Amplificador integrado Sunrise Lab V8

Discussão em 'Amplificadores, Prés e Integrados' iniciada por Cantunes, 24 Dez 2011.

  1. dario72

    dario72 meus amores


    Desde 13 Nov 2008
    sao paulo/sp
    Eu li os reviews tanto do V8 como da Dynaudio e bateu perfeitamente coma a minha impressão dos dois ,estou escrevendo pelo que conheço de Dynaudio ,tive as excite x12 e 25 anos e v8 mkII e MKIII
     
    juan SL e prof_pretti agradeceram.
  2. dario72

    dario72 meus amores


    Desde 13 Nov 2008
    sao paulo/sp
    Ouvi o Dartzeel apenas na feira do Rio onde o Vlamir o apresentou junto com o Herve ,ou seja dois mega entendidos dessa marca e se não me engano em outra feira num sistema montado pelo Andrette (não tenho certeza )e achei mesmo um aparelho mágico,mostrando a música de uma maneira encantadora e bastante particular,lembrando agora acho que também ouvi no Ulisses .
    Ou seja aquela marca que nunca ouvi tocar mal
    Lembro nos primórdios do desenvolvimento do V8 que o Ulisses tinha o Dartzeel e nas brincadeiras de nossa turma chamavamos o V 8 de Ulissezeel tamanha a referência com o aparelho em questão ( informação de bastidores de churrasco de audiófilos),regado a várias brejas.
    O patrick foi o primeiro a ter o V8 ,acho que depois eu ,nem lembro se por ter comprado ou algum rolo ,meu segundo V8 um MK3 foi encomendado com o Ulisses ,isso tenho certeza .
     
  3. Marcos_Tavares

    Marcos_Tavares Usuário Ativo

    Caros,

    Bem interessante à discussão dos últimos dias relativa as comparações do V8 MK IV com outros integrados bem conceituados.

    IMHO, reitero que análises de revistas servem de referência apenas. No final, o que conta é a performance na nossa configuração. E cada um sabe o tempo que leva para equilibrar um sistema, depois da mudança de patamar de um componente.
    Felizmente, aqui, no caso do upgrade do V8 MK III para o MK IV, o restante do sistema não precisou ser mudado. E o salto foi considerável.
    Acredito que o Fernando Andrette também percebeu este salto e colocou o V8 em outro patamar. No passado, a comparação era com Cambridge, Musical Fidelity, Marantz ...

    Outra coisa importante é reconhecer a competência e dedicação do Ulisses. Quem o conhece sabe que ele é um excelente projetista e perfeccionista. No Brasil temos uma dificuldade de reconhecer talentos nativos. Sempre o de fora é melhor.

    Considero a ideia de testes muito boa, sempre. Isto nos ajuda a encontrar a nossa melhor configuração. Além de ser uma oportunidade de reunir amigos que partilham do mesmo hobby.

    Gostaria somente de reforçar um ponto, de quem possuia um V8 MK III e fez o upgrade para o V8MK IV. É outro integrado. O patamar subiu mesmo. Para quem não escutou recomendo fortemente uma audição. Afinal, os nossos ouvidos são os únicos para fazerem esta avaliação.

    Abs,

    QJA

    Marcos
     
    Gandhi, jan.balanco, Marckey e 3 outros agradeceram.
  4. Batman-X

    Batman-X Usuário Muito Ativo

    9.287 2.087 113

    Desde 29 Jan 2006
    Morrinhos-GO
    Marcos vc ou mais alguém já ouviu um Marantz Reference PM11S2/11S3? A assinatura do MK 4 é semelhante, mais warm ou mais neutro?

    Os Hegels que citaram eu ouvi o H300 e não gostei. Achei muito neutro para o meu gosto. Prefiro assinatura dos Marantz.

    Pode ser que a caixa em questão também tenha ajudado a deixar o som mais frio, cirúrgico, analítico, sem graça, sem sal e etc... Pois as caixas também possuem assinatura mais neutra. São as PSB Synchrony One.

    As antigas Veritas 2.2i, as B&W 805S e as Tannoy DC8 com o Marantz PM-11S2 me agradavam mais.


    Se alguém puder falar da assinatura do MK4 eu agradeceria. Porque esses dias quase gastei 10K(o mesmo preço do MK4 novo)em um Marantz PM-11S3 usado. (y)

    E se o que dizem for verdade, dele ser compatível ao Luxman L-590AX MKII e tiver assinatura semelhante, então me interessa bastante.

