Anúncio do HT Forum

A terra está inchando?

Discussão em 'Zona Livre' iniciada por Jonas Negreiros, 4 Jan 2011.

  1. Cubas

    Cubas Usuário


    Desde 20 Jan 2008
    Brasilia/DF/Brasil
    Rapaizi, tá aí uma coisa que nunca tinha ouvido falar: escassez do gás hélio...
     
  2. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.198 1.574 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Mais suspense no incidente dos neutrinos. Parece que vão capitular para Einstein.

    Num esforço sobre-asnático, vamos fazer mais uma tentativa de salvar essa ignóbil hipótese, considerando-se, pela primeira vez, todo o sistema envolvido na famosa medição (ou erro dela) da quebra da velocidade da luz.

    [​IMG]
    I - Percurso Suíça-Terra-Itália

    a) Sem expansão asnática (rota branca): 60 mm

    b) Com expansão asnática (rota verde) : 65 mm


    II - Percurso Suíça-Satélite-Itália


    c) Sem expansão asnática (rota branca): 39 mm + 39 mm = 78 mm

    d) Com expansão asnática (rota verde): 45 mm + 42 mm = 87 mm


    III - Relação de aumento de percurso Suíça-Terra-Itália :

    65 mm /60 mm = 1,083 x

    IV - Relação de aumento de percurso Suíça-Satélite-Itália:

    87 mm / 78 mm = 1,115 x

    Conclusão: Os neutrinos chegam primeiro.

    Obs.: aparece um pequeno desvio para o vermelho, na frequencia do sinal do satélite.
     
  3. Cubas

    Cubas Usuário


    Desde 20 Jan 2008
    Brasilia/DF/Brasil
    [h=1]Aquecimento global: a gravidade terrestre está mudando![/h]Novo estudo apresentado pela NASA mostra que a gravidade mudou devido ao degelo terrestre.



    [​IMG] (Fonte da imagem: Reprodução/Daily Mail)
    Um novo estudo, divulgado pela NASA, concluiu que a temperatura da Terra subiu 0,75º C desde 1900, causando uma mudança no campo gravitacional terrestre devido ao derretimento de geleiras. A missão GRACE, que enviou dois satélites ao espaço para realizar medições detalhadas sobre a gravidade do planeta, apresentou novas imagens que confirmam essa informação.De acordo com uma notícia publicada pelo jornal britânico Daily Mail, o estudo — chamado Met Office — reuniu dados coletados em estações meteorológicas localizadas na Rússia, Canadá e África, além de medir a temperatura dos mares, apresentando informações mais completas e precisas que os registros anteriores.[​IMG] (Fonte da imagem: Reprodução/Daily Mail)Segundo os pesquisadores, os registros indicam que os anos mais quentes foram os de 2005 e 2010, e as 10 temperaturas mais altas ocorreram durante os últimos 14 anos. O estudo deve ser disponibilizado em breve, fazendo públicas todas as informações, evitando que ocorram escândalos como o Climategate, no qual os cientistas foram acusados de forjar dados sobre o aquecimento global.Os satélites da missão GRACE realizaram levantamentos sobre o derretimento de glaciares da Groenlândia, mostrando com bastante precisão que estes sofreram uma enorme perda de massa entre 2002 e 2011, correspondendo a um aumento no nível dos mares de 0.7 milímetros por ano. Tal aumento, mesmo que discreto, faz com que o campo gravitacional da Terra sofra alterações, que podem ter consequências no futuro.

    Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/mega-cur...ade-terrestre-esta-mudando-.htm#ixzz1rB7paRJJ
     
  4. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.198 1.574 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Obrigado, Cubas, pela interessante nota.
    Esta é mais uma forma de detetar os efeitos do aquecimento global, tão discutido na atualidade.

    "Off-Topic"

    Dias passados, assisti a uma entrevista de um cientista brasileiro especialista em meio ambiente.
    Dizia o cientista que questionar o aquecimento global é como discutir o sexo dos anjos.

