Anúncio do HT Forum

Internacional

Discussão em 'Política e Economia, Nacional e Internacional' iniciada por Dennis, 14 Mar 2010.

  1. Dennis

    Dennis Moderador


    Desde 21 Mai 2002
    Tópico dedicado a todos os aspectos da política, economia e atualidades relacionadas que não sejam exclusivamente sobre o Brasil.

    Por favor atente-se às regras do fórum que não permitem mensagens de qualquer forma inapropriadas, ofensivas ou provocativas, que sujeitam seu autor a avisos, alertas e sanções conforme previsto nos termos de adesão a este fórum.

    Certo da colaboração de todos. (y)
     
  2. Arthurvictor

    Arthurvictor Usuário


    Desde 15 Mar 2009
    Belo Horizonte/MG/BRASIL
  3. Renato_CWB

    Renato_CWB Membro & Colaborador


    Desde 15 Jul 2005
    Curitiba - PR
    Ainda acrescento que, a partir deste momento, também aplicaremos as nossas regras de forma com muito mais rigor.

    Assim sendo, todo e qualquer tipo de manifestação pejorativa, ofensiva, puramente provocativa, incluindo em relação a terceiros o de forma coletiva, será sancionada. O objetivo é poder voltar a ter um debate de qualidade e construtivo, onde cada participante esteja consciente da responsabilidade da sua contribuição.

    Certo da colaboração de todos. (y)
     
  4. MARCELOBV

    MARCELOBV Usuário


    Desde 17 Fev 2005
    Campos-RJ
    Caro Arthur,

    A matéria está em área restrita, eu tenho acesso, outros colegas talvez não. (y)

    Caro Renato,

    Essa é uma dúvida minha: Podemos reproduzir matérias que estejam em área restrita de outros sites? Fere as regras do fórum? ou basta citar a fonte e tudo ok?

    abraços
     
  5. Renato_CWB

    Renato_CWB Membro & Colaborador


    Desde 15 Jul 2005
    Curitiba - PR
    Caro Marcelo, acho que muito menos que uma questão de regras, me parece uma questão se faz sentido colocar links para matérias que não estejam acessíveis para todos. Eu acho que não faz.

    Tenho certeza que o Arthur nem tenha se tocado desta restrição no link que postou, mas eu e certamente muitos outros também não consigo acessar.

    Abraço e um bom domingo a todos. (y)
     
  6. Arthurvictor

    Arthurvictor Usuário


    Desde 15 Mar 2009
    Belo Horizonte/MG/BRASIL
    Foi mal...Marcelo e Renato...não verifiquei que era de área restrita....coloquei apenas o link para não "poluir" o tópico com texto grande...mas se for permitido eu posto o texto integral pois achei ele muito interessante. (y)
     
  7. Renato_CWB

    Renato_CWB Membro & Colaborador


    Desde 15 Jul 2005
    Curitiba - PR
    Arthur, a princípio nada contra, a não ser eventuais considerações de direitos autorais para reprodução. ;) (y)
     
  8. Odin

    Odin Usuário


    Desde 15 Mai 2007
    rio de janeiro
    Fico imaginando quantas pessoas perderam Video game TV LCD, Etc com esse terremoto.
     
  9. Eronsilva

    Eronsilva Voar, navegar, acelerar...


    Desde 9 Abr 2006
    Israel
    Sempre sofri muito com as repetidas cheias que ocorrem varias vezes ao ano em Sao Paulo. Meu senso um tanto exagerado de compaixao sempre me fez pensar no tanto de alimento, nos moveis tao arduamente comprados pelas familias pobres dessa cidade incorrigivel, perdidos com uma precisao de relogio. Fosse maior o nosso senso de cidadania, e a prefeitura seria responsabilizada a ressarcir tais danos - isso seria um estimulo eficiente para que se encontrassem solucoes para as cheias na cidade.
    As tragedias de grandes proporcoes conseguem nos tirar da letargia, mas as tragedias diarias, repetidas (mais um exemplo: o transporte publico, e as insuportaveis horas de desconforto perdidas) acabam se tornando aceitas como "fatos da vida". E a vida nao "tem" que ser assim. A vida nao tem que ser como o rabo de um cavalo, que cresce sim, mas para baixo...
     
  10. Eronsilva

    Eronsilva Voar, navegar, acelerar...


