Anúncio do HT Forum

E os 48 fps?

Discussão em 'Cinema e Filmes' iniciada por Zkyzytuz, 25 Fev 2019.

  1. Zkyzytuz

    Zkyzytuz Esganando Estátuas


    Desde 6 Jun 2005
    Juiz de Fora
    Anúncio do HT Forum
    Há uns 8 anos Hobbit era lançado nos cinemas, experimentando algo novo: 48 fps, em vez ds 24fps usuais no cinema desde os anos 20, quando por conta da sincronia como som, 24fps foram padronizados. Escolheram um valor baixo pq obviamente, mais fps significam mais metros de filme, mais custos e mais incômodo na hora de filmar ou projetar (trocar as bobinas)

    Só que na época choveram críticas, a maioria bem estranhas:

    - "Fica real demais, é meio incômodo"

    - "Parece que estou vendo uma peça de teatro, e não um filme"

    - "Ficou parecendo videogame, muito artificial"

    - "Causa estranheza estética, as pessoas se acostumaram ao 24 fps a vida toda"

    - "A imagem é nítida demais, o contrate é afiado demais, não há aquele blur que torna as coisas mais naturais, fica desagradável"

    "- Parece soap opera"

    Como eu não vi, essas críticas me parecem meio malucas. Como algo mais real por capturar mais quadros e eliminar o blur pode ser pior? Parece que alguns simplesmente copiaram e colaram a crítica alheia.

    Outros disseram que como o Hobbit tem muita computação gráfica, os quadros a mais acabam revelando a artificialidade do CGI, foram as pessoas que disseram "parece videogame". Neste caso, fico pensando se em um filme sem CGI, a coisa não seria diferente. Mas isso tb me parece estranho, afinal os atores e várias coisas em cena, mesmo no Hobbit, não sào CGI.

    Eu baixei uma versão 1080p 48 fps (23GB) e sinceramente não vi nenhuma diferença, seja na TV ou no monitor. E sim, eu confirmei nas propriedades do reprodutor de vídeo, estava 48 fps. Imagem e som de ótima qualidade, mas nada diferente.

    Existem alguns vídeos em 48 fps no Youtube, mas pelo que li não são 48 fps reais, são 24 fps com interpolação, ou seja, duplicação de quadros, então não são parâmetro. E tb não vi diferença alguma.

    Eu pergunto:

    - Alguém viu na época em 48 fps? o que achou?

    - Esse treco flopou geral mesmo? Nunca mais ouvi falar de produção em 48 fps.

    - Alguém já filmou em 48 ou 60 fps em câmera caseira? O que achou?
     
    Última edição: 25 Fev 2019
  2. chicoloko

    chicoloko Usuário

    5.674 3.921 711

    Desde 13 Mar 2009
    porto alegre, rs, brasil
    Assisti Hobitt no cinema à 48 fps e particularmente gostei muito. Realmente parece que estamos assistindo à uma peça em vez de um filme, e talvez por isso, achei que o 3D se beneficiou disso. Mas eu não sou muito parâmetro, em casa eu gosto de assistir filmes com o motionplus da TV ligado...

    E quando procuro trailers pra ver no Youtube, normalmente dou preferencia à um framerate maior do que em resolução maior. Prefiro assistir um trailer FullHd/48fps que um 4K/30fps.

    Sobre o flop, infelizmente acho que o 48 não vingou e acho que não vão investir mais nele, em contrapartida, o James Cameron parece que quer dar um saldo já pros 60fps, pelo menos a intensão dele era filmar Avatar 2 e 3 com esse framerate. Como não li mais nada sobre as continuações, não sei se os filmes vão ser lançados assim.

    Com um dos melhores 3D que vi até hoje no cinema foi em Avatar, se o James Cameron tava empolgado em filmar à 60fps, podemos esperar coisa boa daí. Só temos que torcer pra que as salas se adaptem pro poder exibir os filmes assim....
     
  3. Zkyzytuz

    Zkyzytuz Esganando Estátuas


    Desde 6 Jun 2005
    Juiz de Fora
    Que bom o testemunho de uma pessoa que realmente viu e gostou! :) pois todas as críticas que li pareciam mais coisa de maria-vai-com-as-outras.

