PROBLEMAS DE FÁBRICA NO HT LX600 PHILIPS

Discussão em 'Primeiro HT, Sistemas Integrados, Geral' iniciada por nomura, 28 Jun 2005.

  1. nomura

    nomura Usuário


    Desde 8 Jun 2005
    Bauru/SP
    Anúncio do HT Forum
    Pessoal:
    Comprei via Submarino um Home Theatre PHILIPS modelo LX600 e veio com quatro características negativas básicas: 1) - Defeito no pré-amplificador que fornece saída de áudio na caixa traseira esquerda (o som sai mais baixo que o da direita); 2) - As entradas digitais (coaxial ou óptica) não fornece potência nas caixas acústicas como no modo de entrada analógico - o som sai muito mais baixo no modo digital; 3) - A potência informada de 600 Watts RMS não é verídica. A potência "parece ser " idêntica ao modelo LX700, que é 300 Watss RMS. E mesmo se fosse 300 Watts RMS, não parece ser quando ligado em último; 4) - O receiver esquenta muito, apesar de ter cooler interno.

    O meu equipamento está na autorizada Philips aqui de Bauru/SP, e o técnico me informou que está com defeito em um circuito integrado do pré-amplificador. Foi pedido à Philips e demora pelo menos 2 semanas pra chegar. Perguntei sobre os outros questionamentos acima, me informou que é assim mesmo.

    Uma outra pessoa aqui do fórum, que mora em Poços de Caldas/MG também comprou esse mesmo receiver no Submarino, e também está com problemas na saída de som traseira, esquerda: está mais baixo que o da direita, e informei o meu ocorrido.

    Portanto, gostaria de saber se tem mais pessoas que compraram o receiver para ver se também estão com os mesmos problemas (talvez seja problema de lote ou erro de projeto da Philips).

    Aguardo mais contatos. Grato,
    Mauricio.
     
  2. jeffyx

    jeffyx Usuário


    Desde 3 Mar 2005
    CURITIBA - PR
    é, as verdades vão aparecendo, não adianta....

    acreditar que um in-a-box, com o perdão da palavra, e sinceras desculpas aos que o possuem, vagabundinho desses, forneça 600 w rms é no mínimo brincadeira de mal gosto. e olha que isso vem de uma Philips hein....
    depois condenam a cce, mas pelo menos no kit que ela vendia informava "apenas" 172 W rms, o que ainda assim duvido que atinja...

    pessoal, potência em RMS é coisa séria...e 10 W RMS, 20 W RMS é coisa pra caramba... imaginem os 600 que esse aparelho apresenta... no mínimo iría derreter o bichinho antes de fornecer essa usina...

    depois as pessoas compram e se arrependem, e a quem vão recorrer?
     
  3. nomura

    nomura Usuário


    Desde 8 Jun 2005
    Bauru/SP
    É verdade, colega. Nós, brasileiros, somos um pouco conformistas, relaxados, medrosos ou desinformados. Mas, às vezes, temos de colocar a boca no trombone, brigar de igual para igual, logicamente se nós temos fatos concretos. Por exemplo, neste som, onde é que a Philips iria me dizer, com toda a sinceridade tecnológica e com respaldo da matemática eletrônica, dizer que aquelas caixinhas aguentaria 100 Watts RMS cada? Se vocês vêem os systems ou aparelhos de som que vendem no comércio, ou mesmo aqueles alto-falantes automotivos, que têm um ímã gigantesco na traseira destes, estão lá não por enfeite: eles têm de serem grandes (e logicamente pesados) para aguentarem toda a potência a ser suportada, ainda mais pelas características informadas (100 Watts RMS, etc). Agora, potência em matemática é calor, consumo, dissipação, V X I, dentre outras coisas. Se um aparelho, pelos dados do fabricante, consome ou tem uma capacidade máxima de consumo de 180 Watts, como é que ela pode fornecer potência nas caixas de som a 600 Watts no total??? De onde ela " fabrica" os outros 420 Watts??

