Anúncio do HT Forum

Longevidade dos motores vw TSI

Discussão em 'Mercado, Marcas e Modelos' iniciada por Crazyvw, 19 Jun 2014.

  1. Crazyvw

    Crazyvw Usuário


    Desde 30 Abr 2011
    São paulo
    Esses motores que agora são oferecidos no golf, jetta e passat, além de equipar os modelos da Audi, com algumas variações costumam rodar bem após 80-100 mil km? Será que duram tanto quanto um aspirado?
    acho que o modelo que está há mais tempo rodando seria passat...
    gostaria de saber do pessoal que tem esses carros já há alguns anos como está a saúde do motor turbo...
     
  2. danban

    danban Usuário

    7.520 1.453 576

    Desde 7 Fev 2009
    São Paulo/SP
    Bom tópico.

    Também gostaria de saber pois tenho interesse em carro uaado com este motor e tenho receio.
     
  3. Bruno_mgá

    Bruno_mgá Usuário


    Desde 18 Jul 2010
    Mgá - PR
    Amigo, antes de tudo de uma lida nisso...

    http://www.noticiasautomotivas.com....inge-800-000-km-e-motor-estava-em-bom-estado/

    Ao meu ver, qualquer motor atualmente tem durabilidade ´mínima` para mais de 500mil km tranquilamente... Havendo lubrificação adequada, manutenção ´Preventiva`, combustível de boa qualidade e uso correto não existe razão lógica para um motor se desgastar prematuramente.

    O problema aqui no Brasil é justamente o tal da manutenção preventiva... ninguém a faz, o carro só encosta no mecânico quando quebra. Na minha opinião nos motores 2.0 TFSI, o cuidado básico seria:
    *Troca de óleo filtro a cada 7500 / 10.000km, (utilizando padrão recomendado pela fábrica ou Superior, como óleo Mobil 1 por exemplo.
    *Substituição de velas e bobinas aos 60 / 70mil km,
    *Filtro de combustível aos 60 / 70mil km.
    *Troca do kit de corrente e tensionadores (não tão raro, acontece do tensionador vir a dar desgaste onde a corrente trabalha com folga e pode vir a ´´pular dente`` ocasionando o atropelamento das válvulas. Conversei com um mecânico da Audi que disse já ter cuidado de dois casos por aqui. Nos USA rolou recall e garantia estendida para esse problema, mas aqui no Brasil nada se fala), a cada 80 máximo 100mil km. (o kit em questão é esse: http://www.ecstuning.com/Audi-A3-FWD-2.0T/Maintenance/View_All/ES2592683/ )

    Já na parte de câmbio:
    *Troca do óleo e filtro a cada 50 ou 60mil km são essenciais para a durabilidade do sistema.

    Agora, vou contar um segredo. Sabe pq existe falta de manutenção no Brasil? Além da questão cultural, onde os consumidores não estão nem ai para isso, acham que ´´não precisa``, Ou o mais comum ´´-Vendo assim mesmo, pego um 0km e passo a bomba pra frente``., existe o problema da EXPLORAÇÃO por parte das concessionárias.

    Importando:
    *Kit de Bobinas Originais e Velas + imposto + frete + M.Obra de instalação: Custo Total R$ 700,00. Nas concessionárias Vw/Audi: R$ 1.800 / 2.500
    *Óleo de Câmbio DSG Original c/ Filtro + Imposto + Frete + M.Obra troca: Custo Total R$ 600,00. Nas concessionárias Vw/Audi: R$ 1.000 / 1.800
    *Amortecedores Originais (Kit 4 peças) + Imposto + Frete + M.Obra troca: Custo Total R$ 2.500. Nas concessionárias Vw/Audi: R$ 3.600 / 4.500

    Ai o cidadão para na concessionária para fazer uma revisão ´´básica`` e recebe um belo orçamento de R$ 10mil reais... O que ele faz? Roda até onde dá ou vende o carro.
     
