E sobre a rádio digital?

Discussão em 'Hardware e Área Técnica' iniciada por wuemura, 3 Fev 2008.

  1. wuemura

    wuemura Usuário


    Desde 13 Dez 2006
    Guarulhos - SP
    Para quem não sabe desde 29/09/2005 está em operação em caráter experimental, nas emissoras do Sistema Globo de rádio, Bandeirantes, Jovem Pan, RBS e Eldorado para São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre e Curitiba a rádio digital.
    http://www.radiolivre.org/node/1440

    O sistema adotado, até então, foi o americano in-band on-channel (Iboc), algumas pessoas com rádio no celular devem ter já experimentado que é possível ver o nome da rádio e o nome da música que está passando através do RDS (Radio Data System).

    Atualmente vocês devem ter reparado que as emissoras de rádio vem falando do rádio digital sem dar muitos detalhes.

    Não sei sobre os outros decodificadores, mas nos Zinwell e Aiko, tem uma função de Rádio/TV e o sistema ISDB-T possibilita que sua modulação seja utilizada para rádio. Dia 10 deste mês já começara novos testes com o padrão americano iboc e o europeu DRM, tomara que nossos decodificadores também possam tirar proveito disso.

    Mais infos:
    http://webinsider.uol.com.br/index.php/2005/10/26/o-radio-digital-ja-comecou-no-brasil-sabia/
    http://www.radiolivre.org/node/3755
     
    • 3
  2. Renato_77

    Renato_77 Usuário


    Desde 22 Mai 2006
    Rio de janeiro
    Pelo visto, o sistema de rádio digital chegou abrangendo mais estados (portanto um pouco mais democrático em termos dos testes e logo após das estréias).
    O problema é q no caso do rádio - até onde eu pouco sei - não tem quebra galho de conversor, e quem quiser de fato qualidade de aúdio no rádio vai ter de comprar um novo aparelho, o que com certeza faz pensar no fato de que quem quiser aproveitar o total do que pode ser transmitido digitalmente, terá de comprar bom aparelho de som com capacidade de reproduzir bem o áudio de forma geral - o q pode custar caro.

    Foi interessante esse tópico ser aberto e gostaria de ler mais pensamentos sobre isso.
     
  3. Rick_DF

    Rick_DF Usuário


    Desde 29 Mar 2006
    Brasília/DF
    E eu gostaria de saber ONDE encontrar receptores. Será que já tem nos camelódromos?
     
  4. cerealkiller

    cerealkiller Usuário

    • 1
  5. arielcs

    arielcs Musica de Qualidade

    Quando chegar em Santos, na radio que eu gosto eu coloco um review :D
     
  6. 35891

    35891 Usuário


    Desde 20 Jan 2008
    Pessoal, alguma novidade quanto à implantação da Rádio no Brasil ?
     
  7. PARKERsp

    PARKERsp www.transparencia.org.br


    Desde 20 Dez 2006
    São Paulo/SP/Brasil
  8. jecastro

    jecastro Usuário


    Desde 1 Jul 2008
    Porto Alegre
    Estão confundindo as coisas,o fato de aparecer o nome da rádio no display não significa que a rádio seja digital, o meu carro não tem rádio digital e ele mostra o nome das rádios que mandam esta informação, ao contrário do que diz a reportagem o Brasil ainda não escolheu seu padrão, e o texto já era de 2005. O cara que escreveu a reportagem confundiu RDS que funciona em rádios analógicos com rádio digital.
     
  9. PARKERsp

    PARKERsp www.transparencia.org.br


    Desde 20 Dez 2006
    São Paulo/SP/Brasil
    Realmente ainda não foi escolhido o padrão brasileiro de rádio digital!
    Oh!lerdeza!
     
  10. lifeinwide

    lifeinwide Vida 16:9


    Desde 12 Fev 2008
    Rio de Janeiro -RJ
    PLANTÃO INFO / 08/2007 / TI

    Anatel não define padrão de rádio digital

    Terça-feira, 28 de agosto de 2007 - 09h45

    BRASÍLIA - A Anatel disse que não tem data para definir qual padrão de rádio digital o país vai adotar.

    A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) está criando padrões para os testes com os sistemas de rádio digital que poderão ser implantados no Brasil.

    O ministro das Comunicações, Hélio Costa, pediu que as rádios enviem, o quanto antes, o relatório final com o resultado dos testes.