    Isto é enganação sem precedentes!! Como a Philips sabe que o povo brasileiro acredita em tudo que lê e é divulgado, ela continua divulgando marketing e propagandas de produtos que dizem serem melhores que os mais top de linhas. Tudo para vender. É hora de nós peitarmos essas potências de empresas enganadoras e dar trabalho a eles, a fim de aprender a não enganar mais nós, consumidores brasileiros.
    O mais estranho é que, acessando os sites de busca, citarmos o modelo LX600 será encontrado no mundo inteiro. Sim!! O aparelho é vendido mundialmente. Como é que lá fora também é divulgado estas informações técnicas e ninguém (ao menos que eu saiba) reclama?
    Bom. Farei reclamações e pedirei algum teste oficial (inmetro, etc) para que comprovem essa real potência. Qualquer novidade, escreverei por aqui!
     
  4. ]-[unter

    ]-[unter Usuário


    Desde 6 Jun 2005
    Bauru-SP
    Philips tá ficando uma *****. Eu tive um LX700 que veio com problema na caixa central, as vezes o tweeter parava de funcionar e voltava. Levei na assistencia, ficou 1 semana lá e o "cara"(nem chamo de técnico) disse que tinha arrumado. Detalhe: O fio interno estava preso um pouco pra fora da caixa. Levei em casa, testei, e deu a mesma coisa. Retornei com a caixa e eles disseram que iria trocar. Depois de feito a troca da caixa resolveu o problema...


    Nomura, vc levou na Asami??? Foi onde eu levei.
     
  5. joao_neto_pb

    joao_neto_pb Usuário

    Olha, tem uma lei que muuuitos não sabem, mas se um aparelho ficar por mais de um mes no conserto, voce tem direito a receber um aparelho novo, o dinheiro de volta, ou um aparelho similar(acho que na falta do mesmo).

    E ainda mais o seu aparelho é novo. O que eu vou receber o dinheiro de volta(celular) tinha 11 meses de uso.

    Portanto, vá no procon de sua cidade, que é relativamente rápido, e pegue sua grana de volta.
    (y)
     
  6. nomura

    nomura Usuário


    Desde 8 Jun 2005
    Bauru/SP
    Caro Hunter: Eu levei na Assami, apensar de lá ser Assistência Técnica Panasonic, eles também são da PHILIPS. E aproveitando, para posicionar mais informações ainda: recebi informações da Assistência Técnica:
    O circuito integrado do pré-amplificador que está com defeito, não é reposto (é um CI SMD, especificamente o IC 401). A Assitência Técnica me disse que recebeu a informação da PHILIPS que como esse componente não pode ser trocado, o que é trocado é toda a placa do amplificador. Assim, vai demorar muito mais ainda pra arrumar...
    Vou ter que aguardar esse prazo, mas vou ao Procon me informar dos procedimentos, pra não fazer ter que correr depois, na hora.
    Sei que é uma grande decepção, mas também, um azar meu ter pego um receiver com defeito... que dureza!!!!
    Não consegui curtir nadinha dele ainda... Mas vou mandar e-mails à PHILIPS se ela pode intervir e agilizar o processo de recuperação...
    falow gente!!!
     
  7. ]-[unter

    ]-[unter Usuário


    Desde 6 Jun 2005
    Bauru-SP
    Vixi, que problemão hein??? O duro foi que vc comprou no submarino, se tivesse comprado em alguma loja vc poderia fazer a troca direto.
     
  8. nomura

    nomura Usuário


    Desde 8 Jun 2005
    Bauru/SP
    Pessoal, olha que estranho.
    Comprei o receiver no Submarino. Hoje, não tem mais o produto lá. Encontrei somente nas Lojas americanas, e pelo mesmo preço.
    No site da Philips, antes de comprar, tinhas todas as especificações lá. Hoje, o receiver não existe no site da PHILIPS brasileira. Fiz um searsh no google, e encontrei o mesmo produto em outros países, inclusive com as mesmas especificações dos 600 Watts RMS que acho absurdo, dentre outras coisas.
    Mas no Brasil, sumiram!!!!
    Será que de tanto eu reclamar, tiraram do ar para pesquisar as minhas reclamações? Ainda não obtive retorno da PHILIPS.
    Vou aguardar, mas semanalmente estou enviando e-mails à PHILIPS reclamando da demora na solução do defeito.
    que dureza!!!! bom. encontrarm um cliente consumidor CHATO! Mas como dinheiro não é capim, e trabalho duro para ter as coisas, não vou desistir e vou pentelhar muito, até que se resolva. E ainda vou querer que a PHILIPS, pelo menos do Brasil, me prove que o equipamento forneça os 600 Watts anunciado. Sei que vai ser difícil, mas...
    falow!
     
