Clube Yamaha

Discussão em 'Receivers, Processadores e Amplificadores' iniciada por edson, 28 Jun 2005.

  1. Álvaro Ney

    Álvaro Ney Usuário


    Desde 1 Jun 2005
    Rio de Janeiro
    Anúncio do HT Forum
    Caro Abcoon: tentei falar contigo, mas não consegui. Desejava ardentemente que você tivesse lá nos testes, foi muito bom. O que eu achei muito interessante foi a opinião de um especialista da área de hi-end, que aparentava conhecer muito do assunto e eu ao perguntar a ele sobre as caixas da infinity, ele me disse que ficou com um ótima impressão das caixas da linha Beta, especificamente, da torre B50 e da central de três vias e que ela falava mais e melhor que muitas marcas afamadas que tem por aí. Eu infelizmente tentei comprá-las até no escuro, como você sabe, mas não consegui. Ele conceituou as Beta e a Lando como ótimas caixas, situando-as no mesmo patamar da que estavam lá para teste. Inclusive me aconselhou a encomendar a central da Lando, mesmo demorando, afirmando que aquela deficiência na reprodução dos médios baixos é totalmente suprida no conjunto com a central, tornando o sistema muito bom e equilibrado. Vou seguir o conselho dele e vou encomendar a Ergo em substituição a JBL que eu tenho aqui. Vou apostar no conselho dele e assim completar o set do 2092, já que o do bravo 2500 ficou redondo agora com as Paradigm.



    André: Eu não quis dizer que as Definitive não tinham graves, elas tem sim, mas eu gostei mais dos graves da Cabasse e da Paradigm. Mas que ela dá um banho em design e acabamento em qualquer outra, isto dá. Eu achei fora de série, mas o preço delas, 4.700 dólares, não é para qualquer um... só gente muito fina... não dá pra mim.

    Ricardo: A impedância é de 6 ohms sim. A Lando já confirmou isto. As minhas torres já estão amaciadas e as Paradigm não, mas eu já posso ter afirmar que elas reproduzem mais graves que a Paradigm.

    Outra coisa que me surpreendeu foi a performance dos sub da Polk. São mais naturais e harmoniosos que as outras marcas. São profundos e precisos. Esguelei o bicho e ele não bateu cone. Gostei muito também.

    O que me impressionou nas Paradigm foi o equilíbrio tonal. Não sobressai nenhuma freqüência, é muito equilibrada, além disso ela tem um som envolvente que é difícil de explicar, pois não sou expert no assunto. Outro ponto que achei fora de série foi a separação dos canais frontais com a central. Embora o conjunto apresente uma harmonia muito boa, se consegue distinguir com muito mais definição a separação do canal direito-esquerdo-central. Eu que estou acostumado a ouvir os domos de seda da Lando que são onidirecionais, senti uma diferença muito grande.

    Achei a Paradigm sensacional. Elas são caras, mas valorizam e muito um receiver. Eu estou muito satisfeito, pois desta vez pude comparar com outras marcas e principalmente o desempenho do Yamaha com o Marantz na mesma situação.

    Sem dúvida alguma o Marantz é um excelente equipamento, é uma pena que não tenha o dsp igual ao da Yamaha. O entrelaçamento em dolby digital e o Movie Theater, fazem muita diferença. Para minha opção que é 90% filmes, o envolvimento sonoro proporcionado por estes dsp`s se tornaram indispensáveis. Acho muito melhor que o processamento puro em THX. O resto eu particularmente não gosto (hall, disco, jazz club, rock concert, disco, 7channel stereo, etc..) Prefiro ouvir música em dolby digital sem dsp.

    Esta foi a minha impressão de leigo a respeito do assunto. Confiei tão somente nos meus ouvidos e por esta razão estou satisfeito. Isto não tem preço.
     
  2. Márcio

    Márcio Usuário


    Desde 30 Mai 2002
    Pelotas RS
    Biney, não querendo em intrometer mas me intrometendo, considero que o ideal seja que não percebamos de onde vem o som.
    Se estamos assistindo um filme em multicanal o ideal sería que não ouvíssemos exatamente de onde está vindo o som, deve-se sim perceber que um som está passando da esquerda para a direita, mas não deve-se perceber que determinado ruído está saíndo, por exemplo, da caixa esquerda, não sei se me fiz entender.
    Se na lando fica mais difícil identificar que o som está saindo de determinada caixa, eu acredito que seja ponto para a lando.
    Abraços
     
  3. Igor P. S.

    Igor P. S. 13 anos de HT Forum.......