    Os testes, entretanto, terão que se enquadrar nos padrões exigidos pela Anatel para serem validados, e não há data para a definição da metodologia para os testes nas freqüencias de FM e Ondas Curtas (OC).

    A metodologia que deverá ser aplicada pelas rádios AM no testes com o padrão americano Iboc (In Band On Channel) foi encomendada pela Anatel à Universidade de Brasília (UnB) e já está pronta.

    Após passar por um processo de consulta pública, os resultados estão sendo agora analisados pelos técnicos da Agência. A metodologia poderá ser usada a partir do momento em que for publica no Diário Oficial, e a previsão da Anatel é que isso ocorra em um mês.

    Entretanto, o padrão para testes na faixa FM com o padrão americano e na freqüência ondas curtas (OC) com o padrão europeu DRM ainda não está definido. As duas, depois de prontas, também passarão pelo processo de consulta pública e a Anatel não têm previsão de quando os testes padronizados poderão ser iniciados.

    O autor da metodologia dos testes em AM, Lúcio Martins da Silva, avalia que uma quantidade “muito grande” de testes foram feitos nos Estados Unidos por entidades confiáveis. “Tem uma série de testes que não precisariam ser repetidos. Podia ser fazer uma avaliação nos pontos onde se têm alguma dúvida de como o sistema se comporta e se aproveitar os testes já feitos nos EUA, porque o modelo de radiodifusão deles e o nosso são muito parecidos. Em normas, procedimentos e canalizações, são quase idênticos”, afirma o professor.

    Segundo ele, que é professor do departamento de engenharia elétrica da Universidade de Brasília (UnB) e coordenador na UnB dos testes com o sistema europeu DRM, “aparentemente, não houve grandes problemas ou problemas relevantes na implantação do sistema nos Estados Unidos”.

    Associações e entidades de rádios comunitárias divergem da opinião de Martins. Afirmam que, no modelo americano Iboc de rádio digital, rádios comunitárias deixariam de existir. Pela legislação brasileira, a potência máxima permitida a uma rádio comunitária é 25 Wattz. O consultor jurídico da Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária (Abraço), Joaquim Carlos Carvalho, diz que, no Iboc, 25 Wattz equivale à potência dos ruídos.

    Na prática, portanto, “só se ouviria ruído. Estarão fora do mercado todas as rádios comunitárias, educativas e as rádios comerciais pequenas. Só ficarão as grandes emissoras”. Segundo Joaquim Carvalho, o ministério das Comunicações está “pegando um sistema americano, que não é uniforme nos Estados Unidos, atende a poucas empresas e querem unificar isso como um padrão brasileiro”.

    Para o pesquisador do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD) Takashi Tome, São Paulo é um caso onde seria preciso fazer muitos testes, já que por causa da grande quantidade de rádios operando poderia ocorrer interferência nas transmissões. Há também, em muitas transmissões, pontos ou viadutos que funcionam como obstáculos ao sinal. “O interessante seria um conjunto de emissoras realizarem um teste exaustivo na localidade”, diz o pesquisador.

    http://info.abril.com.br/aberto/infonews/082007/28082007-1.shl
     
    • 1
  11. cazcabral

    cazcabral Usuário


    Desde 4 Jan 2008
    Goiânia-GO
    Isso ai. RDS eu acho legal. Qdo morei no Canadá, todas as rádios lá, analógicas, mostravam algum tipo de informação no Display. Em Brasília a Radio Câmara e a CBN também. Aqui em Goiânia, nenhuma.

    Vejo no meu W810i.
     
  12. GekoBR

    GekoBR Usuário


    Desde 2 Jan 2008
    Foz do Iguaçu, Pr
    O padrão de radio digital Japones faz parte do ISDB-T e se chama 3Seg e dificilmente entrará no Brasil apesar de os padrões Americano (Na faixa de FM) e Europeu (Na faixa de AM) não estarem satisfazendo os responsáveis pelos testes pois ambos AINDA são protótipos com uma série de inconvenientes e não cumpre os requisitos da especificação desejável brasileira.

    http://www.frenteradiotvdigitaldemocratica.org/index_radi.html

    http://www.midiacom.uff.br/~debora/fsmm/trab-2006-1/apres_radiodig.pdf
    [​IMG]

    http://www.comunicacao.pro.br/setepontos/22/takashi_isdb.htm
     
    • 5
  13. wuemura

    wuemura Usuário


    Desde 13 Dez 2006
    Guarulhos - SP
    Não acredito que usaremos o ISDB-T para rádio, mesmo assim obrigado pelas informações.
     
