Anúncio do HT Forum

Clube Curious Cable

Discussão em 'Cabos e Conexões de Áudio' iniciada por FelipeRolim, 2 Abr 2018.

  1. FelipeRolim

    FelipeRolim Breaking The Sound Barrier


    Desde 17 Ago 2008
    Quatiguá/Paraná/Brasil
    Anúncio do HT Forum
    Procurei por este clube e não o localizei. Também procurei por informações a respeito dos cabos USB da Curious Cables pelo fórum e encontrei apenas o mínimo. Como é um cabo muitíssimo bem falado em âmbito internacional e com reconhecido custo-benefício, e como meu cabo USB está para chegar muito em breve, tomei a liberdade de criar o clube. Depois que fiz a aquisição, descobri o contato de uma série de pessoas que eu não conhecia e que possuem este cabo, a grande maioria com sistemas de altíssimo nível, e os comentários que colhi a respeito foram sempre muito bons, o que me anima e me deixa mais ansioso. Ademais, sei de outras pessoas que, assim como eu, também possuem grande interesse em receber maiores informações, preferencialmente de usuários "comuns" de um fórum, a respeito do nível de performance e do comportamento deste cabo. Espero montarmos um bom material.

    O cabo pode ser comprado diretamente pelo site, pago via PayPal e, na forma geral, é enviado com frete grátis. Pagando-se mais $35,00, ainda enviam com frete expresso. Ambas, excelentes opções. Sou favorável à existência desse "link" direto entre usuário e fabricante.

    Para dar o pontapé inicial, deixarei o link do fabricante, algumas imagens, alguns links de tópicos em outros fóruns e de reviews, mas logo pretendo escrever o meu próprio. Sejam todos bem-vindos.

    http://www.curiouscables.com/

    http://www.6moons.com/audioreviews2/curious/1.html

    https://www.monoandstereo.com/2015/12/curious-usb-cable-review.html

    http://www.whatsbestforum.com/showthread.php?22104-Curious-USB-cable

    https://www.computeraudiophile.com/forums/topic/38211-curious-usb-cable/?tab=comments#comment-766234

    https://audiobacon.net/2017/09/18/curious-cables-usb-review/

    http://www.hifi.ir/2016/10/usb-cable-shoot-out-purist-anniversary-qurious-audioquest-diamond/

    https://positive-feedback.com/audio-discourse/audio-ramblings-usb-cables-curious-anticable/

    DSCF1164.jpg DSCF1165.jpg DSCF1166.jpg DSF1760.jpg DSF1761.jpg
     
    Última edição: 2 Abr 2018
    • 4
    Anúncio do HT Forum
  2. prof_pretti

    prof_pretti Usuário


    Desde 31 Mai 2009
    São Paulo/SP/Brasil
    Felipe,

    Excelente iniciativa, aguardando seus comentários para tomar a decisão de compra.

    abs
     
    • 1
  3. Minerim

    Minerim Usuário


    Desde 24 Jun 2006
    Paraíba
    Felipe também aguardo o depoimento seu e do pessoal, sei que o Rodrigo daqui das bandas da Paraíba tem um e gostou dele.

    Minha ideia era comprar um curtinho e colocar na saída do iso regen até o dac.
     
  4. FelipeRolim

    FelipeRolim Breaking The Sound Barrier


    Desde 17 Ago 2008
    Quatiguá/Paraná/Brasil
    Se o cabo chegar hoje, os Correios terão quebrado um recorde de 19 dias da Austrália até na porta de casa. Estou na torcida para isso. Até o final de semana já vou ter conseguido um bom período de queima.

    Esse Regen Link da Curious é bem mais barato. Com certeza vale à pena. Para quem tem ISO Regen, um show de preço. Para quem não tem nenhum, a diferença de preço do cabo de 80cm para o Regen Link já da para comprar o próprio Regen, hehehe.

    Abraço! Logo trago notícias.

    PS.: outra pessoa da sua região que foi decisivo na minha escolha foi o João Vieira Neto.

    ----------------------------

    Chegou mesmo o Curious. A construção é linda pessoalmente!