    Já o Dartzeel é bem neutro ou mesmo analítico pelo que dizem. Aí mesmo ele tendo o som parecido com o Dart não me agradaria. Pois não basta ser superior, para o meu gosto tem que ter assinatura que eu gosto, que mais me agrada. (y)(y)
     
    Última edição: 14 Nov 2017 às 18:53
    juan SL agradeceu.
  5. juan SL

    juan SL Usuário Ativo

    727 340 43

    Desde 19 Jan 2012
    sao paulo
    boa tarde.
    Ele não é Warm mas segundo quem ouviu, é um pouco mais quente, as modulações do grave, e texturas nele são mais extensas e inteligíveis que no Hegel (só lembrando que os dois estavam a baixo do sistema testado, e não sei se isso mudaria num outro setup a favor do Hegel).
    O Ulisses utiliza o transporte Luxman nele, então casa bem com Luxams.
    Ele não tem nada de analítico, ao contrário, tem muita transparência mas é bastante musical, o equilíbrio nesse quesito é muito bom.

    O Ulisses disponibiliza o MK4 para teste na casa dos interesados, dá uma ligada lá e ajeita um teste.
     
  6. Audionet-01

    Audionet-01 Usuário Muito Ativo


    Desde 26 Nov 2005
    SP
    Marantz PM11s2: passou aqui em casa e ficou por um (pouco) tempo, porque é fraco.

    Perdoe-me quem gosta, mas isso percebi logo nos primeiros acordes. Quero distância.

    O S3 nunca ouvi, mas espero que seja bem melhor do que o 2 já que, para levar um selo que possui décadas de tradição, tem que ter considerável qualidade, tais como tinham aqueles valvulados push-pull dos anos 50/60, e cujos médios são mágicos.
     
  7. Audionet-01

    Audionet-01 Usuário Muito Ativo


    Desde 26 Nov 2005
    SP
    Das qualidades do Ulisses, acho que são reconhecidas e unânimes entre nós, portanto desnecessário citar, né? Vamos focar no amp. (y)
     
    juan SL e FelipeRolim agradeceram.
  8. Marckey

    Marckey Usuário Ativo


    Desde 17 Jul 2009
    SP/SP/BR
    Também acho que a assinatura do MK4 vai mais na linha da neutralidade.
    Com certeza não é analítico, os detalhes aparecem na proporção certa. Creio que a riqueza em termos de textura que ele proporciona o leva a ser visto como um pouco mais warm. A sua característica sonora talvez possa ser descrita como uma "neutralidade rica", pois ele não fica em cima do muro, jogando umas migalhas para o lado analítico ou para o lado do calor, mas permite você encontrar satisfação tanto ao focar sua atenção nos detalhes quanto ao tentar apreciar o todo do que está ouvindo.

    Quem tem gravações antigas que acha que não dá para ouvir, aconselho experimentar o MK4 e ver o que acha. Esse aspecto dele, de tirar leite de pedra, sempre me surpreende positivamente.
     
    Última edição: 14 Nov 2017 às 21:21
    Gandhi, jan.balanco, Batman-X e 3 outros agradeceram.
  9. Marcos_Tavares

    Marcos_Tavares Usuário Ativo

    Caro @Batman-X@Batman-X,
    O Marantz PM11S2/S3 nunca escutei, mas o pessoal que já escutou já respondeu.

    Considero a assinatura do V8 MK IV neutra.

    Caro @Audionet-01@Audionet-01 o que está achando do MK IV até agora?
    Já está devidamente amaciado?

    Que JESUS os abençoe

    Marcos
     
    Batman-X e juan SL agradeceram.
  10. Audionet-01

    Audionet-01 Usuário Muito Ativo


    Desde 26 Nov 2005
    SP
    Caro Marcos,

    Boa noite.

    O "menino" está com menos de 10hs, ainda não mostrou nada. Estimo umas 200hs, e caso os colegas tenham obtido resultados com tempo diferente, por favor, aproveitem e deixem o registro.

    Aproveito, ainda, para elogiar a qualidade das descrições tecidas por todos vcs sobre a sonoridade do mk4. Foram fiéis e precisos quanto às características da linha v8, e restou provada a maturidade dos membros do clube o qual fico feliz em pertencer.
     
  11. Audionet-01

    Audionet-01 Usuário Muito Ativo


    Desde 26 Nov 2005
    SP
    Bom dia.

    As manhãs de fim de semana ou feriados são ótimas para audições. Talvez por contarmos com energia elétrica menos poluída - neste horário muitos ainda não se levantaram e os aparelhos em geral estão desligados, ou talvez pelos ouvidos descansados após a jornada de sono, enfim, por este ou aquele motivo é fato que a audição fica melhor.

