Anúncio do HT Forum

Clube KLIPSCH (Todas)

Discussão em 'Caixas Acústicas e Subwoofers' iniciada por Hawker, 10 Set 2008.

  1. ELG

    ELG Usuário

    97 40 12

    Desde 16 Dez 2016
    Blumenau
    Anúncio do HT Forum
    Amigo pode ter certeza que ja fizemos varios testes aqui. Esse 95db dela é pura ilusão. 38 Watts não tocam de maneira correta o woofer, sobressaindo o drive dos agudos (que reproduz os médios tb). Vai nessa e verás o erro. Estou a um ano e meio lutando com estas caixas.

    O Amplificador que eu usava era um Gradiente esotech IA II, que toca caixa grande. Estou com um receiver (melhor se fosse amp) R s700 da yamaha e toca bem diferente. Os graves encorparam e os medios irritantes sumiram.

    Eu vejo o pessoal metendo o pau nas Klipsh aqui, mas é por que usam com receiver inadequado. São caixas de 500 dólares. Não adianta colocar qualquer receiver de entrada só por causa dos 95 db. Quem me mostrou isso foi um instalador de som. REalmente é surreal um esotech IA II dar conta de caixas grandes e não conseguir tocar bookshelfs, mas é isso daí. São equipamentos de gerações diferentes.

    Também liguei elas em um YAMAHA R S202, para teste, e o som não ficou bom. Ficou praticamente igual ao IA II. Graves fracos e com distorção.

    Mas se quiser acreditar na lenda 95DB, vai em frente.
     


    Anúncio do HT Forum
  2. weltec

    weltec Usuário

    6.205 3.904 446

    Desde 15 Nov 2011
    Rio de Janeiro
    Você está falando de 38w de amplificador inadequado, não quero utilizar o termo “ruim”, mas entenda desta forma;)

    Concordo que apenas o alto SPL não garante muita coisa, mas não generalize que 38w não toca essa caixa. Utilize uma amplificação boa e 38w sobram para essa Klipsch.

    Da forma como você está falando, essa caixa somente renderia uma boa performance com reprodução acima dos 100dB, o que não é verdade.

    Você está lutando com as caixas há um ano e meio, mas eu já tive e já fiz tocar bem em meu sistema as Klipsch Reference há muitos anos atrás(y)
     
  3. juan SL

    juan SL Usuário

    1.333 1.078 331

    Desde 19 Jan 2012
    sao paulo
    Concordo com o amigo ELG, muitos pensam que alta sensibilidade vai fazer a caixa tocar bem com amp fraco. Não vai. Veja o caso das Dynaudio que, você até vê com valvulados, mas muuito raro tocando em sua plenitude. Tudo porque a válvula tem força para empurrar o cone, mas não tem força suficiente para controlar a bobina que, na Dynaudio, é maior que a maioria das caixas do mercado. O mesmo se aplica às klipsch que tem sensibilidade alta mas possuem falantes grandes de cerâmica, pesados em comparação com outras marcas que casam bem com valvulados amps de baixa potência.
    Não se trata de força para empurrar, se trata de controle. Quanto a cabear, as particularidades do horn da klipsch pede sim cabos mais equilibrados, sem pontas soltas no equilíbrio tonal.

    Edit:
    Lembro de um artigo da revista Áudio e Vídeo Magazine, o articulista Christian Pruks fazia um paralelo sobre este tema e citou de forma sutil a RF7II com seus 101 dB e explicando exatamente o porquê deste fenômeno da falta de controle do Woofer por falta reserva de potência real.
     
    Última edição: 18 Ago 2019
  4. weltec

    weltec Usuário

    6.205 3.904 446

    Desde 15 Nov 2011
    Rio de Janeiro
    Só cuidado para não concordar com tudo e atestar a tese do colega, de que 38w não toca uma Klipsch Reference. Ou nem o AMS35i e nem o V8, bem como nenhum outro amplificador conseguiriam tocar bem essa caixa em 85dB:lol:
     
    • 1
  5. juan SL

    juan SL Usuário

    1.333 1.078 331

    Desde 19 Jan 2012
    sao paulo
    Mas não toca mesmo.
    Empurrar empurra, tocar, não toca.