    Coloquei para tocar às 13h. Ouvi uma música e, depois disso, deixei tocando até há pouco tempo uma faixa de amaciamento da Purist que promete um burn-in de 24h em apenas 1h20min. Se é verdade, não sei, mas que eu deixei tocando, isso eu fiz, hehehe. Para todos os efeitos, vou considerar o cabo como tendo 6h de queima, e não com as mais de 100h que o burn-in da Purist já deveria ter implementado.

    A impressão depois das primeiras horas é um som diferente do que eu tinha com o Wireworld Silver Starlight 7, em aspectos que considero bem importantes na reprodução musical, mas destaco que essa é uma impressão prévia, que não sei se irá confirmar futuramente.

    Por enquanto, Wireworld e Curious mostram-se cabos bem similares em alguns pontos porque, pela minha percepção, ambos entregam um som delicado, relaxado, musical, com boa espacialidade, bom arejamento, excelente ambiência, o que, como eu já mencionei algumas vezes, é exatamente o que eu busco nos cabos digitais do meu sistema. O que mais chamou a atenção, nessa preliminar, foi a dimensão dos instrumentos, pois o cabo consegue aumentar a sensação de posições de palco (ainda há um bom prejuízo na altura do palco), mas sem superdimensionar nada. Por outro lado, Wireworld e Curious são bem diferentes na assinatura sônica de um modo geral. O Wireworld é um cabo com um som mais enxuto, com graves mais magros, médios mais recuados e uma extensão de agudos elevadíssima, o que faz com que o som tenha menos peso, menos corpo. Não posso atestar, mas acredito que isso seja decorrência da prata na composição do cabo, argumento que é corroborado por quem já ouviu o Wireworld Platinum Starlight 7, de prata pura, que aparenta ter tais características com ainda mais destaque (já ouvi um sistema com esse cabo, mas pelo que me lembro ele não foi comparado com outros). Já o Curious tem se mostrado o oposto, por ora. Os agudos não são muito presentes, são bem menos incisivos, embora não apagados. Os graves são mais cheios, apesar de que, por enquanto, um pouco gordos e sem velocidade, e os médios bem encorpados. Isso trouxe um efeito de grandeza interessantíssimo, o que dá a impressão que as R300 estão "mais torres do que nunca", haha. De fato, o corpo harmônico é bem rico, e esse som traz uma sensação de realismo impressionante, o que é corroborado também pela correção tímbrica incrível das R300.

    Em termos de resolução, não posso afirmar categoricamente qual é superior, por não ter mais o Wireworld para comparar lado a lado, mas o crescimento com a saída do USB de impressora me parece tão grande ou maior do que a queda ocorrida com a sua entrada. Por enquanto, a impressão que tenho, puxando na memória, é que falta um pouco de presença de agudos e de controle e velocidade de graves para que o sistema atinja um ponto que eu nunca vi antes. Se isso acontecer, mantendo-se a impressão de riqueza de harmônicos e som encorpado que tenho extraído daqui, terá tudo para ser uma compra perfeita, pois se traduz exatamente naquilo que faltava no Wireworld, mas sem perder em absolutamente nada do que ele oferecia. Espero que melhore, mas a sensação de upgrade já existe.

    Agradeço especialmente aos colegas @JuniorDoleys@JuniorDoleys, @RodrigoCarvalho@RodrigoCarvalho e @joaovieiraneto@joaovieiraneto pela indicação do cabo e de outros colegas que pudessem me orientar tão bem quanto. Foram fundamentais na escolha.

    Abraço a todos!
     

    Anexos:

    Última edição: 3 Abr 2018
    • 1
  5. Diegodgo

    Diegodgo Usuário

    Muito interessante , Felipe esse fio que passa por fora do cabo qual seria a função ?
     
  6. FelipeRolim

    FelipeRolim Breaking The Sound Barrier


    Desde 17 Ago 2008
    Quatiguá/Paraná/Brasil
    Oi Diego. Este é o cabo que conduz os 5v. Não sei se o gnd está ali também, mas a via de 5v é certeza. Para ajudar a esclarecer maiores informações, vou deixar aqui o texto que extraí do FAQ do próprio site da Curious Cables. Segue:

    -----------------------------------

    Amigos, às 19h o Curious bateu as 30h de funcionamento ininterrupto. O sistema está ligado na configuração original desde a sua chegada (com o Valhalla XLR) e tocando música dia e noite. Não sei se tem alguma influência, mas tenho procurado tocar, enquanto não ouço, arquivos 192/24, por terem taxa de transferência maior e exigirem mais do cabo. Não sei se influencia, mas na dúvida, deixei.

