecem um pouco e a velocidade do ventilador diminui.

Para este circuito a ser montado teria então duas alternativas:

1- Derivar do cabeamento do circuito do chuveiro de 4500w conforme acima descrito;
2- Comprar 16 x 3 metros de cabo, uma vez que a distância do circuito para a máquina é de 16 metros e não 35 como eu havia falado.

Imagino que seja a correta a alternativa dois. Mas se eu optasse pela alternativa um, uma vez que seria menos complicado e dispendioso, estaria pondo em risco o bom funcionamento da minha instalação?
Considerando a opção dois, qual cabeamento utilizar à distância de 16 metros? O de 2,5 mm² estaria bom?

Realmente, muito pouco provável que chuveiro e máquina de lavar operem simultaneamente. Entretanto, não seria interessante abrir mão desta liberdade.



O modelo da lavadora é uma Brastemp 11 KG (BWL11A)
http://www.brastemp.com.br/Home/Lavadoras/LavadoraBrastempAtive!Autom%C3%A1tica11KgBWL11A

_rau_
02-01-2011, 17:11
Mesmo pra 19 metros, o disjuntor de 50A continua incorreto, mas desde que não se passe de 40A nesse circuito, esse disjuntor é capaz de proteger contra curto-circuito da mesma forma que um de 35 ou 40A, só não protegeria corretamente contra sobrecarga. O maior problema é por exemplo um dia você trocar de chuveiro ou você mudar de casa e manter esse disjuntor de 50A e alguém vir e colocar um chuveiro de 6000 ou 6500W 127V e não podemos desconsiderar também algum defeito na resistência do chuveiro que possa criar uma situação de maior resistividade, aumentando a corrente drenada e digamos que ela ultrapasse 40A, aí já viu. O correto seria você colocar um disjuntor de 40A no máximo, sempre pensando na proteção do fio e nada mais, não saindo do padrão das coisas mesmo em principio não dando nada de errado. Quanto ao resto, tá normal, a distância de 20 metros pra 35A não é excessiva (4500 @ 127V).

Sobre essa oscilação só quantificando-a para dar algum parecer. Se você tiver um multimetro, faça medições aí, com e sem chuveiro ligado. Deveria ser feita uma medição na ponta do circuito do chuveiro.

Tente considerar a alternativa 2, tem coisa que ficar tentando economizar demais pode não ser a melhor opção. O único risco que você taria pondo à instalação é esse disjuntor de 50A no fio 6mm2. Se você derivar uma tomada desse circuito daí, está abrindo mais uma porta para um dia a corrente chegar em 50A caso usem algo diferente da máquina nesse circuito e esquentar demais esse fio e acabei de olhar o manual da sua máquina e vi algo um pouco preocupante, ela consome 7A @ 127V, aceitando uma oscilação entre 106 e 132V. Se ligar o chuveiro aí, significa que aproximadamente 35A serão consumidos só pelo chuveiro, se adicionar 7A, temos 42A, o que não é nada recomendado para fiação 6mm2 nessa distância aí e dentro de eletrodutos, vai haver uma queda de tensão considerável, podendo dependendo das condições da tensão entregue aí, ir abaixo de 106V. Eu recomendaria um novo circuito com fiação 2.5mm2.

Obrigado e abraços!

jailsonrs
02-01-2011, 17:53
Muito agradecido!!!

Seguirei suas recomendações e também farei a troca do disjuntor de 50A para 40A.

Tudo de bom para você meu caro!

Abraço!!!!

---------- Mensagem adicionada às 17:53 ---------- Mensagem anterior foi enviada às 17:49 ----------

Opa...
O Disjuntor deste circuito da máquina de lavar a 20A está mal dimensionado?

_rau_
02-01-2011, 18:33
O de 20A tá correto! Se quiser ser bem precavido, coloque um de 16A ou uma tomada de 20A.

jailsonrs
02-01-2011, 19:47
Valeu!!!!!

sidiney
03-01-2011, 13:36
Vou instalar 01 ar condiicionado split 9000btus 220v e gostaria de saber qual fio mm utilizar, tem uns 20 metros de distancia entre o caixa distribuição e a tomada.
Estou na duvida entre usar 2.5mm e 4mm, o problema deva ser na hora de passar os fios por isso minha duvida.

Atenciosamente,

Desde ja,
Agradeço

Sidiney Siqueira

vsbrio
04-01-2011, 14:11
E aí rau, tudo bem ?

