Anúncio do HT Forum

A terra está inchando?

Discussão em 'Zona Livre' iniciada por Jonas Negreiros, 4 Jan 2011.

  1. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.332 1.763 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Em busca de mais "evidências" que corroborem com o modelo de expansão terrestre asnático, lembrei-me que os polos da Terra são achatados, isto é, têm o raio menor em relação ao raio equatorial.

    Uma das explicações correntes dizem respeito à "força centrífuga", força "fictícia" não aceita até pela física clássica.

    Sabemos que os polos são mais frios por que a densidade dos raios solares que atingem essas regiões é menor que aquela que atinge a região equatorial.

    Menor densidade, menor insolação, menor energia resultante. Isso pode diminuir uma das componentes energéticas que fazem a Terra expandir-se como um todo.

    Delirei?
     
  2. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.332 1.763 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Entrevista com Erik Verlinde Traduzida
    Parte I

    Repórter: Por que a gravidade é uma ilusão?

    E.V.: Gravidade, é claro, é algo que esta aí. Bem, muita gente já filosofou sobre ela. A gravidade é algo que testemunhamos todo o dia e não é uma coisa isolada de nossas vidas. Mas quando digo que a gravidade é uma ilusão, é porque gostaria de saber de onde ela vem, qual é a explicação desse fenômeno.

    Até o momento, temos apenas descrições da gravidade, como as das idéias de Newton que ficou famoso ao compor a primeira teoria da gravidade, e descrever por que maçãs caem e por que a Lua orbita ao redor da Terra, utilizando a mesma equação da gravidade. Mas isso foi apenas uma descrição.

    Newton teve de assumir que a gravidade estava lá, então criou uma lei que descrevia por que dois corpos maciços, separados por uma certa distância, atraem-se mutuamente.

    Mas ele não foi muito feliz, pelo fato de ter de admitir que um corpo atraia a outro, mesmo sem nada no meio.

    Comentário Relâmpago: uma corda elástica, por exemplo.

    Então, se há [apenas] dois corpos maciços e espaço vazio , não há nada que possa realmente acontecer entre eles, mas mesmo assim eles se atraem, um ao outro. Newton imaginou tratar-se de algo misterioso e desejou encontrar algo que explicasse melhor esse fenômeno.

    Depois entra em cena Einstein. Einstein, com sua teoria da relatividade [Geral], aventa a possibilidade da gravidade ser descrita de outra maneira. Einstein gastou muito tempo para escrever uma teoria onde espaço e tempo são uma única entidade e sua explicação para a gravidade é que um corpo maciço curva [deforma] o espaço e o tempo. Dessa maneira, o movimento dos planetas e o movimento da Lua em torno da Terra, passam a ser descritos pelo encurvamento do espaço-tempo, além de como esses objetos fazem suas órbitas. A razão pela qual isso acontece é que o espaço e tempo são curvos, de modo que as coisas não podem andar em linha reta e acabam andando em círculos [ou em elípses].

    Mas, baseado nessas explicações, ele compôs uma equação para satisfazer essas condições, que por sua vez era necessário assumir que a gravidade estava lá, pois ele teve de aceitar que a matéria provoca a curvatura do espaço-tempo. [Conclusão: a gravidade continua a ser um mistério].

    De um certo modo, isso ainda é apenas uma descrição. Poderia dizer que qualquer um gostaria de entender o porquê de uma nova descrição, como você pode entendê-la, se, mais uma vez, [essa teoria] é baseada num ponto-de-vista.

    Então, o que proponho em meu trabalho, é tentar partir de um ponto-de-vista do qual você não assume [imediatamente] que a gravidade pode estar lá. Gostaria de explicar o aparecimento da gravidade, isto é, deduzí-la à partir de um pequeno conjunto de equações, nas quais a gravidade não é assumida, mas sim, como resultado de um raciocínio lógico correto.

    Fim da primeira parte...

    Comentários.

    A matemática é um ramo do conhecimento caprichoso. George Boole descobriu uma álgebra de bolso binária. Muito tempo depois, Shannon aproveitou as idéias de Boole para reduzir o número de relés aplicados em centrais telefônicas.

    Por outro lado, gravei muito bem a opinião de um antigo colega engenheiro, quando disse que a matemática pode ser levada para onde você quiser.

    "Números e pessoas quando torturados...
    ... confessam qualquer coisa!" :D
     
  3. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.332 1.763 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Mais um problema com o modelo asnático.