    Há problemas urgentes para serem resolvidos, como por exemplo superpopulação, a escassez de água, etc.
    Um ponto interessantissímo foi a citação dos governos europeus estimularem o aumento de consumo como saída para a crise na Zona do Euro. Está na hora de rezar por outra cartilha. Não há planeta que aguente...
     
  5. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.198 1.574 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Pendências Asnáticas

    Em função do impacto causado pela experiência neutrínica helvética-italiana, ainda mal resolvida, deixamos de lado, por um bom tempo, as investigações asnáticas.

    O grande mérito da ignóbil hipótese da expansão asnática é revelar que a construção de uma teoria, por mais idiota que esta possa ser, ela nos dará algumas surpreendentes respostas. Como toda teoria, a expansão asnática também nunca nos dará todas as respostas.

    Rememorando alguns pontos sensíveis da hipótese, observe a figura abaixo:

    [​IMG]

    Terra e Sol crescem com a expansão asnática. A distância entre os astros também. Desta maneira, fica difícil perceber a expansão em andamento, pois o ângulo formado entre os astros não aumenta.

    Será que a expansão asnática teria cacife suficiente para explicar a precessão de Mercúrio? Acautele-se, Einstein, a sua teoria está com os dias contados...

    Além de tudo isso, é necessário a existência de uma força que faça o Sol distanciar-se da Terra em regime acelererado. A ignóbil hipótese da energia escura.

    Satélite em Órbita

    [​IMG]

    Ainda não consegui explicar como um satélite pode orbitar a Terra apenas pela expansão asnática.

    Pela figura acima, desenhei três círculos concêntricos que representam o aumento do raio da Terra de forma exagerada.

    Do círculo interno há uma seta vermelha que representa a trajetória de uma bala de canhão. Para que a bala nunca atinja o solo terrestre, ela precisa de uma velocidade que acompanhe a expansão do raio terrestre.

    Mas a bala deveria conservar a velocidade de saída do canhão, que é constante. Como a velocidade de expansão do raio da Terra é progressiva, em um certo momento, a superfície da Terra "atingiria" a bala de canhão.

    A não ser que... à partir de uma altitude crítica, a bala passaria a receber altas doses de energia escura, de modo a aumentar sua velocidade em paridade com a velocidade de expansão do raio terrestre.

    Isso ainda não é o maior problema da hipótese da expansão asnática.

    [​IMG]

    Sabemos que a Lua gira em torno da Terra. Pelo exemplo da bala de canhão e a ilustração da orbita lunar, fica díficil entender como a Lua pode circundar a Terra.

    Pela hipótese da expansão asnática, a orbita da Lua, tal como a trajetória da bala de canhão pararia muito próximo a 90 graus do ponto de partida do tiro.

    Mas também não podemos nos esquecer que a Terra gira.
     
  6. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.198 1.574 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    DIVAGAÇÕES ASNÁTICAS EXTREMAS.

    É amplamente aceito pela física oficial que o tempo anda para frente. A maior prova disso é que à maneira que o tempo avança, avança a entropia.

    Entropia, em simples palavras, é o estado de agitação molecular. A agitação molecular não é uma coisa ordenada como desejariam os engenheiros de trânsito, mas uma coisa que tende ao caos.

    Logo, à maneira que o tempo avança, aumenta a entropia. Alguém tem de patrocinar esse aumento de confusão. O aumento de confusão só é possível com o aumento de temperatura. O grande candidato é a esse aumento de confusão é energia escura. Pronto. Voltamos à era das trevas.

    Como é que com o aumento de confusão, tudo, aparentemente, parece caminhar na mais perfeita ordem?

    O exemplo mais banal de entropia são os estados físicos da água. Fora o ponto tríplice, a água aumenta de volume à maneira que a temperatura aumenta. Durante as fases de mudança de estado, há uma parada no aumento de volume. Mas, quando a água atinge a forma gasosa, não há limite prático para aumento de temperatura e volume do vapor. O céu (ou o inferno) é o limite.