    Ouvi hoje, na hora do almoço, quando o cabo fez 24h, e ouço desde as 18h30min. A apresentação já está bem diferente de ontem. Agora os agudos estão mais presentes, coisa que eu desejava que acontecesse, pois ontem estavam um pouco apagados e sem vida. O som estava gostoso, confortável, mas sem aquela presença e imponência com a qual estive habituado. Já melhorou. Também os graves começaram a ganhar um pouco mais de recorte entre as notas, mostrando mais definição, diria eu, um tempo mais correto. A resolução, o arejamento e a espacialidade são os melhores que já vi aqui. Está um nível acima do Wireworld, sem a menor dúvida. Chamou-me a atenção a forma como parece que a sala ganhou espaço, dimensão, mas sem afastar os músicos de mim e sem superdimensionar os instrumentos, coisa que eu nunca gostei no meu modo de ouvir. Não gosto de palco distante e instrumentos agigantados, embora goste do palco com boa profundidade, boa largura e boa altura, e o Curious, ao que tudo indica, será fantástico nisso. Hoje já se consegue notar mais altura no palco. Ontem estava bem achatado, e ainda falta este quesito a melhorar, no meu entender.

    O que parece que não irá mudar, por ser realmente a assinatura do cabo (e que era esperado e desejado) é o som mais rico e encorpado, que oferece bastante peso nas notas graves de um piano, de um violoncelo, de um contrabaixo e até mesmo de um violão, por exemplo, diferente do som mais frio e recuado que o Wireworld oferecia. Ambos cabem muito bem no sistema, por eu considerar que ele tem uma margem de flexibilidade muito boa sem que fique necessariamente ruim, mas esse som mais recheado era algo que eu queria, e que só fui perceber que me agradava mais quando precisei tirar o Wireworld (por tê-lo vendido) e colocar o cabo USB de impressora. No final das contas, na minha visão de músico, a entrada do Curious, com essa enriquecida no som, deixou-o mais fiel ao timbre real dos instrumentos.

    Por conta de ter um som mais frio e até mais magro do que o Curious (pelo menos por enquanto), o Wireworld logo em primeiro momento chamava a atenção pelo seu som refinadíssimo, com uma precisão cirúrgica, extenso nas altas. Era, de fato, um cabo que imprimia um resultado geral mais informativo, e que num sistema de agudos presentes ou médios recuados poderia fazer o som arder um pouco nas altas, ficar estridente, ou então sem corpo, sem pegada. Não é o meu caso. Por outro lado, serviria muito bem nas situações em que há sobra de graves e o ouvinte deseja dar uma "enxugada" neles. Eu gostava muito de sua delicadeza no decaimento das notas, pois, mesmo que com maior extensão nas altas, a forma como cada uma delas terminava possuía uma sutileza ímpar. Eu sinceramente adoro sistemas que conseguem entregar o tipo de som sutil sem ser agressivo, pois transmite uma sobriedade que me faz pensar que aquela reprodução "não está para brincadeira". Já o Curious, em primeiro momento, chama a atenção pelo seu som encorpado, vivo (no sentido de ter mais vida), musical, relaxado, diria até mais analógico. Todavia, no estágio atual (após ultrapassadas as 30h de amaciamento), com um pouco de audição torna-se possível perceber que todos os detalhes também estão ali, bem apresentados, e alguns até mais evidentes do que com o Wireworld (puxando na memória, vez que ele não está mais aqui). É um tipo de som que permite compreender o todo, a música como arte, mas sem impedir ou atrapalhar o foco no menor detalhe. Sem a menor dúvida, é uma audição mais real, mais agradável, mais tangível e palpável, do ponto de vista da similitude com uma apresentação real. Falta-lhe, contudo, um pouco mais de controle nos graves e daquela delicadeza na reprodução das notas. Não é, de modo algum, um cabo "bruto", mas se puder ganhar em delicadeza com o amaciamento, poderei dizer que não existe um aspecto sequer no qual ele não seja superior ao Wireworld Silver Starlight 7.