    Imaginar que o crescimento do raio da Terra e demais corpos celestes como justificativa para a ação da gravidade parece ser uma idéia "atraente". Os antigos já pensavam em algo parecido: a Terra plana sendo elevada continuamente.

    No entanto surgem outros problemas, como a questão das marés, atração da Terra e Lua, etc. Não sei se um vento cósmico seria suficiente para fazer esse modelo funcionar.

    Imaginando-se a Terra isoladamente, surge mais um problema. Mesmo que o raio terrestre cresça, é necessário uma aceleração da velocidade escalar da superfície da Terra, para que o seu movimento angular não diminua, isto é, uma rotação completa a cada 24 horas.

    Desta maneira, deveríamos perceber duas ações de aceleração: uma para o centro da Terra e outra no mesmo sentido de movimento do equador.

    [​IMG]

    No caso do mergulhador da piscina, assim que pulasse do trampolim, a água subiria em sua direção, mas a piscina deslocaria no sentido de rotação do equador! O mergulhador deveria sentir duas brisas: uma em direção à piscina e outra em direção ao Leste.

    A única maneira de salvar o modelo asnático é considerar, como os antigos pensavam, que Terra deveria estar parada e seria o centro do universo!
     
  4. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.332 1.763 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Expansão Asnática: Prova ou Sofisma?

    Encontrei uma maneira muito simples de calcular a aceleração tangencial da Terra, caso esteja ocorrendo a expansão de seu raio, à razão de 9,8 m/s^2.

    Vejamos a figura abaixo:

    [​IMG]

    Na parte inferior do desenho, encontramos dois raios, r1 e r2:
    -r1 representa o comprimento do raio da Terra no tempo zero;
    -r2 representa o raio da Terra um segundo após a primeira medição;
    -A velocidade angular da Terra é de 2 pi radianos por dia ou 0,0418 rad/s.

    Na parte superior do desenho, vemos em detalhes o que interessa.
    Considerando-se que o raio da Terra expandiu-se em 9,8 m num segundo (vetor vermelho), podemos calcular a variação da velocidade escalar da Terra.

    O vetor azul é a velocidade escalar da Terra no tempo zero;
    O vetor lilás é a velocidade da escalar da Terra um segundo após a primeira medição;
    A diferença entre as velocidades escalares encontras É A ACELERAÇÃO TANGENCIAL DA TERRA.

    Vamos aos cálculos:

    V0 = [6.378.000 m x 2 x PI] / 86.400 seg = 463,821 248 700 m/s
    V1 = [6.378.009,8 m x 2 xPI] / 86.400 seg = 463,821 961 140 m/s
    A aceleração tangencial encontrada (V1-V0)/s é igual a 712,6 x 10^-6 m / s^2

    Ou seja, a aceleração tangencial da Terra no cálculo da expansão asnática é de aproximadamente 712 microns por segundo ao quadrado.

    Isso é um valor irrisório para entrar no cálculo de inclinação de um pêndulo (prumo) ou edifício, mas...

    [​IMG]

    Na figura acima, a inclinação é exagerada. Essa seria uma forma de compensar a aceleração tangencial da Terra. Algo parecido é usado em curvas inclinadas (sobrelevadas) em pistas de Fórmula Indy, a fim de anular a força centrípeta originada na curva e evitar que os bólidos escapem da pista.

    Dê uma olhada na figura abaixo:

    [​IMG]

    Um vagão de trem segue para leste. Ao partir, recebe uma aceleração no sentido da seta da figura superior. Um copo de água dentro do trem denuncia o movimento inclinando a superfície da água para a esquerda.

    Após um tempo de viagem, a velocidade do trem se estabiliza. Cessa a aceleração e o copo de água tem sua superfície paralela com o assoalho do trem.

    No fim da viagem, o trem desacelera. O copo de água inclina sua superfície para a direita.

    Muito bem. Quase todo mundo conhece vasos comunicantes. Instalemos um do lado esquerdo no vagão do trem. Esse instrumento tal qual o copo de água, também serve para medir a aceleração do trem.

    Se considerarmos todos os oceanos do mundo como um gigantesco vaso comunicante, podemos dizer que a Terra já viaja há um bom tempo para o nível do mar se estabilizar.

    Mas... No Canal do Panamá, o lado do Oceano Pacífico é 24 centímetros mais alto do que o lado do Atlântico!