  9. nomura

    nomura Usuário


    Desde 8 Jun 2005
    Bauru/SP
    Hunter:
    O LX600 somente havia na internet (lojas eletrônicas). O modelo LX700 tem nas lojas, mas dizem ter 300 Watts RMS. Como o LX600 é lançamento, e com o dobro da potência (600 Watss RMS), e pesquisando em muitos lugares, a relação custo-benefício, resolvi comprar sem testar e ver o produto.
    Me ferrei!!!!!
    Além de vir com defeito, os 600 Watts informado acho que não é fornecido nem a metade (300 Watts)!! E antres de comprar, eu ouví e testei um LX700. Gostei razoávelmente do som. Achei que os 600 watts seria melhor!!!
    Puro engado!!!
    Vou ve ro que dá!
    falow!
     
  10. joao_neto_pb

    joao_neto_pb Usuário

    Não sei quanto tu pagou, mas vejo que tu não estas satisfeito com o produto. Se eu fosse voce não iria atras de nada, esperaria quietinho até completar um mes de conserto, depois é só meter bronca (y) .
    Eu nunca pensei em ver uma posição daquela que a samsung fez, fazendo de tudo para eu tirar do procon, cheia de bla bla bla...
     
  11. PauloON

    PauloON Usuário


    Desde 13 Out 2004
    Valinhos/SP
    Pois é pessoal...

    Infelizmente esse negócio de anunciarem milhares de falsos Watts RMS é deprimente...

    Eu já trabalhei na Philips e a situação é complicada... Garanto que a empresa também não se sente nem um pouco orgulhosa em ter que fazer isso. O problema é uma questão de mercado, de concorrência desleal mesmo... A cabeça do consumidor é muito complicada, principalmente no Brasil, onde a maioria da população ainda é muito ignorante em relação à tecnologia, e o poder aquisitivo é muito baixo. As empresas ficam em situações difíceis. E é muito triste ver uma Philips ter que entrar no jogo para não perder mercado. Mas é assim, ou acaba não valendo a pena para ela permanecer no país. Muitas empresas já se retiraram do Brasil só para não ter que baixar o nível. Outras nem têm linha de produto popular atuar, ou mesmo não querem arriscar.

    Muitos consumidores se baseiam exclusivamente em preço e especificação. Principalmente home-theater, onde as lojas não dão condições para uma adequada avaliação quando se vai escolher o produto. A maioria delas instalam os equipamentos precariamente, e também o ambiente não ajuda nem um pouco. Muitas pessoas... muito barulho... O vendedor tasca o volume lá em cima e o cliente acha lindo, nem percebe a distorção. Pela internet então é comprar totalmente às cegas. Só depois vai lamentar que a qualidade é uma porcaria.

    Também tem outro perfil de consumidor, que quer tudo isso, ainda pagar R$699 por um in a box. Quer pagar o preço de um Fusca e exige a qualidade de um Golf.

    Se a empresa anunciar corretamente, por exemplo, que o seu home-theater tem 30 watts RMS (verdadeiros), vai acabar com certeza perdendo muitas vendas para um outro fabricante que anuncia 500 watts na má fé.

    E está cheio de HTs anunciados com 5.000, 10.000 watts. Outro dia vi um da Leadership com especificação de 15.000 watts. É um absurdo. E quem acha que comprar no Submarino ou na Americanas.com garante que o produto seja bom está redondamente enganado. Esse HT de 15.000 watts estava justamente anunciado no Submarino. Era um anúnico que destacava apenas a potência e o preço. Bem persuasivo mesmo. Eu tive que procurar para descobrir onde estava escrito a marca. E o consumidor acaba sendo seduzido, pelo menos no início. Até todos aprenderem, as empresas já lucraram muito com essa ignorância. E as empresas que procuram vender produtos de qualidade sofrem muito durante todo esse tempo.