    Desde 11 Fev 2005
    Paraná -Brasil
    Lendo a observaçaõ do Marcio , na mensagem acima li o que ja havia reparado em relação ao setup das Lando 703 , pelo som aveludado (macio) se torna dificil identificar da onde vem a origem do som , e claro que sempre algum detalhe identifica , mas na integra fica bem despercebido , o som se integra a sala ou quarto.............

    Abraço , Igor
     
  4. Anddre

    Anddre Apreciando a boa música...


    Desde 2 Jul 2005
    Teresópolis
    Biney,

    Como te disse eu comprei as minhas torres em uma oportunidade e paguei U$2.000,00. Por U$4.700,00 eu também estaria fora do clube(y) .

    Um Abraço,
    André
     
  5. prbap

    prbap PAULO


    Desde 5 Out 2004
    curitiba/Pr/Brasil
    Alguém saberia me dizer como eu consigo o código do DVD player HK 22, para colocar no controle remoto do reciever RXV 1500?
     
  6. Renato_CWB

    Renato_CWB Membro & Colaborador


    Desde 15 Jul 2005
    Curitiba - PR
    Se eu não estou enganado, os códigos se encontram no final do manual de usuário.

    http://www2.yamaha.co.jp/manual/pdf/av/english/re/RX-V1500_U_rev1.pdf

    (Infelizmente estou aqui com uma versão do Acrobat que não pode ler o pdf acima).

    Abraço.
     
  7. prbap

    prbap PAULO


    Desde 5 Out 2004
    curitiba/Pr/Brasil
    Renato...na lista de códigos não consta o do HK.Abraços, paulo



     
  8. Renato_CWB

    Renato_CWB Membro & Colaborador


    Desde 15 Jul 2005
    Curitiba - PR
    É verdade. Acabei de encontrar outra versão do manual e de fato não há nenhum código para qualquer produto HK.

    Tomei a liberdade de entrar diretamente no site da HK (product support) e enviei o seguinte questionamento à eles:
    "Model: DVD 22/230
    Hello, a friend of mine would like to use the programmable remote control of his Yamaha RX-V1500 receiver to control his HK DVD 22. Unfortunately, the user manual of the Yamaha receiver presents many rc codes for most HiFi brands, but none for HK.
    Question: is there a general incompatibility or is it just a lack in the manual? Do you happen to have the 4-digit code required?"


    Se eles mandam uma resposta, vou te repassar.
     
  9. prbap

    prbap PAULO


    Desde 5 Out 2004
    curitiba/Pr/Brasil
    Renato MUITO OBRIGADO!!!!!!!!!
     
  10. Renato_CWB

    Renato_CWB Membro & Colaborador


    Desde 15 Jul 2005
    Curitiba - PR
    Não por isto. Também estou tentando "atacar o bicho" pelo outro lado e enviei o mesmo questionamento para Yamaha. Vamos ver se dá um resultado.

    Abraço.
     
  11. Renato_CWB

    Renato_CWB Membro & Colaborador


    Desde 15 Jul 2005
    Curitiba - PR
    Caro Paulo,

    Recebi a seguinte resposta da Yamaha. Resumidamente eles estão dizendo que
    a) não existem outros códigos do que os que se encontram publicados no manual
    b) que o controle remoto deles não é reprogramavel (ou seja, só tem os códigos/comandos pré-programados, sem possibilidade de criar outros)
    c) que as vezes certos aparelhos/marcas são compatíveis com outros e que você pode tentar usar um dos códigos existentes para outra marca para ver se teu HK responde.

    Abraço!

    *** resposta Yamaha ***
    Dear Valued Customer

    Thank you for your e-mail.

    In reply to your inquiry, all the codes we have for the RX-V1500 are listed
    in the Owner's Manual. There are no additional codes available.

    Please note that while we strive to keep an extensive code library, it is
    not possible to include every single item from every manufacture stored in
    the remote control. The Yamaha remotes with preset manufacturer's codes are
    not re-programmable, meaning that their internal code libraries cannot be
    updated. You might wish to try entering some other codes from the same
    product category. Sometimes other codes will work for the unit you wish to
    control. Otherwise, please use the original remote controller supplied with
    the DVD player.