    Ao olhar o vaso comunicante do trem (o primeiro desenho pode representar os oceanos da Terra), o lado do Oceano Pacífico (esquerdo) fica mais alto que o direito (Atlântico).
     
  5. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.332 1.763 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Os colegas que leem essa série podem estranhar a minha obsessão por esse tema: Gravidade e Big-Bang.

    O que me faz levar essa especulação adiante é a possibilidade da física não fazer nenhuma grande descoberta à partir de agora. Quem detonou essa especulação foi Erick Verlinde, quando afirmou que a gravidade pode não existir.

    Tal qual um engenheiro que tenta construir sua obra com os materiais, recursos e processos disponíveis onde se encontra, estou lutando para criar uma máquina cósmica, capaz de funcionar apenas com o conhecimento acumulado pela física até agora.

    Quem pode dizer que um fóton altera apenas a órbita de um elétron de um núcleo solitário? Se a Terra recebe um jorro constante de fótons solares, se cada átomo de todos os componentes da Terra receberem essa energia fotônica e não dissípá-la completamente, todas as órbitas eletrônicas ficarão "mais altas". Na prática isso significa que a Terra pode "inchar" com esse "banho fotônico".

    O jorro de fótons solares pode manter a Terra atraída pelo Sol e a Lua atraída pela Terra. Pode ser responsável pela rotação da Terra e pela translação da Lua. Pelo efeito Bernoulli e atrito "fotodinâmico".

    Pedi ajuda a um colega para calcular o ângulo critico da aceleração tangencial asnática. Assim que obter o resultado, completo o "experimento mental" da queda do pião do cone de vidro.

    Mais detalhes em:

    http://forum.if.uff.br/viewtopic.php?t=1556

    Toda critica ou sugestão ao desenvolvimento dessa brincadeira será bem-vinda!
     
  6. Rickbrazil

    Rickbrazil Usuário


    Desde 20 Jan 2008
    Brasilia/DF/Brasil
    Jonas, mas gostaria de saber o porquê de sua obsessão com os fatos relacionados ao "inchaço" do planet earth?

    Na prática, essa discussão leva adonde exactialimente? se a Terra continuar a inchar vai explodir? é isso? ou esse fenômeno vai descambar num belo megadesastre?

    Enfim, só queria entender melhor os motivos dessa sua obsessão.
     
  7. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.332 1.763 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Cubas,

    Obrigado pelo seu interesse.

    Sou técnico eletrônico. Ao longo de minha carreira, nunca aceitei uma explicação sem justificação.

    Newton e Einstein deram explicações diferentes para a gravidade. Mas nenhum dos dois justificou a gravidade, apenas descreverem-na.

    Erick Verlinde é pesquisador da teoria das cordas. Esse foi o cara que mostrou que o rei está nu. Algumas das propostas de Verlinde serão testadas no acelerador de partículas da Suíça.

    Aceleradores existem desde 1930. A principal constatação dos aceleradores é que o elemento principal constituinte da matéria é o VAZIO.

    Entre Einstein e Newton, fico com Newton na questão da igualdade entre massa gravitacional e massa inercial.

    Se nada mais for descoberto no acelerador da Suíça, cujos resultados vão demorar de mais de cem anos para serem computados (contando com a evolução dos computadores?), vale à pena criar um novo modelo que justifique a gravidade, considerando-se que daqui a cem anos os cientistas perceberem que o experimentos da Suiça não revelarem nada de novo.

    Se a teoria do inchaço da Terra tiver consistência, poderemos chegar à conclusão que a Terra não vai explodir. Era continuará explodindo.
     
  8. Rickbrazil

    Rickbrazil Usuário


    Desde 20 Jan 2008
    Brasilia/DF/Brasil
    Isso me lembra um pouco de uma corrente filosófica chamada niilismo... seus adeptos tem a firme convicção de que, tirando cada um deles, todo o resto da humanidade nada mais são que autômatos.

    Tem hora que eu fico pensando nessa possibilidade também: até prova em contrário, será que só eu que sou real?

    Minha única crença é que, todos nós, reais ou autômatos, estamos caminhando paulatinamente para a evolução certeira, uns mais devagar, outros mais rápido.
     
  9. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.332 1.763 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Filosofia é uma forma de diversão.