    Então, em resumo, posso dizer que o cabo é mais refinado, entrega um som mais analógico, mais rico em harmônicos, com timbres mais fiéis, uma sonoridade mais relaxada, natural e real, mas que ainda lhe falta um pouco de delicadeza no decaimento das altas e controle e velocidades nos graves. Tenho 30h completadas. No site da Curious há uma indicação de 50 a 100 horas. A expectativa, com isso, é que ele se evidencie num cabo alocado em nível bem superior ao Wireworld. Por enquanto, é a impressão que tem me passado.

    Abraço a todos.
     
    • 3
  7. Marckey

    Marckey Usuário

    248 106 45

    Desde 17 Jul 2009
    SP/SP/BR
    Pessoal, vou deixar uma dica aqui, pois apanhei muito com isso quando adquiri meu Curious cable.
    Quando comprei, não havia o que fizesse os graves desabrocharem: eram fracos e frouxos.
    Até que me ocorreu um detalhe: o fio de 5V fica separado porque tem que ficar o mais longe possível do cabo principal...e eu havia deixado
    o 5V preso ao cabo principal, para evitar acidentes. Depois que separei o fio de 5V do cabo principal - como tem que ser - os graves apareceram,
    com peso e velocidade. Outra coisa: procurem deixar o Curious mais longe do caminho de cabos de força.
    Boa sorte e bons graves para todos!
     
    • 3
  8. FelipeRolim

    FelipeRolim Breaking The Sound Barrier


    Desde 17 Ago 2008
    Quatiguá/Paraná/Brasil
    Oi Marckey. Excelente a sua colaboração. Lembro-me de ter lido em algum lugar (não lembro se no site da Curious) acerca da recomendação para que o cabo ficasse distante de outros cabos do sistema, especialmente os cabos de força. Imagino que o Curious seja um cabo sem blindagem, já que sua sonoridade denota algo típico de um cabo assim, como a grande maioria de outros similares que conheci. Todavia, jamais imaginei que o próprio condutor de energia fosse causar tão significativo impacto.

    Pelo contrário, ao posicionar o meu cabo atrás do rack, cuidei para que o condutor de alimentação não se desenrolasse do condutor principal, de modo que o meu cabo aqui está da exata forma que você disse usar anteriormente: com o fio de 5v junto do condutor de dados. Não tenho uma reclamação sequer a fazer do cabo, inclusive no que se refere à seção de graves. O Curious, para mim, representa um upgrade muito consistente sobre o Wireworld Silver Starlight 7, mas vou experimentar separar os fios. O que eu puder obter de melhoria, com certeza será bem vindo. Domingo farei a experimentação e volto a relatar aqui as experiências.

    Grande abraço a você e aos colegas do clube. Aos poucos vamos aumentando nosso conhecimento sobre o cabo.

    -------------------------------

    Aproveitando o ensejo, vou replicar aqui alguns comentários que fiz em outro tópico, para manter este atualizado.

    Curious com 54h: já não tem um ponto sequer em que seja inferior ao Wireworld Silver Starlight 7. Graves ganharam ritmo e os agudos delicadeza, isso tudo sem perder o som encorpado e natural que entrega desde o seu primeiro minuto de vida. O som está um verdadeiro deleite e extremamente correto. O palco voltou a conseguir se ampliar, ganhando muito em altura. Amused to Death está rolando por aqui e estou impressionando! Mais comentários, agora, só após as 100h.

    Curious com mais de 120h: depois da última atualização, com pouco mais de 50h, foram poucas as mudanças perceptíveis por aqui. O cabo atingiu rapidamente um equilíbrio tocando dia e noite e, desde o último comentário para agora, poucas foram as mudanças. O som ficou mais desobstruído, houve um pequeno ganho em resolução, em espacialidade, em velocidade e em dinâmica, mas as características de modo geral se mantiveram, com algumas coisas apenas que foram potencializadas. Revela-se um belo cabo, e uma compra mais do que acertada pelo valor pago. Com certeza é um cabo de altíssimo nível. Por conta de um post relativamente longo a respeito, e devido às poucas mudanças de lá para cá, acho que não preciso me estender muito. Recomendo!
     
