PDA

Ver Versão Completa : O Exercito pegou meu filho!!!



maukashmir
10-01-2008, 10:28
Não me emportei muito quando chegou a hora do meu filho se apresentar, todos falaram que tinha fila pra entrar e quem não queria
estava fora.

Nada disso, pegaram o cara e não soltam, hoje recebeu a designação
para em julho se apresentar para servir no esquadrão de operações especiais.

Ele acaba de prestar vestibular na Federal e o resultado final sai daqui 15 dias.

Tanta jente querendo servir e precisando de emprego e pegam
um que não quer de jeito nenhum.

E agora??????

Mauricio

Led-SP
10-01-2008, 10:37
Solicite adiamento do serviço militar.
Ano que vem (ele na faculdade) podera ir para um CPOR ou NPOR.

Abraço

MARCUS BRAGA
10-01-2008, 10:40
no exame médico entra com um atestado de doença incompatível com o serviço militar, ou arruma um pé chato:lol::lol:


hoje é dificil tirar ...

é tudo no computador.:legal:

fernandobini
10-01-2008, 10:42
Que eu saiba quem não quer servir , não é obrigado ...

sergiumx
10-01-2008, 10:47
Tente a última cartada!!!
Pegue um atestado em que seu filho tem bronquite alérgica que talvez ele não sirva .

Aconteceu comigo isso !! Na época fazia musculação e natação tinha um físico invejável ,estava já pegando a farda e tudo, iria servir na 28 companhia de comando de Blindados era o pior quartel o famoso 28-BIB aqui em Campinas ninguém queria ficar lá!!!
Consegui um atestado de um pneumologista dizendo da tal bronquite alérgica à pena de galinha (alguns travesseiros no quartel era desse material ) , poeira, ácaros , percevejos e muriçocas e não é que deu certo!!!
Fui despensado :rever1:

Claro sem falar na macumba que meu pai fez em um centro de KIBANDA(Magia Negra):ataque::ataque::ataque:

Tente e boa sorte:tu:

Sergiumx__________________________

macser
10-01-2008, 10:59
Comigo aconteceu a mesma coisa que com o seu filho.
Eu estava esperando o resultado das federais e passei por todo o processo de seleção. Com o resultado na mão, só consegui ser dispensado no dia do embarque para a AMAN, em Resende/RJ.
Dias depois, fui chamado a fazer o juramento à bandeira e nunca mais coloquei os pés dentro de um quartel. :D
Fique tranquilo, pois tem solução.

Abraços

JorgeM
10-01-2008, 11:01
Quando me alistei disse que tinha miopia e astigmatismo e me liberaram hehe mas eu uso óculos porém meu grau é de somente 1.:)

André
10-01-2008, 11:06
Maurício,


Por um acaso o teu guri declarou ser voluntário? :D


Comigo aconteceu algo parecido (CPOR). Se não me engano, ainda há uma triagem. Lá no tal esquadrão ele vai passar por uma bateria de testes físicos e poder declarar que não é voluntário.

Por outro lado, o serviço militar será uma fase muito boa para ele. :tu:


abraço

Renato_CWB
10-01-2008, 11:10
Caro Mauricio,

Esta é uma grande preocupação que tenho hoje em relação ao meu enteado (17 anos) que realmente tem bronquite desde nenem. Acho que com base do teu alerta já vou sugerir para minha esposa que a gente já se mune da documentação médica necessária para não ter que correr atrás na hora X...

Espero e estou torcendo para que vocês vão conseguir tirar o filhote desta... :legal:

MAXBR
10-01-2008, 11:10
como já foi o contrário.

estava fazendo cursinho pre vestibular, e na época 1989 todos com 2ºgruau completo prestavam uma prova pra o curso de formação de oficiais NPOR.

não queria servir de forma alguma, já que no ano seguinte deveria começar a faculdade.

nada adiantou...tinha até "cunha" dentro pra me tirar... sei lá acho que fui bem na prova... resultado... um ano de quartel e mais um mes de estagio como aspirante a oficial. E HJ SOU OFICIAL DA RESERVA.
Ná época quis morrer... odiei o quartel e tudo mas...hj acho que até foi legal... muitas experiencias...MAS SABE COMO É ADOLECENCIA É F...

E foi no "temido" 28 BIB COMO O SERGIO FALOU !!!:riso::riso:

SELVAAAAAA !!!!!!!

MARCUS BRAGA
10-01-2008, 11:12
cuidado com essa do CPOR... os que nao forem aproveitados pelo mesmo ,

vao cair no batalhao de guarda e servir como soldado.:legal:

Arenoso
10-01-2008, 11:13
Quando me alistei disse que tinha miopia e astigmatismo e me liberaram hehe mas eu uso óculos porém meu grau é de somente 1.:)

Também escapei com essa do óculos!

maukashmir
10-01-2008, 11:46
São nestas horas que se deve medir bem o nível da educação que se dá aos filhos.

O meu sempre aprendeu a não mentir.

No dia do alistamento falei:

- Diz lá que tem bronquite, tonteira, sai sangue pelo nariz e erra tudo que te mandarem fazer.

O cara fez tudo ao contrario e me diz ainda

- Pai não consegui mentir :irado:

Agora aguenta.

maukashmir
10-01-2008, 11:48
Salário, dentista, médico e 8 meses das 7 as 17 horas, é tão ruim assim não.

marcoantonio
10-01-2008, 11:52
Eu servi o exército. No começo foi meio ruim. Imagine com 18 anos toda aquela disciplina. Mas ainda hoje sinto saudade. Fiz ótimas amizades e era completamente sarado. Corridinhas de 8 Km eram moleza.

Deixa rolar, pode ser interessante.

Boa sorte!!!

Toki
10-01-2008, 12:00
c...vao cair no batalhao de guarda e servir como soldado.:legal:

Como eu! :D
Servi lá, no 1º Batalhão de Guardas - Batalhão do Imperador, como soldado. Tinha passado no vestibular, mas não pedi adiamento, pois aí seria praticamente 'certo' de servir no CPOR. Ficando onde tem muito mais gente, ainda tinha a esperança de pegar um "excesso de contigente", o que não ocorreu. Na época não queria de jeito nenhum, mas depois que passou, não reclamei, foram quase 11 meses, um ano "atrasado" nos estudos, mas isso, sinceramente, não me atrasou em nada. Esse ano, colocado em perspectiva de uma vida longa pela frente, foi muito pouco. Me "diverti" muito por lá e no mínimo foi uma experiência muito interessante. Digamos que o custo me pareceu baixo para um 'benefício' no mínimo, como disse, interessante. :legal:

Harq
10-01-2008, 15:08
Mauricio,
Também servi, até hoje ainda encontro com amigos que servimos juntos e sempre nos cumprimentamos com o nome de guerra.
Voce faz boas amizades que ficam para sempre contigo.
Passam-se o anos e quando nos vemos parece que foi ontem que encontramos.
Hugo

Led-SP
10-01-2008, 15:23
Tutu,


cuidado com essa do CPOR... os que nao forem aproveitados pelo mesmo , vao cair no batalhao de guarda e servir como soldado.:legal:

Isso é lenda....
Pelo menos no Rio, quem sobra no CPOR, sobra mesmo.

