Anúncio do HT Forum

Cassete Audio Tape em 2018?

Discussão em 'Áudio Estéreo Analógico' iniciada por No Noise, 31 Jan 2018.

  1. No Noise

    No Noise Usuário


    Desde 2 Fev 2006
    Rio de Janeiro
    Anúncio do HT Forum
    Gostaria de colocar em discussão um tema que tem ganho relevância cada vez maior no exterior.

     
  2. Ribeiro Jr.

    Ribeiro Jr. Usuário


    Desde 13 Nov 2008
    FORTALEZA/CEARÁ/BRASIL
    Sou um defensor do sistema cassete, e tenho alguns tape decks e fitas cassete de qualidade, penso que o cassete pode muito bem conviver com sistemas digitais, pois dependendo da qualidade do deck e das fitas utilizadas se chega a audições HiFi
     
    • 1
  3. No Noise

    No Noise Usuário


    Desde 2 Fev 2006
    Rio de Janeiro
    Olhe isto:

     
  4. ANTUNES CARLOS

    ANTUNES CARLOS Usuário


    Desde 11 Mar 2006
    MINAS GERAIS
    Esqueçam isso. E esse negócio de som Hi-Fi, em fita cassete, é dureza. Ninguém, mas ninguém mesmo aqui dessa comunidade, teve os tape-decks, que eu tive em mãos. Trabalhei em uma rádio, e tive a disposição, todos os tapes tops de linha do mercado. Gravei fitas durante muitos anos, gravava jingles e programações musicais completas. Usei tape-decks da Akai, Denon, Nakamichi, Sony, Revox, Yamaha, Aiwa, Marantz, Tascam, Pioneer, Alpine, JVC, e só usei deck de três cabeças, não usava essas porcarias que muitas vezes são citadas por aqui. Jamais foi usado um deck nacional para gravação/reprodução, na rádio em que eu trabalhava. Eu ainda tenho tape de rolo e ainda conservo um CD-1 Gradiente e um Pioneer CT-F1250, que figura entre os melhores decks já lançados. Mas o som de fita-cassete, está muito longe, de ser um som de alta fidelidade. Os tape-decks, são lindos, com seus VU'S hipnotizantes, mas, isso já passou.
     
    • 2
  5. No Noise

    No Noise Usuário


    Desde 2 Fev 2006
    Rio de Janeiro
    Pena que nossos ouvidos não sejam hifi, especialmente após a casa dos “...enta”. Não há milagre! Exigimos desempenho soberbo dos aparelhos para ouví-los com ouvidos LowEnd LowFi. O ouvido de quando tinhamos 15, 20 ou trinta anos de idade é competamente diferente de agora, com 50 ou mais anos (tenho 59). O Antunes tem razão em suas assertivas, mas hoje tanto faz ouvir num aparelho de ponta ou num aparelho mediano, a não ser o efeito psicoacústico de que o mais caro é melhor. Os cassetes sempre padeceram do ruido de fundo, remediado com os Dolby B, C, ANRS, etc. porém eles tem seus méritos, especialmente para ouvidos de quem tem mais de 50. Hoje, com o advento do digital, penso tambem como é que eu consegui viver naquela época com o Vinil e seus plics, plocs e shhhh. Porém o vinil sobrevive e tem admiradores, apesar de seus imensos problemas (amo o vinil, mas é muito pouco prático e ainda cheio de plics e plocs. Cápsula boa e braço bom não eliminam o fator físico da poeira e desgaste dos sulcos).
    Observo também ao longo dos anos de audiofilia que poucas pessoas sabiam usar corretamente seus gravadores, fazendo gravações sofríveis e culpando o hardware pelo mau resultado. Era a época do analógico, em que a dependência do humano era total nos ajustes de nível, escolha das Matrizes, tipos de fitas, equalização. Hoje ficou mais fácil. Compra-se um aparelho com o título de High End e boa! Nada a fazer, a nao ser as bobagens e firulas sem fundamento técnico científico que se ouve pelos fóruns e que nem vou mencionar aqui. Afinal, como gastar os tubos num aparelho carésimo e não ouvir resultado diferente de um mediano??? Se é aparelho caro e mencionado na famigerada revista que afronta a engenharia, é bom! Tenho, entre outras, gravações de Jasha Heifetz de 1912 e de Stokowsky de 1950. Se fosse me importar apenas com HiFi HiEnd o que seriam delas? Quanto aos cassetes, a diferença que eu sentia em relação ao vinil na década de 70 hoje se igualou, exceção feita ao CT W606, que é ponto ou deck fora da curva. Meus ouvidos não são mais HiFi HiEnd. Por outro lado, passei a considerar outros parâmetros na audição musical, muito além da qualidade dos equipamentos ou tecnologias de mídia, muitas vezes boas para exibir para os amigos ou divulgar nos fóruns, mas irrelevante face ao gosto musical pessoal de cada um. Há sim excelentes gravações em cassete, assim como péssimas em CD e piores ainda em vinil. Viva o cassete! Viva o CD! Viva o Vinil! Cada um tem seu lugar. Abraços!
     
