Anúncio do HT Forum

Selo nacional AM records e CBS década 70

Discussão em 'Vinil, Calibração e Ajustes' iniciada por lucasribeiro2, 7 Jun 2018.

  1. lucasribeiro2

    lucasribeiro2 Usuário


    Desde 17 Mai 2011
    Sao luis/Maranhao/Brasil
    Boa noite pessoal, vi um topico recente sobre a qualidade dos vinis nacionais em relação aos importados que foi bem esclarecedor, porém gerou algumas duvidas. Achava estranho as pessoas dizendo que a prensagem de tal e tal lugar soavam melhor, porque o correto é que o álbum tenha apenas uma mixagem e masterizacao. No início entendia que no processo de prensagem também se faziam edicoes dos áudios, mas pelo que eu entendi isso é um erro, certo? O que é feito no país que vai ser lancado é apenas a prensagem fisica, correto? Entao essa prensagem física de menor qualidade, como no exemplo que foi dado, as brasileiras após a crise do petroleo, sao reaponsaveis por um vinil de qualidade inferior, fisicamente, que facilmente vai se danificar, chiar, estalar, ou já vir assim de fabrica. O que eu nao vi ninguém falar sobre foi das frequências. Esse processo de ma qualidade tambem é responsável por alterar as frequências da música, deixando mais estalado, por exemplo, ou com pouco medio, o que afetaria na percepcao de um instrumento, ou outro problema dessa natureza tambem? Pergunto isso porque tenho um vinil nacional da Joan Baez da AM records, e outro nacional do Joe Cocker desse mesmo selo. Quando peguei eles fiquei impressionado pois ao contrário da maioria dos nacionais que punha a mão eles me pareceram de maior qualidade o material, mais robusto com cergrza, pelo menor 120 gramas, ou mais, e apesar de serem da decada de 70 nenhum deles apresenta nenhum problema na audicao, nem chiado do tempo, que seria normal se escutar nas partes baixas. Eu encontrei o mesmo disco da Joan Baez só que a versão americana, da mesma epoca a um preço bem convidativo, e queria saber se vale a pena comprar, se a sonoridade realmente tem uma melhora, no caso desse selo, se alguém conhecer, porque de qualidade física da pra perceber que ele e bem bom, e no outro topico foi dito que ha muitas prensagens nacionais de qualidade dessa epoca. Alguém sabe sobre esse selo?
    Outro exemplo que tenho tambem é o Desire do Bob Dylan,nacional da CBS, selo laranja, que apesar de ser bem fino toca perfeitamente até o fim, ao passo que comprei um original da Columbia, americano e tive que devolver porque parecia uma pipoqueira. Vou colocar as fotos aqui pra vocês terem uma percepção melhor.
    Valeu galera.
    IMG_20180607_224519981_LL.jpg IMG_20180607_224602025_LL.jpg IMG_20180607_224650889.jpg
     
    • 1
  2. JeffersonLopes

    JeffersonLopes Usuário


    Desde 3 Set 2007
    São Paulo - SP
    Grande @lucasribeiro2@lucasribeiro2 : ao contrário da imensa maioria aqui , acho as prensagens nacionais otimas. Uma de suas vantagens é pouquissimos retoques , mantendo o mais próximo do original. O único senão é a qualidade do material gráfico - capas - e muitas capas tipo album foram suprimidas.

    É notorio - e o melhor do analogico - é sua diversidade de sonoridades. Estas não se repetem nas prensagens, os equipamentos soam de forma diferentediferente e principalmente a percepção de cada um de nós. Cada qual tem sua referência e esta faz parte do contexto de cada um.

    O problema é quando se deseja criar regras, simplificações e conceitos em algo tão diverso. E principalmente um setup coerente com as midias .
     
    • 1
  3. lucasribeiro2

    lucasribeiro2 Usuário


    Desde 17 Mai 2011
    Sao luis/Maranhao/Brasil
    Massa Jefferson. Esse selo AM records, pelo menos, o nacional, eu achei muito bom. Esse do Bob Dylan tambem não deixou a desejar nap. Receio que devo concordar com a galera do pink Floyd. Não compro mais nacional deles. E bem triste o resultado. No mais eu preciso de mais experiência pra ter avaliacao própria. Abração.
     
    • 1
  4. JeffersonLopes

    JeffersonLopes Usuário


    Desde 3 Set 2007
    São Paulo - SP
    AM é Odeon. CBS nos anos 70 não tinha fábrica , mas contratava boas empresas. A respeito de Pink Floyd , as novas masterizações são mais ricas e consistentes com a tecnologia atual. Eu prefiro as antigas por serem coerentes com o contexto da época. Não é a moda atual. E logo com a evolução estas atuais tb ficarão obsoletas. Mas as originais.... Estão acima da tecnologia e da moda atual e requerem mais de quem escuta. É algo relacionado a maturidade....
     
    • 1
  1. Usamos cookies próprios e de terceiros para dar um melhor serviço e mostrar publicidade. Ao continuar, aceita o seu uso.
    Fechar Aviso