Maxbr


E HJ SOU OFICIAL DA RESERVA.
Ná época quis morrer... odiei o quartel e tudo mas...hj acho que até foi legal... muitas experiencias...MAS SABE COMO É ADOLECENCIA É F...
SELVAAAAAA !!!!!!!

Comigo tb foi assim...
Infantaria... BrasiL!!!
:feliz:

pcaires
10-01-2008, 15:25
Meu filho foi convocado e se apresentou agora em Janeiro, e vai servir na Aeronáutica, não sei não, alguns dizem que passaram por essa fase e foi muito legal, mas a gente escuta também histórias de abuso, de humilhação, que sinceramente fico bem apreensivo.

Um abraço

Paulo

ANTUNES CARLOS
10-01-2008, 15:31
Aqui em minha cidade o Exército é uma instituição de máximo respeito. Aqui se chama ainda TIRO DE GUERRA. O aluno, (filho de quem quer que seja) sai de lá com uma formação excelente, principalmente nos quesitos, RESPEITO, MORAL E EDUCAÇÃO:legal::legal::legal:.

MARCUS BRAGA
10-01-2008, 15:32
Tutu,



Isso é lenda....
Pelo menos no Rio, quem sobra no CPOR, sobra mesmo.

Maxbr



Comigo tb foi assim...
Infantaria... BrasiL!!!
:feliz:
meu véio foi comandante do CPOR!!!!

Ao sair do colegio militar prestei exame para o cpor , se nao fosse o "da bomba no rio centro" estava no batalhão de guarda!

ja na fila do barbeiro.

pela sua idade se serviu o Cpor de Sp... na epoca meu pai era sub comandante.


Coronel Braga , na época.

Eduprado
10-01-2008, 15:35
Eu servi fazendo o primeiro ano da faculdade, tomei pau no exame de vista do CPOR, tenho 4 graus de miopia, e me mandaram para o batalhão de guardas.:mal:

Como sabia dirigir bem fui designado motorista do comando e o Major meu chefe me tirou da escala de serviço para eu não perder aula.

Ficava a disposição do comando e estudava quase toda tarde, fui bem pra caramba, passei direto. :riso:

Mas é para quase todo mundo um ano perdido.

Edu

Romano
10-01-2008, 15:48
Meu irmao nao passou no CPOR e teve que servir...hehehehe
Um amigo quando foi se alistar, fingiu que era Gay...hehehehe...e sobrou...hahahahahaah...:hilario::hilario::hilario :...

Mordechai
10-01-2008, 15:54
Maurício, que pena!

Eu tive que me apresentar naquele 42º Batalhão (que fica atrás do aeroporto) em 1995, quando completei 18 anos.

Mesmo tendo 4 graus de miopia e 2 de astigmatismo em cada olho, resolvi não facilitar. O dentista que atendia meu pai na época era oficial da reserva e tinha uma certa influência.

Deu um jeito de me classificar como completo imprestável e inapto para o serviço militar.

Consegui me livrar e fiz o juramento da bandeira lá na rodoviária, completamente bêbado, porque o resultado do vestibular tinha saído na véspera. :lol:

Bom, espero que seu filho consiga se livrar também.


:legal:

Diehl
10-01-2008, 15:55
Tanta jente querendo servir e precisando de emprego e pegam
um que não quer de jeito nenhum.



Justamente isso,parece que fazem por gosto mesmo....:Pirou:

lucius
10-01-2008, 15:57
Eu consegui me alistar no interior, em uma cidade que tinha junta militar mas não tinha nem tiro de guerra e aí foi mamão com acúçar, recebi o certificado em casa, através de um parente.

Acho que hoje isto não seria mais possível.

Lucius

rms600
10-01-2008, 16:01
Maurício,
Parabéns pela formação moral de seu filho, mas de fato, a entrevista inicial que ele fez só separa casos nitidamente problemáticos. A seleção geral é feita com base em padroes de habilidades e interesses e a escolha dos nomes que deverão ser designados para a seleção complementar (o caso de seu filho) é feita por computador, de acordo com aqueles padroes e as necessidades do exército.
No verso do certificado de reservista deve ter um carimbo com a data e o nome do quartel onde ele deverá se apresentar. Nessa ocasião será feita a seleçaõ complementar, sendo que o efetivo que irá incorporar deve estar majorado em de 30 a 50 porcento, assim, ainda há uma pequena chance dele ser liberado. Mas nessas ocassioes geralmente o numero de problemas é maior que o efetivo majorado, desse modo, se ele não tiver um problema convincente pode se preparar para um ano instrutivo no EB.
Os problemas médicos são sempre considerados, mas lembre-se que os atestados apresentados serão avaliados pelo médico militar. Os casos de alergias, rinite ou bronquite não são incapacitantes, assim não confi esomente nisso para liberação.
Se ele passar no vestibular pode apresentar a matricula como motivo de dispensa, mas só se for medicina ou odontologia, de outra forma não resolve. A possibilidade de ser direcionado ao CPOR/NPOR não cabe mais no momento.
Alguns comportamentos sociais são sempre visados nessa ocasião, tais como uso de drogas e homosexualidade e, apesar de não serem incapacitantes colocam o candidato na preferencia para a liberação.
Se ele vier a ser incorporado, espero que aproveite a oportunidade para aprender coisas novas que talvez nunca mais tenha oportunidade de vivenciar. Se tiver oportunidade faça curso para Cabo temporário (CFC), é garantia de sair na primeira baixa.
Felicidades.
Ricardo

S3V3RUS
10-01-2008, 16:34
Servi Aeronautica 2 anos, entrei no serviço militar obrigatório e logo fiz concurso para soldado especializado, poderia ficar ao todo 6 anos se não prestasse concurso interno/externo, mas infelizmente me senti obrigado a sair justamente pela faculdade, a escala de serviço era apertada e o numero de pessoal tinha sido reduzido drasticamente nas turmas seguintes, como não consegui concorrer a uma escala digna para continuar com os estudos eu sai...

Apesar da parte ruim (Conflitar com a faculdade) foi uma das melhores fases da minha vida, lá pude muito aprender e compartilhar, aprendi a da valor para coisas que antes não dava importância, eu realmente gostaria que minha jornada lá tivesse sido maior, fiz muitas amizades que pelo pouco convívio hoje sinto saudades.

Mauricio se seu filho conseguir conciliar o estudo com toda certeza será uma experiência muito importante, valida para vida toda e muito bacana, e quem sabe pode também ser seu futuro emprego, pricipalmente com estudo e dedicação.

A aviação sempre foi minha vida e minha paixão e na aeronautica tive o "primeiro contato"....

Abraços e boa sorte !

begalli
10-01-2008, 20:30
Na minha época, eu também não queria servir..., mas não teve jeito. Reconheço que alguns valores que carrego, como a disciplina, foram agregados naquela época.