    Quando meu M6 queimou por conta de um raio, usei um amp Advance de 60W por canal para tocar a RF7II. Tocava? Sim. Fiquei com ele por quase 5 meses, mas eu via (não só ouvia) o falante excusrionando descontrolado, dando pequenas chicotadas de retorno por que o amp não tinha reserva alguma para controlar o woofer.
    Vi o mesmo acontecer com um Luxman 60W em classe A puro sofrendo para empurrar uma Dynaudio C1. O woofer em momentos de variações fortes de dinâmica, não voltava com controle...

    Eu acho que, um amp de baixa potência vai quebrar um ótimo galho, vamos com o que temos, nos acostumamos com as limitações e convivemos bem com elas, mas dizer que toca a contento é fechar os olhos.
    Claro que se estivermos falando de uma RB 51 aí são outros 500.
     
  6. weltec

    weltec Usuário

    6.205 3.904 446

    Desde 15 Nov 2011
    Rio de Janeiro
    E é exatamente disso que estamos falando, Book Klipsch Reference, inclusive foi citado o modelo RB-61II, a qual foi afirmado que não toca a contento com 38w.

    Mas se está generalizado que 38w não dá conta de Klipsch Reference II, nem nem mesmo a RB-61II, a situação fica complicada. Se algum dono de AMS35i ou Luxman Classe A ler isso aqui e for jogar o seu integrado no lixo, me avisem e eu ajudo com a coleta:lol:

    E se for arregaçar no volume e SPL com uma Dynaudio C1, isso foge do que eu estava falando sobre uso adequado em ambiente adequado, além de fugir da proposta que foi exposta anteriormente(y)
     
    • 1
  7. juan SL

    juan SL Usuário

    1.333 1.078 331

    Desde 19 Jan 2012
    sao paulo
    Veja que falei de variações dinâmicas, não de excesso de volume SPL. Complexidade musical principalmente quando há mais de 5 músicos ou um só piano.

    A RB61 também pede uma amplificação melhor que 38W. 100W acho justo para ela.
     
  8. Hawker

    Hawker Usuário


    Desde 26 Mar 2008
    Fpolis/SC/Brasil
    Já testei o ams35 aqui, tocou muito com as RF7. O TAÇ V88 idem.
    Na época tinha o M6I.
     
    • 2
  9. ELG

    ELG Usuário

    97 40 12

    Desde 16 Dez 2016
    Blumenau
    Amigos quando falo em "tocar". É tocar bem.
    As KLIPSH são caixas que mostram tudo.
    Fazendo uma analogia, vejo muita gente falar em "receiver que dá dor de cabeça musicalmente". Pra mim, o que dá dor de cabeça é arquivo sonoro digital, mp3, you tube, até mesmo CD. Eu aprendi ouvir musica com meu 3x1 que ganhei em 1985. Caixas bass reflex, falante 8", musica era FM (que na época reproduzia vinil ou analógico), fita k7 gravado de vinil ou Fm, e LP. Era um 3x1 basico, mas que hoje seria top. Confesso que até hoje qualquer fonte digital me dá dor de cabeça para musica, tanto é que nem tenho cd player. Não consegui me acostumar apesar da evolução. E sim eu tenho spotify e uso muito. MAs pra mim analógico é melhor. É ali que consigo escutar por varias horas. Spotify me cansa a audição depois de alguns minutos.
    NA minha adolescência eu passava a tarde toda ouvindo musica, com as caixas coladas na orelha, dentro no quarto. E não cansava. MAs isso é a fonte musical.

    Tomando por base particularidades e gosto musical...........
    ..............SIM, 38Watts mexem os falantes da KLIPSH. Até já liguei um S95 nele com 15 watts. Toca sim, os falantes mexem. Mas o som fica ruim. Irritantemente aberto.
    Um teste que eu sempre faço , elas tem um ressalto quadrado no cone do tweeter. Eu fecho eles com espuma, completamente, e deixo somente o woofer soar. E ele fica realmente perdido, som fraco e com distorção. Soa horrivelmente. Isso é encoberto por que os twiters berram os medios e encobrem tudo.