    Desde 9 Abr 2006
    Israel
    Amigos, traduzi o texto para beneficio geral.
    O original esta abaixo, bem como o link para os que desejarem confirmar (e defletir problemas de copyright, espero).
    A opiniao publica israelense esta furiosa com Lula.
    Do ponto de vista israelense (conclusao que tiro pelos talkbacks postados tanto no Jerusalem Post quanto no Israel National News), esse gesto fez esfumar-se qualquer veleidade de atuacao do Brasil como intermediario imparcial na solucao do conflito do oriente medio. Se a visita de Ahmadinejad em dezembro passado, a planejada visita de Lula aquele pais em Marco proximo, e a proximidade a Hugo Chaves e Evo Morales estavam sendo elegantemente "ignoradas" pela midia local, para dar a oportunidade de uma mudanca de posicao (porque e isso que se faz em Diplomacia), mormente agora que o Brasil ocupa um lugar rotativo no Conselho de Seguranca da ONU, esse tiro no pe arrombou a represa (queria escrever "acude", mas essa droga de computador nao tem cedilha - nem til, nem circumflexo - por favor, desculpem(y))

    "Presidente Brasileiro nao visitara o tumulo de Herzl
    "Isto e um insulto aos cidadaos israelenses e as comunidades Sionistas ao redor do mundo," disse na segunda-feira Hagai Merom, funcionario da Agencia Judaica, apos o presidente brasileiro Luiz Ignacio Lula da Silva dizer que nao visitaria o tumulo de Binyamin Zeev Herzl durante sua primeira visita oficial a Israel.
    "Espero e acredito que o presidente mudara seu pensamento… evitar colocar uma coroa de flores no tumulo de Herzl e o mesmo que recusar-se a visitar o tumulo de Mustafa Kemal Ata Turk na Turquia, ou o de Mahatma Ghandi na India.
    A visita ao tumulo de Herzl foi acrescentada ao itinerario de funcionarios estrangeiros visitando (o pais) em honra ao sesquicentenario do nascimento de Herzl.
    Na semana passada, o vice-presidente dos EUa Joe Biden foi o primeiro funcionario estrangeiro a visitar o tumulo de Herzl. A tumba do pai do Sionismo fez parte do itinerario de visitantes estrangeiros no passado, mas foi substituida em anos recentes por uma visita ao tumulo do primeiro-ministro assassinado Yitzhak Rabin"


    http://www.jpost.com/Headlines/Article.aspx?id=171046
     
  11. Renato_CWB

    Renato_CWB Membro & Colaborador


    Desde 15 Jul 2005
    Curitiba - PR
    Política de diplomacía já são disciplinas muito delicadas, mas misturado ainda com sentimentos e valores de orígem religioso (que fazem parte muito presente da cultura e do dia à dia no Israel) se tornam mais frágeis que um conjunto de porcelana chinês.

    Achei interessante a versão "brasileira". Vejam aqui. (y)
     
  12. Alex Sound

    Alex Sound Usuário


    Desde 23 Jul 2003
    Londrina - PR
    14/03/2010

    Chile: Terremoto revelou os sintomas do mal-estar social

    [​IMG]
    Jean Pierre Langellier


    O terremoto e o tsunami de 27 de fevereiro no Chile deixaram um pesado balanço material e humano: 497 mortos "identificados" e sem dúvida mais de 800, segundo uma contagem oficial; 500 mil residências destruídas e um milhão, danificadas; dezenas de escolas, hospitais, pontes, estradas a reconstruir.

    O governo avalia em 3,5 bilhões de euros o custo provisório da reconstrução das infraestruturas públicas. Mas talvez seja mais difícil reparar os danos políticos, sociais e psicológicos provocados por uma catástrofe ocorrida 12 dias antes da transmissão de poder, efetuada em 11 de março, entre a presidente socialista Michelle Bachelet e seu sucessor, eleito em 17 de janeiro, Sebastián Piñera.

    Com uma popularidade recorde na véspera do abalo sísmico – 84% de opiniões favoráveis – e legitimamente orgulhosa de um mandato globalmente bem-sucedido, Bachelet sonhava em deixar a cena com elegância. A natureza em fúria decidiu diferentemente. A amplidão do cataclismo, que teria apanhado de surpresa qualquer governo, fosse no Chile ou em outro lugar, não dispensa a presidente de tirar lições de alguns erros de julgamento e, sobretudo, de fraquezas do Estado, em um país que seus cidadãos gostam de apresentar como o mais moderno da América Latina. E isto, apesar de a popularidade de Bachelet não ter sofrido com a catástrofe: segundo uma pesquisa publicada em 9 de março, 75% dos chilenos aprovam sua maneira de administrar essa difícil situação.