Já meu filho, que eu queria que passasse pelo mesmo processo, foi dispensado pelo excesso de contingentes.

Eu penso que ele perdeu uma grande oportunidade.

Já ele achou que teve sorte...

Todavia, a vida segue.

Alexandre

marcoantonio
10-01-2008, 20:57
Servi no 4.BIB - Quarto Batalhão de Infantaria Blindada.

O maior evento do ano foi o acampamento de uma semana para conquista da Boina Preta - naquela época (1983) o 4. BIB era um dos poucos batalhões que usavam boina preta. Também foi muito interessante (digo isso agora) a marcha de 32Km realizada em 8 horas.

As piores coisas eram ficar de prontidão por conta das greves e pegar guarda nos finais de semana.

Ainda assim sinto saudade.

crusherBRZ
10-01-2008, 21:15
Eu prestei exército e peguei, em 1989. Fiquei lotado no Ibirapuera, na divisão de cavalaria (hoje, o quartél não existe mais, foi demolido).

A não ser em casos excepcionais, como acadêmia militar, operações especiais, CIGS, etc, exército, marinha e aeronáutica não servem para porcaria nenhuma!.

Primeiro que, nesses casos, quem servir será voluntário, ou seja, gente que quer seguir carreira.
Gente que é conscrito mesmo, será soldado e guarita de quartél, mais nada.

Segundo que você não aprende porcaria nenhuma lá dentro que lhe ajude no futuro, a não ser que queira ser mecânico ou pintor.

Eles não ensinam nenhuma profissão para o pessoal aprender. Pior, parece que gostam de sacanear quem está lá.
Se bobear, o cara que tinha futuro se perde de vez lá dentro.

Que eu saiba, tudo aquilo que todos falam sobre amizades, responsabilidade social ou qualquer destas coisas, você também aprende aqui fora, então essa não cola.
No final, é um ano e meio de sua vida simplesmente jogado fora.

[ ]'s

Tche
10-01-2008, 21:50
Eu terminei fazendo NPOR, em santa Maria-RS, porque meu pai, que tinha totais condições de conseguir me tirar, não mexeu um dedo que fosse: "Homem tem que passar pelo Exército", ele dizia.
Um ano de muita ralação, estudo, amizades, companheirismo e não é que gostei da coisa.
Resultado: após meu estágio de 30 dias no ano seguinte, consegui uma vaga de oficial aqui em Curitiba. Mais 7 anos e meio como oficial, e fiquei radicado por aqui.
Ainda hoje, meu pai me diz: "viu, se não fosse o exército, hoje, provavelmente, tu não estaria na situação que está".

Vá saber. Mas que foram anos que terminaram valendo à pena, isso foram.
Mas já se vão 16 anos que saí da caserna, logo, não posso opinar quanto a valer a pena ou não, nos dias atuais.

Led-SP
12-01-2008, 08:14
... se nao fosse o "da bomba no rio centro" estava no batalhão de guarda!

Vc é filho do Maj. Wilson????

Dmaumau
12-01-2008, 08:24
Xará,

Sorry mas faltou preparação ;)

No an em que me apresentei um "reco" revoltado olha pra mim e pra outros na fila e me vem com essa "esse povo vem com atestado até do céu..."

:hilario:

Nesse mesmo ano, meu óculos salvou mais dois e um sujeito usava óculos e justo nesse dia teve a brilhante idéia de ir de lente :idiota:, serviu.

Paulo Artur
12-01-2008, 09:37
:legal: Fiz NPOR de Infantaria em "São Léo" e não me arrependo nem um dia. Acho que se tivesse sido soldado tbém não teria me arrependido.

Penso tbém que servir ao Exército ou outra força pode ser um divisor de águas entre a adolescência e a fase adulta. É evidente que cada caso poderá ser diferente: meu irmão caçula que é engenheiro no Centro de Pesquisas no Fundão EMO fez o correto em não servir ao Exército.

A grande maioria que serve o faria de novo porque ganhou mais do que perdeu. Isso não é lenda !!!

Detalhe, fiz concurso prá Marinha quando morava em Cruz Alta-RS e passei por lá quase 30 anos. Prá quem acha que se é desrespeitado a todo o momento e que o superior faz o que bem entende com o subordinado saiba que acontecimento desse tipo é exceção. Ser desrespeitado a todo momento é realmente lenda.

Prá finalizar, fazendo um comparativo entre o soldo de um cabo e de um coronel (retiro o soldado e o general porque o primeiro é passageiro e o último representa um percentual ínfimo) a diferença salarial fica em torno de 5 vezes. Proporção que não é seguida em outras profissões em que as diferenças são astronômicas entre alguém entrando e no fim da carreira. Só vejo essa diferença em torno de 5 vezes em paises de primeiro mundo.

Brasil acima de tudo !

Abrs.

PS- A MAIORIA dos que se arrependem de ter servido e que dizem ter perdido um ano na vida não será bem sucedido em profissão alguma (isso NÃO é lenda). Vejam que não disse TODOS.

Paulo Artur
12-01-2008, 09:53
:legal: Esquecí de dizer que durante o NPOR em São Leopoldo ía a Novo Hamburgo (FEVALE) toda a noite assistir aula na faculdade. Quando havia treinamento no quartel, de vários dias, sempre achei um jeito de recuperar as aulas perdidas, ou seja, não perdi o ano escolar assim como outros colegas que tbém estudavam não perderam.

Abrs.

Led-SP
12-01-2008, 09:57
Eu trabalhava de 8 as 16:30.
Duas vezes na semana fazia exercicio na praia do Leme/RJ ou na Urca.
Ninguem "puxava" o meu tapete.
Não tinha disputa desleal por uma vaga melhor.
Camaradagem era uma realidade entre os pares.

Era feliz e não sabia....:lol:


:legal:

Kbuchi
12-01-2008, 10:19
Eu fiz EsPCEx e AMAN... depois fiquei mais alguns anos... ao todo 17 anos de caserna...

Saí como Capitão, pedi demissão um ano antes de ser promovico a Major...

Tenho um irmão, que odiava a vida militar acabou que foi obrigado a servir, gostou tanto que fez prova pra Sargento e está lá até hoje...

Acho que passar um ano no Exército pode ser uma experiência muito interessante... pode não ensinar nenhuma profissão, mas, com certeza, ensina valores que nos acompanharão a vida toda...

:legal:

MARCUS BRAGA
12-01-2008, 10:36
Vc é filho do Maj. Wilson????

o capitao wilson conheci no 53 bis, em itaituba dentro da selva amazonica do Para.

Meu pai era sub comandante daquela unidade.:legal:

Renato_CWB
12-01-2008, 10:50
Eu servi e só sobrevivi tamanho da imbecilidade desligando o cérebro. :p :p :p

Como tudo e qualquer coisa tem um lado bom, aprendi apreciar o valor das coisas pequenas, como por exemplo um cafézinho quente.... ;) :legal:

Led-SP
12-01-2008, 13:11
Conheci o então Maj Wilsom no CPOR, comandado pelo Cel. Tadei.