    E com 2 discos não audiófilos (Maria Bethânia, Milton Nascimento), nenhuma surpresa: neutralidade, a música saindo fluída, e a tolerância com gravações medianas se fizeram presentes. Percebe-se também o salto em relação ao mk3, principalmente na sensação de "limpeza" e clareza (certa figura de nosso meio diria 'inteligibilidade') com as quais as faixas dos CDs se mostram. Aliás, estas duas últimas virtudes são bastantes destacadas neste equipamento, e dignas de nota.

    Por fim, antes que alguém critique os discos retrocitados, cito uma passagem que li em algum lugar, onde foi sugerido que dependendo do tipo de música que se ouve/escolhe, nem vale a pena ser audiófilo. Repudio, e afirmo que se depender de se ouvir somente gravações soberbas, melhor nem ser audiófilo.
     
  12. prof_pretti

    prof_pretti Usuário Ativo

    485 166 43

    Desde 31 Mai 2009
    São Paulo/SP/Brasil
    Caro Audionet-01,

    Já de saída prefiro me considerar apenas alguém que gosta de ouvir música, porque não tenho nenhum compromisso com gravações soberbas, minha última visita ao Ulisses, alguns meses atrás levei um CD da Sarah Vaughan - Live in Chicago - 1957-8 - que está muito longe de gravações audiófilas, mas eu adoro.

    Para mim de nada adianta uma gravação audiófila do Justin Bieber, prefiro a Sarah Vaughan gravada ao vivo em 1957. O Ulisses, concordando com essa premissa, tocou no protótipo (ainda não estava no patamar final) uma gravação do Jeff Beck ruim, bem anos 70, e o V8 conseguiu transformar em algo bem palatável, para mim essa é condição essencial, tocar o que eu gosto de ouvir bem.

    Outra questão que também me chama atenção é esta questão de melhores cabos, melhores fontes, na sala mais bem tratada acusticamente...bem estas me parecem condições que não são a média das condições da maioria dos sistemas.

    Gostaria de ver um comparativo com cabos medianos, caixas "difíceis", salas complicadas, porque o mundo não é ideal.
     
  13. Batman-X

    Batman-X Usuário Muito Ativo

    9.287 2.087 113

    Desde 29 Jan 2006
    Morrinhos-GO
    Rapaz agora vc tocou em um ponto importante para mim. Assim como já falaram aí atrás, para mim é muito importante o aparelho tocar bem gravações não muito boas. (y)

    Sobre o Marantz, todas as caixas que ouvi com ele tocou bastante musical. Gosto bastante da sua assinatura. (y)

    DETALHE; Eu já fui metódico em relação a áudio e vídeo, só ouvia FLAC e tal coisa. E vivia fazendo testes de equipamentos. Mas já tem tempo que mudei. Só quero curtir um som que me agrada. Apaguei muitos arquivos de FLAC ou superiores devido nem ter notado diferença para MP3. E também ouço muita coisa via Youtube. Aqui toca tudo muito bem. Mas a vontade de ouvir coisas novas as vezes bate na porta.

    Sobre as músicas nacionais(aproveitando a deixa já que vc citou)e via youtube, depois reproduza essas músicas via youtube e me diga como tocaram aí. Aqui toca maravilhosamente bem. Tão bem quanto as mesmas em MP3 e/ou FLAC pelo Jriver. :aplauso::aplauso::aplauso:

    As vezes fico navegando e ouvindo músicas pelo Youtube. A qualidade me agrada tanto que nem sinto necessidade em abrir o Jriver e executar as mesmas através dele em arquivos ditos de melhor qualidade. (y) Sem contar que graças a isso eu descobri bastante coisa(muuuita coisa mesmo)que nunca tinha ouvido.


    Ouça aí e se vc tiver elas em MP3, FLAC execute elas no seu player e faça uma comparação e me diga se a diferença é muito grande. OK!












    https://www.youtube.com/watch?v=raqgt0gXeXo
     
  14. Audionet-01

    Audionet-01 Usuário Muito Ativo


    Desde 26 Nov 2005
    SP
    Tem coisas que só encontro no YouTube, às vezes canções saudosistas, etc. E baixo com alegria: sabe um garimpeiro quando acha um ponto dourado em sua peneira? Nem precisa dizer muito.

    Sobre as canções citadas acima: de ótimo gosto. Assino embaixo.

