Cabos HDMI: digital é tudo 0 e 1.

Discussão em 'Cabos e Conexões de Vídeo' iniciada por Cristiano Mazza, 25 Mai 2009.

  1. Viktr

    Viktr Usuário Ativo


    Desde 5 Nov 2017
    São Paulo
    Gente, quanta treta aqui...

    Se o cabo atual é o 2.0 (indo para o 2.1) é só comprarem um 2.0 pra ficar com a cabeça sossegada.
     


    Anúncio do HT Forum
  2. The Brain

    The Brain Usuário Muito Ativo

    3.588 2.188 113

    Desde 5 Set 2008
    São Paulo/SP
    Cabo HDMI não tem número de versão e sim largura de banda.

    Standard Speed: até 720p ou 1080i​

    High Speed: 1080p, 3D e 4K​

    Premium High Speed: 4K HDR​

    www.hdmi.org/consumer/finding_right_cable.aspx
     
  3. lb_felipe

    lb_felipe Usuário Muito Ativo


    Desde 28 Nov 2006
    São Paulo - SP
    KkkkkKkkkkKkkkkKkkkkKkkkk.

    Desculpe por rir, mas você, sem perceber, contou uma piada.

    Parabéns. Se custou barato, é o que importa.

    Vamos ver quanto tempo este tópico fica parado até aparecer um "místico" dizendo que viu diferença em qualidade de AV entre, por exemplo, um Monoprice e um QED, AudioQuest etc.
     
  4. Ragnar21

    Ragnar21 Camargo 21 ! Carpe Diem!


    Desde 10 Ago 2006
    Everywhere
    com a chegada dos novos players 4K, esse topico vai bombar novamente, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
     
  5. Daniel Leal

    Daniel Leal Usuário Muito Ativo


    Desde 17 Jul 2007
    Volta Redonda/RJ/Brasil
    Eu uso cabos hdmi da bluejeans dessa época ai tbm, e agora tenho uma tv 4k rodando conteudo HDR do pc. Sem problemas nenhum. HDR lindo.
     
  6. ygorsoares

    ygorsoares Usuário Muito Ativo


    Desde 15 Jun 2009
    Rio de Janeiro
    Acabei de comprar alguns cabos com eles (2 toslink e 1 RCA Digital). São de excelente construção e posso garantir a absoluta qualidade deles.
     
  7. carlos_camardella

    carlos_camardella Usuário Muito Ativo


    Desde 29 Dez 2004
    Rio de Janeiro
    Só por curiosidade... Alguém aqui já leu a especificação HDMI ?

    Se alguém deu uma passada de olhos, deve ter percebido que :

    No diagrama da interface são três canais seriais de "dados" e um de clock;

    Que no canal serial 0 vai a codificação dos pixeis azuis junto com o sincronismo horizontal e vertical;

    Que no canal serial 1 vai a codificação dos pixeis verdes junto com dois sinais de controle;

    Que no canal serial 2 vai a codificação dos pixeis vermelhos junto com mais dois sinais de controle;

    E que, portanto, eles são independentes enquanto estão dentro do cabo.

    Também poderá verificar que a codificação não é de puros "0" e "1" representando cada bit da imagem porque a taxa de erros seria altíssima no receptor, por usar um conector tão vagabundo como esse e um cabo simples. Para garantir ao máximo a integridade do sinal ao chegar ao receptor, foi aplicada a codificação TMDS (Transition Minimized Differential Signaling) Error Reduction Coding, onde os 8 bits originais de vídeo são convertidos em 10 bits via um algorítmo e que ainda corre sobre um offset DC (opa, mas não era só zeros e uns, o 0 sendo zero volts e o 1 sendo alguma tensão DC tipo 3,3v ou 5v e agora você me diz que o "0" não é 0,0v ??? É, é isso mesmo...).

    A codificação TMDS é uma forma de reduzir os erros de transmissão, não de eliminá-los, não sendo ainda um protocolo de correção de erros, pois atua na camada física (elétrica, no caso):

    Da especificação 1.3:

    4.2.5 (physical layer):

    "For each channel under all operating conditions specified in this section the following conditions shall be met. At TMDS clock frequencies less than or equal to 165MHz, the Sink shall recover data at a TMDS character error rate of 10-9 or better, when presented with any signal compliant to the eye diagram of Figure 4-20. At TMDS clock frequencies above 165MHz, the Sink shall recover data on each channel at a TMDS character error rate of 10-9 or better, when presented with any signal compliant to the eye diagram of Figure 4-20 after application of the Reference Cable Equalizer."

