Anúncio do HT Forum

Fluzao Clube (Fluminense Football Club)

Discussão em 'Zona Livre' iniciada por MARCUS BRAGA, 12 Fev 2008.

  1. MARCUS BRAGA

    MARCUS BRAGA TUTUBARAO


    Desde 20 Set 2007
    RIO DE JANEIRO - IPANEMA
  2. MARCUS BRAGA

    MARCUS BRAGA TUTUBARAO


    Desde 20 Set 2007
    RIO DE JANEIRO - IPANEMA
  3. MARCUS BRAGA

    MARCUS BRAGA TUTUBARAO


    Desde 20 Set 2007
    RIO DE JANEIRO - IPANEMA
  4. MARCUS BRAGA

    MARCUS BRAGA TUTUBARAO


    Desde 20 Set 2007
    RIO DE JANEIRO - IPANEMA
    Amigos, a humildade acaba aqui. Desde ontem, o Fluminense é o novo campeão da cidade.Todos os tricolores, vivos ou mortos, ainda estão sob os efeitos da ressaca emocional de domingo. Tivéssemos ainda o costume do chapéu, teríamos que tirá-lo seguidamente, em sentida e obrigatória reverência. A única obrigação, no entanto, é a de sentar no meio fio e chorar, com o sentimento do triunfo. Durante a semana, insisti que a vitória estava escrita há seis mil anos. E o Fluminense foi humilhado, crivado de piadas. Houve conhecidos que fizeram o vaticínio: - "domingo, será a cidade contra o Fluminense". De fato, ontem o Tricolor enfrentou o adversário e o ressentimento dos incrédulos. Parecia uma imagem do próprio García Lorca: - a do Profeta carregado na bandeja e de maçã na boca como um leitão assado.
    Preciso, ainda, contar o dramático lance do terceiro gol tricolor. Disse dramático e já corrijo: - dramático e shakesperiano. É de um óbvio mais que ululante que foi outro gol inexplicável. Quando a bola de Antonio Carlos entrou, a neve secular dos Andes derreteu. As zebras do jardim zoológico relincharam, e as luzes do Louvre se apagaram. Acaso encontrasse um cubano, perguntaria se aquele canhão na entrada da baía começou a soltar tiros medonhos. E ninguém viu, porque ninguém enxerga o óbvio, que estava ali o Sobrenatural de Almeida.
    Vamos raciocinar: - quem é o personagem do título? Eu poderia falar do Papa. O Santo Homem foi, certamente, um dos responsáveis. Abençoou, na morte, o escrete tricolor. Ou poderia ser todo time do Fluminense, do massagista à comissão técnica. Cada jogador foi um centauro bêbado, uma bastilha inexpugnável. E o suor que pingava era o suor viscoso e elástico dos cavalos puro-sangue. É um time de Werthers apaixonados. Mas o personagem da conquista é, obviamente, a multidão pó de arroz. Amigos, não gosto da multidão. Ou melhor: - não desgosto. Multidão, via de regra, não tem cara. Mas a de ontem foi especial, foi única. No estádio, espiei aquela gente toda. Pela primeira vez, vi uma multidão parecida com um ser humano e repito: - era uma multidão terna, generosa, dionisíaca. E estava toda contra o salubérrimo e jucundo ressentimento, toda ela contra o sentimento da impotência e da frustração. Diante da platéia colossal, o Fluminense fez uma dessas partidas imortais. Dessas que daqui a duzentos anos a cidade vai lembrar: - "ah, aquele jogo...".
    Na saída, uma torcedora me pegou pelo braço e pediu: - "Nelson, escreve sobre a luz!" Então cumpro, aqui, a minha grave função homérica: - a luz que vinha do Mário Filho não era dos refletores, mas dos olhos da multidão. Toda ela vazava luz. Ah, ontem foi também o grande dia do estádio Mário Filho. Eu teria muito o que contar do maravilhoso domingo. Vi tanta gente que não vai nunca ao Maracanã, ou pasmem: - vai apenas nos grandes dias. Nas ruas, de olho rútilo e lábio trêmulo, cada idiota da objetividade brilhava ardentemente de arrependimento. Cada lorpa, cada pascácio da cidade, que geralmente nada vê além dos fatos, segurava os passantes pelo braço, gritando bovinamente: - "Eu não acreditei! Eu não acreditei!" E o Profeta, à sombra das chuteiras
    imortais, repete, até agora: - Fluminense. Fluminense. Fluminense.


    http://br.youtube.com/watch?v=WCrCHoRLEp4&feature=related
     
  5. dougnet

    dougnet Usuário


    Desde 1 Nov 2006
    Brasil
    VENCE O FLUMINENSE..... mais um para o clube!!
     