Comprei 2 splits aqui para o apartamento, e já tenho a instalação elétrica praticamente pronta. Disjuntores curva c na amperagem correta, cabo de 6mm...e etc.

Mas queria a sua opinião sobre um ponto da instalação. É o seguinte; como eu não quero que as unidades evaporadoras sejam ligadas com aquele cabo de força padrão, através de tomadas, vou realizar a ligação dos aparelhos diretamente na fiação elétrica do apartamento. O quadro de luz é muito perto dos 2 aparelhos.

A questão é a seguinte: eu estou pensando em usar uma caixa 4 x 4 e nela colocar 2 interruptores de luz bipolares de no mínimo 25a, para liberar, ou interromper o fornecimento de energia dos aparelhos. Ou seja, a fiação dos 2 disjuntores sai do quadro de luz, vai até esses interruptores e daí segue aos aparelhos. O que o amigo acha ?

Pensei em usar disjuntores, mas a distancia é muito curta, menos de 15 metros do quadro de luz, e também sairá mais caro.
Eu só quero uma forma de cortar a energia dos aparelhos, quando quiser.
A ligação padrão, na tomada, através do cabo de força, fica muito feia.

São aparelhos de 12 e 18 mil btus.

Fico aguardando sua opinião.

Abraço !

ferperes
04-01-2011, 22:14
Caro Sidiney.

Podes utilizar fio de bitola 2,5mm² mesmo.

Vsbrio.

Estes aparelhos não vem com controle remoto? Não é aconselhável utilizar estes interruptores para manobra de motores. Infelizmente, se tu quiseres mesmo manobras os AC sem controle remoto, a solução é uma contatora para cada aparelho.

Abraços.

vsbrio
05-01-2011, 00:17
Vsbrio.

Estes aparelhos não vem com controle remoto? Não é aconselhável utilizar estes interruptores para manobra de motores. Infelizmente, se tu quiseres mesmo manobras os AC sem controle remoto, a solução é uma contatora para cada aparelho.

Abraços.

Olá amigo, obrigado por responder.

O aparelho vem com controle remoto sim, mas o interruptor não seria para ligar e desligar o aparelho (funcionamento). Como ele ficará ligado diretamente na rede elétrica, pensei em uma maneira de interromper a corrente de alguma forma. Isso seria somente para cortar a energia elétrica do split quando eu sair, quando o aparelho não estiver em uso e etc. Por medida de segurança, para que eu não tenha que ficar ligando e desligando disjuntores de forma frequente. O interruptor funcionaria para liberar ou cortar a corrente. Nesse caso um interuptor bipolar de 25a aguentaria né ?

Abraço !

sidiney
05-01-2011, 08:24
Caro Sidiney.

Podes utilizar fio de bitola 2,5mm² mesmo.

Vsbrio.

Estes aparelhos não vem com controle remoto? Não é aconselhável utilizar estes interruptores para manobra de motores. Infelizmente, se tu quiseres mesmo manobras os AC sem controle remoto, a solução é uma contatora para cada aparelho.

Abraços.


valeu!

Muito obrigado.

outra pergunta, pode ser aquele flexivel mesmo?

_rau_
05-01-2011, 10:33
Vou instalar 01 ar condiicionado split 9000btus 220v e gostaria de saber qual fio mm utilizar, tem uns 20 metros de distancia entre o caixa distribuição e a tomada.
Estou na duvida entre usar 2.5mm e 4mm, o problema deva ser na hora de passar os fios por isso minha duvida.

Atenciosamente,

Desde ja,
Agradeço

Sidiney Siqueira

Já respondido, mas como a pergunta foi direta pra mim, tb confirmo que pode usar 2,5mm2 tranquilo. Esse ar não puxa mais do que uns 5A em 220V...


E aí rau, tudo bem ?

Comprei 2 splits aqui para o apartamento, e já tenho a instalação elétrica praticamente pronta. Disjuntores curva c na amperagem correta, cabo de 6mm...e etc.

Mas queria a sua opinião sobre um ponto da instalação. É o seguinte; como eu não quero que as unidades evaporadoras sejam ligadas com aquele cabo de força padrão, através de tomadas, vou realizar a ligação dos aparelhos diretamente na fiação elétrica do apartamento. O quadro de luz é muito perto dos 2 aparelhos.

