Anúncio do HT Forum

EXPERIÊNCIAS PESSOAIS COM ÁUDIO EM COMPUTADOR PARA SISTEMAS DE ALTO DESEMPENHO.

Discussão em 'Tecnologia e Novos Formatos de Áudio' iniciada por ÉdisonCh, 17 Ago 2011.

  1. endlich65

    endlich65 Usuário


    Desde 13 Out 2003
    VILA VELHA/ES/BRASIL
    Era para tirar a foto sem as varas de pesca, o pessoal pode pensar que é conversa de pescador! kkkkkkkkkkkk( brincadeira em! )
     
    • 1
  2. MarcoMR

    MarcoMR Usuário


    Desde 22 Jan 2017
    Campinas
    São difusores acústicos ... :)(y)

    Pouco espaço, mais eu já afastei as caixas da parede e aumentei a distância entre canais.
    Apesar do processamento embarcado que auxilia o trabalho próxima às paredes, o palco fica melhor com elas um pouco mais distantes.

    Meu segundo sistema, ouvir música de qualidade durante o trabalho, e ter por perto aquilo que mais gostamos é muito legal ... ajuda muito na criatividade.
     
    Última edição: 21 Fev 2018
  3. FelipeRolim

    FelipeRolim Breaking The Sound Barrier


    Desde 17 Ago 2008
    Quatiguá/Paraná/Brasil
    Instalei ontem no meu computador o Windows Server 2016 no modo Core. Entre algumas tentativas falhas de tentar coisas diferentes, até que ele estivesse pronto para uso foram 9h na frente do PC. Difícil acreditar na melhoria que isso traz, principalmente não havendo diferença nenhuma no hardware, nem outra alteração no sistema. Havia testado o Server 2012R2 no modo GUI e gostado, depois converti para o modo Core e gostei mais ainda. O Server 2016 no modo GUI achei ainda melhor que o 2012R2 no modo Core, mas não havia ouvido ainda o 2016 Core porque, nesta versão, não há mais possibilidade de converter de GUI para Core e vice-versa. Precisei fazer uma instalação direta do 2016 Core e depois manusear tudo "no braço" pelo prompt de comando. Compensou o resultado...
     
    • 4
  4. FelipeRolim

    FelipeRolim Breaking The Sound Barrier


    Desde 17 Ago 2008
    Quatiguá/Paraná/Brasil
    Não sei se o pessoal daqui costuma acessar a seção de computadores do fórum, então, deixo aqui o link de um tópico que criei, para ajudar a quem quiser testar o RAMdisk em seus sistemas. Foi muito, muito difícil para eu conseguir fazer o sistema operacional funcionar 100% da memória RAM, estando totalmente operacional e iniciando sem erros. A intenção é ajudar com algumas informações básicas a quem desejar se aventurar. Para mim, Windows Server no modo Core em RAMdisk é uma configuração que sistema operacional que tenho como imbatível. Quanto aos aplicativos, ainda sigo preferindo de longe o JPLAY no modo Hibernate, mas a subjetividade é imperativa neste segmento. Apenas sugiro aos colegas que tiverem um SSD livre que separem um pouco de tempo e testem o Windows Server 2016 no modo Core rodando da memória RAM. É impressionante o resultado no áudio e é muito purista.

    https://www.htforum.com/forum/threads/ramdisk-com-windows-server-2016-guia-de-configuracao.302853/
     
    • 6
  5. MACIEL

    MACIEL Usuário


    Desde 11 Nov 2005
    Fortaleza/CE/Brasil
    Pessoal,

    Estou pensando em comprar um Mac Mini para ouvir musica. Por uma questao de preço, penso na versão básica, I5, 4tb, 500mb, mas me disseram que para rodar DSD, p.ex., o de 8Tb é melhor. O q vcs acham?

    Agradeço!!
     
  6. Fox _ Mulder

    Fox _ Mulder Usuário

    2.525 3.581 576

    Desde 18 Out 2009
    Niterói - RJ
    Acho melhor investir em um PCA com Pico Psu e fonte Linear.

    Para ter um norte: https://www.htforum.com/forum/threads/clube-kef.18370/page-1097
     
    Última edição: 9 Mar 2018
    • 1
  7. ÉdisonCh

    ÉdisonCh Usuário


    Desde 1 Dez 2005
    Araras/SP/BR
    Um Mac Mini funciona bem com fonte de alimentação linear externa. Memória de 8 Gb é o mínimo para otimizar o desempenho. Um Desktop costuma ser melhor, mas o Mac Mini bem configurado funciona muito bem na maioria dos casos.
     
    Última edição: 10 Mar 2018
    • 1
  8. FelipeRolim

    FelipeRolim Breaking The Sound Barrier


    Desde 17 Ago 2008
    Quatiguá/Paraná/Brasil
    Acho que estamos fazendo confusão, ou eu que entendi errado. Se estivermos nos referindo realmente a 4TB de armazenamento, então é onde as músicas serão salvas e dependerá do tamanho do acervo digital. Se estivermos falando de 4GB de memória RAM (o que acho mais plausível) e 500GB de HD, então para a reprodução de DSD poderá faltar memória RAM, especialmente nos casos em que se configura o player para enviar 100% da música para a RAM na hora de tocar. Neste caso, o arquivo DSD aberto costuma ser bem grande...
     