    Ainda podemos pegar mais um pouco da spec:

    5.4.4 (video coding):

    During video data, where each 10-bit character represents 8 bits of pixel data, the encoded characters provide an approximate DC balance as well as a reduction in the number of transitions in the data stream. The encode process for the active data period can be viewed in two stages. The first stage produces a transition-minimized 9-bit code word from the input 8 bits. The second
    stage produces a 10-bit code word, the finished TMDS character, which will manage the overall DC balance of the transmitted stream of characters.

    ...
    To improve the reliability of the data and to improve the detection of bad data, Error Correction Code (ECC) parity is added to each packet. BCH(64,56) and BCH(32,24) are generated by the polynomial G(x) shown in Figure 5-5.


    Bem... para não ter que traduzir, vou resumir:

    Os bits originais "0" e "1" (raw data) de vídeo passam por um processo de codificação binária de dois estágios onde se transformam em 10 bits de dados e depois há uma adição da famosa técnica de verificação de erros via controle de paridade de bits (ECC, tb usada em algumas memórias de computador de altíssima qualidade). Todo sistema de ECC possui um buffer de erros que, se ultrapassado, gera descartes de dados complexos. Ou seja, há um nível máximo aceito para erros de paridade (i.e., dados errados).

    Além disso, a camada física (elétrica) trabalha com codificação elétrica diferencial em nível de bit, e de dois níveis, também para reduzir os erros de transmissão porque por ser um cabo de alta impedância (por ser paralelo) e também de alto nível de crosstalk (um canal interfere no outro, também por ser o cabo paralelo), a taxa de erros "crua" de transmissão seria altíssima !

    Vejam, só por esse nível de cuidados, que já dá para notar que a spec HDMI é um lixo, um lixo derivado de outro lixo pior ainda, o DVI. Não existe HDMI no mundo profissional, nunca que se verá um encoder ou decoder SDI, HD-SDI, 3G-SDI, 6G-SDI (4K@30fps), 12G-SDI (4K@60fps) usando cabo paralelo e sem ser coaxial. Nunca !

    Se você for procurar como é a remontagem do seu vídeo digital lá no FPGA do receptor HDMI, quase vai infartar ao ver que esse chip "decoder" HDMI "interpreta", faz uma composição do que chega e é decodificado nos 3 canais, ao invés de "entender" cada canal de forma individual. Qualquer delay maior do que a capacidade do Inter-Symbol Interference Jitter Buffer de cada canal vai lhe dar um resultado diferente na composição do sinal final RGB "cru" derivado dos canais onde também temos R, G, e B codificados, simplesmente porque ou você perde pixeis ou eles chegam atrasados num canal em relação ao outro. Como cada bit de um canal R, G ou B representa sua intensidade (altera a luminância e crominância do sinal que vemos) e interage com os "bits" dos outros dois canais para formar outras cores e a imagem final, um erro pequeno no pacote binário reconstituído de um só canal não vai causar artefatos como blocking, pixeis apagados, etc. mas vai alterar as cores, a luminância e a crominância percebidos pelo seu olho.


    Não que os equipamentos profissionais também não tenham problemas de perdas de pacotes de dados, mas as interfaces coaxiais nos padrões digitais SMPTE são infinitamente superiores ao HDMI e não é à toa, nenhum deles usa ECC ou TMDS, por exemplo...

    Então, passando ao largo do caso dos cabos high-end, um cabo HDMI não só pode como altera sim as cores, o brilho e o contrate percebido, há inclusive alterações de gama, mas na maioria das vezes, quando o cabo é bom, o seu olho não percebe ou a TV não tem capacidade de mostrar.

    Os que acreditam que HDMI são apenas zeros e uns é porque nunca tiveram contato com o desenvolvimento técnico dos equipamentos em si e se fizessem uma visita a algum fabricante de decoders HDMI que lhes desse acesso à porta de debug de um dos protótipos, poderia verificar que SEMPRE o sinal HDMI chega com um um monte de erros, geralmente com um BER (Bit Error Rate) altíssimo de 10-4, ou seja, um bit perdido, irrecuperável, a cada 10.000 transmitidos, enquanto no HD-SDI profissional uma taxa de erros pior do que 10-8 é intolerável !!!! E, não só no vídeo como também no áudio, poderá perceber o esforço do FPGA em recuperar ao máximo o sinal original.

    Apenas reforçando, não estou aqui defendendo cabos high-end de milhares de dólares mas informando que cabos HDMI (e seus conectores) fazem sim diferença no trabalho de recuperação do sinal digital no receptor e por vezes a diferença da taxa de erros é perceptível sim a olho nu, e na grande maioria das vezes o que seu olho não percebe quando se troca um cabo por outro poderia ser facilmente detectável por um colorímetro profissional.