  6. piupa

    piupa Divemaster


    Desde 12 Ago 2004
    são paulo/sp/brasil
    Tutu,

    Esqueceu dessas fotos :D

    [​IMG]


    [​IMG]

    Brincadeirinha!!!! (y)

    Abraço,
    Adilson.​
     
  7. MARCUS BRAGA

    MARCUS BRAGA TUTUBARAO


    Desde 20 Set 2007
    RIO DE JANEIRO - IPANEMA
  8. piupa

    piupa Divemaster


    Desde 12 Ago 2004
    são paulo/sp/brasil
    (y)(y)(y)

    O que vale é a brincadeira ;)

    Abraço,
    Adilson.
     
  9. MARCUS BRAGA

    MARCUS BRAGA TUTUBARAO


    Desde 20 Set 2007
    RIO DE JANEIRO - IPANEMA
    com certeza!!!:lol::lol::lol:

    eu tava nesse jogo , foi um jogao!

    mas a sorte tava do lado de vcs
     
  10. MARCUS BRAGA

    MARCUS BRAGA TUTUBARAO


    Desde 20 Set 2007
    RIO DE JANEIRO - IPANEMA
  11. MARCUS BRAGA

    MARCUS BRAGA TUTUBARAO


    Desde 20 Set 2007
    RIO DE JANEIRO - IPANEMA
    Amigos a humildade acaba aqui...De Nelson Rodrigues


    texto ::aplauso::aplauso::aplauso::aplauso::aplauso: :aplauso::aplauso::aplauso::aplauso:


    http://br.youtube.com/watch?v=ZkDE9uGxhYY:aplauso::aplauso::aplauso:
    Amigos, os idiotas da objetividade negam o milagre. Mas o que foi a deslumbrante vitória do Fluminense, senão isso mesmo ou seja um cínico e deslavado milagre? Pela primeira vez na história do homem, um lanterninha e, pior do que lanterninha, um time "sem conjunto, nem valores individuais" - é campeão contra tudo e contra todos.

    E, antes de continuar, duas palavras sobre o profeta. Depois dos 3x1 de ontem, ele está promovido e está reabilitado. No ano passado, quase acertou, quase. Mas este ano soou a sua grande hora. Ele disse que o Fluminense ia ser campeão e o tricolor cinge uma faixa épica, a mais linda, a mais merecida que se possa imaginar. Desde ontem, o profeta podia desfilar na bandeja, e de maçã na boca, como o tal leitão assado.

    Claro que a grande vitória não se improvisa, nem depende de fatores circunstanciais. Há seis mil anos estava escrito que, ontem, Joaquinzinho ia encaçapar o primeiro e, em seguida, Jorginho e Gílson Nunes iam estourar às redes do Bangu. O nosso título é, pois, uma fatalidade de sessenta séculos. Mas é óbvio, por outro lado, que a Fatalidade precisa ser umedecida, precisa ser lubrificada pelo suor do homem. Houve momentos, na peleja, em que o Fluminense lutou tanto que o suor do time passou a ser grosso e elástico como o dos cavalos.

    O bonito, o gostoso, o sublime do campeonato é que lutamos em campo e fora do campo. Por vezes, além do adversário, juiz e bandeirinhas - até os imponderáveis se juntavam contra nós. Por exemplo: o meu fraterno amigo Armando Nogueira. Um dia, ou noite, sei lá, o confrade teve uma visão de Joana D’Arc. Aos seus olhos, o Fluminense aparecia de lanterninha na mão. Já no dia seguinte, o Armando, que é um estilista, um Flaubert da bola, fez a frase histórica: "O Fluminense é o lanterninha dos grandes" e mais: o "Fluminense não tem nem conjunto, nem valores individuais". Nada, portanto.

    Assim foi criada a humildade tricolor. Em vão, parentes, conhecidos e fornecedores, protestavam junto ao Armando: "Mas o Fluminense é líder de dois anos!". Amigos, ninguém mais obstinado do que o sujeito que é portador de um erro colossal. Repito: o ser humano acredita mais nos seus equívocos do que nas suas verdades. Justiça se lhe faça: o Armando foi fiel ao seu erro até o fim. De mais a mais, ele defendia duas frases e o colega põe a retórica acima da realidade. Para ele, um efeito literário vale mais que duzentos fatos.