    Eu peguei uma situação muito parecida, na época do apagão, onde nós tinhamos de concorrer com as centenas de marcas chinesas que entraram no país, e que mentiam descaradamente nas especificações. Nossas lâmpadas duravam realmente de 6.000 a 10.000 horas, dependendo da linha, e os chineses também anunciavam isso, enquanto na realidade duravam 3.000 e olha lá. Fora as lâmpadas falsificadas, queimando a imagem da marca. Até o consumidor descobrir que escolheu errado... Consequência disso? Perdiamos muuuuitas vendas para lojistas que preferiam marcas chinesas, sem qualidade, mas que vendiam muito por serem mais baratas. E eles ficavam felizes também por poder aumentar a margem de lucro, e ainda vender barato. Daí vai o corre-corre da Philips em manipular tudo o que foi possível para concorrer com isso, sem baixar a qualidade do produto. E ainda ficar na legalidade, pagando todos os impostos e mantendo todas as certificações. Não é fácil.... Eu mesmo via familiares enchendo a casa de lâmpadas baratas e porcaria, que queimavam em menos de 1 ano. Na minha casa coloquei todas Philips. Até hoje nenhuma queimou. Não que tudo da Philips seja o melhor, mas ela ainda fabrica muitas coisas boas.

    No final da história, eu fico mais triste pelo lado das pessoas, que são iludidas por essa enganação. E alimentam um círculo vicioso onde as empresas vão aumentando a mentira para brigar cada vez mais, e o consumidor vai comprando a idéia. Se as pessoas tivessem um pouquinho mais de discernimento iriam escolher produtos de qualidade real, e idéias como essa não sobreviveriam nem um único minuto. Mas infelizmente a situação da população no Brasil, e não só no Brasil, não permite isso.

    Até onde isso vai eu não sei dizer... Acho que nem Deus sabe.

    Parabéns para você que chegou até aqui na leitura, pois acabo de ver o "livro" que acabou virando meu comentário.
    Desculpe se ofendi alguém que tenha se identificado numa situação dessas, mas é uma realidade em que inclusive eu muitas vezes já entrei.
    Mais vale o desabafo.

    Um abração a todos.

    Paulo Oliveira
     
  12. PauloON

    PauloON Usuário


    Desde 13 Out 2004
    Valinhos/SP
    Se a Philips interrompeu as vendas do produto, afinal você falou que até tiraram do site, é porque admitiu ter problemas. Pelo menos é um sinal de que ela ainda é bem intencionada. Existem empresas que continuam vendendo produtos defeituosos, mesmo cheio de reclamações, e danem-se os consumidores.

    Abraços a todos!

    Paulo Oliveira.
     
  13. LKP

    LKP Usuário


    Desde 27 Jun 2005
    Brasília/DF/Brasil
    Realmente já fiz algumas contas em relação as potências dos aparelhos in a box, e parece que muitas empresas andam enganando a potência, mesmo em RMS, mas é difícil prever se isso está MESMO acontecendo....
    A resposta para aparelhos com potências altas e som nem tanto, pode significar baixa sensibilidade nas caixas de som. A cada vez que a potência é dobrada, a caixa aumenta o volume em apenas 3db!
    Ou seja, se neste aparelho da Philips cada caixa tem 100W, mas tem sensibilidade de sei lá, 70db por caixa, o som jamais ficará alto!
    E este é um dado que as empresas dificilmente divulgam.
    Vamos a um exemplo prático usando uma caixa de 70db de sensibilidade como exemplo (certamente de ter uma sensibilidade um pouco maior):
    1W = 70db; 2W = 73db; 4W = 76db; 8W = 79db; 16W = 82db; 32W = 85db; 64W = 88db; 128W = 91db...e assim por diante!
    Neste caso, como cada caixa tem 100W, o som não chegaria nem nos 90db de pico!!! Enquanto há caixas disponíveis no mercado com sensibilidade de 92, 93db, ou seja, inicia com essa qualidade já!
    Eu abri um tópico na dúvida entre dois aparelhos in a box, que é um aparelho acessível pra mim no momento, e optei pelo da Panasonic, que tem sub ativo e 800W RMS total, ou seja, na casa de 100W ou um pouco mais por canal, pois o Sub é o que mais consome.
    Eu dei uma olhada no manual, e as caixas tem sensibilidade de 80, baixa até para os padrões, e por isso acho que realmente tem esta potência, pois em minha sala, q é de 2 ambientes e relativamente grande, preenche bem o ambiente e nem precisa colocar no máximo a potência.

