ANÁLISE DE SEIS CONVERSORES DAC

Discussão em 'Colunas' iniciada por Jorge Knirsch, 17 Nov 2009.

  1. Jorge Knirsch

    Jorge Knirsch Usuário

    45 16 8

    Desde 5 Set 2002
    São Paulo - SP
    Teste de Equipamentos

    Jorge Knirsch

    Introdução
    Iniciamos no nosso site na parte de Artigos uma nova seção de Testes de Equipamentos. Neste espaço vamos trazer avaliações comparativas de equipamentos de áudio que sejam interessantes para nossos leitores.
    Sou assinante de várias revistas importadas. Uma delas é a revista inglesa HIFICRITIC, dirigida pelo renomado editor Paul Messenger, que também escreve para a Stereophile americana. Entre os articulistas da HIFICRITIC estão nomes conhecidos do áudio como: Martin Colloms, Chris Bryant, George Foster, Malcolm Steward, além de vários outros.
    Considero as revistas inglesas de áudio, no geral, muito comerciais e, por isto, normalmente, não as levo em consideração no que se refere a análise de equipamentos. Porém, a HIFICRITIC tem uma característica muito diferente das inúmeras revistas do mercado internacional, justamente porque ela não aceita anúncios de espécie alguma. É uma revista sustentada apenas pelos seus membros assinantes e, por sinal, muito cara. Mas emite opiniões que, como já verifiquei em várias ocasiões, são mais confiáveis. Assim, em complemento ao artigo do Flávio Adami, (vejam no nosso site) venho aqui fazer um resumo de um artigo que foi publicado no Vol3 / No2 de Abril/Maio/Junho 2009 desta conceituada revista.
    © 2004-2009 Jorge Bruno Fritz Knirsch
    Todos os direitos reservados
    http://www.byknirsch.com.br
    A Comparação dos Seis DAC
    O artigo é assinado por Chris Bryant que analisa seis DAC, os avalia e lhes confere nota, para que facilite uma comparação mais objetiva entre eles e também em relação à qualidade sonora de sistemas de áudio. Os equipamentos podem possuir até três tipos de entrada digital: em USB, em S/PDIF com entrada ótica (TOSLINK), ou com entrada coaxial (RCA). Foram usados dois computadores, e sempre os mesmos, para testar as entradas em USB de todos os conversores. Não vamos aqui fazer uma tradução deste artigo, que inclusive não temos autorização para isso, mas vamos, sim, apresentar as conclusões do artigo, visto que existe na internet muitos comentários a respeito destes DAC, com muitos mal entendidos, os quais queremos aqui desmistificar.
    Apresentamos abaixo uma tabela com as notas comparativas apresentadas no artigo.

    [​IMG]


    Como vocês podem observar, as notas atribuídas a estes conversores não foram muito altas. Levando-se em conta que a nota máxima que a HIFICRITIC já deu a um aparelho de som foi 130 pontos, notamos que estas notas foram realmente muito baixas. Inclusive, em dois aparelhos, a entrada USB não chegou nem a ser pontuada, pois os resultados foram muito fracos. Considerando que um cd-player é constituído de um transporte (leitura digital) e de um conversor, quando o cd-player tiver uma saída digital, é possível se acrescentar um conversor externo e então comparar os resultados, com e sem conversor externo. Assim, observando as avaliações dos cd-player, dependendo da nota atribuída a cada um deles e, evidentemente, considerando apenas os que tenham uma saída digital, vamos ter elementos para avaliar se a adição de um conversor Digital/Analógico externo fará uma diferença para melhor, ou para pior, na qualidade sonora do conjunto. Por exemplo, visitando o site deles: www.hificritic.com podemos encontrar uma lista de cd-player com diferentes pontuações, segundo o mesmo critério usado pela revista para avaliar os conversores acima. As notas variam de 8 até 105 pontos. Se formos adaptar, por exemplo, um dos DAC testados em um cd-player com nota inferior ao DAC, é muito provável que o resultado sonoro vá melhorar. Caso contrário, se o cd-player agora escolhido tenha tido uma nota mais alta do que a daquele DAC em questão, é muito provável que o resultado sonoro piore em relação ao cd-player tocando completo. Assim, a introdução de um DAC, face as baixas notas recebidas, só vale a pena ser feita se o cd-player for de entrada, ou talvez, mais antigo, e com um resultado sonoro inferior ao conjunto transporte+cabo digital+conversor externo.
    Apesar do artigo não mencionar os cabos digitais que usaram, nestes conjuntos, eles têm fundamental importância. É necessário, nestes testes, cuidar para que o cabo digital não se transforme no elo fraco do conjunto. O problema é que isto pode nos levar a cabos digitais muito mais caros do que os próprios conversores.
    É relevante mencionar o conversor da Musical Fidelity V-DAC como sendo o melhor, entre os testados, em todos os aspectos, e sendo um dos mais baratos, como vocês podem constatar na tabela. Com componentes eletrônicos como o DAC DSD1792, que opera em 192kHZ 24-bit, com o operacional NE5532 e os reguladores LM317/337, usados em conversores comerciais muito mais caros do que os apresentados aqui, este V-DAC realmente é um best buy absoluto na classe.

    © 2004-2009 Jorge Bruno Fritz Knirsch
    Todos os direitos reservados
    http://www.byknirsch.com.br


    Excelentes audições com este up grade!



     
  2. ||TECO||

    ||TECO|| Curtindo muito o que tenho!


    Desde 13 Abr 2004
    SP Z/S
    Achei interessante o teste, mas como não conseguiram nenhum bom resultado talvez o "problema" de notas baixas não esteja nos DAC's comparados e sim no resto. (configuração do PC - hardware e software, ou cabos, e mais um monte de coisa que não foi divulgdo...)

