Anúncio do HT Forum

Experiência com nobreak dupla conversão

Discussão em 'Energia, Alimentação e Aterramento' iniciada por jofral1, 14 Out 2013.

  1. jofral1

    jofral1 jofral1


    Desde 25 Jul 2004
    Rio de Janeiro-RJ
    Para resolver o problema das interrupções constantes da Light estou utilizando um nobreak Delta Energy N series 2,2 KVA monofásico 127 V, que utiliza o processo da dupla conversão. Neste processo, a energia da concessionária é filtrada e transformada em corrente contínua e em seguida novamente em corrente alternada, gerando uma onda senoidal estabilizada em 120 V. Neste sistema, não há interrupção da energia em nenhum momento ( otimo para projetor ) e os equipamentos ficam protegidos contra sub e sobretensão. O que incomoda é o ruído das ventoinhas ( 40 db) que vou resolver colocando o nobreak na varanda ao lado ( também é possível resolver com uma caixa atenuadora de ruído). Portanto este nobreak faz o mesmo que o Powerplant 5 ou 10 : um fornecimento de energia limpa para os equipamentos de HT, custando um décimo do preço. Comprado para evitar "flicks" da Light, outros benefícios ocorreram:
    a) a temperatura nos dissipadores de calor dos monoblocos classe A Xindak PA1 e dos subwoofers ativos Thiel caiu muito, o que indica temperatura menor nos componentes e consequentemente aumento da vida útil dos mesmos. Os demais equipamentos ( pré, DAC, OPPO 95, CD player) parecem que nem estão ligados. A razão possivelmente está em uma tensão que é a normal nestes equipamentos ( 120V), fator de potência quase unitário e redução de harmônicos;
    b) o resultado sonoro ganhou uma nova dimensão, que surpreendeu muito, o que comprova que vale a pena investir em melhorar a rede elétrica. Como a saída do nobreak independe da qualidade do fornecimento da concessionária, desde que esteja é claro, em determinados limites, tornou-se desnecessário, salvo melhor juízo, investir em rede exclusiva ou condicionadores de energia ( liguei tudo direto em uma caixa de tomadas hospital grade de alta qualidade em cobre feita para hiend ( comprei no ebay ) e estou usando o condicionador minisub em outro sistema.

    O objetivo deste tópico foi apenas relatar uma experiência que considerei bem sucedida para o meu problema. Espero que seja útil
    para os companheiros que sofrem em ver seus equipamentos de alto valor submetidos a uma rede elétrica de péssima qualidade. Um abraço a todos. José Francisco
     
    • 1
  2. Julian Conde

    Julian Conde Demon Core


    Desde 23 Ago 2009
    São Paulo - Brasil
    Amigo, e onde comprou e quanto pagou ?

    Abraços
    Julian
     
  3. Peter Hammill

    Peter Hammill Usuário


    Desde 16 Fev 2008
    Araraquara/SP
    Olá José.

    Estou tendo um problema com o meu receiver que acredito estar relacionado com a rede. Percebo que em certos dias o som está bem superior, e geralmente isso ocorre nos fins de semana. Você notava algo parecido com o seu equipamento antes de usar o nobreak?

    Abraços.
     
  4. internet

    internet Usuário


    Desde 31 Dez 2010
    ...
  5. faller

    faller Usuário


    Desde 9 Fev 2009
    Porto Alegre/RS/Brasil
    Não e o entendimento não é culpa sua e sim da ausência de correta descrição, de parte do vendedor..
    Esse dai se trata de um no-break off-line, de simples conversão (não dupla conversão)
    São os chamados no-break interativos, com geração senoidal pura..
    Durante todo o tempo que a rede elétrica comercial estiver presente ele se comportará como um simples estabilizador, com todos os problemas inerentes aos mesmos..
    Somente quando da ausência da rede comercial é que entrará em operação um conversor que sim gera energia senoidal pura, a partir da energia acumulada nas baterias..
     
  6. internet

    internet Usuário


    Desde 31 Dez 2010
    ...
    Faller, realmente da a entender que ele alimenta sempre com a bateria, ou seja online.
    Depois que algumad empresas oportunistas descobrem algumas palvras magicas como..senoidal...noise cancelling...blindagem eletrostatica....
    A coisa fica feia.

    Seri falar o obvio que toda onda que vem de baterias tem formato senoidal?
     
  7. faller

    faller Usuário


    Desde 9 Fev 2009
    Porto Alegre/RS/Brasil
    As empresas se vale muito dos jogos de palavras, isso é fato. Isso é Marketing..

    A energia armazenada em uma baterias não é senoidal nem que a vaca tussa. É contínua, corrente contínua.. Senoidal se aplica a corrente alternada
     
  8. internet

    internet Usuário


    Desde 31 Dez 2010
    ...
    jofral1
    Onde você encontrou este nobreak?
     