    [​IMG]

    Nos metais comprovamos com precisão o efeito da dilatação linear dos corpos. Basta ver o vão livre nos trilhos de trem. Sem esse cuidado construtivo, as ferrovias seriam inviáveis.

    Bem, após esse necessário preâmbulo, voltamos aos dilemas asnáticos.

    A gravidade terrestre é explicada pela expansão asnática como reação à uma ação, ou seja, o aumento de raio terrestre nos "empurra para cima" e nossos corpos reagem "querendo voltar para baixo".


    A expansão asnática depende de um fornecedor de energia escura. Muito provavelmente é o mesmo fornecedor que está pondo o universo inteiro em expansão.

    Se pudéssemos "congelar" a expansão asnática de uma régua de aço, notariamos que, relativamente, esta encolheria em relação à outra régua, sincronizada com o nosso tempo. Em tese, a régua que encolhe deveria ficar mais fria.

    Se aquecemos uma régua, em comparação à outra, a primeira aumenta de tamanho.

    Logo, corpos mais frios estão atrasados em relação ao nosso tempo. Corpos quentes estão adiantados em relação ao nosso tempo.

    Um condicionador de temperatura do ar é a própria máquina do tempo.

    E a expansão asnática é a válvula de escape para o aumento da entropia. Aumenta a entropia, mas aumenta o volume de um espaço continuamente inflacionado. Aparentenente, a ordem continua.
     
  7. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.198 1.574 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil

    Paradoxo Asnático Máximo


    [​IMG]

    Expansão asnática em três tempos distintos


    Tenho matutado com a figura acima. Ela representa, grosseiramente, um projétil disparado de um canhão, de um ponto qualquer da Terra.

    A questão-chave é como explicar que a trajetória retilínea de um projétil pode descrever um movimento circular. Trocado em miúdos, como um objeto que anda em linha reta pode acompanhar a curvatura da Terra, isto é, entrar em órbita.

    Vamos em partes...

    [​IMG]

    Se o objeto disparado tem uma velocidade menor que um valor determinado, extremamente crítico, o crescimento do raio da Terra o atingirá. Para quem observa esse movimento desde a Terra, dirá que o projétil "caiu", conforme a trajetória azul da figura.

    Se o objeto disparado tem a velocidade maior que um valor crítico, este objeto ultrapassará a velocidade de crescimento do raio da Terra. Para quem observa este movimento, dirá que o projétil "subiu", isto é, escapou da órbita terrestre.

    No entanto, se o objeto disparado estiver num ponto crítico entre a velocidade "azul" e a velocidade vermelha, o observador da Terra dirá que o projétil segue "paralelo" à superfície terrestre.

    Trocado em miúdos, o projétil entra em órbita.

    O assunto asnático tratado desta maneira leva-nos a um terrível paradoxo: a velocidade de expansão do raio terrestre, conhecida como a hipótese da expansão asnática, deve ter um valor crítico tal que a curvatura da supefície terrestre, só pode ser uma reta.

    Nestes termos, a ignóbil hipótese da expansão asnática livra-se da "Muleta do Efeito Bernoulli".

    Agora basta explicar melhor o fenômeno das marés.

    A órbita do objeto tem um apogeu e um perigeu. Se a Terra, por ser "meio excentrica" tiver um bamboleio, tudo fica resolvido.

    :D
     
  8. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.198 1.574 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    A gravidade da Terra aumentou? A Terra está inchando?

    No embalo das pesquisas asnáticas sobre o aumento alucinante do raio da Terra, encontramos mais um trabalho sério, do pesquisador iraniano Ramin Amir Mardfar, que faz uma consistente associação entre a gravidade terrestre, circulação sanguinea e ocorrência de animais de grande porte.

    [​IMG]

    Esta é uma representação artística do baluquiterium ou indricotherium

    Amir Mardfar acredita que a biologia possa dar uma mãozinha para a geologia, a fim de entender o que anda acontecendo com a Terra desde o período cenozóico.