    Ocorre que estou ficando meio incomodado com as cenas de ação rápidas no cinema, estão fazendo cenas tão frenéticas que simplesmente 24 fps parece não dar conta, eu vejo muitos borrões e cenas indistintas, o que tem me incomodado demais. Creio que para capturar de forma adequada, deveriam SIM adotar 48 ou 60 fps, pelo menos em filmes de ação.
     
    • 2
  4. Obi 1

    Obi 1 Usuário


    Desde 3 Abr 2007
    Porto Alegre
    O que posso dizer é que realmente "fica real demais, meio incômodo", "parece peça de teatro, não filme", "parece videogame, muito artificial", "causa estranheza", "a imagem é nítida demais, não há motion blur, que torna os movimentos mais naturais" e "parece soap opera". A transição da película para o digital, embora tenha sido rápida, não foi simples. Quem acompanha bastante cinema, ou trabalha com isso (meu caso), lembra como era gritante a diferença de textura da imagem captada em digital e película, era basicamente "vídeo" (no sentido pejorativo) e "filme". Isso é bastante visível nos longas do começo dos anos 2000 captados com as primeiras câmeras HD de cinema da Sony e da Panavision, no obsoleto formato HDCAM 1080/24p (prequels de Star Wars, por exemplo, ou os filmes do Michael Mann) e também com a primeira versão das câmeras da RED (quando captação em 4K se tornou possível). Acontecia exatamente o que o amigo enumerou em seu post, a imagem tinha uma textura viva demais, detalhes de cenários, figurinos e maquiagem (lembram o Ricardo Darín envelhecido em O Segredo dos Seus Olhos?) pareciam fakes, as informações nas altas luzes (janelas iluminadas, luminárias, paredes brancas) também, e movimentos rápidos pareciam extremamente artificiais. Demorou um tempo e muita elucubração dos engenheiros da ARRI, RED e Panavision, por exemplo, para desenvolver sensores, algoritmos e curvas de latitude que "suavizassem" a textura das imagens, criando um look mais fílmico, orgânico, aveludado e analógico, como era com a película. Hoje um material captado com Alexa, da ARRI, é indiscernível de material captado em 35mm, mesmo em ProRes. Pois bem, escrevi tudo isso pra dizer que 48FPS, ou 60FPS, como James Cameron anunciou que rodaria as sequências de Avatar (não sei se o fez), ou os 120FPS que Ang Lee usou em seu Billy Lynn's Long Halftime Walk, são um retrocesso, pois criam uma imagem hiper-realista, ultra detalhada, excessivamente sharp, sem a elegância e a sofisticação que a película entregava, sendo muito diferente do que enxergamos na vida real. E essa tecnologia HFR (High Frame Rate), também joga por terra todo o esforço de engenheiros de vídeo e diretores de fotografia para tornar cinematográficas as imagens digitais. Não à toa, hoje uma das coisas mais comuns em cinema é o uso do que se convencionou chamar "vintage lenses": não são lentes antigas per se, os principais fabricantes estão apenas fazendo lentes que emulam as características das objetivas dos anos 60 e 70, usando o mesmo tipo de vidro e a mesma configuração de elementos e prismas - ou seja, mesmo com os avanços na captação digital, os diretores e fotógrafos ainda buscam um look mais analógico e suave.
    E, também, para existir filmes em HFR, os cinemas necessitam algumas adaptações, e isso custa caro e não compensa o investimento - o mago Douglas Trumbull (2001, Blade Runner, Contatos Imediatos) criou um sistema de captação e projeção em HFR ainda nos anos 80, mas o projeto não deslanchou pelo alto custo. Ele ainda tenta viabilizar a idéia, como pode ser visto aqui: https://library.creativecow.net/art...folder=HFR-Cinema_Douglas-Trumbull-JMR&page=1
    Bom, pessoal, essa é apenas minha opinião, espero que ninguém fique chateado comigo por discordar. Abraço a todos!
     
    • 4
  5. Zkyzytuz

    Zkyzytuz Esganando Estátuas


    Desde 6 Jun 2005
    Juiz de Fora
    Ótimo post! (y)

    Mas no tocante ao que você citou, o problema estaria relacionado com a diferença película x digital, e não com a qtde de frames.