    • 1
  4. fljp

    fljp Usuário

    8.878 5.252 651

    Desde 20 Jan 2009
    Brasilia
    Com certeza esses motores são bem duráveis. Mesmo nos casos onde o cara só uso gasolina comum, não há relatos de quebra.
    Se eu fosse comprar um usado, provavelmente pediria pra um mecânico abrir e limpar as sedes das válvulas, que é um trabalho simples. Depois só alegria !!
     
  5. M E N A U

    M E N A U _____________ad augusta _____________per angusta


    Desde 13 Abr 2010
    Aqui-BR
    Concordo plenamente com os colegas acima, mas penso que os TSi injeção dupla de novo Audi A3 e VW GTI estariam ainda melhor credenciados a uma compra como carro de segunda mão.
    Primeiramente pela própria concepção da injeção dupla, a qual minimiza as questões da carbonização precoce das injeções do tipo direta, afinal nesta, o combustível em alta pressão é pulverizado diretamente na câmara de combustão, sem ''lavar'' as válvulas de admissão, as quais, por trabalharem mais frias que as de escape, tendem a acumular depósitos de impurezas, vindas do combustível e da EGR (gases de retorno de queima, obrigatório o recurso por exigência de novos padrões de emissões, cada vez mais rigorosos).
    Já a dupla injeção, direta + multiponto (regimes de baixa RPM e partida) concilia a alta eficiência de uma com a auto limpeza de outra, tendendo ao melhor dos mundos.
    Como se não bastasse, ambos os carros surgiram praticamente com a abolição do gasohol a 800 PPM de enxofre, ou seja, desde o início trabalhando com combustível mais limpo, preservando o sistema.
    Com a chegada do turbo flex dupla injeção, ter-se-á, o terceiro estágio, o qual;
    - deixa para trás a questão da taxa de compressão, já que isso é minimizado pela indução a turbocompressor;
    - alia alta performance e eficiência energética, com poucas chances de carbonização precoce, pela dupla injeção;
    - e por ser flex, melhor adequado às investidas do governo em deixar o gasohol com quase 1/3 de álcool anidro, hoje em 1/4, mesmo na Pódium, e para aqueles lugares onde o etanol compensa, poder-se rodar com um combustível mais limpo, alta ''octanagem'' e menos sujeito a adulterações (ou facilmente detectáveis pelo próprio uso).

    NMHO - posso estar redondamente enganado - os próximos lançamentos contemplarão tais inovações, deixando os motores turbo downsizing, flex, injeção dupla, ainda mais robustos e adaptados a nossa realidade de uso, o que os torna excelentes opções em semi-novos de segunda mão, com ótima autonomia (sem necessidade de abastecer na estrada), e motor de sobra para as viagens a destinos bucólicos por vias simples (ultrapassagens constantes).

    Por ora, como aventado, um limpeza de sede e de válvulas em bancada, e inclusão de uma inspeção geral (inclusive com micro câmera), parecem-me, senão mandatórias, ao menos bastante recomendáveis, além de todo o histórico de manutenções, com notas fiscais dos serviços realizados ao longo do tempo x km.
     
  6. LOGANXXX

    LOGANXXX Usuário


    Desde 10 Nov 2009
    Campinas/Avare' - SP
    Tenho um Cliente que possui um A3 SPB 2009 com 180mkm. Só roda com pódium e é dele desde 0km. E ele anda bem rápido
    Tirando as revisoes habituais, só teve como maiores problemas a troca dos bicos injetores (bobinas e velas por consequencia).
    De resto, continua feliz e vai trocar esse ano pois fica 5 anos com cada carro.
    Meu Passat está com 88mkm 2012 e roda liso como 0km.
     
  7. fljp

    fljp Usuário

    8.878 5.252 651

    Desde 20 Jan 2009
    Brasilia
    Na verdade isso é recomendável para QUALQUER carro usado.
     