    We are sorry for your inconvenience.

    Yours sincerely

    AV Overseas Customer Service Representative
    YAMAHA CORPORATION, JAPAN
    *** fim resposta Yamaha ***
     
  12. prbap

    prbap PAULO


    Desde 5 Out 2004
    curitiba/Pr/Brasil
    Renato....não deu, paciência então, mas valeu tua boa vontade em querer me ajudarUm abraço, paulo
    (vou tentar códigos de outras marcas, se alguma der certo vou postar aqui, pode ser que mais alguém se interesse)
    Em tempo..... me inscrevendo no clube com o RXV 1500.
     
  13. Álvaro Ney

    Álvaro Ney Usuário


    Desde 1 Jun 2005
    Rio de Janeiro
    Caro Márcio, tenho cxs Lando a muito tempo e gosto muito da marca, mas, na minha modesta opinião, entendo que os domos de seda em caixa acústica, pelas suas características onidirecionais não é o ideal para sistema multicanal. Se as caixas não estiverem bem distantes entre si, não haverá percepção na transição dos canais esq./central/direito, parecendo um único canal. Isto, para reprodução em filmes não é o ideal, pois voce perde a sensação de separação. Eu comparei e percebi que dá uma grande diferença. Em música stereo, sem a participação do canal central, dá para se perceber a separação dos canais, mas em multicanal fica crítico.
    Daí a minha preferencia neste caso, por tweter com características direcionais.
    Veja bem que estou me referindo a reprodução na faixa de frequencia média e alta, não a graves, que não tem obviamente características direcionais.
    Outro ponto digno de menção, é de que apesar do tweter de domo de sêda não ser estridente, é menos eficiente na propagação da faixa de frequencia mais alta, outrossim, há outros materiais que aliam eficiência com uma reprodução cristalina e límpida com sucesso. Se não fosse assim, os mais afamados fabricantes de caixa acústica só usariam transdutores de domo de sêda...
    Quando emiti minha opinião a respeito dos transdutores de domo de sêda, o fiz com total isenção, pois tenho cxs deste tipo a muitos anos, meu primeiro modelo de caixa Lando foi a LA 3100, a uns 20 anos atrás, para usar com um receiver Yang. Na época, caixas seladas com alto falantes de suspensão acústica e domos de seda eram sensacionais, pois não havia opções de qualidade. Hoje a história é diferente. Há sonofletores (bass reflex) com divisores de frequencia (crossover) muito bem projetados que proporcionam excelente reprodução de áudio, veja os mais afamados fabricantes, quase nenhum fabrica mais caixas seladas.
    Antigamente as cxs Lando tinham um preço bastante atraente e um acabamento superior, mas de uns tempos pra cá, os preços subiram desproporcionalmente, tanto que aqui no RJ os distribuidores não mantém mais em estoque por acha-las demasiadamente caras, além de serem problemáticas na entrega. No meu caso em especial, precisei de uma caixa central e nenhum distribuidor tinha, somente um me ofereceu uma em empréstimo, até a fabrica entregar, (em média 10 dias), pelo preço de R$ 1.120,00 (Ergo 66/100w rms).
    A Lando, sem dúvida produz boas caixas, mas, hoje em dia elas são caríssimas e a meu ver, sem justificativa, se considerarmos os custos do produto. Concorre em preço oficial com JBL,Kef,Energy, Infinity, sem pagar os mesmos impostos de importação.

    Antes da inexorável contestação, alguem me explique qual a justificativa de um par de torres LX 190 custar aproximadamente tres mil reais, contra dois mil e quinhento de uma JBL E-90 no oficial, ou uma infinity ou jbl, ambas centrais de tres vias custarem menos que uma Ergo 66 de duas vias?

    Depois reclamam que o brasileiro não prestigia o produto nacional...
     
  14. Renato_CWB

    Renato_CWB Membro & Colaborador


    Desde 15 Jul 2005
    Curitiba - PR
    Biney, bom dia,

    Tuas observações, como sempre são muito bem descritos (eu sempre aprecio bastante a qualidade dos teus posts!). Só que desta vez eu tenho que discordar um pouco com você, pois eu acredito que a avaliação do que seria uma imagem sonora ideal, seja em estéreo ou em multicanal, depende muito (se não exclusivamente) da preferência e percepção individual de cada um.