MARCUS BRAGA
12-01-2008, 13:18
Na realidade o Wilson era tenente em Itaituba, como capitão ele estava vinculado ao quartel no lins, Companhia de comando do primeiro exercito, que meu pai foi comandante.

Meu pai pegou o primeiro comando como major.

Ja major o wilson foi do Cpor...
lembro que o comandante do CPOR do rio nessa ocasião era amigo do meu pai... que ficou em seu gabinete enquanto eu fazia barras.:D:D

clebervb
12-01-2008, 17:52
Eu escapei por pouco do tiro de guerra, fui o ultimo a ser dispensado depois de servir 3 dias de trabalho escravo. Também tive muita sorte, pois aos 18 eu já tinha 4 anos de academia e do tipo que todos perguntavam se eu usava "bomba". Bom, minha opinião é que esse tipo de serviço se assemelha a escravidão a partir do momento em que se torna obrigatório, não se deve jamais tirar a liberdade de uma pessoa. E obrigar o mesmo a dar uma pausa nos seus estudos, isso simplesmente é um absurdo, e ainda para trabalhar de graça (no caso do tiro de guerra da minha cidade). Um ano é muita tempo. Não sei como nos tempos de hoje existe tal situação.:aiai:

Ivanpetro
12-01-2008, 18:24
Maurício, vou te contar minha experiência.

Aos 18 anos escapei do alistamento no tiro de guerra da minha cidade, mas quando me formei médico, aos 24 anos, fui chamado pela Aeronáutica - os médicos, dentistas, farmacêuticos e veterinários são novamente alistados no ano de sua formatura.

Fiquei lá por um ano, seis meses como Aspirante a Oficial e seis meses como 2º Tenente.

Como o colega já deve ter percebido, o serviço militar obrigatório não é padronizado. Há quem fique no tiro de guerra, no batalhão, no CPOR, na marinha, no exército, etc, etc.

Até o serviço militar teoricamente parecido depende de para qual força você foi chamado. Meu irmão também é médico e também foi alistado, mas pelo Exército, posso dizer que a experiência dele foi diversa da minha.

Antes de mais nada, é preciso saber para qual tipo de serviço militar seu filho foi chamado, quais as perspectivas reais para o que esperam dele.

Minha situação foi bastante favorável como oficial da Aeronáutica e aprendi muito lá dentro, algumas lições humanas que aplico até hoje na minha vida.

Mas perceba que minha experiência pode não ser útil para seu filho, assim como também pode não ser a de quem detestou cada segundo.

O serviço militar obrigatório é um experiência ÚNICA E INTRANSFERÍVEL, para o bem e para o mal.

lfalcao
14-01-2008, 23:37
Pior fui eu, que mesmo sem querer, pedi para servir na entrevista e acabei sobrando. Excesso de contigente acho.

Ainda bem. :bD

natus63
16-01-2008, 11:46
É incrível, na época do meu alistamento, meus pais fizeram de tudo para eu cair fora. Desde fazer contato com militares conhecidos...
Não era meu objetivo. Desde os 12 anos que eu queria seguir na carreira militar e meus velhos sempre podando.
Aos 18 não teve jeito. Me esforcei bastante nos exercícios físicos, me destaquei e acabei servindo a Aeronáutica, vindo a ser infante e posteriormente bombeiro.
Hoje tenho certeza absoluta que a vida militar ajudou e muito, a lapidar o meu caráter.
Recomendo à todos...
Não é nenhum inferno como se imagina.

Abração

Funari
17-01-2008, 12:31
Eu fui convocado em 1980 e tive que servir ao exército (artilharia e infantaria) mesmo não querendo.
Na época eu dependia financeiramente do meu pai pois só estudava e já que não tinha como fugir aproveitei as oportunidades oferecidas.
Conclusão só saí 8 anos depois como terceiro sargento temporário.
Foram bons tempos para nós militares, pois se inflação atingisse 20% o reajuste era no mínimo de 30 a 40%. :legal:
O meu cunhado serviu junto comigo e permanece até hoje no EB.
Agora ele está no Haití, mas o soldo (salário) tá pra lá de ruim.
Abraços

Botuja
18-01-2008, 10:09
Quando me alistei também quase fui pego, depois consegui me safar numa conversa com o capitão...

daniellbraga
18-01-2008, 11:02
Deixe-o pegar.. Só fará bem a ele, pode ter certeza disso..

Além do mais, se ele realmente tiver passado no vest., irá entrar no CPOR. Ao menos aqui em BH é um ótimo curso.
O que pode ocorrer é ele gostar da vida militar e acabar por ingressar numa AMAN, AFA, ou coisa parecida. hehe.. Acontece...
No meu caso foi o contrário. Passei 7 anos estudando no Colégio Militar de BH, e desencantei pela vida militar. Contudo foram os melhores anos de minha vida! Acabei por pedir dispensa no exército qdo me alistei. (O delegado que assina as convocações é meu amigo.. hehe)

Abração,

Daniel

Vinícius RS
18-01-2008, 22:27
Lembro no dia do meu exame médico... um frio danado (invernão em Porto Alegre) e aquela fila pro pessoal tirar a roupa, se agachar. soprar no braço e o médico olhar o saco do cara (nunca entendi a moral desse troço...). Eu lá, com cabelo quase na cintura, já com meus atuais 1,94m, já com uns 115kg, mais ou menos, sapatinho de anjo 44, louco pra me livrar...
O cara lá da mesa se inclinou, me olhou no fim da fila e me chamou: Putz, me ferrei, pensei... Ele me colocou numa régua, mediu: deu 1,96m (errado), me pesou: 115kg. mandou eu colocar o pé num troço pra medir: deu 45!
O cara olha pra mim e pergunta: "Cara, tu quer servir?" Eu, receoso, digo "Bah! Pior que não..." e ele fala "Sorte tua! O exército não faz farda pra ti! Vai pr'aquela fila!" Olhei e só tinha gente feliz... era a fila dos 'deficiência física temporária"... em meia hora tava indo embora...
temporária... quem sabe eu ia diminuir...

maukashmir
18-01-2008, 23:39
Lembro no dia do meu exame médico... um frio danado (invernão em Porto Alegre) e aquela fila pro pessoal tirar a roupa, se agachar. soprar no braço e o médico olhar o saco do cara (nunca entendi a moral desse troço...). Eu lá, com cabelo quase na cintura, já com meus atuais 1,94m, já com uns 115kg, mais ou menos, sapatinho de anjo 44, louco pra me livrar...
O cara lá da mesa se inclinou, me olhou no fim da fila e me chamou: Putz, me ferrei, pensei... Ele me colocou numa régua, mediu: deu 1,96m (errado), me pesou: 115kg. mandou eu colocar o pé num troço pra medir: deu 45!
O cara olha pra mim e pergunta: "Cara, tu quer servir?" Eu, receoso, digo "Bah! Pior que não..." e ele fala "Sorte tua! O exército não faz farda pra ti! Vai pr'aquela fila!" Olhei e só tinha gente feliz... era a fila dos 'deficiência física temporária"... em meia hora tava indo embora...
temporária... quem sabe eu ia diminuir...