    Não se pense que o Fluminense recusou as sandálias da humildade. Sendo um grande clube, o maior do mundo - tem direito de ser humilde. Portanto, passamos a andar, com um imaginário passarinho no ombro, segundo o figurino franciscano. A cidade foi testemunha auditiva e ocular das nossas provações, só comparáveis às de Jó. Com uma agravante para o nosso lado: é que a Jó foi poupado o estilo do Armando e o sarcasmo do Scassa. E outra forma de martírio que Jó não conheceu: as piadas hediondas.

    Eu poderia falar ainda de juizes, de bandeirinhas, que fizeram o diabo conosco. Mas vamos deixar isso pra lá. O fato é que, desde quarta-feira passada, o Fluminense estava ungido. Só os lorpas, os pascácios, os bovinos, não percebiam que cada uma de nossas cabeças levava um halo intenso e lívido de campeão. O olhar de qualquer "pó de arroz" vazava luz. Há seis mil anos estava escrito.

    A festa da cidade começou na manhã dominical. Por toda a parte, apareciam delirantes bandeiras tricolores. Toda a tricolagem partia para o Maracanã na certeza profética. Pela manhã, o Wilson Figueiredo batia o telefone para mim: "Deus te ouça, Wilson, Deus te ouça!" E um turista que por aqui passasse, e visse tantas bandeiras tricolores, havia de anotar no seu caderninho: "Começou foi à Nova Revolução Francesa!" Finalmente, o jogo. Primeiro tempo, Bangu 1x0. Mas veio o segundo e o tricolor levou tudo de roldão, tudo. Nunca um campeão mereceu tanto um título.

    Já ia me esquecendo do personagem da semana. São três: primeiro Tim, que foi um maravilhoso comandante. Ele soube guiar a equipe, técnica e taticamente, e, ao mesmo tempo, transmitir-lhe uma enorme sede, uma fome enorme do título. Ontem, quando o jogador do Fluminense caía, vinha abraçado na sua paixão. Outros dois personagens: Jorginho e Gílson Nunes, os dois garotos das extremas. Vocês viram o "goal" de Jorginho: perfeito e irretocável como um verso eterno. E em seguida, o de Gílson Nunes. O menino encheu o pé e houve um clarão no estádio. Amigos, ontem não houve noite na cidade. O que todos viram foi a chama do grande sol do Fluminense, com o seu patético esplendor.


    Nélson Rodrigues



    Outra coisa: — nós sabemos — e até um paralelepípedo sabe — que há uma estética das vitórias. Há vitórias de todos os tipos: — feias, antipáticas, apenas simpáticas ou lindas. A do Fluminense foi de uma beleza humilhante. Ela não comporta uma única dúvida, uma única objeção, um único reparo. Não. O Fluminense apresentou um futebol não só limpo, digno, leal, como plástico, lúcido, visual e empolgante. Eu sei que meus colegas não hão de reconhecer isso. Amigos, o cronista esportivo é, por excelência, o insatisfeito. Para ele, o jogo sempre foi ‘tecnicamente falho’. Se ele, em vez de crítico de futebol, o fosse de arte, havia de dizer que Miguel Ângelo ‘promete’."
     
  12. MARCUS BRAGA

    MARCUS BRAGA TUTUBARAO


    Desde 20 Set 2007
    RIO DE JANEIRO - IPANEMA
    Vai Falar o Obvio Ululante

    Sonhei que Deus chegava perto de mim e perguntava: - "O que é que você fez na vida?" Tratei de vasculhar todas as províncias do meu passado. Na infância andei roubando goiabas e raspando pernas de passarinho a canivete. Todavia, nem uma coisa, nem outra, me pareceram dignas de menção. Não seria eu o primeiro ladrão de goiaba, nem o primeiro estripador de passarinho.

    Na idade adulta, andei escrevendo peças, romances. crônicas. Mas nem as peças eram dignas de um Shakespeare, nem os romances dignos de Proust. E a verdade, a lamentável verdade, é que eu não encontrava, em toda a minha biografia, nada que surpreendesse o Altíssimo e merecesse o seu espanto. Eis, senão, quando, de repente, baixa em mim uma luz genial. Alço a fronte e digo: "Eu promovi, eu consagrei o óbvio!"