    A potência a que me refiro é relativo a qualidade do som. Mesmo em volume baixo. Pouca potência nele faz os drives de titânio berrarem (Por ali saem os médios tb), e o woofer falar fraquinho, muito mal.

    Eu nunca me conformei com as criticas e não vou desistir destas caixas.
    O woofer dela não é facil de tocar não.

    O que eu alerto é o erro que eu cometi ao comprá-las. Achar que por ter 95db, qualquer receiver vai tocar. Confesso que até mesmo comprei para ouvir com vintage, com base no woofer de 6,5" e os 95 DB.

    E vejo críticas que são caixas ruims, desequilibradas. Eu mesmo achei isso, mas agora comecei a ver meu erro.

    Lembro que, o kit casado dessas minhas caixas, kit básico de venda da Amazon, era o MARANTZ PM 5004. Não é grandes coisas, mas acho que aí seria a base, o mínimo para tocá-las.

    Grato.
     
    Última edição: 19 Ago 2019
  10. weltec

    weltec Usuário

    6.205 3.904 446

    Desde 15 Nov 2011
    Rio de Janeiro
    50BC4629-468E-4D49-8B6E-F3FDBDD27CCF.jpeg
     
    • 2
  11. pedrowing

    pedrowing Usuário

    230 206 45

    Desde 12 Jan 2009
    Blumenau
    Eu acho incrível a gourmetização que existe aqui nessa seção do htforum.

    Se vc lê sub gringo (avforum, reddit, etc.) a opinião GERAL é que pro pessoal de ENTRADA (leia-se primeiro HT, fugindo dos HTinabox) qualquer reciever multicanal amplificado das marcas renomadas (DENON/Pioneer/Yamaha/etc.) é suficiente pra tocar com folga um kit 5.1 de base da Klipsch.

    Entra aqui nesse tópico muita gente fala o oposto.

    Existe um baita consenso na comunidade hoje que o tempo em que era necessidade amplificadores que custam uma fortuna tá bem no passado, eficiência em caixas modernas deixou beeeem em segundo plano a necessidade de um p* AMPLIFICADOR PRA TIRAR O MAXIMO DAS CAIXAS DURR, SEM FALA NO CABO EXPECIAL BLABLABLA.

    Tem gente que vive em 1985 ainda.

    E não, não estou falando de público audiofilo pq essa sim é uma racinha. Audio é uma parada complicada mesmo, pessoal enxerga coisa em 4D, coisa que não existe, fantasma do cabo "X", etc. O "upgrade" não tem fim.

    Vou deixar pro pessoal dar uma brincada aqui:

    http://myhometheater.homestead.com/splcalculator.html
     
    • 1
  12. Hawker

    Hawker Usuário


    Desde 26 Mar 2008
    Fpolis/SC/Brasil
    "E vejo críticas que são caixas ruims, desequilibradas. Eu mesmo achei isso, mas agora comecei a ver meu erro."

    Qualquer sistema mal montado vai acontecer isso, mas aqui no HTF só acontece com Klipsch, eterna sina. Isso não vai mudar nunca, já vi vários sistemas tocando estridentes com Monitor Audio, Kef , Canton etc. Culpa das caixas? Não, e sim de falta de ajuste.
     
    • 2
  13. Hawker

    Hawker Usuário


    Desde 26 Mar 2008
    Fpolis/SC/Brasil
    Existe uma diferença muito grande entre tocar e tirar o que a caixa "pode dar". Se vc colocar uma RP260 com um receiver de entrada ela vai tocar de um jeito, com um top de linha de outro e se usar um integrado vai ver que a diferença é BEM significativa para melhor com este.
    Ai vai da exigência de cada um e do ouvido.
    Já tive receiver, uso pre+power e integrado, a diferença entre eles existe e não é pequena, pelo menos para meu nível de exigência.
    Mas nada impede de usar com um receiver e ser feliz para o resto da vida, sensibilidade alta ajuda bastante, mas não faz milagre.
     