  14. CRASS71

    CRASS71 Usuário


    Desde 22 Out 2005
    Belém-Pa
    Senhores, estamos bem próximo de uma definição do padão de rádio digital a ser adotado no Brasil, reportagem abaixo.

    Padrão de rádio digital deve ser definido ainda este ano, diz Hélio Costa à Rádio Senado
    Edição de segunda-feira, 21 de setembro de 2009

    O ministro das Comunicações, Hélio Costa, anunciou, em entrevista ao programa Estação Mídia, da Rádio Senado, que o governo deve definir até o final de 2009 o padrão que o Brasil adotará para o sistema digital para as transmissões de rádio. Estão em fase de estudo dois padrões: um norte-americano (In Band on Channel - IBOC) e outro europeu (Digital Radio Mondiale - DRM). Segundo Hélio Costa, a tendência é que o governo faça a opção pelo europeu, visto que é o único que contempla transmissões nas faixas de AM e FM e também de ondas curtas.
    Durante a entrevista, o ministro destacou as vantagens do rádio digital, como a melhor qualidade da transmissão e a possibilidade de uma emissora levar ao ar simultaneamente vários programas na mesma frequência. Hélio Costa também falou sobre os problemas para a implantação do rádio digital. Um dos obstáculos é o alto custo do aparelho receptor, o que pode atrasar a popularização da nova tecnologia.
    A entrevista completa com o ministro Hélio Costa será apresentada nesta terça-feira (22/09), às 7h30, no Estação da Mídia. A Rádio Senado transmite sua programação para Brasília e regiões vizinhas na frequência de 91,7 MHz e também para Natal (106,9 MHz) e Cuiabá (102,5 MHz). Você também pode ouvir o programa por meio da internet, baixando o arquivo de áudio na página da Rádio Senado
    (www.senado.gov.br/radio).
    Da Redação / Agência Senado

    Links:

    Padrão de rádio digital deve ser definido ainda este ano, diz Hélio Costa à Rádio Senado
    http://www.heliocosta.com/site/sample/noticias.asp?id=347

    Comissão poderá fazer audiência para debater padrão de rádio digital a ser adotado no Brasil (22/09/2009 - 12h41)
    http://www.senado.gov.br/radio/download.asp?nomArquivo=0922d.mp3
    http://www.senado.gov.br/radio/
     
  15. wuemura

    wuemura Usuário


    Desde 13 Dez 2006
    Guarulhos - SP
    Lembra quando o Ministro estava na fase da TV Digital, falando sobre o ISDB-T sobre a possibilidade de multiplos canais também?
    A gente vê hoje que foi tudo papo furado, já que as emissoras tem direito de explorar suas respectivas frequências mas não querem e aquelas que querem o governo cria dificuldades para a multi programação.
     
  16. tudook

    tudook Usuário


    Desde 8 Abr 2008
    Divinópolis
  17. Jonas Negreiros

    Jonas Negreiros Usuário

    7.726 2.796 816

    Desde 2 Nov 2008
    jundiaí/sp/brasil
    A vez do padrão europeu
    Ethevaldo Siqueira
    25 de setembro de 2009

    O governo pretende definir até dezembro o padrão de rádio digital a ser adotado no País. Segundo a Agência Estado, o Ministério das Comunicações informou que a escolha entre as tecnologias americana e europeia ainda não está definida.

    Na segunda-feira, o ministro das Comunicações, Hélio Costa, havia dito à Rádio Senado que a tendência era escolher o padrão europeu Digital Radio Mondiale (DRM).

    A Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abert) prefere o padrão americano iBiquity, que foi testada pelos radiodifusores brasileiros, com resultados insatisfatórios. O governo pretende testar a tecnologia europeia.

    Nos Estados Unidos, o serviço que conquistou os consumidores foi o de rádio via satélite, que é pago. O mercado de rádio digital ainda é pouco desenvolvido mesmo fora do Brasil.

    fonte:
    http://www.ethevaldo.com.br/Generic.aspx?pid=1441

    Comentário do forista:

    O gargalo dos sistemas digitais é o consumo dos aparelhos portáteis.
    Um receptor de FM analógico consome 20 milésimos de watt.

    Um receptor digital é um voraz consumidor de pilhas. Sua aplicação se restringe a auto-rádios e sistemas alimentados pela rede elétrica.
     