    • 1
  9. MACIEL

    MACIEL Usuário


    Desde 11 Nov 2005
    Fortaleza/CE/Brasil
    Agradeço aos colegas pelas dicas.
     
    • 1
  10. JuniorDoleys

    JuniorDoleys Luz, Calor e Som


    Desde 7 Abr 2011
    Charqueadas/RS
    Aos proprietários do ISO-REGEN se utiizaram o adaptador USPCB A>B incluso. Fizeram testes contra cabos usb? Gostei neste adaptador que é possível desligar o VBUS. Como o DAC que adquiri não necessita energia externa irei testar o adaptador.
     
    Última edição: 9 Abr 2018
  11. ÉdisonCh

    ÉdisonCh Usuário


    Desde 1 Dez 2005
    Araras/SP/BR
    Aqui, ficou muito melhor com um cabinho USB A/B. A turma tem usado o Curious e dizem ser o melhor, eu usei algumas marcas, mas acabei optando pelo Furutech GT2PRO de 30 cm.
     
    • 1
  12. Darlei Marques

    Darlei Marques Usuário

    59 71 13

    Desde 23 Out 2017
    Belo Horizonte
    Também uso o Curious para esse fim!
    Mas fiz esse teste comparando o Curious com o USPCB!
    O USPCB perde para o Curious mas a diferença é tênue.
    Agora boa experiência é colocar dois Regens em série e estou usando o USPCB para conectar os dois (Regen comum ➡️ ISO Regen).
    É um resultado que, quem tiver a oportunidade, deve experimentar!!
     
    • 2
  13. JuniorDoleys

    JuniorDoleys Luz, Calor e Som


    Desde 7 Abr 2011
    Charqueadas/RS
    @Darlei Marques@Darlei Marques nesse teste desligou ("off") o vbus do USPCB? Vendi o curious.
     
  14. Darlei Marques

    Darlei Marques Usuário

    59 71 13

    Desde 23 Out 2017
    Belo Horizonte
    Não desliguei!
     
  15. Minerim

    Minerim Usuário


    Desde 24 Jun 2006
    Paraíba
    Junior desligar o vbus do USPCB acho que não muda nada.
    Acredito que é uma função um pouco inútil, se seu dac não usa o 5v ele não tem contato no vbus e pronto, se a energia chegar lá ou no meio do cabo acho que dá no mesmo.
    Agora se seu dac usa 5v ele não vai ligar se o vbus estiver em off.

    Eu mudei o meu aqui e não deu em nada.
    Pena não ter dado certo a compra do seu curious eu podia te dizer mais sobre isso, comparando um com outro.

    Mas vou testar a ideia/sugestão do colega ligar um regen USB e um Iso regen em sequencia e ver se muda algo, será?
     
  16. Darlei Marques

    Darlei Marques Usuário

    59 71 13

    Desde 23 Out 2017
    Belo Horizonte
    Ligar dois Regens em série no meu sistema resultou em um aumento do efeito “regen”, e entendi que foi uma melhora importante.
    Pesquisei na internet e vi que isso é amplamente usado.
    Vale sim a pena testar!
    Lembro que aqui tenho o ISO Regem ligado na LSP-1, já o Regen comum ligado na sua fonte original.
     
    • 1
  17. JuniorDoleys

    JuniorDoleys Luz, Calor e Som


    Desde 7 Abr 2011
    Charqueadas/RS
    Existe DAC dependente dos 5v, outros apenas pra start (handShake) e outros são independentes. Pra aqueles q necessitam (aperto-de-mão) é legal a função on-off do vbus q pode ser implentada de várias formas
    Meu novo DAC é totalmente independente.
     
  18. ÉdisonCh

    ÉdisonCh Usuário


    Desde 1 Dez 2005
    Araras/SP/BR
    Junior. Na comparação direta, a interligação que ficou melhor aqui, entre o computador e o Iso Regen, foi com cabo USB. Os adaptadores fornecidos pela Uptone ficaram nitidamente abaixo, tanto de um lado quanto do outro. Agora, não posso testar mais nada. Estou mandando o Iso Regen de volta para o fabricante. Não sei o que aconteceu. Com o Regen original fica bom, mas não é igual.
     
  19. JuniorDoleys

    JuniorDoleys Luz, Calor e Som


    Desde 7 Abr 2011
    Charqueadas/RS
    Essa é uma experiência. Bom... é de dono de empresa que fabrica equipamentos.
     
    • 1
  20. FelipeRolim

    FelipeRolim Breaking The Sound Barrier


    Desde 17 Ago 2008
    Quatiguá/Paraná/Brasil
    Amigos, peço a licença de vocês para replicar um post que fiz em outro lugar do fórum, porque penso ser relevante para todos daqui.