    No meu caso (tenho tudo Lando, as frontais, a central e os surround) eu não posso confirmar que "não haverá percepção na transição dos canais esq./central/direito", como você menciona. Eu percibo esta transição claramente. Por outro lado, não discordo com você neste sentido porque você usa corretamente a palavra "percepção", sendo que a "percepção" é uma noção muito subjetiva. Na TUA percepção é uma coisa, na percepção de outras pessoas e outra história. Vale a pena lembrar que em muitos casos até as carateristicas do próprio ambiente ou até o posicionamento das caixas podem fazer uma grande diferencia.

    Sobre o uso de materiais, veja uma entrevista com Gregor Milbers (sócio da Lando) que tb. comenta este aspecto: http://www.audiodicas.com.br/Entrevistas/gregor_milbers.htm

    Um grande abraço e bom fim de semana!
     
  15. Abcoon

    Abcoon Gatil Abcoon , Abissínios

  16. Álvaro Ney

    Álvaro Ney Usuário


    Desde 1 Jun 2005
    Rio de Janeiro
    RW, concordo plenamente contigo. Voce me entendeu e muito bem. O meu ambiente para home theater é dedicado e dificulta a percepção de transição dos canais, justamente pela pouca distância entre as caixas frontais, portanto, não se trata de uma deficiência dos domos utilizados pela Lando, mas do meu ambiente.
    O que pretendi foi diferenciar as características onidirecionais destes transdutores e os resultados práticos com os direcionais.
    Quanto as suas demais considerações a respeito da análise subjetiva quando se trata de audição, concordo plenamente. Se trata de gosto pessoal que deve ser respeitado. :aplauso:
    O meu caso é mais complicado, pois gosto do resultado de ambos (direcionais/onidirecionais), mas com aplicações diferentes stéreo/multicanal.

    Mudando de assunto, saiu a análise da audioholics do Yamaha RXV 2500, onde eles explicam detalhadamente a questão da potência de audio e ratificam a qualidade de processamento de audio do aparelho. É uma análise detalhada e desmitifica a questão relacionada a potência real e a importância de obedecer a impedância máxima de 8 ohms, a questão do aquecimento, controle remoto e um comparativo com o modelo anterior, RXV 2400.

    Vale a pena conferir. Um abraço.
     
  17. Malcon

    Malcon Usuário


    Desde 16 Dez 2004
    Joinville - SC
    Caros
    Colegas!

    Por que esse post não está no Grupo de Receiver / amplificadores.
    Estou avaliando Yamaha Rx V 1500 x HK 435 para o meu futuro Upgrade e no grupo Receivers / Amplificadores só encontrei CLUBE HK.
    CLUBE YAMAHA não deveria estar em um local de maior evidência [​IMG]
     
  18. Makau

    Makau Usuário


    Desde 23 Mai 2005
    Macau - Rio Grande do Norte
    Biney,

    Muito boa sua dica sobre a avaliação da Audioholics sobre o Yamaha RX-V2500.(y) É uma pena eu não dominar a língua inglesa, pois se trata de uma leitura muito instrutiva e curiosa, devido os vários pontos importantes que são explicados e a compara com o RX-V2400.

    Para mim, que tenho o 2400 da Yamaha, seria leitura de enorme interesse.

    Fico na vontade de ler o texto.:)

    Abraços,
    Marcelo.
     
  19. Abcoon

    Abcoon Gatil Abcoon , Abissínios

    Um colega levantou uma questão e apesar de eu ja ter tido um RX V1400 não sobe responder qual e o corte de frequência que o Yamaha RX V1400/1500 usa quando se seleciona as caixas como small ,pois pelo que me lembro e fixo , tentei verificar no manual baixado do site porem este não entra em detalhes sobre o valor do corte.
     
  20. edson

    edson Áudio & Vídeo Designer


    Desde 23 Jun 2002
    Londrina - Pr
    Deve ser 80 ou 90 hertz.
     
  1. Usamos cookies próprios e de terceiros para dar um melhor serviço e mostrar publicidade. Ao continuar, aceita o seu uso.
    Fechar Aviso