  9. fateli

    fateli Usuário


    Desde 5 Out 2003
    Brasil
    Também gostaria de saber onde encontrar esse no break.
    abs, Fabio
     
  10. faller

    faller Usuário


    Desde 9 Fev 2009
    Porto Alegre/RS/Brasil
  11. Hikari

    Hikari Usuário

    357 31 1

    Desde 20 Dez 2005
    MG
    Senoidal é a corrente, e naum a energia. Energia armazenada em bateria é energia química, naum elétrica, por isso naum é nem senoidal e nem contínua :p

    - - - Atualizado - - -

    Seria o Nobreak Delta Amplon 2KVA 1,4KW?

    Infelizmente ele tem entrada 220V e saída 230V, eu queria um bivolt e saída 120V. E ele usa porta serial, wtf, tem q ser USB :D
     
  12. faller

    faller Usuário


    Desde 9 Fev 2009
    Porto Alegre/RS/Brasil
    Você fez uma confusão desse tópico com o outro.. O Outro é esse daqui: http://www.htforum.com/vb/showthread.php/225429-Sugestão-de-nobreak-senoidal-online-bivolt
    Quem entrar aqui, só nesse tópico, não vai entender bulhufas de seu post..
    A questão da bateria só quiz informar ao Raizen que no post #6 citou que toda forma de onda que vem da bateria teria formato senoidal...

    No-break para ser bivolt na entrada e on-line, só se pegar um da NHS, como aliás já citei no outro post, mas cito de novo..
    http://www.nhs.com.br/produtos/c/T0RZPQ==/ON+LINE
     
  13. Hikari

    Hikari Usuário

    357 31 1

    Desde 20 Dez 2005
    MG
    hehe eu num fiz confusão não, naquela thread me indicaram essa. Minha pergunta sobre o nobreak é respondendo o post q quoto abaixo. Eu vi essa página da NHS, mas esse sim é um assunto pra outra thread :p

     
    • 1
  14. Audio Slave

    Audio Slave Usuário

    314 228 48

    Desde 8 Abr 2016
    rio de janeiro
    Jofral1, MP enviada.
     
  15. Audio Slave

    Audio Slave Usuário

    314 228 48

    Desde 8 Abr 2016
    rio de janeiro
    Infelizmente não consigo contatar o criador desse tópico por MP.

    Na falta de uma resposta - que nesse momento só ele poderia dar - vai a minha pergunta:

    Alguém mais já teve a experiência com o nobreak mencionado pelo Jofral1 ou alguma outra marca de nobreak senoidal de dupla conversão?

    Notaram depois de algum tempo de uso, falta de dinâmica.

    Jofral1: não sei se recebeu a minha MP, mas aqui novamente vai a minha pergunta: depois de todo esse tempo de uso, ainda mantém a opinião sobre o equipamento?
     
  16. Audio Slave

    Audio Slave Usuário

    314 228 48

    Desde 8 Abr 2016
    rio de janeiro
    É uma pena - tanto quanto estranho - que o criador deste tópico, após sua única postagem sobre um questão tão importante, não tenha mais querido compartilhar nenhuma informação sobre o uso do nobreak senoidal de dupla conversão, não respondendo à nenhuma das perguntas feitas na época pelos membros.

    Tentei reativar este tópico, sem sucesso, e enviei duas MP's para o seu criador, que obviamente jamais as respondeu - apesar de continuar ativo neste fórum.

    O uso de nobreaks senoidais em áudio ainda é um terreno pouco explorado, e este era o único relato direto existente nos fóruns de áudio no Brasil. Contudo, depois desses anos todos, seria importante uma atualização mais detalhada, já que há quem afirme que este equipamento, apesar de seus benefícios, produz perda de dinâmica. Trata-se, porém, de uma informação de deveria ser confirmada por vários usuários, até porque a tecnologia pode ter avançado.

    Difícil mesmo é ter que pagar de 15.000 a 20.000 reais por um regenerador de energia da Ps Áudio.

    Infelizmente o criador deste tópico parece ter colocado o doce na nossa boca - para depois tirá-lo.

    Desisto.
     
    Última edição: 8 Abr 2017
    • 1
  17. Rafael23_RJ

    Rafael23_RJ Speed Racer


    Desde 7 Mai 2004
    Rio de Janeiro
    O fórum aqui é elitis(Z)ado e se a gente erra ou se engana, leva na cabeça ou nos ignoram.
     
  18. Délbio Lima

    Délbio Lima Usuário


    Desde 27 Jan 2016
    Jataí - GO

    Vou deixar minhas considerações usando por base minha experiência com a EATON.
     