    Comte, filósofo positivista foi autor dessa máxima:

    "Os vivos são sempre e cada vez mais governados necessariamente pelos mortos"

    Como toda boa tese dever ter uma antítese, fico com as máximas e mínimas do Barão de Itararé:

    "Os vivos serão cada vez mais governados pelos mais vivos":lol:
     
  10. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.332 1.763 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    A Torre Eiffel está no prumo?

    [​IMG]

    Ao observar essa bela foto tomada de um satélite, e, considerando-se a expansão asnática, surge essa pergunta. A tomada do satélite não foi feita no prumo da torre, além de seus arcos dramatizarem a questão.

    [​IMG]

    Prumo é um instrumento usado em construção civil. Sua função é apontar o centro da Terra (acima).

    Se a Terra não está em expansão, temos apenas a aceleração gravitacional "g", mostrada do lado esquerdo da figura abaixo:

    [​IMG]

    A seta verde é o prumo verdadeiro e aponta para o centro da Terra.

    Se a Terra está em expansão, surge uma aceleração tangencial (atg, em azul), mostrada do lado direito da mesma figura, acima. A composição de "g" e "atg" dão como resultado um "prumo falso" (em vermelho).

    Daqui da superfície Terra, aparentemente, não é possível verificar se os prédios são construidos pelo prumo falso ou verdadeiro.

    Vamos ver um caso real:

    Predio Torto de Santos

    [​IMG]

    O Edifício Núncio Malzoni tem 55 metros de altura. A sua inclinação provoca um desvio de 2,10 m no topo.

    Se um prédio de 1000 metros de altura sofresse essa inclinação, o desvio de topo seria de 38 metros.

    No caso da construção de uma torre de 1000 metros, a aceleração tangencial decorrente da expansão asnática provocaria um desvio de 7,74 centímetros em relação ao prumo verdadeiro.

    Não é possível medir a expansão asnática por esse meio, afinal todos os prédios estariam "paralelos" e o próprio nível da água dos lagos também estaria sofrendo essa inclinação.

    No entanto, há dois fenômenos terrestres que podem ser explicados pela expansão asnática:

    - A diferença de nível de 24 cm entre o Oceano Pacífico e Atlântico, no Canal do Panamá;

    - O magnetismo terrestre, se a teoria "Terra Dínamo" é verdadeira.

    Nessa situação, o núcleo da Terra gira numa velocidade diferente de sua superfície. Para gerar um campo magnético, basta que o núcleo terrestre não acompanhe instantâneamenteo o aumento de velocidade escalar da superfície da Terra, decorrente da expansão
    asnática.

    Mais detalhes em:

    http://forum.if.uff.br/viewtopic.php?p=6927&sid=593b7727d4722d304cf0f0a315e4426c#6927
     
  11. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.332 1.763 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Suspeita Asnática Chocante

    Analisem atentamente essas duas imagens:

    Correntes Marinhas

    [​IMG]

    Correntes de água no ralo de uma pia.

    [​IMG]

    No caso das correntes de uma pia, percebemos que se esta está no hemisfério norte, sua rotação é anti-horária. No hemisfério sul, a rotação é horária.

    No caso das correntes marinhas, os movimentos são exatamente opostos aos das pias.

    Observando-se o corte do ralo, no canto superior esquerdo da figura, notamos que a água segue ao sentido do centro da Terra. Isso significa que a água, por conservar a componente escalar da parte mais alta da pia, ao mergulhar para a parte mais baixa (centro da Terra), surge um movimento angular anti-horário, por conta do efeito Coriolis.

    A componente escalar é derivada do movimento angular da Terra. Como a Terra tem um perímetro equatorial de aproximadamente 40.000 km e dá uma volta a cada 24h, a componente escalar da Terra no Equador é de aproximadamente 1600 km/h. Nos polos, a componente escalar da Terra é nula, pois o perímetro do centro dos polos é zero.

    Observando-se o mapa das correntes marinhas, sabemos que elas acontecem devido a diferença de temperatura da água dos oceanos, desde o equador aos polos.

    Muito bem, mas por que o sentido de giro das correntes marinhas é inverso ao da corrente das pias?

    Quando a água fria dos polos vai ao caminho do Equador, ela encontrará o leito do mar numa velocidade escalar maior que aquela que tinha do ponto de partida. Logo, pelo efeito Coriolis, ela formará correntes no sentido inverso ao das pias.

    Mas a diferença térmica dos oceanos tem energia suficiente para dar origem e manutenção à essas correntes?

    E se o raio da Terra estiver aumentando por conta da expansão asnática? Ou da energia negra?