:legal::lol::D:hilario::riso:

clebervb
19-01-2008, 14:15
Lembro no dia do meu exame médico... um frio danado (invernão em Porto Alegre) e aquela fila pro pessoal tirar a roupa, se agachar. soprar no braço e o médico olhar o saco do cara (nunca entendi a moral desse troço...). Eu lá, com cabelo quase na cintura, já com meus atuais 1,94m, já com uns 115kg, mais ou menos, sapatinho de anjo 44, louco pra me livrar...
O cara lá da mesa se inclinou, me olhou no fim da fila e me chamou: Putz, me ferrei, pensei... Ele me colocou numa régua, mediu: deu 1,96m (errado), me pesou: 115kg. mandou eu colocar o pé num troço pra medir: deu 45!
O cara olha pra mim e pergunta: "Cara, tu quer servir?" Eu, receoso, digo "Bah! Pior que não..." e ele fala "Sorte tua! O exército não faz farda pra ti! Vai pr'aquela fila!" Olhei e só tinha gente feliz... era a fila dos 'deficiência física temporária"... em meia hora tava indo embora...
temporária... quem sabe eu ia diminuir...

Esse é daqueles momentos que em poucos minutos você passa pelo total desespero para total alegria. Que sorte hein, nem pra ter ficado um dias como eu roçando mato com a mão!

stpamarante
19-01-2008, 19:19
Quando me alistei, em 1974, tinha uma fila que se formava de madrugada. Cheguei pouco depois da meia-noite, com um sleep-bag: já tinha mais de 100 na minha frente. Terrível: alguns, os mais paranóicos, com medo de aparecerem terroristas para bombardear a gente na fila. Na entrevista, os recrutadores perguntavam para os mais simplórios se tinham levado o atestado de óbito e o polegar direito. Escapei por excesso de contingente. Dei graças, pois servir naquela época, sob a ditadura, não era muito tranqüilo, na verdade apavorante para um sujeito como eu, com o cabelo quase na cintura. Porém, não fosse a barra pesada daqueles dias, acho que poderia ter aprendido muito como já comentaram aqui.

clebervb
19-01-2008, 21:40
Quando me alistei, em 1974, tinha uma fila que se formava de madrugada. Cheguei pouco depois da meia-noite, com um sleep-bag: já tinha mais de 100 na minha frente. Terrível: alguns, os mais paranóicos, com medo de aparecerem terroristas para bombardear a gente na fila. Na entrevista, os recrutadores perguntavam para os mais simplórios se tinham levado o atestado de óbito e o polegar direito. Escapei por excesso de contingente. Dei graças, pois servir naquela época, sob a ditadura, não era muito tranqüilo, na verdade apavorante para um sujeito como eu, com o cabelo quase na cintura. Porém, não fosse a barra pesada daqueles dias, acho que poderia ter aprendido muito como já comentaram aqui.

Nesse tópico, algumas pessoas realmente dizem que servir acaba sendo uma boa experiencia de vida. Pode ser. Mas o que não concordo de forma alguma, é não termos a opção de querer, ou não, servir. Isso acaba com o orgulho de qualquer um. É essa situação que eu considero humilhante, e não entendo como esse tipo de coisa ainda existe.

stpamarante
20-01-2008, 00:20
Nesse tópico, algumas pessoas realmente dizem que servir acaba sendo uma boa experiencia de vida. Pode ser. Mas o que não concordo de forma alguma, é não termos a opção de querer, ou não, servir. Isso acaba com o orgulho de qualquer um. É essa situação que eu considero humilhante, e não entendo como esse tipo de coisa ainda existe.

E você pegou justamente a mim pra Cristo!!! :ataque:

Também sou a favor do engajamento voluntário, diga-se de passagem.

clebervb
20-01-2008, 07:51
E você pegou justamente a mim pra Cristo!!! :ataque:

Também sou a favor do engajamento voluntário, diga-se de passagem.

Ô rapaz, não liga não. :p É que apesar de eu não ter servido (servi 3 dias), ainda fico "grilado" por ter sido obrigado a dar satisfação e obediência a pessoas que nem conhecia. Eu até comentei num post anterior que quando você é obrigado a fazer algo, prestar serviço sem receber por isso, é escravidão:chicote:, indiferente se lá você fará boas amizades. Aí eu fico me desabafando nesse tópico. :)

Deckard_67
20-01-2008, 09:04
Servi em Tiro de Guerra, e foi uma excelente experiência.

Como já foi dito: uma chance única de ver as coisas DE DENTRO da farda. Para o bem e para o mal.

Além de um ótimo aprendizado de auto-disciplina. :legal:

PS - Maukashmir, parabéns pelo filho que não sabe mentir!

Pedro .
20-01-2008, 10:01
já tinha mais de 100 na minha frente..

Quando fui me alistar em 2003, cheguei 6:00AM e tinha menos de 10 na frente rsrs... Tambem fui dispensado por excesso de contigente que aconteceu uns 2 meses depois no exercito, e que ali sim no dia que compareci havia bastante gente e era apenas das letras n até r. Entrou todo mundo as 7:00 no patio dai 15mins o capitao começou a chamar os nomes de alguns que deveriam se dirigir a direita. Depois disso disse: Agora voces, podem se dirigir a esquerda e estao dispensados. Era um tal de "ufa, ufa" até eu fiquei satisfeitissimo. Depois de assinado alguns papeis tive que esperar quase a manha inteira para as 11horas fazer o juramento a bandeira com aquelas frases firmes a serem repetidas "dispensado do serviço obrigatorio etc etc..".

Feito isso, cheguei em casa como se tivesse renascido com uma nova vida pela frente :legal:

stpamarante
20-01-2008, 17:17
Ô rapaz, não liga não. :p É que apesar de eu não ter servido (servi 3 dias), ainda fico "grilado" por ter sido obrigado a dar satisfação e obediência a pessoas que nem conhecia. Eu até comentei num post anterior que quando você é obrigado a fazer algo, prestar serviço sem receber por isso, é escravidão:chicote:, indiferente se lá você fará boas amizades. Aí eu fico me desabafando nesse tópico. :)

Não ligo. Só usei como gancho para fazer graça. :D E, na época, tive sentimentos parecidos aos seus, agravados pelo clima pesado da ditadura. Hoje, considero a possibilidade de que poderia ter sido uma experiência marcante e, talvez, com mais pontos positivos do que negativos.

Especialmente se estivéssemos vivendo uma democracia. Meu receio, por exemplo, era ficar de sentinela, pois me lembrava do episódio do carro bomba que matou um sentinela no quartel do II Exército em São Paulo. Morava na região e tinha uma colega de ginásio que morava bem perto do local. Ela não comentava o caso, pois "alguém" tinha passado pela casa da família dela, "recomendando" que evitassem comentar o ocorrido. Depois disso, por muito tempo, eles não permitiam que se caminhassem pela calçada em frente ao quartel. Eu, hein?