A questão é a seguinte: eu estou pensando em usar uma caixa 4 x 4 e nela colocar 2 interruptores de luz bipolares de no mínimo 25a, para liberar, ou interromper o fornecimento de energia dos aparelhos. Ou seja, a fiação dos 2 disjuntores sai do quadro de luz, vai até esses interruptores e daí segue aos aparelhos. O que o amigo acha ?

Pensei em usar disjuntores, mas a distancia é muito curta, menos de 15 metros do quadro de luz, e também sairá mais caro.
Eu só quero uma forma de cortar a energia dos aparelhos, quando quiser.
A ligação padrão, na tomada, através do cabo de força, fica muito feia.

São aparelhos de 12 e 18 mil btus.

Fico aguardando sua opinião.

Abraço !

Cara, é o seguinte, não vejo necessidade nesse tipo de ligação que vc pretende fazer, desliga no disjuntor mesmo, vai fazer o mesmo efeito! Interruptor de luz que aguenta 25A eu não conheço e não confio na pressão dos contatos de interruptores pra iluminação, eles são muito moles, não sei se são criados pra esse tipo de aplicação, mesmo a maioria deles dizendo que suportam 10A... Quando o ar condicionado desliga no controle remoto, ele corta a energia pra unidade externa tb e quando vc desliga no disjuntor, corta tudo, até à unidade interna. E outra coisa, a unidade evaporadora não é ligada em tomada não, é ligada direto na unidade interna de teto, os fios da unidade interna são ligados direto nos fios dos circuitos, assim que é o mais correto.

Vc poderia ter economizado nesses fios 6mm2. A distância é 15 metros do quadro até a unidade evaporadora? Um ar de 18.000Btus consome em torno de 7A em 220V e o dobro disso em 127V, pra 15 metros fio 2,5mm2 poderia ser usado tranquilamente com disjuntor de 20A, até Curva B se quisesse. Fiz a instalação elétrica pra 4 pontos de ar condicionado, 220V, todos com disjuntor Curva B de 20A e fiação 2,5mm, o mais longe está há 20 metros do quadro e é de 9000BTU's, o mais perto está há 10 metros e é de 24.000BTU.

ATOSJAB
06-01-2011, 14:37
Boa tarde, sou novo no forum.
Vou fazer uma instalação numa casinha que estou construindo e gostaria de saber como dimensionar um "dps"

_rau_
07-01-2011, 00:12
Os DPS's - Dispositivo Protetores de Surto devem ser dimensionados considerando caracteriscas desde elétricas como ambientais e localização da construção.

Basicamente necessita-se de 1 DPS por fase + 1 pro Neutro quando existir uma linha de aterramento.

Já o dimensionamento - tensão e corrente vai depender do posicionamento do DPS dentro da instalação e das condições ambientais e localização dentro da cidade/campo.

Basicamente falando, quanto mais ao ponto de entrada for instalado o DPS, maior deve ser o seu valor em kA (KiloAmperes), depois quanto menos densa em construções for a região, tb maior deverá ser os kA. Se houver presença de prédios com para-raios nas proximidades, o valor em kA tb deve ser mais elevado. Mesmo que vc more em cidade, mas que haja poucas construções ou espaçadas uma das outras e em área mais periférica da cidade, use DPS's de valor de kA maior que o usual.

Quanto a tensão, opte pelos modelos de 275V, mesmo que sua rede seja 110/127V.

Use essa tabela da Clamper pra se orientar:

http://i307.photobucket.com/albums/nn309/rrsf/VCLSLim-1.jpg

Nessa tabela, "proteção primária" é o DPS primário da instalação, que poderia estar no ponto de entrada, no quadro de medição por exemplo, e secundária é um segundo DPS em outro ponto qualquer da instalação, geralmente no quadro de disjuntores. Na maioria das casas entretanto, existirá apenas a proteção no quadro de disjuntores e essa será considerada a proteção primária.

ATOSJAB
07-01-2011, 20:25
Valeu rau, obrigado pelas informações; vou postar mais dúvidas com certeza.

ATOSJAB
14-01-2011, 10:25
Tenho um capacitor de 3 fios (de um comando de ventilador de teto, aqueles com 3 velocidades) e gostaria de reaproveita-lo, comprei um comando com velocidade deslizante.
Como faço para ligar esse capacitor antigo no novo comando? ouvi q deve se unir os fios "verde e vermelho" deixando-o assim somente com duas pontas (verde e vermelho juntos e o preto sozinho) essa informação procede?

sidiney
15-01-2011, 21:56
Gostaria de fazer uma outra pergunta, tenho 01 ar condicionao split de 12000 bts instalado no meu quarto com o fio 2.5mm vindo direto do painel de distruibção, sendo que comprei outro de 9000 btus para o outro quarto.
A minha pergunta é a seguinte;

Posso puxar um fio mais grosso(pode ser de 4mm?) do painel de distruição e no segundo andar da casa distruir com fio de 2.5mm para cada ar condicionado com disjuntor independente?