    O diagnóstico inicial incorreto da Marinha, que excluiu a possibilidade de um tsunami, custou centenas de vidas. A essa confusão acrescentaram-se outras disfunções: a má coordenação entre civis e militares, a espera demasiada longa para enviar o Exército ao local, a síncope das redes de comunicações.

    Em uma entrevista ao jornal "El Sur", José Antonio Viera Gallo, secretário-geral da Presidência da República, admitiu que ele mesmo não pôde se comunicar com as autoridades das regiões sinistradas durante "vários dias". Nesse sentido, os clubes de radioamadores lamentam que ninguém tenha pensado em solicitar seus serviços. Essas graves deficiências são ainda mais surpreendentes em um país de longa memória sísmica. Piñera prometeu reformar profundamente e modernizar todos os procedimentos de alerta.

    O caráter especialmente assassino da catástrofe, o temor das réplicas, a impotência das autoridades locais, o aparente desaparecimento da força pública, a falta de produtos básicos, reais ou supostamente iminentes, favoreceram ao mesmo tempo uma psicose da escassez e um vazio de poder, propícios às ações criminosas.

    Principalmente em Concepción, os saqueadores aproveitaram o caos dominante para roubar e incendiar os supermercados. Também atacaram pequenos comércios ou simples casas particulares. As imagens desse saques feriram profundamente o orgulho da maioria dos chilenos. Depois de dois dias, os 14 mil soldados mobilizados nas regiões sinistradas foram recebidos com um imenso alívio.

    "Pensávamos ser um povo desenvolvido. Percebemos que nos parecemos mais com o Haiti do que com o Japão", lamenta o cientista político Patricio Navia. "O que nos aconteceu?", pergunta a socióloga Lucia Dammert. "Esse vandalismo é o pior de nós mesmos!", lançou um repórter de uma rádio local.

    Segundo o Exército, em Concepción, 90% dos saqueadores presos não têm antecedentes criminais. A maioria pertence a um meio modesto, os outros à classe média. A pequena máfia local também aproveitou a ocasião. Temor ou remorso? Muitos "restituíram" seu butim abandonando-o nas ruas, como os carabineiros pediram.

    Enquanto prometia aos cerca de 300 saqueadores presos uma punição severa, o governo tentou relativizar o acontecimento, citando cenas parecidas em 2005 em Nova Orleans depois da passagem do furacão Katrina. Elas são próprias das situações de catástrofe, quando a ausência de autoridade provoca uma perda de confiança no Estado. Para muitos analistas, essas pilhagens são reveladoras de uma fratura social. Nessa região, uma das mais pobres do país, os saqueadores teriam expressado sua raiva e sua frustração diante de uma realidade percebida, segundo o sociólogo Emilio Torres, como "cada vez mais desigual".

    Vinte anos de centro-esquerda no poder permitiram reduzir para 14% o índice de pobreza. Mas o bom funcionamento da economia social de mercado, que está na origem do "milagre chileno", não reduziu o abismo entre ricos e pobres, enquanto os primeiros concentram 45% da riqueza nacional.

    Orgulhoso de ter aderido em janeiro à Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômicos (OCDE), o Chile continua sendo um dos países mais desiguais da América Latina. Um em cada quatro jovens está desempregado; três em cada dez não encontram emprego ao sair da universidade. Empresário multimilionário, representante de uma direita descomplexada, "cristã e humanista", Piñera conseguirá curar o mal-estar social cujos sintomas surgiram nesses dias trágicos?
     
  13. Arutha

    Arutha Usuário


    Desde 3 Ago 2006
    São Paulo/SP/Brasil
    Do ponto de vista israelense (conclusao que tiro pelos talkbacks postados tanto no Jerusalem Post quanto no Israel National News), esse gesto fez esfumar-se qualquer veleidade de atuacao do Brasil como intermediario imparcial na solucao do conflito do oriente medio.
    "Presidente Brasileiro nao visitara o tumulo de Herzl
    "Isto e um insulto aos cidadaos israelenses e as comunidades Sionistas ao redor do mundo," disse na segunda-feira Hagai Merom, funcionario da Agencia Judaica, apos o presidente brasileiro Luiz Ignacio Lula da Silva dizer que nao visitaria o tumulo de Binyamin Zeev Herzl durante sua primeira visita oficial a Israel.
    "Espero e acredito que o presidente mudara seu pensamento… evitar colocar uma coroa de flores no tumulo de Herzl e o mesmo que recusar-se a visitar o tumulo de Mustafa Kemal Ata Turk na Turquia, ou o de Mahatma Ghandi na India.
    A visita ao tumulo de Herzl foi acrescentada ao itinerario de funcionarios estrangeiros visitando (o pais) em honra ao sesquicentenario do nascimento de Herzl.
    Na semana passada, o vice-presidente dos EUa Joe Biden foi o primeiro funcionario estrangeiro a visitar o tumulo de Herzl. A tumba do pai do Sionismo fez parte do itinerario de visitantes estrangeiros no passado, mas foi substituida em anos recentes por uma visita ao tumulo do primeiro-ministro assassinado Yitzhak Rabin"