    Última edição: 2 Fev 2018
  6. jl audio f113

    jl audio f113 K7,O Som do Momento

    4.583 4.283 711

    Desde 25 Set 2010
    belo horizonte
    Eu voltei a utilizar K7 em meados de 2015,e vou falar,não abro mão delas mais,tenho um Gradiente D II no segundo sistema para gravar músicas do Youtube,e posteriormente ouvir no sistema principal,no qual uso um Tascam 122 MKII,as gravações ficam fantásticas.

    Eu pelo menos só tenho elogios a fazer,inclusive tem pessoas que ouvem aqui e não acreditam ser K7.
     
  7. jl audio f113

    jl audio f113 K7,O Som do Momento

    4.583 4.283 711

    Desde 25 Set 2010
    belo horizonte
    Esse gravei faz uns 3 anos,pelo vídeo não se percebe,mas ao vivo o som está perfeito,a fita é uma BASF de Cromo.



    Essa copiada diretamente do VHS,a tape usada é uma Maxell de Metal,é impressionante ´´in loco´´



    Este acho que foi o último que gravei,o grave nessa música literalmente te gruda no sofá.Tape usada na gravação,TDK de Ferro.

     
    • 2
  8. ANTUNES CARLOS

    ANTUNES CARLOS Usuário


    Desde 11 Mar 2006
    MINAS GERAIS
    Eu era, (e ainda sou), o cara mais chato em matéria de gravação de fitas. Eu fazia a programação quase perfeita. No estúdio, me deram um Technics e um Pioneer de lado, com cápsulas diferentes e eu não aceitei. Exigi dois Technics, com cápsulas exatamente iguais. O dono da rádio, também era exigente, e não aceitou o mixer da Tarkus e muito menos o da Quasar, que realmente era um chute no saco, para mixagens. Ele foi a BH, e comprou um mixer Numark, na época um top de linha, com pré escuta e possibilidade de ''limiter''. ''Limiter'', para quem não sabe, é um sistema usado em tapes de alto nível, para regular a batida certa dos VU'S. E eu fazia questão disso. Naquele tempo, era possível fazer as gravações, sem pausa, (eu jamais usava a tecla pause de um deck), pois sempre tinha alguém na rádio, não havia computador, e a programação tinha horário para começar e terminar. Eu passava seis horas, gravando fitas, mixadas, e no melhor padrão possível. Usava apenas as BASF alemãs, Sony UD, TDK SA, Ampex, Scotch Metafine. Nos tapes de rolo, usava as Ampex, que vinham diretamente para a rádio. E as Ampex, assim como as Basf, eram fitas grafitadas. Eu aproveitava que trabalhava na rádio e gravava fitas para vender, pois não tinha dinheiro para comprar tantos discos diferentes. Eu ainda tenho fitas de rolo, que gravei naquela época, e quem as escuta, vê e ouve, como eu caprichava para fazer uma gravação quase perfeita. Eu lembro quando a rádio ficou co mais de 20 decks, todos top de linha, e que com certeza foram para algum lixão, pois as fitas de rolo, (mais de 3 mil), tiveram esse destino. Então, meus caros colegas, sobre gravação de fitas, e modelos de tape-decks top de linha, eu topo qualquer discussão sadia. Eu fui um admirador de tape-decks, inclusive por um da Aiwa, que tentei comprar mas o preço era totalmente proibitivo. Já vi decks hipnotizantes, com VU'S de cair o queixo, e vivi essa bela época. Mas a fita, é uma gravação de uma fonte, e há perdas, desde o toca-discos, até o deck. As fitas de rolo, pelo contrário, eu gosto muito, mas até meu Pioneer RT-909, está aqui parado há quase dois anos. E eu não vejo a menor chance de um "retorno" da fita cassete. Apenas saudosismo.
     