    Dê uma olhada na última figura:

    [​IMG]

    Do lado esquerdo, temos um balde dentro de um elevador em movimento descendente. À maneira que o balde aproxima-se do centro da Terra, surge o efeito Coriolis em sentido anti-horário, pois o elevador está no hemisfério sul. Devido a conservação da energia cinética adquirida no topo do prédio, o nível da água inclinar-se-á para a direita e haverá origem de um movimento horário.

    Quando o elevador parte do solo e ruma para o topo do prédio, o sistema será submetido a um aumento de velocidade escalar. Esse aumento provocará inclinação e sentido de giro da água do balde inverso a situação anterior.

    O balde do lado esquerdo comporta-se de forma semelhante a corrente de água dos ralos do hemisfério sul.

    O balde do lado direito comporta-se de forma semelhante as correntes marinhas do hemisfério sul. A ascensão do elevador é análoga ao aumento de raio da Terra, por conta da expansão asnática.

    P.S.:

    Não sei o que os colegas estão achando dessa série de postagens desse tópico. Particularmente, estou achando essa asneira muito divertida :-D
     
  12. Rickbrazil

    Rickbrazil Usuário


    Desde 20 Jan 2008
    Brasilia/DF/Brasil
    Parece que as coisas estão meio estranhas mesmo...

    ****

    Europeus fornecem o mais exato modelo da gravidade na Terra

    Dados enviados por satélite à ESA (Agência Espacial Europeia), durante dois anos, possibilitaram o estudo preciso da gravidade do planeta Terra de uma forma inédita.

    Os cientistas agora detêm um dos mais exatos modelo geoide (protótipo mais aproximado do nosso planeta, visto que ele não é totalmente redondo) do lugar onde vivemos.

    Intensidade de terremoto no Japão modificou forma do oceano

    ESA/HPF/DLR

    Modelo da gravidade na Terra fornecerá dados oceanográficos e da estrutura interna do planeta
    A imagem foi divulgada nesta quarta-feira durante uma conferência em Munique (Alemanha) --para ver uma versão animada, acesse aqui (http://www.esa.int/esaCP/SEM1AK6UPLG_index_0.html).

    [​IMG]

    No estudo apresentado pela ESA, com imagens fornecidas pelo satélite Goce (sigla em inglês de Explorador da Circulação Oceânica e do Campo Gravitacional), considerou-se a gravidade do geoide sem a ação de marés e de correntes oceânicas.

    O modelo serve como referência para medir a movimentação dos oceanos, a mudança do nível do mar e a dinâmica do gelo, o que pode abrir precedente para entender com maior profundidade as mudanças climáticas.

    Além desses dados oceanográficos, também servirá para o estudo da estrutura interna do planeta --como os processos que levam à formação de terremotos de grande magnitude e que podem provocar danos devastadores, como aconteceu com o Japão no sismo de 11 de março.

    Do espaço, é praticamente impossível para os satélites observarem a dinâmica dos tremores, visto que o movimento das placas tectônicas ocorre abaixo do nível dos oceanos.

    Contudo, explica a ESA em seu site, os tremores costumam deixar um "rastro" na gravidade do planeta, o que pode ajudar a entender o mecanismo de um terremoto e, quem sabe, antecipar sua ocorrência.
     
  13. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.332 1.763 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Não precisa se assustar, Cubas. A imagem está dramatizada. A diferença do nível do mar entre a Cidade do Cabo na África do Sul até Belém do Pará é de -70 metros. Isso em relação ao raio da Terra, que é de aproximadament 6.300.000 metros, é uma (merreca) variação irrisória.

    Essa matéria saiu na Revista Pesquisa Fapesp deste mês.

    http://revistapesquisa.fapesp.br/?art=4362&bd=1&pg=1&lg=

    Trecho do último parágrafo:

    "A aceleração da gravidade está constantemente ganhando novas aplicações. A origem da gravidade, porém, diferentemente da de outras forças, como a eletricidade e o magnetismo, ainda é um mistério. Ninguém sabe como o Sol atrai a Terra e, em proporção menor, a Terra atrai o Sol."

    Você acredita em gnomos? Sem provas, eu não acredito nem na gravidade!

    :D
     
  14. zeh

    zeh Usuário


    Desde 1 Jul 2004
    PR
    Simplesmente acordaram ao lado da terra sem maquiagem.
     