Pabrognara,

Jurei bandeira no Estádio do Pacaembú, meses depois de me apresentar. Imagine o estádio lotado, muitos cabeludos (1974), grande parte aliviada por ter escapado, alguns encontrado com amigos que foram incorporados, agora com cabelo curto e de farda. Para alguns, servindo do lado da "opressão".

Paulo Artur
20-01-2008, 18:44
Ô rapaz, não liga não. :p É que apesar de eu não ter servido (servi 3 dias), ainda fico "grilado" por ter sido obrigado a dar satisfação e obediência a pessoas que nem conhecia. Eu até comentei num post anterior que quando você é obrigado a fazer algo, prestar serviço sem receber por isso, é escravidão:chicote:, indiferente se lá você fará boas amizades. Aí eu fico me desabafando nesse tópico. :)



:legal: Tenho um amigo que trabalha na bolsa em NY. Ele se acha escravizado tbém. Só que ganhando quase meio milhão de dólares por ano ele não reclama :hilario:!!!

Abrs.

clebervb
20-01-2008, 19:48
:legal: Tenho um amigo que trabalha na bolsa em NY. Ele se acha escravizado tbém. Só que ganhando quase meio milhão de dólares por ano ele não reclama :hilario:!!!

Abrs.

Um emprego de escravo desse eu também quero, porém se for aquela bagunça que mostra nas tvs, não há dinheiro que compense. :concordo:

Paulo Guimaraes
20-01-2008, 21:00
Deixe ele servir, quem sabe se istio não o transforme em um homem melhor no futuro.

Ou melhor, deixe ele decidir, posto que já chegou na idade de tomar suas próprias decisões.

Paulo Guimaraes
20-01-2008, 21:44
Mas o que não concordo de forma alguma, é não termos a opção de querer, ou não, servir. Isso acaba com o orgulho de qualquer um. É essa situação que eu considero humilhante, e não entendo como esse tipo de coisa ainda existe.

Para entender, basta recordar que: servir não é um "querer", mas sim um "dever" com pátria. Não é um gosto ou uma vontade, assim como a de tomar sorvete, mas um compromisso importante com a cidadania.

Mas, de qualquer forma, talvez deva admitir, os que saem do serviço militar com alguma coisa de bom é porque já possuiam alguma coisa de bom dentro de si, tal como a capacidade de reconhecer e aproveitar uma boa oportunidade.:legal:

clebervb
20-01-2008, 22:16
Para entender, basta recordar que: servir não é um "querer", mas sim um "dever" com pátria. Não é um gosto ou uma vontade, assim como a de tomar sorvete, mas um compromisso importante com a cidadania.



Já ouvi isso nos comerciais da globo.:lol:
Quem sabe não usavam esse mesmo diálogo com os escravos. Não vamos brigar por causa disso hein. Nem mesmo se o Brasil fosse um país de extrema qualidade, onde fosse tudo muito justo, não acho que tenho esse "dever" com a pátria, pois quem faz o país somos nós. Então pátria seria nós mesmo. Acredito na liberdade de escolha, quem está afim de servir, defender o país numa guerra, e que seja devidamente remunerado para isso, parabéns. Mas quem não tem o mínimo interesse na carreira militar, para que obrigar o sujeito?

Paulo Guimaraes
21-01-2008, 18:39
... Nem mesmo se o Brasil fosse um país de extrema qualidade, onde fosse tudo muito justo, não acho que tenho esse "dever" com a pátria, pois quem faz o país somos nós. Então pátria seria nós mesmo. Acredito na liberdade de escolha, quem está afim de servir, defender o país numa guerra, e que seja devidamente remunerado para isso, parabéns. Mas quem não tem o mínimo interesse na carreira militar, para que obrigar o sujeito?

Bacana... Vamos seguir este raciocínio:

Não temos esse dever com a pátria, pois a pátria somos nós. E como o Brasil não é de qualidade e não é justo, deduzimos que somos de baixa qualidade e, portanto, para quê ter dever a nós mesmos?:aplauso:

Vamos ter liberdade de escolha. Posso escolher defender a pátria ou atacá-la como inimigo, posto que não tenho esse dever para com o título que me conferiu cidadão.:aplauso:

Vamos escolher não trabalhar. Posto que trabalhar também é uma escolha e não é um dever. Para o meu sustento eu escolho tomar o que é dos outros ou mendicar.:aplauso:

Bom... pensando assim, é realmente uma questão de escolha: vamos escolher qual a qualidade e justiça de nossa pátria (afinal, a qualidade de nossa pátria será indiscutivelmente definida pela qualidade de cada um de nós mesmos).:confused:

Deckard_67
21-01-2008, 19:51
Nem mesmo se o Brasil fosse um país de extrema qualidade, onde fosse tudo muito justo, não acho que tenho esse "dever" com a pátria, pois quem faz o país somos nós. Então pátria seria nós mesmo. Acredito na liberdade de escolha, quem está afim de servir, defender o país numa guerra, e que seja devidamente remunerado para isso, parabéns. Mas quem não tem o mínimo interesse na carreira militar, para que obrigar o sujeito?

Não é uma simples questão de defender o país numa guerra, ou de escolha pessoal. É justamente o contrário.

É saber (aprendendo na carne) o valor da auto-disciplina. Conhecer seus limites. Explorar o auto-controle ao máximo. E pode ter certeza que o auto-conhecimento que daí advem te fará bem...

E acho (NMHO) que a existência de civis (reservistas) que tenham treinamento militar, ou seja, com noções de comando, disciplina, e hierarquia e que possam ser rapidamente reunidos é uma boa para TODOS, muito mais do que tropas remuneradas. Não apenas para eventos belicosos, mas também para situações de emergência onde se faz necessário a presença de um comando único e de disciplina.

É complicado, para quem não serviu, é meio que falar grego... Enfim, é minha humilde opinião.

Abraços!

MARCUS BRAGA
21-01-2008, 19:56
A maioria dos países do mundo (inclusive os ocidentais) adota o Serviço Militar Obrigatório. Alguns paises que adotam o Serviço Militar Voluntário passam por uma crise no recrutamento de seus efetivos (a Inglaterra, recruta presidiários que não cometeram crimes graves / os EUA estudam a revogação do Serviço Militar Voluntário).