  19. Rafael23_RJ

    Rafael23_RJ Speed Racer


    Desde 7 Mai 2004
    Rio de Janeiro
    Até que enfim uma alma viva querendo passar a sua experiência com a marca EATON que pelo que pesquisei é UMA DAS melhores no que diz respeito a DUPLA CONVERSÃO E ONLINE, que encarecem e muito esse tipo de nobreak.
     
  20. Ekstatikon

    Ekstatikon Usuário


    Desde 31 Ago 2012
    Recife
    Boa tarde, prezad@s,

    quem, ao longo dos anos, com muita pesquisa, assunção de riscos, gastos duvidosos e justificados, tentativas às vezes bem-sucedidas às vezes fracassadas, conseguiu compor um sistema de bom nível, conhece a diferença nada sutil entre a reprodução musical durante o horário de vigília e durante a madrugada. Antes da meia-noite, para usar um marco arbitrário, estimado, a performance do conjunto é simplesmente sofrível. O motivo disso, tod@s aqui conhecem: a qualidade da energia elétrica (sobre o que provoca a tal “falta de qualidade”, há vasta literatura especializada (científica) e semi-especializada, amplamente discutida aqui no HTForum). Aceitei isso como um destino: ouvir música seria e continuaria sendo, para mim, uma atividade noturna, melhor dizendo, noctívaga. Quando a indústria da região e o comércio do entorno fecham as portas, quando a infinidade das nossas bugingangas eletrônicas estão desligadas e os vizinhos, assim como a sua companheira ou o seu companheiro, seus filhos ou suas filhas, se deitam para sonhar as frustrações de ontem e os desejos de amanhã, chegou a hora do Dvořák acontecer.

    Moro em apartamento e fiz o que pude, dentro dos meus limites orçamentários e dentro dos limites impostos a possíveis modificações em redes elétricas compartilhadas, para minimizar esse desastre. Contratei um eletricista (que não conseguia esconder a sua incredulidade, sendo até um pouco mal-educadamente sarcástico diante do que estava sendo por mim solicitado) para construir uma fase dedicada, com aterramento dedicado desde o quadro de distribuição na cozinha (pois tecnicamente seria impossível começar a brincadeira desde a caixa do contador da concessionária) até a tomada da sala, utilizando materiais de primeira, material “audiófilo”, para alimentar o sistema. O salto de qualidade foi manifesto, houve melhoras significativas (não vou me ater, aqui, a descrever o que entendo como “melhoras”) na reprodução durante o dia, mas durante a madrugada a reprodução escalou para um nível ainda mais alto, ou seja, as medidas tomadas foram incapazes de resolver a diferença drástica de performance entre os horários, o que é obviamente frustrante e por várias razões, não só estéticas, de apreciação artística e pela evidente inconveniência da restrição a esse horário ingrato para quem tem vida produtiva, mas também por dificultar demasiado a calibragem do sistema e testes com inserção, mudança na ordem da ligação ou eliminação de determinados elos da corrente. Por exemplo, como avaliar se um “condicionador USB”, uma nova fonte linear ou um novo cabo coaxial trouxeram ou não ganhos, se uma variável do seu sistema está completamente fora de controle? A depender do horário, o resultado geral, isto é, o soar do todo, será bem diferente.

    Na medida em que ouvir música, que é o fim último para o qual tendem todos os nossos esforços, se tornou, em certa medida, um estorvo por causa do horário, nunca desisti de procurar uma solução. Resolvi investir em um tão famoso quanto caro condicionador de energia, muito incensado aqui no HTForum, mas, infelizmente, foi uma frustração enorme. Esse aparelho (não direi qual, evitando fazer propaganda negativa, até mesmo por que, fruto de experimentação, creio plenamente no fenômeno da sinergia) provocou um “apagão”, por assim dizer, no meu sistema. Foi quando finalmente compreendi o sentido da expressão “capar a dinâmica”. A desvitalização do acontecimento musical é uma coisa impressionante, não é isso ou aquilo, o timbre, a espacialidade ou o recorte, que é degradado, o todo do acontecimento se degrada e, com isso, se degrada o prazer auditivo: booooooring.... Pude devolver sem maiores problemas, ainda bem, o tão badalado condicionador para o fornecedor, explicando detalhadamente o efeito indesejado e esperei novamente o mundo dormir… fazer o que?