  8. M E N A U

    M E N A U _____________ad augusta _____________per angusta


    Desde 13 Abr 2010
    Aqui-BR
    Os últimos desmontes, todos, da 4 Rodas que o digam... rs, rs.
    Nem o Etios salvou-se de carbonização das válvulas, desde o desmonte do PUG 3008 está quase que como regra tal ponto negativo, cada qual por um ou outro motivo.

     
  9. fljp

    fljp Usuário

    8.878 5.252 651

    Desde 20 Jan 2009
    Brasilia
    Tb depende da quilometragem e da confiança no proprietário. Se vc está comprando um TSI/TFSI com menos de 20000km, por exemplo, de um proprietário que só usou podium, não tem pq fazer essa manutenção. Agora, com 60000km, é bom fazer em qualquer carro.
     
  10. Lucca79

    Lucca79 Usuário


    Desde 2 Fev 2007
    São Paulo
    Aproveitando, tenho visto no tópico do Golf, o pessoal discutir muito qual tipo de gasolina utilizar.

    No caso desses motores TSI, li a um tempo que era recomendado Podium por causa da baixa taxa de enxofre, e futuramente gasolina comum, com a taxa de enxofre reduzida. Na época lembro, que não recomendavam aditivada, pois tais aditivos não fariam diferença nenhuma em um sistema de injeção direta, sendo que até poderiam prejudicar o motor.

    Minha dúvida é: É mesmo recomendado utilizar gasolina comum nos motores TSI, ao invés de utilizar aditivada?
     
  11. M E N A U

    M E N A U _____________ad augusta _____________per angusta


    Desde 13 Abr 2010
    Aqui-BR
    Penso que essa recomendação não se sustenta, pois os aditivos nada mais são que ''detergentes'' e dispersantes, sendo mais importante a classificação de octanagem mínima.
    Inclusive, existe a previsão de que a gasolina comum deixe de ser vendida, só foi postergado o momento.

    Método MON (Motor Octane Number) ou método Motor - ASTM D2700 - avalia a resistência da gasolina à detonação, na situação em que o motor está em plena carga e em alta rotação.
    Método RON (Research Octane Number) ou método Pesquisa - ASTM D2699 - avalia a resistência da gasolina à detonação, na situação em que o motor está carregado e em baixa rotação (até 3000 rpm)

    Alguns países utilizam a octanagem MON, RON, e outros o Índice de Octanagem IAD (Índice Antidetonante) = (MON + RON)/2. Para uma mesma gasolina, o RON tem um valor típico superior ao MON de até 10 octanas. Portanto, ao comparar gasolinas de diferentes países é importante verificar se está sendo utilizada a mesma base (MON, RON ou IAD).

    O manual de cada veículo especifica o tipo de gasolina que possui a octanagem mínima necessária ao bom funcionamento (desempenho) do mesmo, sem a ocorrência danosa da detonação. Qualquer gasolina que possua octanagem maior que a mínima especificada poderá ser utilizada sem problemas.


    No Brasil, a octanagem é expressa em IAD = Índice Antidetonante (a gasolina comum é especificada também pelo MON).



     
  12. fljp

    fljp Usuário

    8.878 5.252 651

    Desde 20 Jan 2009
    Brasilia
    Talvez não seja tão simples assim. A Mercedes recomenda usar podium ou comum nos seus carros, mas não recomenda a aditivada. Não sei exatamente o motivo, mas deve ter algum.
    No Clube do Jetta eu já li que os TSi se saíam melhor com comum que aditivada. Mas isso era em tempos de enxofre alto, agora pode ter mudado, afinal a gasolina tem outra composição.

    - - - Atualizado - - -

    Nos motores de injeção direta os aditivos perdem um dos principais motivos para existirem, que é limpar a sede das válvulas de admissão. Mas para o resto do sistema (tanque, bomba de gasolina, bicos injetores) eles ainda tem função.
     