    Última edição: 16 Abr 2018
    • 1
  9. Marckey

    Marckey Usuário

    248 106 45

    Desde 17 Jul 2009
    SP/SP/BR
    Oi Felipe, fico feliz por poder contribuir um pouco. Acho esse cabo excelente, dos que pude experimentar até o momento, é o que produz o resultado mais natural, o que me emociona. E nos quesitos avaliados pela revista Cavi, a meu ver faz bonito em todos.

    Excelente sua iniciativa de avaliar o cabo e mostrar o que acontece durante a queima, porque quando compramos um produto novo para nosso sistema de som a tendência é ficarmos ansiosos - e frustrados quando o resultado inicial não é o esperado. Mas esse é um caso em que a paciência traz para nossas mãos (ou seriam ouvidos?...) o que buscávamos.

    Abraço, e excelentes audições a todos.
     
  10. FelipeRolim

    FelipeRolim Breaking The Sound Barrier


    Desde 17 Ago 2008
    Quatiguá/Paraná/Brasil
    Marckey, testei essa sua recomendação hoje à noite, mas por apenas uma hora e com o sistema frio. O Krell tem uma performance muito ruim logo após ser tirado do stand by. Dessa maneira, não consegui captar qualquer diferença. Às vezes tinha a impressão de que havia, às vezes de que não havia, mas pela dúvida, preferi não chegar a nenhuma conclusão. Final de semana, com tudo ligado e devidamente aquecido, repito os testes com mais calma, cuidado e atenção. Tem outras coisas que quero testar também.

    Grande abraço e, mais uma vez, muito obrigado!
     
  11. Marckey

    Marckey Usuário

    248 106 45

    Desde 17 Jul 2009
    SP/SP/BR
    Uma coisa que acho estranho é ninguém postar nada por aqui. Estou sabendo que tem muita gente que está comprando esse cabo...e ninguém posta nada?
    Sei muito bem que não sou só eu e o Felipe que temos esse cabo, aliás esse cabo tem fãs aqui no Brasil de longa data. Então acredito que os novos donos devem estar esperando o cabo amaciar para postarem aqui suas impressões. É interessante ver a experiência de cada um com o cabo, pode ajudar outros em questões como ajustes do DAC e compatibilidade com sistemas.

    Abç,

    Marckey.
     
    • 1
  12. FelipeRolim

    FelipeRolim Breaking The Sound Barrier


    Desde 17 Ago 2008
    Quatiguá/Paraná/Brasil
    Escrever as impressões sobre o cabo é bem legal, mas conheço muita gente que tem e não é afeito a escrever no fórum ou a ficar dissertando a respeito de algo. Uma pena, pois é legal saber o que cada um pensa a respeito dele.

    Abraço!!!
     
    • 1
  13. Delta.40

    Delta.40 Usuário

    2.813 1.751 461

    Desde 2 Mar 2011
    Brasil
    Tem muita gente que perdeu o saco de postar no HTF.
    Muita!
     
    • 1
    • 1
  14. Marckey

    Marckey Usuário

    248 106 45

    Desde 17 Jul 2009
    SP/SP/BR
    No frigir dos ovos, audiofilia é um hobby, um lazer. Acho ouvir música bem mais divertido que postar.
    Mas também acho legal ver como há vários caminhos para ter satisfação com a música, seja com equipamentos, experiências ou pontos de vista diferentes.
    No meu caso, por exemplo, aprendi algo a mais com esse cabo USB. Até achava que os outros cabos podiam fazer diferença em um set, mas cabo USB? Achava impossível, afinal qual o segredo de transmitir zeros e uns? Ainda mais se o cabo da minha impressora era igual a esses cabos ditos "audiófilos", e minha impressora nunca vi perder nenhuma letra ao imprimir...
    Comecei testando o cabo USB de impressora...depois comprei um cabo com blindagem um pouco melhor. Então li um teste comparativo de cabos USB, e comecei a achar que talvez realmente houvesse uma diferença. Foi indo, acabei comprando um Nordost, e depois o Curious...e aprendi, na prática, que mesmo cabos USB soam diferentes, e fazem diferença.
    Então, não digo que acredito em tudo que leio sobre esses produtos para sistemas de som, mas sempre que posso dou uma escutada, uma testada...e tenho aprendido e tido boas surpresas com isso.

    Abç,

    Marckey.
     