    Mesmo pq seria perfeitamente possível fazer 48, 60 ou qq qtde de frames com película.

    E o que eu noto, com as cenas de ação muito rápidas de hoje, é que parece tudo muito borrado e indistinto em 24 fps.

    E isto realmente está me incomodando muito, estragando a experiência de ir no cinema. É bem desagradável, mesmo.
     
  6. Obi 1

    Obi 1 Usuário


    Desde 3 Abr 2007
    Porto Alegre
    Mas é justamente o número elevado de quadros por segundo que cria essa sensação de imagem ultra sharp, excessivamente detalhada e com movimentos pouco reais. Como cada quadro é exposto/impresso muito velozmente - ou seja, por um período de tempo muito pequeno - o "borrão do movimento" (motion blur) não é registrado pelo sensor da câmera, e portanto perde-se a organicidade e o look aveludado que se tinha na película (a 24FPS) e temos hoje nas câmeras digitais mais sofisticadas (Alexa, RED, Black Magic, Panavision, Sony etc). A magia dos 24FPS (em captação E reprodução) nada mais é do que um tempo maior de exposição de cada frame, e o consequente registro do "rastro" dos movimentos, o que cria a ilusão de uma imagem mais suave e aveludada - costumava-se chamar isso de "batimento do filme", ou flickering. Excesso de quadros por segundo na captação E reprodução, a meu ver, só tem efeitos nocivos, esteticamente falando.
     
  7. 60FPS me parece excelente para assistir esportes. Eu mesmo estou pesquisando uma camera Sony que filme em 1080p 60FPS para filmar meus jogos e treinos de tênis.
     
  8. Zkyzytuz

    Zkyzytuz Esganando Estátuas


    Desde 6 Jun 2005
    Juiz de Fora
    Mas e quanto ao problema que relatei das cenas de ação muito rápidas onde parece tudo muito borrado e indistinto em 24 fps?

    Bem, meu principal problema é que eu NUNCA VI algo a 48 ou 60 fps para emitir um opinião, fico falando no escuro. Vc tem algum link onde eu possa ver algo?
     
  9. Zkyzytuz

    Zkyzytuz Esganando Estátuas


    Desde 6 Jun 2005
    Juiz de Fora
    Então.. provavelmente justo por conta dos movimentos rápidos.
     
  10. Mozts

    Mozts Jamais ofensivo por acidente.

    5.803 2.365 336

    Desde 27 Jul 2013
    MG
    Assisti o primeiro Hobbit em 3D 48 FPS e quase saí do meio da sessão por causa da dor de cabeça. Dá pra por a culpa no 3D, mas não é meu caso, sou bastante acostumado com 3D e nunca me deu reação.

    Mesmo ignorando a dor de cabeça, vai saber se foi de fato culpa do filme, não apreciei a tecnologia de forma alguma. Não adiciona nada ou a experiência, e só "mais", não é melhor.

    Quem acredito que vai empurrar isso a um nivel alem é o James Cameron, as sequensequ de Avatar estao filmando em HFR, não sei se será 48 ou 60. Avatar estourou o 3D que agora morreu, Avatar 2 deve trazer 48fps de forma mais elegante que o Hobbit.
     
  11. Zkyzytuz

    Zkyzytuz Esganando Estátuas


    Desde 6 Jun 2005
    Juiz de Fora
    Mas se foi ruim os 48 fps no Hobbit, pq seria bom em Avatar 2?
     
  12. Obi 1

    Obi 1 Usuário


    Desde 3 Abr 2007
    Porto Alegre
    Bom, a mim não parece borrado e indistinto, parece real, como o olho humano enxerga.
    Além da questão do frame rate, tem também a angulação do obturador da câmera. Mas isso é muuuuuuito longo pra explicar aqui, e é um assunto mais pertinente à película, onde as câmeras tem obturador mecânico. Hoje, poucas câmeras digitais tem obturador (ou shutter) mecânico (ou ao menos global), como Alexa, Sony F65 e Panavision Millennium, por exemplo - a grande maioria tem rolling shutter. Diminuindo a angulação do obturador você obtém uma imagem mais precisa, sem muito motion blur, onde partículas parecem "congelar" no ar (ex: cena de abertura do Resgate do Soldado Ryan, batalha na floresta em Gladiador, Black Hawk Down, todos filmados com obturador angulado a 45º ou 90º - o normal é 180º) - isso ocorre pois o frame é exposto à luz de forma mais "seca", "brusca", devido a pequena angulação do obturador. É um efeito que, beeeeem vagamente, se assemelha a HFR.
    E quanto a assistir filmes em HFR, para o efeito ser perceptível o conteúdo deve também ser exibido no mesmo frame rate, caso contrário a imagem parece normal - basta ver o filme que mencionei do Ang Lee, o HFR mais radical até agora, 120FPS - assistido a 24FPS, o efeito é imperceptível.
     