Alguns países da Europa estão em processo de mudança de modelo de incorporação, como Portugal, Espanha, Itália e França; na América Latina, o Uruguai, o Peru e a Argentina têm incorporação totalmente baseada no voluntariado", relata. " O Chile flexibilizou a incorporação, priorizando os voluntários; se não são completadas as vagas, é feita a convocação obrigatória.


evita o distanciamento entre o exercito e as varias camadas sociais.

o grande objetivo do Serviço Militar é transmitir o sentimento de respeito às leis e às instituições

busca reforçar a disciplina e o aprimoramento pessoal, devolvendo à sociedade um jovem mais preparado e maduro

"O receio histórico da perda de contato com a sociedade e a possível dificuldade de atrair os jovens em períodos de prosperidade econômica dificultam a mudança do modelo de serviço militar"

clebervb
21-01-2008, 20:04
Bacana... Vamos seguir este raciocínio:

Não temos esse dever com a pátria, pois a pátria somos nós. E como o Brasil não é de qualidade e não é justo, deduzimos que somos de baixa qualidade e, portanto, para quê ter dever a nós mesmos?:aplauso:

Vamos ter liberdade de escolha. Posso escolher defender a pátria ou atacá-la como inimigo, posto que não tenho esse dever para com o título que me conferiu cidadão.:aplauso:

Vamos escolher não trabalhar. Posto que trabalhar também é uma escolha e não é um dever. Para o meu sustento eu escolho tomar o que é dos outros ou mendicar.:aplauso:

Bom... pensando assim, é realmente uma questão de escolha: vamos escolher qual a qualidade e justiça de nossa pátria (afinal, a qualidade de nossa pátria será indiscutivelmente definida pela qualidade de cada um de nós mesmos).:confused:

Eu disse que indiferente da qualidade do país, nós deveriamos decidir escolher servir ou não. Acredito que meu dever com a pátria seria investir na minha carreira, etc... para tornar o país melhor, e não realizar trabalhos, que eu considero, escravos.
Todos devem ser livres para fazer o que quiser, desde que não prejudique alguém.
Sim, vc escolhe se quer trabalhar ou não. Ou você foi obrigado arrumar emprego ao fazer 18 anos? Cada um faz o que achar melhor da vida, lembrando, desde que não prejudique alguém.
Depois eu acabo de escrever, pois está me dando tontura ao tentar entender o que você escreveu. :lol:

clebervb
21-01-2008, 21:28
Alguns paises que adotam o Serviço Militar Voluntário passam por uma crise no recrutamento de seus efetivos.

Alguns países da Europa estão em processo de mudança de modelo de incorporação, como Portugal, Espanha, Itália e França; na América Latina, o Uruguai, o Peru e a Argentina têm incorporação totalmente baseada no voluntariado", relata. " O Chile flexibilizou a incorporação, priorizando os voluntários; se não são completadas as vagas, é feita a convocação obrigatória.


evita o distanciamento entre o exercito e as varias camadas sociais.

o grande objetivo do Serviço Militar é transmitir o sentimento de respeito às leis e às instituições



Acredito que se houver a devida remuneração, haverá mais voluntários.
Se o objetivo é transmitir o sentimento de respeito às leis e às instituições basta instruir corretamente o indivíduo desde a infância. Existem outros modos de antigir esse objetivo.
Mas só pra relembrar, não acho o serviço militar uma perda de tempo, com certeza se aprende muito lá, até pelos comentários de quem serviu.
Só defendo a não obrigação do mesmo.

Leo_Ctba
21-01-2008, 22:46
Eu me apresentei em 99, no BELOG de Curitiba. Eu estava doido pra servir, fazia um ano que tinha saído de casa, cheio de gás...
Infelizmente o tenente gostou do meu papo, e me tirou por INCAPAZ SMO2. Eu fiquei extremamente emputecido da minha existência. Como que um cara com 18 anos, saudável, com dois braços e duas pernas pode ser INCAPAZ de fazer alguma coisa??? Eu cheguei até a bater boca com o médico, disse que queria e pronto. No final das contas ele me disse que eu tinha escoleose (isso é verdade, tenho mesmo), e que estava um pouco acima do peso ( é verdade também, mas nada que uns 5 ou 6 kg a menos não resolvesse).

O fato é que esse dia ficou marcado na minha vida, o dia que fui chamado de incapaz por um oficial infeliz. Eu aposto que se no dia fossemos pra pista de tiro, eu dava uma canseira nele, queria ver quem era o incapaz. Meses antes eu estava praticando tiro com o meu avô, que é coronel da reserva do Exército, eu tava indo bem até. :D

Resumindo o "causo": fiquei de fora, fiquei ****, e não pude devolver o sapo! Tive que engolir e pronto.

Se o seu filho for chamado, tomara que ele aproveite. Alguns dizem que não presta pra nada, que é perda de tempo. Eu não acredito que seja! Com toda a certeza ele vai aprender alguma coisa, ainda mais se ele for um adolescente rebelde, sem limites (não sei se é o caso). Quer ver uma coisa? Um primo meu, o cara é fresco de tudo! Pra comer é um desespero, parece uma criança de 8 anos de idade. Mas nada disso, ele tem 20 anos, dirige e está na faculdade. Um serviço militar dava um jeito nesse guri em 2 tempos, pode apostar ! :hilario::hilario:

Boa sorte nas escolhas.

Até

Leo

clebervb
22-01-2008, 06:25
Não é uma simples questão de defender o país numa guerra, ou de escolha pessoal. É justamente o contrário.

E acho (NMHO) que a existência de civis (reservistas) que tenham treinamento militar, ou seja, com noções de comando, disciplina, e hierarquia e que possam ser rapidamente reunidos é uma boa para TODOS, muito mais do que tropas remuneradas. Não apenas para eventos belicosos, mas também para situações de emergência onde se faz necessário a presença de um comando único e de disciplina.

É complicado, para quem não serviu, é meio que falar grego... Enfim, é minha humilde opinião.

Abraços!

Defender o país numa guerra foi só um exemplo, eu não disse que servir se resume a isso.
Não entendi uma parte, por que uma tropa remunerada não é tão boa quanto aos reservistas? A única diferença que eu vejo é que quem estaria servindo seriam jovens que estivessem afim de servir e bem pagos.
Sem brigas! :)

Luis Guilherme
05-02-2009, 19:02
Po reavivando o topico, eu to numa sinuca de bico, fiz 6 anos de medicina e 6 anos de especialiacao, como entrei na faculdade muito novo tive que adiar e até hj sou adiado e possuo apenas o CAM. Teho certeza se eu apresentar agora serei pego.. eu sinceramente nao quero....
Alguem sabe quanto ganha liquido um medico que entra no exercito?
odeio militarismo, acho que seria preso toda semana.. o problema é que eu nao tenho a dispensa e passei no concurso publico .. acho que vai rolar um scanner de CDI :)

Alex Sound
06-02-2009, 09:23
Dependendo do tipo de concurso público eles são obrigados a assegurar sua vaga até você completar o serviço militar.

Não necessariamente você vai ser chamado para trabalhar como médico do exército (ou marinha ou aeronáutica), dependerá de como estiver a necessidade.

Além disso você pode conseguir um atestado médico com alguma doença que incapacite para prestar atividade física, o que automaticamente o excluirá, você passa direto para a reserva (incapaz B1 ou B2). Será convocado no caso de guerra (altamente improvável para o Brasil).

Não falsifique nenhum documento, provavelmente será processado por falsidade ideológica e perderá a vaga para sempre.

Alex Sound
06-02-2009, 09:30
Aqui em Londrina um colega foi convocado após terminar o curso e já estava na residência quando foi declarado insubmisso (não se apresentou no quartel) e foi preso (por quase um mês). A punição poderia ter sido servir como soldado por um ano (ao invés de segundo tenente), mas após esclarecimentos foi liberado.