    Não pensem que só porque "tá funcionando" sem tela preta, nem blocking, jagger ou sem nenhuma área apagada do display significa que você não está perdendo qualidade de imagem. Daí a ter que pagar milhares de dólares por um cabo é outra história, mas isso também não significa que esse cabo abusivamente caro não esteja lhe dando melhor imagem que o seu cabo de 60 contos das Lojas Americanas. Ou também pode estar dando uma imagem pior... :D

    Abraços !
    C.A.
     
    Pamuju, The Brain e Daniel Leal agradeceram.
  8. carlos_camardella

    carlos_camardella Usuário Muito Ativo


    Desde 29 Dez 2004
    Rio de Janeiro
    Bem, esse post é tão antigo que espero que os que pensavam dessa forma já tenham se informado melhor.

    Em primeiro lugar, 0 só é 0 e 1 só é 1 se o que o sistema considera 0 e o que o sistema considera 1 estiverem dentro da faixa correta. Se o sistema considera que 1 é um sinal de tensão entre 3,3v e 5v, e abaixo de 3,3v é considerado 0, e este sinal "1" sai efetivamente em 4,5v do transmissor mas é atenuado o suficiente para chegar com 3,15v no receptor, esse 1 não será mais 1 para o receptor, ele será considerado "0". Um efeito que obviamente causa esse comportamento é a atenuação. Em função dos materiais utilizados na construção de um cabo, assim como de seu comprimento e geometria, parte do sinal se perde de forma muito parecida a quando perdemos energia elétrica (que é paga a concessionária) por efeito Joule nos fios aquecidos dos eletrodomésticos de maior potência que utilizamos, como chuveiros, aquecedores, secadores, geladeiras, aparelhos de ar condicionado, etc. Fisicamente, a atenuação depende da freqüência do sinal e da construção do cabo, portanto a qualidade construtiva dos condutores, dos dielétricos, da blindagem e a correta geometria do cabo são fatores essenciais na redução deste fenômeno. A atenuação dos cabos em si é apresentada nas especificações técnicas em gráficos ou tabelas em função da freqüência. A atenuação num cabo já conectorizado para altas frequências pode se dever a vários fatores:

    1- Por resistência alta do condutor à passagem de corrente, seja por capacitância alta do mesmo (que é o que realmente atenua sinais de alta frequência dentro do cabo, como os sinais HDMI), seja pela resistência per se (cabos para sinais de baixa frequência);

    2- A perda por retorno. Está diretamente relacionada às variações de impedância para uma dada frequência, provocando reflexões do sinal transmitido e gerando perdas no sinal original que se dirige ao receptor. Este fenômeno existe em todos cabos de transmissão de sinal, inclusive nos de transmissão de energia AC, e não há como evitá-lo, apenas amenizá-lo. E é muito mais preocupante nos cabos de alta frequência.

    3- A perda por acoplamento no próprio conector do cabo (seja na conexão dos contatos com os condutores ou entre os contatos dos conectores do cabo e do equipamento). Só para se ter uma ideia, mesmo em fibras ópticas monomodo usadas em equipamentos de telecomunicações, a perda por inserção de um conector óptico novinho e limpo pode variar de 0,15 a 0,50dB.

    Bom, esses 3 itens acima podem levar seu "1" a ser interpretado como "0". Obviamente, se a coisa for tão feia que quase todos os "1" sejam vistos como "0" no receptor, o sinal será considerado nulo no todo ou parte dele. Mas, se apenas alguns 1 forem considerados 0, a depender da taxa de erros, o sinal original poderá ser recuperado total ou parcialmente.

    Por outro lado, o seu "0" também poderá ser considerado "1" em alguns momentos ou o tempo todo. É muito raro todos os "0" virarem "1" porque isso implica em um forte offset DC no cabo, que eleva o nível máximo considerado "0" acima do patamar mínimo considerado "1", mas é bom lembrar que interferências externas num cabo mal projetado ou mal blindado podem elevar o piso de ruído do cabo e modular positivamente o sinal, ou seja, pode subir todo o sinal (tanto os 0 como os 1). Como mesmo uma onda quadrada que sai perfeita do transmissor pode ter amplitudes máximas e mínimas alguns mV abaixo ou acima do nível médio, eventualmente um bit ou outro pode ser afetado sem afetar os outros.