  13. Mozts

    Mozts Jamais ofensivo por acidente.

    5.803 2.365 336

    Desde 27 Jul 2013
    MG
    James Cameron, basicamente. Ele é ótimo em "vingar" essas tendências.
     
  14. Obi 1

    Obi 1 Usuário


    Desde 3 Abr 2007
    Porto Alegre
    Falando nisso...

    Paramount Is Preparing Theaters For Extra-High Frame Rate/3D Versions Of Ang Lee’s ‘Gemini Man’ Starring Will Smith
    Charles Barfield

    March 12, 2019 12:52 pm


    [​IMG]

    Ang Lee, much like Peter Jackson and James Cameron, is a filmmaker that is always pushing the limits of the medium. Whether it’s using CGI in the film “Life of Pi” or 3D in his most recent “Billy Lynn’s Long Halftime Walk,” Lee is always looking for new and interesting ways to present his projects. And it appears for his next film “Gemini Man,” the filmmaker is taking all that he’s learned and pushing it even farther for fans to experience. That is, if your theater is equipped to present it.

    READ MORE: ‘Brokeback Mountain:’ Matt Damon And Joaquin Phoenix Were Originally Courted For Leading Roles

    A letter was recently sent to theater exhibitors from Paramount Pictures, in preparation of Ang Lee’s “Gemini Man.” The film, which stars Will Smith, Clive Owen, and Mary Elizabeth Winstead, tells the story of an aging assassin attempting to leave the lifestyle, but finds himself hunted by a younger clone of himself. Think “John Wick” but if Keanu Reeves was being stalked by a younger Keanu.

    Not only is this going to require some extensive de-aging and CGI visual effects work, just to make it convincing, but Lee isn’t content with stopping there. He’s also apparently utilizing the HFR (High Frame Rate) technology that he used on the aforementioned ‘Billy Lynn.’

    The note sent to exhibitors comes with instructions on how to test whether the theater is equipped to handle the HFR technology. The letter states the film will have versions presented in 60fps 3D and 120fps 2D. Of course, one has to assume this is in addition to the typical 24fps 3D and boring old 24fps 2D.

    READ MORE: Scorsese, Tarantino Protest Oscars Telecast Changes But Academy Won’t Budge

    The HFR and 3D were utilized on ‘Billy Lynn’ to varying degrees of success. Many wondered why the film featured advanced technology to tell that specific story. However, those questions probably won’t be asked when “Gemini Man” hits theaters, as the sci-fi/thriller seems tailor-made for this sort of tech.

    “Gemini Man” will be released by Paramount on October 4.

    You can read the letter below:

    [​IMG]
     
  15. Zkyzytuz

    Zkyzytuz Esganando Estátuas


    Desde 6 Jun 2005
    Juiz de Fora
    Curioso, pois para mim não tem nada de "real", fica tudo cheio de blur, e na vida real eu não enxergo blur em coisas como carros passando rapidamente ou pessoas correndo ou lutando. De fato, tenho achado muito desconfortável.

    Na vida real, eu só vejo blur só ocorre em situações extremas, como agitar sua mão muito rapidamente perto do seu rosto, pás de ventilador e etc.

    O fato é que as imagens da vida real não ocorrem em quadros por segundo, mas os filmes sim, filmes apenas simulam movimento mostrando muito quadros estáticos rapidamente, e isso certamente influencia nossa percepção.

    Aqui temos um artigo interessante sobre isso:

    http://teclab.net.br/fps-vs-capacidade-humana/
     
  1. Usamos cookies próprios e de terceiros para dar um melhor serviço e mostrar publicidade. Ao continuar, aceita o seu uso.
    Fechar Aviso