  9. Dmaumau

    Dmaumau Moving Forward


    Desde 9 Out 2002
    Campinas / Sampa
    Antunes,

    Eu acho que a diversão é justamente essa, o saudosismo.

    Tem coisa mais hipnótica do que dois rolos de 10" girando... girando... girando...

    Eu fiquei com um tapedeck Sony que era do meu cunhado, falecido há pouco mais de um ano, e além de ligação pessoal, quando ligado à minha Telefunken Dominante T, o som do bichinho é delicioso.

    Realmente não antevejo um revival do porte do vinil, mas se voltarmos a encontrar fitas K7 virgens de boa qualidade e preço palatável para nossas brincadeiras, estou feliz.

    (y)
     
  10. ANTUNES CARLOS

    ANTUNES CARLOS Usuário


    Desde 11 Mar 2006
    MINAS GERAIS
    Eu ainda tenho oito fitas de rolo Ampex de 10" lacradas. Fiquei sem gravar uma fita, por mais de 15 anos. Depois disso, fui na casa de um amigo, que tem um estúdio aqui, e gravei uma fita de 10". Foi um dia inteiro, muito mas muito cansativo. Primeiro a seleção das músicas de cada disco, e depois colocar cada disco em ordem, do lado de cada toca-discos. E a pré escuta?. Que surra eu levei até identificar tudo novamente. E é essa a fita mais "nova" que eu tenho. @Dmaumau@Dmaumau , realmente, os VU'S do Pioneer RT-909, são hipnotizantes. E eu lembro bem de um deck da Aiwa, que até a tampa era aberta por comandos digitais. E tinha também uns decks da Akai, cujos VU'S eram de uma beleza impressionante. Eu acho, que seu eu pegasse um deck desses hoje, em perfeito estado, eu compraria na hora. o problema, é que já faz muito, mas muito tempo, que eu não vejo um tape-deck, em lojas de usados. O último que eu vi em BH, foi um Revox B-710 MK II, e já tem um bom tempo. Eu acho, que pelo fato de ter gravado tantas fitas, e ter um chefe que não me traz boas lembranças, eu tomei birra de fita cassete.
     
  11. No Noise

    No Noise Usuário


    Desde 2 Fev 2006
    Rio de Janeiro
    O saudosismo é tudo de bom quando reaviva as boas lembranças, descontando chefe chato.
    Tive dois gravadores de rolo Akai X1800SD que eu usava para passar de rolo para cartuchos de 8 pistas, para atender a demanda de comerciais nas rádios (antigamente, como o Antunes bem se recorda, os comerciais em rádios eram veiculados através de cartuchos de 4 ou 8 pistas). De quebra fazia para uso pessoal excelentes gravações à partir de LPs tocados no meu saudoso TD Dual. Há uns 40 anos me desfiz dos dois Akai e hoje me arrependo, mas era uma trabalheira danada acertar os parâmetros para fazer uma gravação satisfatória. Seria um saudosismo legal se eu ainda os tivesse hoje, assim como ainda tenho o Thorens 165, o GA312 e o Technics SL,7 para ouvir minha ainda grande coleção de LPs, cada um deles com suas características próprias. Todavia reconheço que são uns dinossauros perto da tecnologia atual de mídia digital, e não me iludo com a suposta qualidade superior do LP em relação à midia digital, e não me venham com a história de que "se ouvisse LP de 200g em TD Transrotor com Koestu feita à mão pelo minucioso Japa San de USD 100K iria ver a diferença"! É fácil se justificar tudo desta forma simplista, mas o mundo real é o mundo dos maravilhosos Technics com Shure ou Ortofon.