    Outro conceito equivocado é o de "podemos obter, com precisão, a sequência binária correta. E, caso não se consiga, não se verá uma piora em som e imagem do tipo "piora de nível de preto", piora de precisão de cores, etc. O que ocorre são quadriculamentos e coisas do tipo." Quadriculamentos e coisas do tipo são artefatos derivados de compressão digital, isso ocorre com seu DVD/BluRay/Netflix/TV Digital porque o sinal de vídeo é codificado em um codec MPEG qualquer (ou JPEG2000, no caso profissional). Os codecs MPEG basicamente tiram uma foto da imagem e vão atualizando. A foto que vai ser atualizada é o frame tipo "I", os frames "P" e "B" são as atualizações. O frame P traz as informações atualizadas em relação ao frame antigo, o frame B traz não só as informações de atualização em relação ao que "já foi como também informações preditivas, da diferença entre "o que está por vir" e o que "já foi" para o decoder ir ajustando sua cadência.

    Logo, quando se usa compressão, a imagem completa ou parte dela, e suas atualizações, estão contidas nos frames I, P e B e se algo for perdido as consequências são o que se vê num DVD sujo, na TV Digital com sinal fraco, etc., uma coisa absolutamente diferente de um sinal digital uncompressed raw data que passa num cabo HDMI, onde as informações de sincronismo horizontal, vertical e RGB passam uma a uma, pixel a pixel em tempo real !!!! Logicamente que codecs mais elaborados como MPEG4 (H.264) e HEVC (H.265) usam princípios semelhantes ao MPEG2 mas o modus operandi é bem diferente, só que não é o caso de explicar isso aqui por não ser tema do tópico, assim como o JPEG2000.

    Se você perder todo o canal R do HDMI, sabe o que vai acontecer? A sua imagem toda vai ficar verde azulada ou azul esverdeada, a depender da quantidade de bits azuis e verdes naquele naquele momento (pela composição do canal azul com o verde). Se você perder todo o canal G, a sua imagem vai ficar com um tom de roxo esquisito. E se você perder todo o canal B, a imagem some da tela porque os dois sinais de sincronismo vêm multiplexados com o azul...

    Apenas reforçando o entendimento de como funciona uma transmissão raw data digital de video, o stream binário carrega em cada canal R, G ou B os 8 bits que indicam a intensidade da cor, ou seja, quão aceso estará um determinado pixel na tela. Se todos os 8 bits de um pixel estiverem setados para 1, ele estará com sua luminosidade máxima. Se todos estiverem em 0, ele estará apagado. E você pode ter perdas de dados nas informações relativas a um pixel e a outro não, só depende em que parte do stream digital estão as perdas.

    Sempre bom lembrar que as cores que você vê na tela da TV são formadas por 3 pixeis R,G e B. Então, se uma pequena porção da imagem, digamos parte de uma linha ou coluna estiver com a cor errada, muito provavelmente seus olhos não notarão ou a percepção subjetiva da imagem será diferente sem você saber o porquê. Uma cor errada é extremamente diferente de um stuck ou dead pixel na tela, onde você é sim capaz de perceber se olhar com cuidado.

    Por outro lado, a porta HDMI da sua TV não tem um cabo flat direto pra tela, o sinal HDMI passa por um processador de video antes. Nas LCDs (independentemente do tipo de backlight, seja lâmpada tubular ou LED), diferentemente das plasmas, o processamento é também preditivo, já que o display é tão lento em seu tempo de resposta que a imagem tem que ser enviada a ele antes que ela exista, e depois o processador atua na correção quando a imagem real chega. Então, mesmo o sinal "errado" que chega à TV ainda sofre "processamento preditivo", podendo ser interpretado ao bel prazer do processador.

    Espero que esse post não seja interpretado como uma "ode" aos cabos de milhares de dólares, pois o que estou afirmando é que qualquer cabo poderá trazer diferenças perceptíveis (ou não) na imagem, independente de seu preço, e não é um caso de funciona ou não funciona, se tem quadriculados ou não.
     
    Última edição: 2 Dez 2017
    Pamuju e The Brain agradeceram.
  9. Pamuju

    Pamuju Paulo


    Desde 3 Abr 2005
    Rio Grande / RS / Brasil
    Sei que não vai ser assim para todos mas para mim os dois últimos posts põe ponto final nesta discussão ...:aplauso:

    Passo a frequentar apenas aqueles tópicos que discutem a maior ou menor qualidade de cabos HDMI ...
    Claro que, procurando custo benefício ...:p
     
  10. J냃åz

    J냃åz Sunbird


    Desde 4 Jan 2008
    Natal/RN
    Encontrei pelo menos uma diferença entre um cabo HDMI barato (cerca de 100 reais) e um caro (cerca de 600 reais): durabilidade. Após três anos de uso, o mais barato começou a apresentar problemas. Tive o maior susto. Achei que fosse meu receiver.