  13. Lucca79

    Lucca79 Usuário


    Desde 2 Fev 2007
    São Paulo
    Bem lembrado MENAU. Mas qual seria a eficácia desses detergentes em um sistema de injeção direta?

    - - - Atualizado - - -

    Bem colocado, essa é uma consideração muito pertinente.
     
  14. M E N A U

    M E N A U _____________ad augusta _____________per angusta


    Desde 13 Abr 2010
    Aqui-BR
    Como o consumidor é sempre o último a saber, ainda que remoto, pode de fato, existir alguma implicação extra no uso de aditivada por uma outra fabricante.
    Mas, a Pódium também é aditivada, contudo com algo mais, pois é mais estável, menos de s30, e alto IAD.
    De qq forma seria bom esta recomendação pela sem aditivos ser apenas o mesmo erro de quando se confundiu com chumbo, este danoso ao catalisador.
    Afinal a comum tende a desaparecer, e mais preocupante, seria adição de anidro a 30% como já cogitado.

    Os aditivos continuam sendo uteis mesmo na injeção direta, como falado acima, e nas dupla injeção, NMHO.
     
  15. rpralon

    rpralon Usuário


    Desde 24 Nov 2008
    Florianopolis/SC/Brasil
    Negocio de rodar muito em estrada nao vejo muito potencial problema.
    Questao é no ciclo de cidade, liga, anda 12 km, desliga, liga, anda 3km , desliga, etc...
    Isto que é que ferra o motor.
     
  16. rrb

    rrb Usuário


    Desde 30 Jul 2011
    eunapolis?Bahia/Brasil
    Olha eu tive problema com a bomba de alta pressão do tiguan, meu 11/12 só uso V power, pois não tenho podiam na cidade,e está com 23 milkm!
     
  17. gustavo.gdp

    gustavo.gdp Usuário


    Desde 5 Abr 2011
    Cuiabá, MT
    Tenho um Passat 2.0 turbo DSG há 4 anos e tenho o pé muito pesado, levo a RPM até 6mil direto, não enjoo de sentir as puxadas. Uso na cidade normalmente, mas já fiz viajem de 3000km. Só uso podium. O motor está perfeito. Esses dias levei para trocar o óleo da transmissão e a CC não tinha e queria cobrar 800 Reais para importar o óleo. Há relatos do Passat antigo 1.8T com mais de 400 mil rodados sem fazer o motor. Esse bloco foi projetado para suportar a sobrealimentação.
     
  18. eumau

    eumau verschmutzt


    Desde 27 Jul 2006
    SBC - SP
    Um colega taxista, que nos presta serviços na empresa, rodou 360k com um 2004 turbo. Esta com outro Passat, 2010 creio eu, e acho que vai no mesmo caminho. O cara roda muito e pisa muito. Filtro e óleo sempre trocados, salvo engano, a cada 5mk.
     
  19. P e z ã o

    P e z ã o Usuário


    Desde 29 Out 2013
    Sorocaba - SP
    Só para informação a Podium tem os mesmos aditivos da gasolina aditivada da BR... os mesmos.

    Então se a Podium não prejudica o motor a aditivada também não prejudicará.

     
  20. sergioserra

    sergioserra Usuário sem ONG.


    Desde 12 Jan 2005
    Curitiba
    Meu medo nem e o motor. Por acaso voces sabem se as embreagens sao cobertas pela garantia. ...na nissan por exemplo, pelo menos no march nao sao. Uso um march pra trabalho que comecou a enroscar a 3 marcha e o vendedor foi taxativo- nao cobre. Submetidas a alto torque estas embreagens duplas as vezes nao aguentam. E muito raro mas acontece.
     
  1. Este site usa cookies. Se você continuar a usar este site, automaticamente concorda com nosso uso de cookies.
    Fechar Aviso