Desde já,
Muito obrigado aos amigos.

Atenciosamente,

Sidiney

_rau_
15-01-2011, 22:03
Pode, desde que a capacidade desse trecho não exceda a capacidade do condutor de 4mm2 que é de 30A no máximo. Veja o consumo em amperes de cada ar e veja se a fiação de 4mm2 suporta. Vc pode adotar um disjuntor por exemplo de 30A no quadro principal e no final distribuir nos seus respectivos disjuntores.

sidiney
15-01-2011, 22:18
Pode, desde que a capacidade desse trecho não exceda a capacidade do condutor de 4mm2 que é de 30A no máximo. Veja o consumo em amperes de cada ar e veja se a fiação de 4mm2 suporta. Vc pode adotar um disjuntor por exemplo de 30A no quadro principal e no final distribuir nos seus respectivos disjuntores.

Rau

O ar condicionado consome no max. 5amperes eles são em 220v.

_rau_
15-01-2011, 22:21
Tecnicamente você pode usar os dois ar-condicionado no mesmo circuito de 2.5mm2, perdendo apenas a seletividade caso ocorra algum problema ou seja, caiu um disjuntor desliga os dois aparelhos.

sidiney
15-01-2011, 22:30
Tecnicamente você pode usar os dois ar-condicionado no mesmo circuito de 2.5mm2, perdendo apenas a seletividade caso ocorra algum problema ou seja, caiu um disjuntor desliga os dois aparelhos.


Mais o fio não seria muito fino?
Desculpe pela pergunta sou um pouco leigo no assunto.

_rau_
15-01-2011, 22:41
Um condutor com seção nominal de 2,5mm2 suporta em média 20A numa distância não maior que 30 metros e temperatura ambiente de 30 graus, logo se seus aparelhos consomem juntos 10A ou pouco mais que isso que seja, um condutor de 2,5mm2 suporta ambos. Salvo se a distância for muito grande e a queda de tensão não foi aceitável.

sidiney
15-01-2011, 22:47
Um condutor com seção nominal de 2,5mm2 suporta em média 20A numa distância não maior que 30 metros e temperatura ambiente de 30 graus, logo se seus aparelhos consomem juntos 10A ou pouco mais que isso que seja, um condutor de 2,5mm2 suporta ambos. Salvo se a distância for muito grande e a queda de tensão não foi aceitável.

ok, entendi agora então vou poder utilizar para os dois, acho que te no max. 15 distância.
valeu Rau.

Rick82
29-01-2011, 19:35
Fala Rau, como tens passado?

POST EDITADO (01/02/2011): Vou fazer o esquema TN mesmo. xD


Abraços,

Att. Ricardo

dsidney
06-02-2011, 16:48
_rau_,

Obrigado pelas respostas.

Quanto ao novo padrão de tomadas enquanto puder evitar, vou fazê-lo. Detesto ter que ficar usando adaptadores e para este padrão novo nem isso funciona, já passei por uma situação absurda com isso, nem vale a pena contar.

Vou ver se consigo um e-clamper padrão antigo para sinal de TV e um para ethernet.

Se não achar vou ficar usando a proteção dos meus filtros mesmo.

Eu tinha entendido a intenção do teste com a lâmpada incandescente. Vou comprar uma de 100 W (se é que ainda existe) e usar para fazer o teste. Não arriscaria fazer este teste com nenhum aparelho meu que consuma mais de 100 W.

Muito obrigado por toda ajuda que me deu.

Quero aproveitar esta oportunidade e desejar a voce e sua familia um Feliz Natal e um fantástico 2011.

_rau_,

Olá, espero que voce esteja bem.

Fiz o teste com a lâmpada de 100W, ligando os terminais da mesma com jacarés no fio fase da tomada e o outro na ponta do eletroduto dentro da caixa (isto é, nem sequer uma ligação muito boa não, pois usei jacarés pequenos, deste usados por eletronicos), mas mesmo assim a lampada acende normalmente (aparentemente, pois não medi a corrente passando e nem a diferença de luminosidade).