    Desculpe, mas não colocar flores no túmulo de Herzl não é nem de longe e o mesmo que recusar-se a visitar o tumulo de Mustafa Kemal Ata Turk na Turquia, ou o de Mahatma Ghandi na India...
    o sionismo não é um consenso até onde eu saiba e é uma das raízes do conflito no Oriente médio. Como o Brasil pode perder a veleidade de querer atuar como intermediário imparcial se recusando a visitar o túmulo do fundador do sionismo? Por outras coisas pode ser, mas por essa... seria o mesmo que anunciar ao mundo que o Brasil parte do pressuposto que o sionismo está certo. Não me parece muito imparcial....
    que Israel tenha substituído a visita ao túmulo do Rabin, assassinado e um primeiro-ministro empenhado nas negociações de paz, pela visita ao túmulo de Herzl também não me parece algo tão inocente como uma simples homenagem ao seu aniversário. E que o vice dos EUA tenha visitado não quer dizer que o Brasil também tenha. É um dos tópicos em que os dois países não têm posição idêntica (de novo até onde eu saiba...)
     
  14. Arthurvictor

    Arthurvictor Usuário


    Desde 15 Mar 2009
    Belo Horizonte/MG/BRASIL
    Esse tipo de situação de catástrofe expõe a população de um país. O mais lamentável no Chile, obviamente após a perda de vidas e danos materiais, foi o saque às lojas não só pelo povo mais pobre mas também pela classe média. Serve para a gente ficar pensando como seria no Brasil, nunca tivemos esse tipo de situação, graças a Deus, mas vocês se lembram em Santa Catarina quando tinha gente que desviava donativos para as vítimas.
    Outro caso muito comum é quando há acidente com caminhão nas rodovias e muita gente para os carros para ajudar a saquear....um caso para a gente refletir sobre nossas atitudes...
     
  15. Renato_CWB

    Renato_CWB Membro & Colaborador


    Desde 15 Jul 2005
    Curitiba - PR
    Por ser relacionado mais a política exterior e relações internacionais, movi as mensagens sobre a visita do Pres. Lula para este tópico. (y)
     
  16. rades

    rades Usuário


    Desde 14 Jun 2005
    Brasil
    Silvio Berlusconi da Itália e Sarkozy da França não visitaram esse túmulo, agora com o Presidente do Brasil é "incidente diplomático", pelo mesmo não visitá-lo. Ninguém é obrigado a visitar o que não quer visitar. Gafe seria se Lula visita-se o mesmo. O programa original de Lula preve a visita aos tumulos de Rabin e Arafat, um de cada lado.

    Chanceler de Israel boicota discurso de Lula no Parlamento
    O ministro das Relações Exteriores de Israel, Avigdor Lieberman, decidiu nesta segunda-feira boicotar o discurso que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez ao Parlamento israelense, conhecido como Knesset.

    Apesar das claras divergências entre as posições do Brasil e da maioria absoluta dos deputados presentes no Knesset nesta segunda-feira, Lula foi aplaudido de pé.
     
  17. JCarneiro

    JCarneiro Usuário


    Desde 6 Ago 2007
    Rio
    Jogaram uma casca de banana para ver se o Lula caia.
    Apoiar um lado ou outro desqualificaria qualquer intermediação do conflito por parte
    do Brasil, e criaria um "clima" muito ruim com os paises arabes.
     
  18. Eronsilva

    Eronsilva Voar, navegar, acelerar...