    Abaixo, o cerne da pesquisa de Amir Mardfar:

    [​IMG]

    Esta curva relaciona a massa corporea de mamíferos, em função do "g" isto é, constante da gravidade, que muda com a latitude terrestre E PODE TER MUDADO com o aumento de massa da
    Terra nos últimos 20 milhões de anos.

    [​IMG]

    Acima, as relações matemáticas/biológicas/temporais encontradas por Amir Madfar.

    Para saber mais:

    http://www.geocities.ws/ramin1102000/22.html
     
  9. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.198 1.574 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Desafio Asnático

    [​IMG]

    Esta é a figura de um elevador espacial. A idéia está em desenvolvimento. Trata-se de um meio de fazer viagens espaciais sem o uso de foguetes.

    Abaixo, uma boa reportagem sobre o assunto:

    http://ciencia.hsw.uol.com.br/elevadores-espaciais.htm

    [youtube]http://www.youtube.com/watch?v=03Q3eHUAJ2k[/youtube]

    Para quem possui internet em banda larga, assista ao documentário acima.

    Bem, voltemos agora para o planeta Terra :-D :

    [​IMG]

    [​IMG]

    Estas fotos mostram as variações da aceleração gravitacional na Terra.
    Nas áreas vermelhas, a aceleração é mais intensa. Nas áreas azuis, a aceleração é mais fraca.

    Quando um navio parte do sul da África para o norte do Brasil, ele faz esta viagem praticamente "de graça", pois ele caminha como se estivesse "descendo".

    Seguindo esse raciocínio publicado na Revista FAPESP, o navio não deveria ser "atraído" pela Cidade do Cabo?

    É muito estranho que regiões elevadas tenham aceleração gravitacional mais alta. Isto vai contra o que ensinam nas escolas: relógios de pêndulo andam mais devagar nas partes mais altas da Terra?

    Mais detalhes em:

    http://www.revistapesquisa2.fapesp.br/?art=71435&bd=2&pg=1&lg=

    Se, à maneira que afastamos do centro da Terra, a aceleração da gravidade diminui e a velocidade escalar aumenta, baseado nesses
     
  10. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.198 1.574 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Mais uma Reflexão Asnática Extrema

    Einstein certo, mais uma vez...

    Desta vez foi com o desfecho dos testes no CERN. Neutrinos não viajam acima da velocidade da luz no vácuo. Mas parece que viajam na mesma velocidade...

    Picuínhas à parte, me ocorreu uma idéia absurdamente asnática.

    Parece que, no caso dos neutrinos, uma partícula do mundo subatômico, Einsten se deu muito bem.

    Mas, por que a gravidade de Einstein não se encaixa microcosmos?

    Talvez por que suas idéias gravitacionais não se encaixem no macrocosmos também!
     
  11. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.198 1.574 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Uma energia indispensável

    Um corpo para acompanhar a curvatura da Terra, isto é, manter-se em órbita terreste, terá de aumentar a sua aceleração, caso contrário colidirá com a superfície deste planeta em expansão.

    [​IMG]

    É certo que no modelo de expansão asnática, não somente os astros crescem, mas o espaço entre eles também. Isso pode ser possível se todos os astros partiram de um único ponto (a origem do Big-Bang) e continuam em marcha divergente.

    Essa marcha divergente está acontecendo em movimento acelerado.

    Logo, para um corpo que viaja em linha reta acompanhe a curvatura da Terra em expansão, terá de aumentar sua velocidade também.

    Quem supriria esta "energia extra" ao corpo, além daquela que levou-o à "orbita"?

    Só há uma resposta para isso: a mesma energia escura que mantém o Cosmos em expansão!

    Esta "energia extra" aparece em textos que descrevem "bons momentos" para lançamento de naves espaciais, quando "a gravidade" dos astros favorece uma órbita desejada...
     