    • 4
  15. FelipeRolim

    FelipeRolim Breaking The Sound Barrier


    Desde 17 Ago 2008
    Quatiguá/Paraná/Brasil
    Eu pensava da mesma forma. Desde muito novo gostei de mexer com computadores, meu primeiro curso da vida foi de informática com hardware, e na época do Windows Vista quem fazia uma instalação daquela valia ouro na região, hahaha. Cidade de 7 mil habitantes, pouco acesso às coisas. O Windows Vista e o sucessor 7 me permitiram montar o primeiro sistema de som, com KEF Q300.

    Bem, em determinado momento, aprendi que a transmissão para pen drivers, impressoras, etc., acontece por meio de pacotes de dados, ou seja, o arquivo é enviado, comparado no destino e, se for igual ao arquivo de origem, dado como transferido; do contrário, o dispositivo requisita o envio de um novo pacote que, se chegar perfeito ao destino, é dado como transferido e, havendo falha, há nova requisição, e assim sucessivamente até que não haja perda de pacotes, ou perda de bits, etc. Isso sempre justificou como uma impressora nunca perdeu nenhuma letra ou, mais do que isso, nenhum pixel, como transferimos milhares de gigabytes de um HD para outro sem nada se perder e, de início, sempre me serviu de justificativa para que o mesmo ocorresse no âmbito da reprodução musical.

    Em momento posterior, verifiquei alguns portfólios da Wireworld e em outras fontes de informação que, no áudio, não funciona exatamente assim. Importa muito, além da integridade da informação, a velocidade da informação, o timing, a blindagem do cabo, etc., etc. Tempos depois foi dito que separar a alimentação da seção de dados também traz certo ganho. Fato é que, o que exatamente é significativo para as mudanças de qualidade, não sei. Nunca mensurei e não sei se determinadas características seriam reprodutíveis graficamente. Todavia, não há como se negar a diferença que um cabo desses faz. Meu primeiro contato com um cabo USB dedicado foi com um Audioquest Diamond, no sistema de um amigo. Comparado com um USB de impressora, era absolutamente impossível falar que eu estava sugestionando, imaginando aquela mudança. Era evidente. Depois, tive a oportunidade de conhecer alguns, como o Supra, o Cardas Clear, o Furutech GT-2, os Wireworld Silver Starlight 7 e o Platinum Starlight 7 e, por fim, chegou ao meu sistema, o Curious Cable.

    Não tive a oportunidade de compará-lo lado a lado com todos estes que citei, e tampouco ouvi todos estes no meu próprio sistema. Porém, por aqui, sem nenhum medo de errar, o Curious é o melhor já ouvi. O cabo entrega um som muito correto, mas o que mais agrada é que consegue ser musical, rico em harmônicos, encorpado, e tudo isso sem deixar de ser detalhado, resoluto, controlado e veloz.

    Abraço!!!
     
    • 4
  16. igsnet

    igsnet Usuário


    Desde 29 Set 2012
    Campo Grande MS
    Olá Felipe !

    Felipe eu não tenho dindin para comprar cabos bons....
    Montei um cabo usb com cat5....é inegável a diferença que faz.
    Qual diferença que percebi em relação ao cabo de impressora? Separação de instrumentos.(y)
     
    • 1
  17. Marckey

    Marckey Usuário

    248 106 45

    Desde 17 Jul 2009
    SP/SP/BR
    Mais uma lição aprendida: esses dias estava ouvindo umas gravações novas , e achava que os pratos principalmente estavam sem aquele ataque inicial, e com decaimento mais abrupto. Não imaginava que o problema pudesse ter algo a ver com cabos.
    Ontem por acaso acabei reparando que o fio de força do Curious estava mal posicionado (acredito que devido ao fator empregada, que sempre quer dar uma limpada e acaba mexendo nos fios).
    Corrigi a posição do fio de força, e bingo: agudos excelentes, até a organicidade melhorou. Achava que o fio de força atrapalhava só os graves, mas ele pode acabar deixando o som em todo os espectro meio "frouxo". Ou seja, esse fator posicionamento adequado do fio de força do Curious é algo que não pode ser desprezado para quem busca o melhor resultado.

    Abç,

    Marckey.
     
  1. Este site usa cookies. Se você continuar a usar este site, automaticamente concorda com nosso uso de cookies.
    Fechar Aviso