    Voltando ao cassete:

    Tinha o cassete uma imensa e incomparável vantagem sobre o LP e sobre o rolo, que era a portabilidade! Cassete podia ser utilizado na carro! Quem é que não gravava fita cassete para ouvir no seu Roadstar, TKR ou Sony TC26?
    Nunca houve a intenção, porém, de que o cassete fosse substituir o LP nem o rolo. Cada um tinha (e tem) suas qualidades, forças e fraquezas.
    Tenho uma enorme coleção de cassetes com gravações históricas de LPs históricos de amigos históricos da década de 70 que não foram reeditados em CD. E aí? iria dispensar tais gravações só porque o digital é melhor que o analógico ou o LP é mais fiel que o cassete?
    O conteúdo se sobrepõe à mídia quando se fala de gravações de valor histórico e de grande qualidade artística. A discussão se o cassete é melhor ou pior e se porisso vai voltar ou não é irrelevante. O que importa é o que se ouve, especialmente o conteúdo artístico contido na mídia. Nesse aspecto, até um 78 rotações original da década de 40 pode ser melhor que um lossless de hoje.
    Confuso, não?
    Abraços!
     
    Última edição: 2 Fev 2018
  12. No Noise

    No Noise Usuário


    Desde 2 Fev 2006
    Rio de Janeiro

    Excelentes!!!
     
  13. ANTUNES CARLOS

    ANTUNES CARLOS Usuário


    Desde 11 Mar 2006
    MINAS GERAIS
    @No Noise@No Noise , eu fazia gravações para esses cartuchos. Que dureza!. Mas uns dois carros de propagada daqui, usavam aquele mini tape de rolo National ligado a um gerador, e um amplificador mono Delta. Gravar essas fitinhas, também era dose para leão. E eu também gravei muitas propagandas políticas. Eu tinha um Corcel GT, com um TKR, onde escutava as minhas fitas. O que mais irrita a gente trabalhar em gravações para rádio, é que você é obrigado a escutar músicas insuportáveis, como as do Djavan, Simone, Ivan Lins, Joana, e coisas do tipo. Não sei se você sabe, mas em estações de rádio, você está gravando Beatles, e de repente, Fafá de Belém. PQP. E a programação, era entregue um dia antes. E tem mais uma "curiosidade". Para gravar a programação noturna, tinha que chegar a rádio mais cedo, e aí mudava o relógio, pois não podia falar as horas. Eu gravava a programação, ali pelas 10 da manhã, e o locutor já estava no grito; pontualmente as 18:30 hs, estamos ouvindo "Passarela de Sucessos", kkkkk. Eu ia muito em uma rádio que funciona aqui, e que infelizmente a família foi vítima de uma tragédia. Hoje, é tudo no computador, não tem mais graça.
     
    • 1
  14. No Noise

    No Noise Usuário


    Desde 2 Fev 2006
    Rio de Janeiro
    Amplificador Delta era o rei nas campanhas politicas! Corneta na Kombi e “esse trabalha!”
     
  15. ANTUNES CARLOS

    ANTUNES CARLOS Usuário


    Desde 11 Mar 2006
    MINAS GERAIS
    O Delta, mono, está aqui comigo, e funciona até hoje. O tape de rolo National, também está no porão, e eu nem sei se ele funciona. Vou até olhar isso.
     
  16. No Noise

    No Noise Usuário


    Desde 2 Fev 2006
    Rio de Janeiro
  17. Christian_

    Christian_ By the way: Which one is Pink?


    Desde 7 Dez 2010
    Rio de Janeiro
    Eu tô pra reativar meu cassette deck já faz uns 3 anos. Sempre fico no “agora vai” mas acaba que fico só no vinil.

    Mas um dia vai! Hahahahaha!
     
    • 1
  18. No Noise

    No Noise Usuário


    Desde 2 Fev 2006
    Rio de Janeiro
    Olhem isto:

     
  19. Ribeiro Jr.

    Ribeiro Jr. Usuário


    Desde 13 Nov 2008
    FORTALEZA/CEARÁ/BRASIL
    TDK SA e TDK SA-X.JPG
    Fotos de algumas fitas cassete virgens que tenho
     
  20. Ribeiro Jr.

    Ribeiro Jr. Usuário


    Desde 13 Nov 2008
    FORTALEZA/CEARÁ/BRASIL
    Mais...
    TDK SA-X;SONY XR; AKAI GX.jpg
     
    • 1
  1. Este site usa cookies. Se você continuar a usar este site, automaticamente concorda com nosso uso de cookies.
    Fechar Aviso