    Portanto Nomura, dá uma olhadinha no manual sobre a sensibilidade das caixas tbem, de repente é por isso que o som dele se assemelha ao do LX 700, com a metade da potência. Em teoria, o máximo que poderia produzir era 3db a mais só, se ambas as caixas partirem da mesma sensibilidade.

    Mais um adendo, segundo informações de um amigo, a Dolby aconselha que as caixas cheguem a picos de 105db com qualidade, isso realmente é difícil de acontecer, precisa ter potência associada a caixas de boa sensibilidade e acho que nenhum sistema in a box alcança isso!

    Braça!
     
  14. Márcio

    Márcio Usuário


    Desde 30 Mai 2002
    Pelotas RS
    LPK, qual é o consumo do teu equipamento?
    Abraços
     
  15. nomura

    nomura Usuário


    Desde 8 Jun 2005
    Bauru/SP
    Caro Paulo... Sobre a sua dissertação, como tenho relatico conhecimento técnico, procurei fugir dos LeaderShip.. GoldShip... etc de marcas que produzem Homes baratos e dados infundáveis, de potências absurdamente mentirosas. Assim, sobraram as marcas notadamente "boas", como: Gradiente, Philips, Panasonic, Sony, Philco, LG. Logicamente, as marcas "melhores" eu não podia no momento: Pionner, Yamarra, Kenwood, etc. Das marcas "boas", fiz diversos levantamentos, com ítens principais como: potência, qualidade, design, preço, garantia e ainda indicações. Como o fator preço foi colocado em primeiro (até R$ 1.000,00), já foi meio limitado os modelos. Como eu procurava um modelo sem DVD, diminuíram a quantidade. Como dizem que a qualidade dos Philips eram boas, o design era lançamento, potência alta ( 600Watts RMS!!), garantia no Brasil, e ainda vendida mundialmente... Sobrou esse modelo Philips LX600.
    Agora: Eu nunca iria imaginar que a Philips iria se sucumbir em inventar potência real em RMS só para competir com essas marcas fajutas que estão no mercado... e ainda, mundialmente ela divulga essa potência irreal. A GRADIENTE vende os homes baratos (HTS 520 - receiver com DVD e sem AM/FM, e o HTS 521 - receiver com DVD e AM/FM) mas divulgam que a potência total é 175 Watts RMS. Olha só a diferença. Acredito que na realidade, as potências sejam até parecidas, em questão de som nas caixas. Mas o fator divulgação de 600 Watts RMS me fez escolher a Philips. E agora, vejo que não é bem assim, e que fui enganado.
    Eu ainda estou esperando uma resposta da Philips em primeiro, arruma ro meu receiver. Segundo, fiz um questionamento técnico do porquê que a entrada digital tem uma saída de áudio muito mais baixa que o analógico. E o terceiro, se ela tem como comprovar essa potência divulgada de 600 Watts RMS.
    Vou ver o desfecho desta minha sina.
    Valeu!
     