  18. andrecaleffi

    andrecaleffi Usuário


    Desde 21 Jun 2009
    Ribeirão Preto - SP
    Aqui em Ribeirão Preto, ja a algum tempo a Radio Clube (100,5FM) está transmitindo o sinal HD Rádio.
    Ultimamente, fizeram uma boa mudança no estudio, trocaram as mesas de som por modelos mais novos e nos banners da radio, colocaram a logo HD RADIO.

    Não sei se aa 106FM (que é a outra rádio deles) está transmitindo em Digital, mas ja está usando o mesmo modelo de mesa de som.

    Aqui não consegui testar pois não tenho nenhum receptor digital de rádio.

    Alguém sabe onde que vende e quanto custa? Até agora só consegui achar alguns modelos para carro, mas custam muito caro.
     
  19. 35891

    35891 Usuário


    Desde 20 Jan 2008
    Se a TV digital não foi o sucesso que o governo desejava, imagina a rádio digital ?

    Modelo de rádio digital do Brasil será definido até dezembro
    O rádio brasileiro completou 87 anos na última sexta-feira (25) com boas perspectivas. O governo deve definir o modelo de rádio digital até dezembro. A nova tecnologia vai aumentar a qualidade do som, eliminando chiados e permitindo a multiplicação de canais e a transmissão de textos. Isso significa mais conteúdo e informação para os ouvintes. O Ministério das Comunicações escolherá entre o padrão americano, já testado, e o europeu, que será avaliado nos próximos meses.

    A ideia é fortalecer a presença do rádio no cotidiano dos brasileiros. De acordo com a última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE, em 2008, 88,9% dos lares tinham aparelhos de rádio, o que representa mais de 51 milhões de domicílios no país. O número dá a dimensão da importância do rádio em plena era de convergência tecnológica.

    Mudanças – Muito já evoluiu no rádio desde as primeiras transmissões oficiais, em 1922, quando poucas pessoas conseguiram ouvir o discurso do então presidente Epitácio Pessoa na comemoração ao Centenário da Independência. O som tinha chiados e a estrutura era rudimentar: o presidente usou um telefone alto-falante para irradiar o discurso da Praia Vermelha, no Rio de Janeiro, para o pavilhão onde acontecia a comemoração. Em 1923, foi inaugurada a primeira emissora de rádio no país, dirigida por Roquette-Pinto.

    Nas décadas de 30 e 40, o rádio foi se estruturando e viveu a chamada época de ouro. Muitos programas que estão na memória dos brasileiros surgiram nessa época, como Repórter Esso e O Direito de Nascer, radionovela de 1951 que registrou recordes de audiência. Na música popular, nomes como Carmen Miranda, Silvio Caldas, Carlos Galhardo e Orlando Silva ganharam fama graças ao rádio. O veículo uniu o país nas transmissões das Copas do Mundo e esteve presente nos mais importantes momentos políticos. Era pelas ondas de rádio que chegavam, por exemplo, as notícias da 2ª Guerra Mundial.

    Democratização - Até a criação do Código Brasileiro de Telecomunicações (CBT), em 1962, quem quisesse ter um aparelho de rádio em casa precisava pagar uma taxa ao governo para registrá-lo. O não pagamento levava o credor para a Dívida Ativa da União. O código extinguiu a cobrança e anistiou os devedores, democratizando o acesso ao rádio.

    Em 1967, com o Ministério das Comunicações, nasceram muitas das políticas públicas que contribuíram para o desenvolvimento da radiodifusão no país, como a criação da radiodifusão comunitária, em 1998. O serviço representa um avanço na universalização do rádio, uma vez que atinge 60% dos municípios brasileiros.

    Hoje, existem 3.819 rádios comunitárias no país, número superior ao de emissoras comerciais em FM. Essas rádios permitem às comunidades produzir conteúdo, com programação que inclui música, serviços e ofertas de emprego. Entre as beneficiárias estão comunidades quilombolas, indígenas e assentamentos agrícolas.
     
  20. alfaromeo

    alfaromeo Usuário


    Desde 7 Abr 2009
    Bahia
    Olha , muitas das coisa que voce escreveu são corretas.

    Mas esta aí é besteirol das maiores....

    O aparelho de Rádio a qual voce se refere são aparelhos de ondas curtas, que precisavam de licença de rádio-escuta.

    Os equipamentos de ondas-médias ( que é o que existiam) e os aparelhos de tvs NUNCA precisaram de licença.
     
  1. Usamos cookies próprios e de terceiros para dar um melhor serviço e mostrar publicidade. Ao continuar, aceita o seu uso.
    Fechar Aviso