    Aí está o grande feito de toda a minha vida. O óbvio vivia relegado a uma posição secundária ou nula. Fui eu que, com minha pertinácia, arranquei-o da obscuridade, da insignificância. Hoje, o óbvio tem trânsito em todas as áreas, é citado nas esquinas, botecos e retretas. Ainda outro dia, escrevia-me, de Filadélfia, um universitário americano. Queria saber apenas o seguinte - "Quem é esse óbvio tão falado no Brasil? Podia me dizer quais suas obras, seus livros, seus feitos?" Essa consulta, que me chegou de outro continente, prova que o óbvio já adquiriu personalidade internacional. Frank Sinatra não será tão popular nos Estados Unidos. Todavia, ao apresentar o óbvio, eu fiz a seguinte e fundamental ressalva: - ninguém o enxerga de sujeitos são cegos para ele. E acrescentei: "Gênio, santo ou profeta é aquele que enxerga o óbvio."

    Faço esta introdução a propósito do que li sobre o Fluminense. Diz um colega que o Tricolor está sem níquel para comprar nem mesmo um único e escasso cabeça de bagre. A qualquer momento, nós o veremos numa esquina, tocando realejo, com um periquito de tirar sorte. Eu li e reli. E nada descreve o meu espanto e o meu horror.

    Tudo o que foi escrito é de uma inveracidade total e estarrecedora. Cabe, então, a pergunta - como pode um jornalista agredir os fatos, como pode ele ignorar a evidência? Explico: - como tantos outros, o colega é cego para o óbvio. O que é o Fluminense? O maior clube do Brasil e do mundo. Repito - o maior clube do Brasil e do mundo. Isso é o óbvio mais que ululante.

    Chega a ser cômico falar nos seus problemas. De todos os clubes, o Tricolor é o que tem melhor saúde econômica, melhor saúde financeira. Se ainda usássemos o chapéu, teríamos que tirá-lo em sentida e obrigatória reverência, sempre que falássemos no seu nome. Os outros, todos os outros, estão vergados ao peso de dívidas como uma árvore ao peso dos frutos.

    O Fluminense, não. O Fluminense nasceu com a vocação da eternidade. Tudo pode passar, só o Tricolor não passará, jamais.

    Quem diz é o óbvio ululante.


    Nélson Rodrigues
     
  13. Rodrigo mesquit

    Rodrigo mesquit Phase Velocity V-8


    Desde 16 Set 2003
    Rio de Janeiro
    Peço minha inscrição imediata no clube, já adiantando, ingresso tá na mão para a semi-final contra o foguinho (Apelido carinhoso).

    FLUSÃO RUMO AO BI MUNDIAL!
     
  14. "SOU TRICOLOR DE CORAÇÃO":amor::amor::amor::amor::amor:

    Tô dentro, mais um tricolor:D
     
  15. dougnet

    dougnet Usuário


    Desde 1 Nov 2006
    Brasil
    Caramba,esse jogo contra o Arsenal foi um show do fluzao!!! Dá-hle dodo!!! :aplauso::aplauso::aplauso::aplauso::aplauso::aplauso:
     
  16. MARCUS BRAGA

    MARCUS BRAGA TUTUBARAO


    Desde 20 Set 2007
    RIO DE JANEIRO - IPANEMA
    Cheguei do maracana agora to emocionado!!:D:D

    6x0
     
  17. dougnet

    dougnet Usuário


    Desde 1 Nov 2006
    Brasil
    Tudo bem,tem time ai que tem mais torcida que agente,mas **** que pariu,que torcida linda é a nossa,incomparável!!!:aplauso::aplauso:
     
  18. MARCUS BRAGA

    MARCUS BRAGA TUTUBARAO


    Desde 20 Set 2007
    RIO DE JANEIRO - IPANEMA
    [​IMG]


    CHORÂO!!!!:lol::lol::lol::lol:
     
  19. ludo

    ludo Usuário


    Desde 3 Fev 2007
    Paraty /RJ
    Em compensação, um desembargador da Justiça do Trabalho indeferiu o recurso do Leandro Amaral e agora são duas as alternativas: ou paga a multa de 9 milhões ou se reapresenta ao Vasco. Ficou difícil!
     
  20. MARCUS BRAGA

    MARCUS BRAGA TUTUBARAO


    Desde 20 Set 2007
    RIO DE JANEIRO - IPANEMA
    sem problema!!

    ele nao estava jogando nada ...abriu vaga para a copmpra de um novo craque para libertadores ,dinheiro nos temos:D:D

    melhor!!! abre vaga para o thiago neves golear o flamengo
     
  1. Este site usa cookies. Se você continuar a usar este site, automaticamente concorda com nosso uso de cookies.
    Fechar Aviso