  16. nomura

    nomura Usuário


    Desde 8 Jun 2005
    Bauru/SP
    Caro LKP:
    Vc me pergunta sobre o manual de instruções... Eu achei ridículo o manual, pois as instruções são basicamente muito resumidas, e um leigo consumidor residencial vai ficar boiando nas descrições de operação do equipamento. Agora, vc me fala na descrição da sensibilidade das caixas acústicas: Acho que não tem (o manual foi enviado junto à Assistência Técnica, pois na última folha do manual está o certificado de garantia do produto). O manual é fabricado com papel reciclável (parece papel de pão antigo - deve ser com fins de informação que a Philips atua no meio ambiente - mas deste modo, com poucas páginas, prejudica em muito a informação e operabilidade do produto), e não informa muita coisa. No detalhamento técnico, é um absurdo! Não diz de quanto é a distorção harmônica (THD) que o amplificador gera, em porcentagem. Não fala nadinha das caixas, apenas as suas dimensões físicas.
    Quando ví o manual de instruções, fiquei abismado, e imaginei que teria logo alguma decepção.
    O problema principal é resolver o defeito atual: uma saída traseira esquerda com defeito. Depois, vou querer que a Philips me comprove que a potência divulgada seja os 600 Watts. Sabe porquê? É porque eu comprei a marca Philips e esse modelo acreditando nas informações divulgadas por ela. Caso contrário, talvez eu tenha comprado outra marca. Quem sabe, nos R$ 1.000,00 pagos, se eu pagasse mais R$ 299,00 não teria comprado o SONY DDW 660... ou outra marca que se assemelhasse ao que estou procurando.
    Se a Philips tivesse divulgado que o aparelho tivesse 300 Watts RMS (coisa que ainda acho que o aparelho nem tenha), talvez essa reclamação de potência eu nem me queixaria, apenas o defeito em questão. Mas divulgar esses 600 Watts nessas caixinhas que pesam pouquíssimos gramas? Aí é enganação demais!
    Vou ver o que acontece. Irei reclamar até não ter mais jeito. Eu quero que a Philips divulgue que a potência real não seja esses 600 Watts, ou que ela me comprove. Só isso.
    Falow!
     
  17. LKP

    LKP Usuário


    Desde 27 Jun 2005
    Brasília/DF/Brasil
    Consome 340W no sub e 25 no dvd!

    Ao Nomura,
    Entendo sua frustação tbem, eu estava pensando em gastar algo em torno de 1000 reais tbem, no máximo 1200, mas com o dvd, e por isso tinha optado, sem muita pesquisa pelo gradiente 521! O Som é péssimo, e para minha sorte, veio com defeito e eu consegui ser reembolsado. Optei em apertar o orçamento até por volta de 1500 a 1600 com o DVD, mas pegar algo melhor, ou menos pior, se comparado aos aparelhos considerados razoáveis de primeira linha.
    O papel do manual tambem era do estilo reciclado, mas o som é muito fraco, mas muito fraco mesmo!
    São 175 total, muito pouco por cada canal, e ainda acho que as caixas de som não ajudavam....
    Eu cheguei a ouvir o seu aparelho da Philips em uma loja, e acredite, é bem melhor que estes dois modelos (520 e 521) da Gradiente!

    Braça.
     
  18. cyrx

    cyrx Usuário


    Desde 24 Set 2004
    Rio de Janeiro
    bem amigo nao confio em nada mais da philips.
    comprei um lx700 a cerca de uns 7 meses.
    que triste esse conjunto..

    o sub é enfeite....
    a caixa central é uma palhaçada.
    estou descontente d+...
     
  19. ]-[unter

    ]-[unter Usuário


    Desde 6 Jun 2005
    Bauru-SP
    Eu tive um desses tb. Até eu ouvir outro achei que esse era uma maravilha. Mas depois que peguei um Sony DDW-760 (que tb é uma porcaria) ví que esse Philips é pior ainda em termos de qualidade de som. O Sony dá pra ouvir sons e barulhos (do filme e não do aparelho) que no Philips eu nunca ouvi, sem contar que a qualidade sonora do Sony é bem melhor.
     
  20. PauloON

    PauloON Usuário


    Desde 13 Out 2004
    Valinhos/SP
    Olá Nomura,

    Realmente, eu concordo com você. É lamentável a posição que a Philips está assumindo no mercado...

    Um abraço.

    Paulo.
     
  1. Usamos cookies próprios e de terceiros para dar um melhor serviço e mostrar publicidade. Ao continuar, aceita o seu uso.
    Fechar Aviso