Anúncio do HT Forum

Especialistas pedem refeições em família

Discussão em 'Zona Livre' iniciada por Marcos V., 18 Jul 2006.

  1. Marcos V.

    Marcos V. Powered by DENON


    Desde 6 Jun 2003
    Londrina
    Amigos,

    apesar de todo o "modernismo" que vivemos, todos sabemos que os bons costumes são indispensáveis. Em grandes centros é praticamente impossível se conseguir almoçar em casa, devido às distâncias, mas sempre que possível é importante não deixar escapar a oportunidade.

    Especialistas pedem refeições em família Sao Paulo - Comidinha caseira, uma sobremesa deliciosa e todos os parentes reunidos em volta da mesa. Quase impossível de ser mantida, a tradicional refeição em família vem sendo engolida pelo corre-corre diário, principalmente nas grandes cidades. Apesar da falta de tempo, dos horários incompatíveis e de agendas sempre lotadas, o hábito não deveria ser tão esquecido pela população. É o que atesta uma pesquisa publicada recentemente pela Universidade de Colúmbia, dos Estados Unidos.

    Segundo o estudo norte-americano, a incidência de depressão, tabagismo e notas baixas é muito menor em crianças que costumam comer junto com seus pais. Após dez anos de pesquisas, os profissionais descobriram que a comunidade latina que mora nos EUA é o grupo que mais conserva o ritual. De acordo com o estudo, metade dos jovens latinos, inclusive os brasileiros, almoçam ao jantam ao menos seis vezes por semana com a família.

    Para a psicopedagoga Betina Serson, que já foi diretora da escola Keshet Child Development Center, em Washington, o jantar em família pode trazer vários benefícios. ‘‘Faz toda a diferença, principalmente para a criança. O tempo familiar promove a aprendizagem de valores, dá segurança e aumenta a auto-estima. É uma excelente terapia, pois naturalmente os assuntos que envolvem a criança e o adolescente vêm à mesa e são debatidos sem hora marcada e sem a tensão típica de uma conversa formal entre pai e filho’’, analisa Betina.

    Mesmo sem conhecer todas as vantagens que uma reunião gastronômica pode trazer, a dona de casa Ivonete Sarto Pereira, de 49 anos, exige há mais de duas décadas reunir os moradores da casa para o jantar. Ela garante que após a degustação de arroz, feijão e do bolinho de batata, iguaria que é sua especialidade, a recompensa é uma mesa farta de bons assuntos e conversas.

    ‘‘Falamos sobre tudo: política, futebol, religião... E sobra tempo até para discutir a novela. Diariamente, eu consigo juntar somente a minha filha Débora, meu neto Rafael e meu pai Laurindo. Mas no final de semana a turma toda vem para a minha casa’’, conta Ivonete.

    A psicopedagoga Betina diz que a tradição da família Pereira poderia servir como exemplo para todo mundo. ‘‘O momento da televisão desligada, sem acesso à internet e sem celular deveria fazer parte do cardápio de todos os jantares ou almoço. É uma ótima pedida e o resultado é a união da família’’, informa a especialista.

    Pais que não conseguem preservar o hábito do jantar em família não precisam sentir culpa. A dica para quem só encontra os filhos aos finais de semana é otimizar o tempo e aproveitar cada segundo. A psicopedagoga Betina Serson diz que é possível cultivar uma boa relação familiar e preservar a saúde das crianças mesmo se os momentos em conjunto são muito escassos. ‘‘Não se pode jogar toda a responsabilidade da falta de horários fixos nos pais. A rotina de trabalho da atualidade é muito severa e, por isso, é muito difícil manter as tradições familiares. É importante, então, esquematizar o dia para possibilitar os diálogos em casa. As conversas podem ser feitas, por exemplo, a caminho da escola, um pouco antes da hora de dormir ou em qualquer lugar em que a família fique reunida, mesmo que esse tempo seja curto’’, explica a especialista.

    Fernanda Aranda
    Agência Estado





    Marcos V.
     
  2. (y) O engraçado é que eu e minha esposa temos nos esforçado pra manter esta prática aquí em casa...desliga-se a tv e nos reunimos todos a mesa,muito embora a família seja pequena(Eu+esposa+minha filha)...:p
     
  3. arielcs

    arielcs Musica de Qualidade

    Legal esse assunto Marcos.