  12. Dbstay

    Dbstay Usuário


    Desde 14 Mar 2007
    Brasil
    Jonas, (a) o universo se expande na velocidade da luz e (b) essa velocidade de expansão é o fator que neutraliza o efeito gravitacional na medida exata a ponto de evitar que por exemplo a Terra vá de encontro ao Sol, e a Lua vá de encontro a Terra.

    Você concorda com essas afirmações?
     
  13. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.198 1.574 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Sim, Dbstay! A gravidade seria apenas a reação à uma "força de contato" de um planeta ou outro astro em expansão acelerada.

    Se entre a Terra e o Sol há espaço, esse pode crescer em igual velocidade à expansão cósmica; não haveria por que nosso planeta chocar-se com o Astro Rei.

    A descoberta da expansão do universo é da década de 30 do século passado;a descoberta que a expansão é acelerada é muito recente. Muitos suspeitam que, nos confins do universo, os astros já ultrapassaram a velocidade da luz.

    Agradeço pela sua colaboração. Mas não se engane, a especulação asnática terá de passar por várias "provas de fogo" até mostrar sua utilidade... :D
     
  14. sgblumfeld

    sgblumfeld Usuário


    Desde 25 Out 2011
    sp
    Caro Jonas,

    Uma perguntinha off. Se a entropia aumenta, por que as espécies evoluem? Se fossem ilhas de entropia negativa, não tenderiam a desaparecer com o tempo?

    abraços
     
  15. paulofma

    paulofma Usuário


    Desde 8 Mai 2007
    RS
    Bah, apesar de entender pouco, o assunto é muuuuito interessante.

    Sempre que posso dou uma passada no tópico.

    Parabéns aos colegas que participam ativamente.
     
  16. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.198 1.574 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Bem, colega Sgblumfeld, biologia não é minha praia...

    Entropia é desordem, não há lugar para a vida nela. A vida é totalmente organizada.

    O exemplo da relação entre a gravidade e peso dos animais é sinal que a "evolução" pode ser um ajuste das espécies frente às mudanças físicas do ambiente onde vivem.

    P.S.:

    Paulofma, obrigado pela "audiência".
     
  17. sgblumfeld

    sgblumfeld Usuário


    Desde 25 Out 2011
    sp
    Obrigado pela resposta, Jonas.

    O problema não é apenas que a vida é organizada, mas sim é que ela se torna com tempo cada vez mais organizada, não só a nível genético, mas também a nível neural e a nível de coletividades sociobiológicas.

    Entropia negativa crescente é um assunto audacioso. Talvez o físico austro-irlandês Erwin Schrödinger (nobel em 1933) tenha sido muito pretensioso com seu livro "O que é vida?"

    abraços
     
  18. sidney.gauss

    sidney.gauss Mentir para a esposa? Só se for o preço do som.


    Desde 7 Out 2007
    curitiba
    O tempo astronomico é uma eternidade.
     
  19. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.198 1.574 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    Boa definição, Sidney!

    Se não houvesse a recente descoberta da expansão cósmica, tudo seria absolutamente cíclico e seria impossível pensar num "começo".

    A observação do tempo depende de movimento. Dessa maneira, devemos reconhecer que Einstein tinha uma boa dose de razão em colocar essas duas grandezas num mesmo balaio.

    Até aí, tudo bem. O que não dá para engolir é a relativização do tempo. A expansão cósmica é um desafio para as idéias do "bom velhinho"

    Quanto aos rumos da expansão asnática, esse ignóbil modelo cósmico vem passando por uma série crise...

    [​IMG]


    Das últimas postagens, "provamos", filosoficamente, que a bala que sai de um canhão pode "descer", "subir" ou "manter-se tangente" ao raio terrestre em constante expansão.