Não deu diferença e nem queda de tensão ligando entre fase e neutro e entre fase e eletroduto.

Como disse, não sei se essas medições somente são confiávies para se confiar neste aterramento.

Mas estou pensando seriamente em utilizá-lo até que consiga algo melhor. Acho que é melhor ter alguma coisa que aguente por uma fração de segundos do que nada.

Minha dificuldade agora é achar um meio de ligar solidamente um fio terra no eletroduto. Este eletroduto tem aquela porca de acabamento, de material antimônio, e esta sai facilmente.

Tentei soldar o fio no tubo com solda de eletrônica mas não pega.

Vou tentar achar uma porca com a mesma medida que já tenha um conector onde conectar (ou soldar) um fio 2,5 ou 4 mm.

Fiz uma ligação temporária ligando um fio solidamente numa aba de parafusos da caixa de metal (que esta em contato sólido com o eletroduto) e liguei este fio no terra da tomada. Liguei o Panamax nesta tomada (com os fios fase e neutro na posição correta), mas o Panamax não indicou a presença de terra.

Estou concluindo que a ligação não esta suficientement forte para que o Panamax enxergue o terra.

Alguma sugestão ou crítica (já sei que voce não recomenda isto que estou fazendo e com razão).

Mas estou pensando que é melhor ter um terra "TN-S-C fraco" do que nada, principalmente no aspecto de garantir que a proteção de sinais (Sky e Ethernet) dos meus filtros funcionem.

Pois a demais proteções, como voce mesmo me ensinou, desde que o filtro faça o papel de peça de sacrifício e que se tenha os DPSs no QD, as chances são pequenas de perder os aparelhos, mesmo sem terra, por um surto vindo de fase ou neutro.

Não gosto das atuais opções de proteção de sinais da Clamper, não acredito que as mesmas possam ser melhores do que as embutidas nos meus filtros e no meu condicionador.

Obrigado.

hamym1000
06-02-2011, 20:06
e eu como técnico em eletrotécnica recomendo ao senhor sempre recomendar aos seus superiores utilizarem as normas da ABNT,pois é obrigatória,espero que sirva obrigado!

Embu
08-02-2011, 16:18
Olá pessoal, sou um pouco leigo em todo o processo de instalação elétrica, mas confesso que este forum é muito bom, busco há algum tempo informações para a instalação da minha residência e não encontrei nada igual.
Segue o meu dilema:
Comprei a minha atual residência há 4 anos, que foi construída a mais ou menos 30 anos . Como não confio na instalação elétrica, decide no ano passado iniciar uma reforma elétrica, encontrei um eletrecista que foi indicado e gostei do orçamento e iniciamos o trabalho. De cara ele já me passou a listagem dos cabos a serem comprados e realizei a compra. Infelizmente ele não estava compremetido com a obra, e aí decide dispensá-lo, ao contratar um novo eletrecista descobri que devido a carga instalada (24000 watts), precisaria fazer um projeto e submeter para aprovação da Eletropaulo. Contratei o engenheiro que me fez o projeto e esta semana recebi o retorno da compania de energia(Eletropaulo)
- Instalação Bifásica
- 86 A
- Cabo de 35mm

O fato é que comprei os cabos no ano passado de 25mm, e agora não sei o que faço, pois tenho uma quantidade grande de cabo, e sem a possibilidade de realizar a troca ou devolução (150 metros = neutro + duas fases), pois a loja que comprei não aceita devolução pois o fornecimento é feito em bobinas.

O fato é que minha residência está a 29 metros de distância do padrão de entrada e terá 7 dobras de 90 graus até a chegada na caixa de disjuntores.

O que vocês me sugerem?
- Se eu decidir utilizar o cabo de 25mm, qual a carga máxima que poderei utilizar? devido a distância, dobras e tudo mais. Existe alguma fórmula de cálculo para determinar a bitola com este cenário??
- Se eu decidir utilizar o cabo recomendado pela Eletropaulo (35mm), terei que avaliar se há a necessidade aumetar a bitola para 50mm? devido o caminho até a CD?

Agradeço a ajuda dos renomados deste fórum.

ferperes
14-02-2011, 23:44
Caro Embu
Estas perguntas serão melhor respondidas pelo seu engenheiro contratado. Já que ele recebeu, tem a obrigação de te dar auxílio. Caso ele não queira, será necessário uma cópia do projeto da entrada de energia para uma melhor análise. E também o caminho da tubulação até o quadro geral de energia.
Abraços.