    O "ponto de raiva" no setup que atualmente chateia é a impossibilidade de usar o Squeezebox Touch que tanto gosto, porque ele não 'enxerga' o HD onde estão as músicas. Mas isso é assunto prá outro tópico. Muito em breve um parente configurará uma pequena rede e aí resolverá este e outras bobagens momentâneas.

    Por enquanto, vamos de CD e Foobar.
     
    juan SL, Batman-X e Marcos_Tavares agradeceram.
  15. Audionet-01

    Audionet-01 Usuário Muito Ativo


    Desde 26 Nov 2005
    SP
    Batman, respeito sua predileção pelos Marantz, já tive alguns modelos e ficou apenas uma birra com o S2, e só, mais nada.

    A sua cidade é bela, muita tranquila, boa de morar. Passei uma vez por aí e me encantei.
     
    juan SL e Batman-X agradeceram.
  16. Audionet-01

    Audionet-01 Usuário Muito Ativo


    Desde 26 Nov 2005
    SP
    Prof, palavras bem colocadas, somos uníssonos nestes pensamentos.

    Os fabricantes tem que se desdobrar em oferecer muito por pouco, inclusive com soluções que resolvam problemas clássicos como estes. Já que não custam baratos, tem que fazer milagres!

    Os DSPs, que prometem compensar a acústica já são um caminho, principalmente se fizerem como o faz o Devialet. E por aí vai.
     
  17. Evandro César

    Evandro César Usuário Muito Ativo


    Desde 19 Dez 2008
    Brasil
    Eu também me afino com os que ouvem Música; não ouvem equipamentos. Meu primeiro contato com um dos pontos culminantes da música ocidental (a 9ª de Beethoven) se deu na minha infância, através de um gravador mini-cassette (mono!) "National" (Panasonic) - e nem por isso o encantamento foi menor!

    Lado outro, (e de forma que parece contraditória mas que não é), dou muita importância às gravações ditas "audiófilas" - e à busca constante pelas melhores gravações - aliadas, é claro, à qualidade artística das interpretações musicais. Até porque minha modestíssima experiência me permite concluir que a qualidade das gravações tem a maior influência no resultado final do áudio, colocando-se no mesmo patamar da acústica da sala (acima da elétrica; e muito acima da qualidade da eletrônica em si - até mesmo porque, atualmente, os equipamentos de áudio em geral atingiram um razoável patamar de qualidade... e, infelizmente, o mesmo não pode ser dito da maior parte das gravações).

    No final de tudo isso emerge aquela conclusão da personagem de Erik Ibsen (in 'Peer Gynt'): "Todos estão certos". E viva a música!

    Grande abraço a todos.
     
  18. Marcos_Tavares

    Marcos_Tavares Usuário Ativo

    Caros,

    Estou gostando dos últimos comentários feitos neste tópico.

    Ouvir música com qualidade e muito diferente de discutir equipamentos. A primeira parte sempre une as pessoas, a segunda sempre divide.

    Muitas vezes as fontes não são boas, mas aquela música nos toca e isto é o que importa.

    Um grande abraço a todos.

    Que JESUS os abençoe

    Marcos
     
    Última edição: 15 Nov 2017 às 18:12
    Gandhi, juan SL, FelipeRolim e 4 outros agradeceram.
  19. Audionet-01

    Audionet-01 Usuário Muito Ativo


    Desde 26 Nov 2005
    SP
    Prá quem passou pelos 70, 80, sabe o que é aguentar plic e ploc de LP, fita cassete de ferro, cromo, ferro-cromo, metal, toca-fitas TKR, cabeçote sujo, vinil empenado... fm com sinal ruim, pagar uns U$ 1.000 por uma linha fixa de telefone fixa ou aguardar fila de espera kkkkk

    Passamos por muita coisa e nunca as audições deixaram de ser feitas, e com prazer.

    Então, ter tudo o que temos hoje é motivo de muita alegria!
     
  20. juan SL

    juan SL Usuário Ativo

    727 340 43

    Desde 19 Jan 2012
    sao paulo
    Nossa!! me fez reviver boas lembranças rs
    eu ouvia as fitas K7 do meu irmão escondido, depois rebobinava até o ponto em que ele deixava para não levar bronca. certa vez embolou tudo no cabeçote, pense num moleque desesperado hahahaha.
    lá em casa não pegava a jovenpan direito, então íamos pra fora de casa olhar o céu, se estivesse com muitas nuvens, sem chance não dava para ouvir as 7 melhores da Pan. rs
     
    Gandhi agradeceu.