    [​IMG]


    Filosoficamente, se a bala avança, de grau em grau, do ponto de partida do tiro de canhão, e não "sobe" nem "desce", não tem outra alternativa a não ser voltar ao seu ponto de origem. Mas, se no contexto asnático, o ponto de origem do tiro não será o mesmo após a volta esperada, como resolver o problema? A Terra está em órbita com o Sol. E ambos estão avançando junto com a expansão cósmica.


    A bala de canhão, em situação de tangência, avança de grau em grau até quase o fim do primeiro quadrante da figura, próximo aos 90 graus do ponto de partida. Não há como sair daí.


    Então, como, e apesar de a bala distanciar-se de grau em grau do ponto de partida, teria condições de entrar em órbita num planeta que está em franca expansão?


    Não podemos nos esquecer que a que bala do canhão sai deste ponto com uma quantidade de energia limitada, suficiente para "cair", "manter-se" tangente ou "subir" em relação ao ponto de partida.


    Mas "subir" até onde?


    [​IMG]


    Para "subir" indefinidamente, a bala teria de "adquirir" uma quantidade de energia infinita.


    Podemos, para simplificar o problema, considerar o centro da Terra como ponto de origem de uma certa quantidade de energia escura.


    (Será que a expansão asnática EXIGE um modelo cósmico geocêntrico?)


    Na figura, vemos a Terra em três intervalos de expansão radial asnática.


    A energia cinética da bala foi "tomada" do explosivo do canhão, logo, energia limitada e "tomada" da própria Terra.


    À maneira que o tempo passa, a Terra e a bala "recebem" quantidades de energia escura proporcionais às suas massas, porém originárias do centro da Terra.


    Esta energia originária do centro da Terra somar-se-á a energia contida na bala, originária do tiro do canhão. Essas energias vêm de direções diferentes. A energia originária do centro da Terra provocará um empenamento na trajetória da bala do canhão, fazendo que esta encontre um ponto de equilíbrio energético potencial e cinético.


    Em outras palavras, a bala entra em órbita.

    Mais uma observação...

    [​IMG]
    Lua em órbita da Terra

    Se a energia escura continua vindo da origem do big-bang, e se esta energia faz com que todas as partículas de todos os corpos distanciem-se umas das outras, nada impede que esta força faça a bala do canhão distanciar-se da Terra, da mesma forma como acontece com a órbita da Lua.
     
  20. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    5.198 1.574 576

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil

    Essa postagem foi feita na "fase de deslumbramento da descoberta asnática".
    Mas nesta mensagem, há uma advertência sobre a asneira, logo na abertura... :D


    Não pode existir um "empilhamento" temporal dos astros, a figura simplesmente seria a superposição de fotos da Lua e a Terra movendo-se para o infinito.


    Podemos aceitar que a Terra e a Lua na ilustração seguem caminhos diferentes, como originárias de um "setor esférico" da grande explosão. Esse setor é um cone.
    Desta maneira, a Terra, a Lua e o espaço entre elas crescem em igualdade de condições.


    Nesse "estado de deslumbramento" comentei que o modelo asnático seria baseado em contato. Mas não há como funcionar assim.


    Se a energia que impele a Terra e a Lua é aplicada "pela base" desses astros, isto é, do lado da origem do cone, haveria muito mais pressão na superfície da Terra e da Lua do lado que aponta para a origem do big-bang do que do lado oposto.


    A expansão asnática para "funcionar" harmonicamente depende de que a energia escura atue em cada partícula do cosmos, do sentido de origem do big-bang para o infinito.


    Essa força de repulsão deve acontecer igualmente dentro de cada astro, a fim de que o efeito de gravidade por impulsão apareça na superfície da cada um. O modelo de contato somente valeria para interação de partículas de um mesmo astro.


    Quanto às marés, provisoriamente elas são devidas ao deslocamento do centro de gravidade da Terra. É quase impossível que o núcleo da Terra e seu centro de gravidade estejam no mesmo lugar.


    Ainda estou devendo uma explicação para a órbita da Lua em torno da Terra. O dia que conseguir uma boa justificativa, o "ciclo de especulação asnática" estará encerrado. :D