    Bem, havia algo ainda a ser feito: regeneradores de energia. Porém os preços cobrados por esses regeneradores da PS Audio, os PowerPlant P3, P5 ou P10, são, para mim, insanamente altos e, igualmente para mim, definitivamente proibitivos. Sabendo que mais cedo ou mais tarde (é irresistível!) eu cometeria uma verdadeira loucura financeira, tomei o cuidado de me antecipar a minha própria ruína e me deitei a pesquisar sobre nobreaks com uma topologia específica, justamente o tema desse tópico, o nobreak senoidal de dupla conversão online, cujo princípio básico de funcionamento é exatamente o mesmo dos regeneradores “milionários” (AC → DC → AC). Após me inteirar detalhadamente das possíveis especificações, resolvi investir em um modelo nacional básico, de 1KVA (mais que suficiente para alimentar com folga o meu sistema, cujo consumo não chega a 300w). Foi, sem sombra de dúvida, a melhor solução que encontrei e, provavelmente, a melhor possível. A relação custo-benefício é absurdamente satisfatória! Com R$ 2.000,00 obtive não apenas manutenção da dinâmica, mas o seu claro incremento, maior naturalidade, espacialidade, foco, localização e recorte precisos como nunca antes o foram naquele horário. É como se eu estivesse, em plenas 12h00, 16h00, 20h00 ou 21h00, no seio daquelas madrugadas encantadas, nas quais se realiza o desejo de todos nós: o sistema desaparece como sistema, restando tu e a música em conexão íntima, além, é claro, da segurança total proporcionada. Funcionando separado da rede através do nobreak, o sistema está imune a quedas e picos bruscos de energia. No caso de a rede “cair”, você terá entre 15 minutos e meia hora, dependendo do consumo dos seus aparelhos, para desligá-los; dá até, nesse caso, para terminar com toda tranquilidade aquela sonata transcendental em pleno blackout. Por motivos auditivos, financeiros e de segurança, esse elemento entrou no meu sistema para talvez nunca mais sair.

    Porém atentem para duas coisas...

    a) como não foram projetados para esse tipo de uso, o cooler, a ventoinha, de todos os nobreaks senoidais de dupla conversão online operam ininterruptamente emitindo não menos que 40db a 1m de distância (segundo especificação dos fabricantes, mas que desconfio ser subdimensionada, pois aquilo certamente passa de 60db), ou seja, é absolutamente necessário que o aparelho fique instalado em outro cômodo da sua casa, e não há outra solução possível. É basicamente um secador de cabelo funcionando a todo vapor ao lado do seu set;

    “- ah, eu tenho a solução! Abafar. Encomendarei uma caixa sob medida, fabricada com material isolan...”

    Não, meu caro, não, minha cara, isso não será solução alguma, NADA pode conter o ruído gerado por aquela turbina, desista. Nobreaks dessa espécie só podem ser usados bem longe dos seus ouvidos, daí que regeneradores, idealizados para uso audiófilo, não sofram essa restrição;

    “- ah, eu tenho outra solução! Vou fazer um mod no meu nobreak, trocando a ventoinha original por uma silenciosa, com resfriamento especial à base de...”

    Não, meu caro, não, minha cara, isso não será solução alguma, NADA que não seja aquela turbina barulhenta poderá resfriar nobreaks dessa espécie, você simplesmente o torrará e as consequências para os aparelhos nele ligados podem ser nefastas;

    Obs.: essas conclusões são frutos de pesquisa intensa em fóruns da mesma natureza que este famigerado HT. Instalei o meu nobreak próximo ao quadro de distribuição na cozinha e é inaudível desde a sala.

    b) nobreaks senoidais de dupla conversão online, teoricamente, forneceriam energia 100% limpa, gerando senoide perfeita (THD de saída em torno de 3%) sem influência alguma da energia fornecida pela concessionária. Não sei porque, não sei como, isso é uma meia-verdade (os que possuem conhecimento técnico podem explicar?). De alguma maneira, a qualidade da energia fornecida pela concessionária continua influenciando a qualidade da energia pós-conversão. Ou seja, diabos!, o nível da performance continua a depender do horário, apesar da diferença de performance entre horários cair drasticamente. Mesmo com a inserção do nobreak, a madrugada continua sendo o reino da reprodução musical “ideal”, porém, nos outros horários obtive qualidade não apenas acima do normal, satisfatória, mas refinada, tal como nas minhas madrugadas pré-nobreak.

    É essa minha experiência no meu sistema. Espero ter ajudado.

    Combine com o vendedor um período de testes, vale a pena, sim, introduzir em seu sistema um "PS Audio PowerPlant genérico" inconvenientemente barulhento, inconveniência para a qual você terá de conseguir uma solução, mas com um preço justo, coisa cada vez mais rara nesse “hobby”.

    Sandro
     
    Última edição: 11 Fev 2018
    • 3
    • 2
  1. Este site usa cookies. Se você continuar a usar este site, automaticamente concorda com nosso uso de cookies.
    Fechar Aviso