    Desde 9 Abr 2006
    Israel
    Arutha, garanto-lhe que nao quero polemizar, porem o que mais ha no mundo e desinformacao na imprensa mundial sobre o que se passa e o que representa o minusculo (menor que Sergipe) Estado de Israel. Eh com grande e sincera humildade que lhe peco licenca para alguns comentarios. Novamente, sem intencao de criar polemica, pois este nao e o lugar (nos gostamos e de boa musica, certo?):aplauso:

    Herzl nao era religioso, tanto que chegou a defender no congresso sionista mundial a Opcao Uganda, em 1904, em vez de lutar pelo retorno do povo Judeu aa Palestina, sua terra de origem (assim rebatizada pelos romanos, apos a derrota final dos Judeus na rebeliao de Bar Kochba, no inicio do seculo II da era comum). Desde seu inicio no seculo 19, o Sionismo lutou por um lar nacional Judeu como unica forma de resolver o problema do anti-semitismo. Nao ha nada de errado nisso, depois de 2000 sendo acusados de deicidio, sendo que o profeta cristao foi na verdade morto pelos romanos.
    O Sionismo nunca foi a causa do conflito no oriente medio, mas sim a recusa dos paises arabes em reconhecer a decisao da ONU de fazer a partilha da palestina entre judeus e arabes. Todas as guerras que ocorreram apos 1948 (e os massacres de centenas de judeus nas decadas de 20 e 30) foram iniciadas pelos arabes.

    Arutha, por favor, considere minhas palavras acima. Nao cabe ao Brasil dizer se acha o Sionismo certo ou errado, mas sim se acredita que uma decisao soberana da ONU deve ou nao ser acatada. Esta sempre foi a questao, e eh disso que se trata aqui. De intermediario que nao reconheca o direito de Israel a seu Estado basta a Turquia de Erdogan (e atencao, muita atencao por favor que eu quero eh paz (e um disco bom rodando no Player): estou me referindo ao Governo Erdogan, que tenta islamizar um pais que, gracas a Kamal Ata Turk, escolheu o caminho do secularismo e se tornou o mais avancado pais arabe da regiao).

    Informe posterior ao texto que traduzi trouxe informacoes do pessoal diplomatico israelense esclarecendo que, de fato, a comitiva brasileira nao havia sido informada da mudanca de planos a tempo. Essa mudanca no protocolo, aceita e atendida por Biden, foi aprovada no Knesset ha apenas 15 dias.
    Entretanto, todos veremos, apos a proximas visitas de dignatarios estrangeiros, que nao ha nenhuma "mao de gato" por tras da frustrada homenagem de Lula ao pai do Sionismo.Agora, elle bem que podia cancelar a visita ao tumulo do arafat, so pra mostrar "equilibrio"...:D

    Finalizando: acredito de coracao que Israel tem muito a oferecer ao Brasil, e tambem pode se beneficiar imensamente de um relacionamento construtivo com nossa patria. Lamentavelmente, as experiencias amargas que este pais acumulou faz com que "sonhemos, mas nao prendamos a respiracao esperando..."
    Shalom, salaam, paz para todos nos. E que o Brasil continue sendo um pais democratico, pluralista e, se possivel, mais justo com os seus cidadaos e os de seus amigos sinceros.
     
  19. M. Rubini

    M. Rubini Usuário


    Desde 24 Nov 2003
    Curitiba/PR
    Se o Lula de fato se recusou a visitar o túmulo do Herzl, bato palmas.

    Mas o Lieberman "boicotar" o Lula é um tremendo elogio. Me deixa até com orgulho do "Cara".
     
  20. Papillon

    Papillon Usuário


    Desde 30 Jun 2004
    Sao Paulo _SP
    Lula não visita o tumulo de Herzl, mas hoje vai a Ramalah visitar o tumulo de Arafat, que "bonzinho" matou milhares.

    Particularmente sou favoravel a causa palestina (de ser um estado indepentente e reconhecido) na relação com Israel (que tem o direito de defender-se mas não deveria ter de submeter os palestinos a privações até humanitárias), porém hoje mais de 60 anos após a criação do estado judeu não existe um canal de dialogo definido e não será positiva a participação brasileira com o apedeuta partindo claramente para o apoio a Irã e OLP/Fatah (quem dirá o Hamas).

    Acredito também que não fosse a segunda guerra (mais precisamente a perseguição nazista), aos poucos o próprio movimento sionista iniciado por Herzl teria estabelecido uma palestina judaica... Enfim é de uma compreensão dificil como uma terra santa para três religiões que pregam a paz se torne um palco de guerra permanente.
     
  1. Este site usa cookies. Se você continuar a usar este site, automaticamente concorda com nosso uso de cookies.
    Fechar Aviso