Eles tem a sua ficha lá, não se esqueça.:D

edriano
06-02-2009, 14:16
Eu me alistei em frente ao 4º BIB em 1992, Falei que queria servir.
Uso óculos mas falei que não tinha problema algum, até discuti com o responsável pela preenchimento da ficha, e mesmo assim fui dispensado por excesso de contingente.

Renato_CWB
06-02-2009, 14:21
LG, é fácil.... vai lá, se mostra ansioso e não pare de falar de forma repetitiva "quero matar, quero ver sangue, quero atirar...", é claro, tudo isto babando e fazendo cara de doido.... com certeza será dispensado por distúrbio mental. ;) :p :D

LkS
06-02-2009, 14:21
É o melhor caminho seria o CPOR

evop
06-02-2009, 14:33
Eu nunca quis servir e estava com receio de ser pego.

Bendito pé chato salvador. Nunca mais reclamei dele...:hilario:

Fernando Blade
06-02-2009, 14:48
Ele tem alguma cicatriz, ja fez alguma cirurgia, aproveita e leva raios-x e documentos, eles não pegam estrupiados....hahaha

Falo isso porque comigo foi assim, quando fui para o exame médico, um amigo levoou um batalhão de documentos e raios-x, eu não levei nada.

Mas eu estava com minha perna, meu braço, meu queixo e minhas cicatrizes pelo corpo, na última hora o médico perguntou se alguém tinha algum problema, eu o chamei e mostraei as cicatrizes, ele perguntou se era só isso, eu disse: - Não senhor, por dentro está muito pior.

B2 e tava fora.

Funcionou, excesso de contingênte.

Mas hoje acho que eu gostaria de ter servido.

Abraços e boa sorte

JCarneiro
06-02-2009, 18:40
Não sei como está isso hoje, já faz 20 e poucos anos.
"Pé preto" não aprende nada, excessoes:
lavar latrina
descascar batatas
lavanderia e ordem unida, essa de ensinar a ser homem,
dignificar a pessoa, bla, bla, "blalelas".
CPOR, aeronautica e marinha são outro papo,
servi no 3° Comar e posso disser que só não virei milico, porque ja tinha emprego aos 18
e era meu emprego dos sonhos, entao assim que dei baixa fui trabalhar, aonde trabalho até hoje, e digito essas linhas, ahhh o expediente acabou:feliz:
Bom fim de semana!

LÉO/SP
06-02-2009, 19:21
Na minha época, já tava designado e um médico amigo da familia disse pra eu falar que tinha um tipo de lombalgia, que era praticamente impossível de ser detectada por exames. No primeiro dia de quartel, levei uma declaração e não deu outra, fui dispensado :hilario:.

sergioserra
07-02-2009, 09:50
Servi o exercito e serviria muitas outras vezes. Posso falar com propriedade sobre o que se passa dentro de um quartel.

Luis Guilherme
07-02-2009, 10:55
como terminei minha residencia agora em janeiro vou voltar agora em marco para regularizar.. eu tenho um problema reumatologico que caso eu faca exercicio fisico eu tenho hematuria ( sangue na urina) e tenho dores lombares cronicas que eu ja fiz diversos exames e tenho tomado remedios que fizeram com que eu engordasse uns 10 kg e agora estou emagrecendo de novo. Ou seja, eu nao posso fazer exercicio, mesmo sendo medico voces acham que eu seria dispensado? tenho resonancia, exames de sangue, cistoscopias, tomografias que discartaram doencas mais comuns e o reumatologista e o nefrologista ficaram com uma doenca chamada doenca de berger ou fibromialgia, sao diagnosticos de exclusao e com a melhora das dores com o remedio tenho tomado os remedios cronicamente.
sera que serei liberado?

sergioserra
07-02-2009, 11:28
Provavelmente sim. Ninguem pode obrigá- lo a praticar atividades fisicas se elas desencadeiam dor, até porque existem cada vez mais médicos querendo entrar nas FA, qual o motivo de convocar um que não está em plenas condições de saude?
Abs.

Dmaumau
07-02-2009, 12:02
Xará,

Devolveram teu filho passado um ano ? ;)

Abração

maukashmir
09-02-2009, 11:27
Xará,

Devolveram teu filho passado um ano ? ;)

Abração


Falai Mau!!

Com alguns pedidos de amigos em Brasilia ficou fora!!

Alguns filhos de pessoas que conheço que na realidade precisam de ir por vários motivos inclusive financeiro não conseguiram ficar.

:legal:

kleberlpa
09-02-2009, 12:35
Graças a deus eu não servi, escapei de última hora. Não me arrependo, acho uma perda de tempo e um desrespeito com o próximo ser OBRIGADO a servir e passar por treinamento muitas vezes desumano.

Alex Sound
09-02-2009, 15:05
Você vai ser dispensado com certeza, vá lá e pegue o CDI (certificado de dispensa de incorporação), só vai ter que uma vez ao ano, por cinco anos, comparecer a junta de alistamento e carimbar o CDI. (reserva de 5 anos)

Para médico a serviço militar até é legal, você começa como aspirante e termina como 2o tenente. Dependendo do lugar já manda em 8 0% do quartel, além de trabalhar só meio período. O salário deve estar hoje em uns 2,5 a 3 mil reais.

Luis Guilherme
09-02-2009, 20:57
Alex valeu pela resposta, mas para mim é muito ruim ficar preso meio periodo dia para ganhar essa quantia... isso ae da para conseguir em um plantao por exemplo em 24 h semanal
E como sou cirurgiao, ganho mais em cirurgias...

Kduquinho
17-08-2010, 16:23
Pelas datas que estou observando o pessoal não utiliza muito este sitio, MAS TUDO BEM!.
Eu gostaria de saber se tem alguém por ai que serviu no 4º BIB - Batalhão Raposo Tavares, no ano de 1983 em diante, que tenha passado pela 3ª Cia de Fuzileiros e Cia de Comando.:legal:

CARLOS STETER
11-10-2012, 16:53
Servi no 4.BIB - Quarto Batalhão de Infantaria Blindada.

O maior evento do ano foi o acampamento de uma semana para conquista da Boina Preta - naquela época (1983) o 4. BIB era um dos poucos batalhões que usavam boina preta. Também foi muito interessante (digo isso agora) a marcha de 32Km realizada em 8 horas.

As piores coisas eram ficar de prontidão por conta das greves e pegar guarda nos finais de semana.

Ainda assim sinto saudade.

Marcos, também servi no 4º BIB em 1.983 na 1ª Cia depois fui transferido para a Cia de Comando estamos tentando reunir o pessoal desse ano, entre em contato através do e.mail: crsteter@uol.com.br . abraço. Carlos

antonio divin
11-10-2012, 18:56
Na minha época consegui ser dispensado por lavrador................
Foi tiro certo!!!
Tinha verdadeiro pavor de servir ao Exercito, coisa da idade mesmo.