    --------------------------------
    Aproveitei que estava mexendo nos cabos do sistema e segui uma sugestão que, se não estou enganado, há muito tempo me foi dada de forma uníssona pelo weltec e pelo Redcruz, que é conectar o Purist 20th Anniversary no computador. Se não me falha a memória, este exato cabo que hoje tenho em mãos já passou por terras cariocas e pôde ser testado nos sistemas dos dois. Lembro-me de alguns relatos no sentido de que ambos já presenciaram este cabo fazendo boa diferença no computador, mais até do que em outros pontos do set. Consequentemente, o Audiopheeling Helicopper SE, que antes estava no PC, passou para o Krell, e assim permanece.

    Vejam, não sei dizer o quanto o Audiopheeling é inferior/superior ao Purist 20th Anniversary. Já o comparei a outros cabos da Furutech e o Audiopheeling deixou clara a sua superioridade, mas nunca comparei diretamente com o Purist e, na falta de um segundo idêntico, para ser diretamente confrontado, fica esta incógnita. Todavia, o que tenho a dizer, e este é o objetivo principal deste post, é que me arrependo profundamente de não ter feito essa experimentação antes. Troquei Purist e Valhalla entre integrado e DAC e há uma perda significativa de microdinâmica, detalhamento, velocidade, decaimento, provavelmente por conta dos benefícios que o Ayre recebe do Valhalla, já que estes são pontos extremamente fortes do cabo, mas nunca cogitei por o Purist no computador. Confesso que relutei um pouco para fazer este teste, em especial, por achar difícil aceitar que um cabo no valor do Purist possa servir ao PC. Pura bobeira.

    De um lado, sempre tive em grande evidência a necessidade de o Krell receber boa corrente, ser usado com um cabo de boa bitola, para que possa entregar o máximo de sua força, velocidade, dinâmica e profundidade de graves. Isso fica claro na comparação direta entre os Furutech 3TS20 e 3TS762, pois o 3TS20, embora mais refinado, possuía bitola e capacidade de corrente menor que a do 3TS762, o que resultava num som mais magro, com menos impacto, menos velocidade, menor profundidade de graves. Nesta toada, o Purist me parecia uma solução fantástica, justamente por ter essas características das quais se beneficia o Krell. O modelo 20th Anniversary é um dos de maior bitola da marca, bitola maior do que o Canorus, que é o sucessor, e do que o Limited, embora estes sejam mais refinados.

    De outro lado, gosto de usar no PC um cabo com boa musicalidade, som mais relaxado, mais delicado, com bom arejamento e decaimento suave, tudo isso para retirar da fonte digital a sua "característica de digital", aproximando-a mais do analógico, do som com vida, com textura, com dimensão, com riqueza, que tenha aptidão para cativar. Para esta finalidade, o Audiopheeling Helicopper SE entrou com uma luva, pois são estas as características do cabo, ao menos em comparação ao Furutech 3TS20 que usava anteriormente.

    A surpresa fica justamente por conta de eu ter feito essa inversão de cabos sem que o Krell sentisse falta de dinâmica, de velocidade, sem que tivesse perdido em profundidade e quantidade de graves (o que denota capacidade de corrente muito alta por parte do Audiopheeling) e, embora eu esperasse que a característica marcante deste Purist, com seu par de plugs Oyaide 079, fosse transparecer pela fonte digital, jamais imaginei que tamanha melhoria fosse ocorrer. Como eu disse, é difícil saber o que se beneficiou mais de qual cabo sem ter um segundo Purist para comparar ao Audiopheeling no Krell, mas fato é que esta combinação atual se mostrou muito superior à anterior.

    Nunca vi tamanha organicidade, uma espacialidade tão boa, decaimento, envolvimento, naturalidade, realismo, mas não apenas isso. Há muito mais resolução e a precisão no foco dos instrumentos e cantores está absurda, coisa que eu jamais imaginei que a mera troca de cabos fosse me oferecer. É um som que tem precisão, ao mesmo tempo em que tem delicadeza, musicalidade e zero agressividade. A forma que a apresentação toma arranca lágrimas dos olhos. Ouvi vários discos que adoro, sem que necessariamente sejam gravações "audiófilas", e a emoção que o sistema está entregando, a vida que confere à música, sinceramente, eu nunca ouvi antes no meu próprio sistema. Melhor do que isso, só se eu efetivamente pudesse enxergar o movimento dos músicos.

    Enfim, este relato tem por finalidade sugerir a vocês que não hesitem ao experimentar um cabo de força verdadeiramente top nos computadores de vocês. Relutei a fazer isso, por pura bobeira, pois o som que consegui arrancar ao usar o Purist no PC é de impressionar. Se tiverem algo assim em casa e puderem experimentar, sugiro veementemente, pois podem se surpreender com o resultado. Sei que às vezes o custo é proibitivo e não se justifica no PC, mas acredito que o resultado seja compensador.

    Grande abraço e excelente final de semana a todos.
     
    • 4
  1. Este site usa cookies. Se você continuar a usar este site, automaticamente concorda com nosso uso de cookies.
    Fechar Aviso