    • 2
    • 2
  14. Redcruz

    Redcruz Usuário


    Desde 11 Dez 2008
    Mesquita
    Sei que o tema amplificação é algo complicado de se debater e, ainda, mal compreendido. Difícil de ser entendido e mais difícil ainda de ser explicado.

    Realmente muita coisa melhorou de 1985 até os dias de hoje, todavia, basicamente nada mudou na relação amplificação/caixa, no que diz respeito à ''capacidade'' de um em relação ao outro.

    Claro que no ''home audio'', que na grande maioria são usados em ambientes pequenos e com volume baixo, essa relação pode ser minimizada, ou até tomar uma conotação muitas vezes equivocada. ;)
     
    Última edição: 19 Ago 2019
    • 2
  15. Redcruz

    Redcruz Usuário


    Desde 11 Dez 2008
    Mesquita
    Isso é verdade, tem muita caixa que é mais difícil de lidar e só as Klipschs pagam o pato. Posso citar a linha GX/Gold da MA, Infinity Primus, e tal...
     
    • 2
  16. ELG

    ELG Usuário

    97 40 12

    Desde 16 Dez 2016
    Blumenau
    hahahahahaha logicamente se estamos aqui, a BUSCA É PELO IMPOSSÍVEL.

    É inerente ao ser humano nunca estar contente. Ok eu me rendo, não busco HiFi, busco apenas a agradável apreciação de áudio que usufruí nos anos 80 sem a necessidade de aparelhos de custo alto.

    E concordo, as coisas são feitas hoje para casar equipamentos cada vez mais caros. Esses 95Db das KLIPSH é um anzolzinho sacana que me fisgou. Me ferrei.

    E o pior. Agora que me acostumei com a caixa, as outras que eu tinha pareciam todas abafadas (pareciam ter um cobertor cobrindo a caixa). Nem as tenho mais.

    MAs estes dias vi uma reportagem de audiófilos no Japão (velhinhos), gastando uma fortuna em toca discos mirabolantes. Estou muito longe disso. Então só é loucura se a referência for pequena (mais risos).

    E agora? Agora não tem volta. Upgrades, upgrades. ferrou.

    A busca continua.
     
  17. FlavioWolff

    FlavioWolff Resistindo à Audiophilia Nervosa


    Desde 2 Jul 2008
    São Paulo/SP
    Todos os seus testes foram feitos sob a mesma acústica? Mesma posição das caixas? Na minha experiência, mover as caixas pode acabar com os graves, mesmo que poucos centímetros..
    abs
     
  18. FlavioWolff

    FlavioWolff Resistindo à Audiophilia Nervosa


    Desde 2 Jul 2008
    São Paulo/SP
    Amigo, se importa de fazer o teste a seguir (comparativo de mp3 com arquivo lossless) e nos dizer qual é sua pontuação? http://abx.digitalfeed.net/
     
  19. juan SL

    juan SL Usuário

    1.333 1.078 331

    Desde 19 Jan 2012
    sao paulo
    Acho que é preciso separar as coisas.
    Quando se fala em sistema de som surround, filmes etc. Ok, qualquer Receiver vai suprir as exigências de reproduzir efeitos sonoros.
    MÚSICA são outros 500. Receiver não dá conta de suprir as exigências de uma música a contento e, isto fica explícito em qualquer fórum tanto daqui quanto gringo.
     
    • 2
  20. ACDSGoes

    ACDSGoes Usuário

    2 1 3

    Desde 9 Jul 2019
    rio de janeiro
    Pessoal,

    Tentarei ser o mais objetivo possível.

    Quero montar um sistema 3.1 para caixas Klipsh, apenas. Ouvir música (apenas digital) e filmes.

    Caixa frontal: R-250c
    Caixas laterais: RP 500M
    Sub: R12

    A dúvida é escolher o receiver. Estou entre:

    Onkyo Tx-nr797
    Yamaha Rx-v685
    Marantz Nr-1609

    Aceitaria sugestões, também, para outras marcas de receiver, principalmente Denon que já li por aqui é bom para o meu objetivo (música/filmes).

    Obrigado!
     
  1. Usamos cookies próprios e de terceiros para dar um melhor serviço e mostrar publicidade. Ao continuar, aceita o seu uso.
    Fechar Aviso