  15. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.332 1.763 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Receita para provar se a gravidade existe

    Ingredientes:

    [​IMG]

    - Uma mesa de granito usada em metrologia mecânica;

    [​IMG]

    - Uma câmara frigorífica com um operador trajado de Papai Noel;

    [​IMG]

    - Uma cuba de água com tripé colorido;

    [​IMG]

    - Um projetor LASER com tripé;

    - Um lápis.



    Modo de preparar

    - Instalar a mesa de granito dentro da câmara frigorífica;

    [​IMG]

    - Por a cuba de água sobre a mesa de granito com o pezinho vermelho apontando para OESTE;

    - Esperar que a água congele;

    - Deixar o aparelho de Laser dentro da câmara.

    [​IMG]

    - Após o congelamento da água, colocar o aparelho laser sobre a superfície do gelo;

    - Apontar o raio LASER para a parede da câmara frigorífica;

    - Marcar o primeiro alvo na parede.

    - Tirar o aparelho LASER do gelo e girar a cuba em 180 graus. O pezinho vermelho deverá estar apontando para LESTE;

    - Colocar novamente o aparelho LASER sobre a superfície de gelo.

    - Apontar o LASER para a parede da câmara frigorífica;

    - Marcar o segundo alvo na parede.

    Verificações

    Se a câmara frigorífica estiver no polo norte ou sul, os dois alvos do raio LASER (vermelho e lilás) devem se coincidir.

    [​IMG]

    Se a câmara climática estiver no Rio de Janeiro (hemisfério sul), deve ocorrer um pequeno desvio nos alvos, por conta da rotação terrestre.

    Se a expanasão asnática estiver presente, ocorrerá uma sobrelevação na superfície do gelo, por conta de uma aceleração tangencial de 712 micrometros por segundo ao quadrado. O desvio do raio LASER será maior (em lilás) que o esperado apenas com interferência da rotação terrestre.

    Se a expansão asnática não existir, ótimo! Poderemos descobrir o que é a gravidade e anulá-la :) !
     
  16. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.332 1.763 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Tudo Lindo, Maravilhoso, mas...

    [​IMG]

    ... A própria expansão asnática pode interferir na construção do prédio, pelo prumo falso! Desta maneira o resultado esperado não aparecerá.

    Com essas e outras, a Teoria da Expansão Asnática confirma seu status de "Teoria Sabonete"! :lol:
     
  17. Thyago

    Thyago Membro VIP


    Desde 22 Jan 2006
    Minas Gerais
    Que coisa não
     
  18. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.332 1.763 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    TGU versus TEG

    Teoria da Gravitação Geral (de Newton) versus Teoria da Expansão Geral (trabalho coletivo), mais conhecida como teoria da expansão asnática.

    Nesse capítulo da série sobre a expansão asnática, vamos fazer uma confrontação com as idéias de Newton e nossas idéias.

    Para tanto, vamos precisar de:

    [​IMG]

    - Um pêndulo com dois aparelhos LASER, sendo um preso ao topo do equipamento (fixo, verde) e outro preso ao pêndulo (vermelho), no ponto de articulação ("pivô" do sistema). Na ponta inferior do pêndulo, há uma esfera de chumbo.

    [​IMG]

    - Um galpão industrial gigante;

    [​IMG]

    - Uma esfera de chumbo gigante (cinza) e uma pedra de granito gigante (preta);


    [​IMG]

    Sobre a pedra de granito ficarão a esfera e o pêndulo.

    [​IMG]

    O sistema todo ficará no piso do galpão industrial. Notar que os raios do pêndulo projeta raios paralelos à parede do galpão.


    Primeira Confrontação.

    [​IMG]

    Nesse primeiro teste, de acordo com a TGU de Newton, a esfera de chumbo do pêndulo será atraída pela esfera de chumbo gigante. Desta maneira, os raio verde ficará na horizontal e o raio vermelho vai derivar para o piso do galpão.

    [​IMG]

    De acordo com a teoria da expansão geral, a massa da esfera de chumbo gigante vai desbalancear o sistema. A velocidade de expansão asnática Va ficará atrasada em relação a velocidade de expansão asnática Vb.
    Dessa maneira, o conjunto todo vai inclinar-se ao sentido anti-horário.

    Nessa primeira confrontação não haverá diferença entre as previsões de Newton ou da teoria da expansão asnática.

    Segunda Confrontação.