    Conversamos muito aqui em casa, convivemos em familia.
    Acredito que metade dessa criminalidade, brutalidade que vivemos hoje em dia é um problema gerado pela "falta do contato familiar".
    A familia ainda é o elo mais forte na formaçao do carater de um homem. (y)
     
  4. Cezarsky

    Cezarsky Usuário


    Desde 8 Mai 2006
    Sampa
    Ralei um monte e tive que dizer não para muitas oportunidades, mas finalmente consegui montar meu negocio à duas quadras de casa, almoçamos todos juntos e a diferença na qualidade de vida é muito grande(y)

    abraços

    Marco Cezar
     
  5. Marcos V.

    Marcos V. Powered by DENON


    Desde 6 Jun 2003
    Londrina
    Luciano,

    não importa em quantos sejam, nem que for somente com a esposa, são conceitos que permanecem para sempre e extremamente saudáveis, como diz a reportagem e isto vai ficando para as gerações que seguem (filhos, netos, etc.).

    Um dos hábitos que temos em casa, quando acabamos de chegar e antes do banho das crianças, é sentarmos na mesinha da cozinha e comermos um pouco de pão com azeite e com um leve temperinho nele, conversamos um pouco sobre o dia de cada um, etc.

    Quando não fazemos isto as crianças sempre cobram(y)

    Marcos V.
     
  6. Marcos V.

    Marcos V. Powered by DENON


    Desde 6 Jun 2003
    Londrina
    Ariel,

    1000% certo, acredito piamente nisto(y) .

    Marcos V.
     
  7. Byrd

    Byrd by Cassini


    Desde 22 Abr 2005
    São Paulo
    A rádio JP, pelo menos aqui na capital, põe uma chamada vez ou outra: "A família é o berço de tudo". Por aí!

    Complemento sua observação, Ariel, com amor, carinho, atenção, vontade, preocupação, cuidado, elementos que, juntos, ajudam a nortear os primeiros passos da molecada.

    Na terra de ninguém, onde trabalho, as ruas parecem um picadeiro - e não é por causa das férias! Estou por aqui há quase 8 anos, observando o crescimento (não sei até quando...) de uma geração, provavelmente, perdida.
     
  8. arielcs

    arielcs Musica de Qualidade

    Byrd é por aí.

    A maior influencia que os pais geram nos filhos é com o exemplo.
    O exemplo é o quadro negro onde eles aprendem.
    Nossa historia aqui em casa é muito parecida com a do Cezarsky. Abrimos mao de ganhos maiores e passamos a viver com nossos filhos. :concordo:
    Gastar tempo com a familia é um investimento maravilhoso. ;)
     
  9. mario fernandes

    mario fernandes siervo del Dios Altísimo


    Desde 20 Jan 2003
    Paraguay
    Totalmente certo!!! (y)
     
  10. Ivanpetro

    Ivanpetro Cylon


    Desde 2 Jul 2005
    S.P./ Brasil
    Concordo plenamente com os colegas.

    Assim como muitos disseram, também fiz escolhas que permitissem um contato maior com minha família.

    Logo após terminar minha graduação e pós em Sampa, desisti de oportunidades profissionais e voltei p/ minha cidade natal, a terra do peão. Foram 12 anos como paulistano. Agora voltei a ser só paulista.

    Aqui nunca vou ganhar o que eu poderia ganhar lá, mas só o tempo que tenho p/ minha família vale qualquer esforço.

    Engraçado é lembrar dos meus colegas de faculdade dizendo: duvido que você volte! Ninguém consegue ir embora daqui! :rofl:
     
  11. :lol: ...Cara somos uma famíla que parece ser descendentes de ITALIANOS,pois quando era mais jovem todas as conversas rolavam na cozinha da VOVÓ...E riam-mos uns dos outros,comia-mos e como temos previllégio aquí no NORTE de termos quintais grandes nas nossas casas e geralmente plantado com arvores frutíferas era uma verdadeira farra...:feliz:
    :choro: Pena que isto mudou,minha vó mudou para uma casa menor,alguns primos mudaram de estado,todo mundo tem suas responsabilidades,mas as conversas ainda rolam na cozinha,hi,hi,hi...:D
     
  1. Usamos cookies próprios e de terceiros para dar um melhor serviço e mostrar publicidade. Ao continuar, aceita o seu uso.
    Fechar Aviso