    O fato é que se têm conseguido em todos lugares resultados muito expressivos utilizando-se um pc como transporte, desde que adequadamente configurado, e não conseguiram isso no teste em nenhuma situação. Comparar DAC's (ou qualquer outro elo) num sistema que não está bom pode levar a falsas conclusões.
     
  3. reverendo

    reverendo Usuário Muito Ativo


    Desde 30 Jun 2008
    Dallas, TX
    Obrigado, mestre Knirsch, por postar. É uma comparação bem interessante. Vale, no entanto, ressaltar que a Hifi Critic tem uma forma muito própria e peculiar de avaliar. O próprio site da mesma explica bem a forma de avaliação como a própria revista ressalta. É uma excelente revista por não possuir nenhum tipo de propaganda interna como a TNT Audio de forma virtual (e outras mais), mas não podemos confundir o sistema de avaliação que é utilizado com o sistema das revistas alemãs (audio.de, stereoplay e stereo), que por exemplo, possuem uma sistemática menos subjetiva.
    Sobre a forma de avaliação da Hifi Critic: http://www.hificritic.com/colloms/sound.aspx e http://www.hificritic.com/colloms/ratings.aspx. Não tiro o mérito da forma de avaliação do Collom, mas ao ler percebe-se um sistema extremamente subjetivo de proceder. É óbvio que todo sistema de avaliação é de uma forma ou outra subjetivo, mas acredito que ao ler estas duas páginas ficará claro do que estou falando. Dizer que um equipamento é 50% ou 70% melhor do que o outro e, portanto, aumentar o valor do resultado de acordo com esse percentual pode criar resultados um pouco inflados no final. Sinceramente prefiro o sistema alemão, independente do sujeito que está avaliando. Quero deixar claro que não estou falando do avaliador e sim do sistema. Aqui uma análise da Stereoplay sobre DACs de entrada (Dacmagic, Advance Acoustic MDA 503, V-Dac e Lavry DA11) http://www.stereoplay.de/Produktdaten/Cambridge-DACMagic-Meinungen_5530387.html
    Em tese, a análise do Hifi Critic coloca o Dacmagic (usando saídas balanceadas) no nível do Accuphase DP70v e Boulder 2020 Dac e o V-Dac ficaria no patamar do Linn Sondek, Krell MD 10-64 e Wadia 16 e 860. Não é má companhia!
    Não nos esqueçamos de que sinergia é algo que influencia bastante e um ou outro equipamento pode ou não favorecer o resultado. Cabos com certeza são muito importantes e eu constatei isso quando troquei de cabo digital em casa, mas creio que os próprios amplificadores e prés (ou integrados) e as caixas utilizadas acabarão influenciando mais do que os cabos. Gostaria de saber qual o sistema que foi usado na avaliação, pois não tenho acesso ao 'review'.
    um forte abraço
    André
     
    Última edição: 20 Dez 2014
  4. Mike Portnoy

    Mike Portnoy In Flames


    Desde 6 Ago 2007
    Nowhere
    Concordo.

    O resultado desses Dac's está intrinsecamente vinculado à adequada configuração do PC, o que é até um pouco complicado de fazer: exige pesquisa e conhecimento mais avançado de informática.

    Por outro lado, a qualidade da placa de som é decisiva. Esses dac's dificilmente têm um chipset de áudio decente (que equipa a USB).

    Por isso, seria preciso que o PC tivesse uma boa placa de som, com saída coaxial digital, para ligar ao dac por sua entrada coaxial digital.

    Nos fóruns em que os usuários estão abandonando os CD players, é conhecido por todos o procedimento básico a respeito de como se deve configurar um PC para isso.

    SE teste em questão não traz informações sobre isso (configuração de PC e placa de som utilizada), é um indício de que não se lembraram de prestar atenção nisso para executar os testes.

    SE usaram o horrível Windows Media Player para a execução das músicas, já começaram muito mal. Se for assim, o teste está errado, com todo respeito aos grandes nomes que se envolveram nele.

    Ainda acho que se deve buscar informação sobre "hi-end no PC" nos fóruns estrangeiros (alguma coisa está reproduzida aqui mesmo no HTF) , onde já se tem um know-how todo específico e avançado sobre isso, e já se encontram testes comparativos bem interessantes - e, principalmente, justos com os Dacs e PC's corretamente configurados.

    Abraço!

    Edit: Configurações básicas de software para áudio em PC e outras dicas de hardware - http://www.head-fi.org/forums/f46/computer-audio-essential-links-103084/
     
  5. Edu Carvalho

    Edu Carvalho Computador, o futuro do Áudio!


    Desde 9 Set 2006
    Holambra- SP
    Obrigado Jorge pela coluna. Fico contente em ter acertado na compra do DAC (V-DAC). Devo testá-lo em breve, quando chegar meu cabo coaxial digital! (y)
     
  6. carlovinil

    carlovinil Usuário


    Desde 27 Fev 2011
    RIO-Centro
    Não é para todos.
     
  7. valdeci

    valdeci Usuário


    Desde 26 Jul 2008
    Maringá/Paraná/Brasil
    Fiquei tonto, kkkkk

    Valdeci

     
  8. Dmaumau

    Dmaumau Moving Forward


    Desde 9 Out 2002
    Campinas - SP
    Pessoal,

    Notem que esse é um teste postado em 2009 !!!
     
  9. sandrovt

    sandrovt Usuário Muito Ativo

    9.007 3.487 113

    Desde 6 Ago 2012
    Rio Grande do Sul
    Pangaré, que seja....mas não tira o mérito proposto!!! :p