    [​IMG]

    De acordo com Newton, nessa nova disposição da esfera de chumbo e o pêndulo, nada se modificará, a não ser que o raio vermelho ficará mais próximo do raio verde.

    [​IMG]

    De acordo com a teoria da expansão universal, a esfera de chumbo gigante desbanlanceará o sistema para a direita. A velocidade de expansão Vb ficará atrasada em relação a velocidade de expansão Va. O sistema vai inclinar-se no sentido horário.

    O raio verde continuará na horizontal, mas o raio vermelho vai derivar para o teto do galpão.

    Terceira Confrontação

    [​IMG]

    Nessa situação, a esfera gigante e o pêndulo ficarão no centro de gravidade
    do sistema, de modo que a massa da esfera se equilibrará com a massa do pêndulo, considerando-se a pedra de granito como "prancha" do sistema.

    De acordo com a TGU de Newton, nada mudará, exceto que o ângulo formado entre o raio verde e vermelho ficará numa situação intermediária à primeira e segunda experiência.

    [​IMG]

    De acordo com a teoria da expansão universal, a velocidade de expansão Va será a mesma da velocidade de expansão Vb e sem atrasos.
    Dessa maneira não ocorrerá inclinação no sistema e os raios verde e vermelho vão seguir paralelos desde o pêndulo até a parede do galpão.

    Comentários Finais

    Para que tudo saia como previsto, é necessário que o sistema tenha visibilidade e sensibilidade suficientes, não sofra a exposição de outras forças e erros desconsiderados nessas provas, e, principalmente, que a inércia da massa da esfera de chumbo gigante e a massa do bloco de granito "atrasem" a velocidade de expansão asnática. Se a expansão asnática independe da densidade da massa, tudo acontecerá como um "zoom" de uma câmara fotográfica e os resultados serão idênticos aos previstos por Newton.

    Se os resultados previstos forem diferentes da TGU de Newton ou da TEG asnática (coletiva), pode ser que a TRG, isto é, a Teoria da Relatividade Geral de Einstein leve a melhor. :-D


    Comparação com outras imagens

    Experimento no Galpão da Fábrica

    [​IMG]

    Campo Um

    [​IMG]

    Origem da Foto:
    http://www.uwsp.edu/geo/faculty/ozsvath/images/isostasy observations.jpg

    Campo Dois
    [​IMG]

    Qualquer semelhança não é mera coincidência... Ao contrário do senso comum, a expansão asnática é maior no campo do que no pico da montanha. Pensar dessa maneira é conceber a aceleração gravitacional ao avesso. A graça dessa "maquinação" é que ela faz todo o sentido.
     
  19. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.332 1.763 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Em busca do prumo verdadeiro

    [​IMG]

    Em postagens passadas, relatei sobre a impossibilidade de medir a aceleração tangencial de 712 microns por segundo ao quadrado, em decorrência de não ter o prumo verdadeiro à disposição.

    Lembrei-me do interferômetro de Martin Grusenik

    Esse interferômetro é capaz de detetar a passagem da Lua pelo seu alvo.



    Estaria esse instrumento apontando para o prumo verdadeiro da Terra?

    Descobri que posso fazer algo semelhante com um equipamento barato:

    [​IMG]

    Um receptor de AM tem internamente uma antena de ferrite. Essa antena tem propriedades direcionais e é usada em radiogoniometria, para a orientação de barcos e aviões.

    Na posição horizontal e fora de estação, o ruído branco capturado é máximo.
    Na posição vertical, o ruído branco é mínimo. Utilizando-se um voltímetro de precisão, é possível medir a intensidade de ruído branco. Ao atingir o menor valor obtido, medir o ângulo do eixo da bobina de ferrite em relação ao plano horizontal.

    Após várias medições, é possível chegar ao prumo eletromagnético pela aplicação da bissetriz dos ângulos obtidos.
     
    Última edição por um moderador: 19 Out 2014
  20. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.332 1.763 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Prezados amigos do HT forum,

    Hoje, 14 de abril de 2011, acho que, finalmente consegui elaborar uma prova para negar ou confirmar a teoria asnática. A prova e toda a trajetória asnática está no Fórum de Física da Universidade Federal Fluminense.

    Espero que gostem. Clica:

    http://forum.if.uff.br/viewtopic.php?p=6969#6969
     
  1. Este site usa cookies. Se você continuar a usar este site, automaticamente concorda com nosso uso de cookies.
    Fechar Aviso